Tesla pode ser Privatizada!

Musk pondera tirar a Tesla de bolsa

Elon Musk, CEO da fabricante norte-americana de veículos eléctricos Tesla, escreveu na sua conta de Twitter que está a pensar privatizar a empresa. E a 420 dólares por acção.

Elon Musk escreveu num tweet que está a pensar retirar a Tesla de bolsa, a 420 dólares por acção.

O mercado está a reagir em alta, com as acções a dispararem 5,44% para 360,59 dólares.

A esse preço, a empresa vale 71,6 mil milhões de dólares. Musk, que nos últimos tempos tem tido atitudes e declarações controversas, disse que tem financiamento garantido para a operação.

tesla-oc-banner.pngNota – Em países capitalistas há 3 tipos de firmas:
1. Estatais – pertencem ao Estado
2. Públicas – cotadas na bolsa, podendo ser compradas pelo público
3. Privadas – não cotadas, pelo que o público não pode investir
A privatização será passar do estado 2 para o 3. Outras realidades…

Anúncios

Argumento a favor da Propriedade Privada, versão BE

Se isto não vos convence de que os privados tratam melhor do seu património do que o Estado, não sei o que será capaz.

Evento para Ocupar o Prédio Robles dia 31/Julho

Vamos Ocupar o Prédio do Robles, é o evento do Facebook publicitado pelo Observador, organizado pela extrema direita em Lisboa, e que já anda a ser publicitado na página de Ricardo Robles no Facebook.

Leilão forjado a preço fora do mercado, empréstimo da CGD sem cumprir taxa de esforço, o resto do dinheiro que não se sabe de onde vem, licenças camarárias em tempo recorde para fazer mais um andar, achados arqueológicos ignorados, queixas dos vizinhos prontamente silenciadas pela Câmara, inquilino despejado sem dó nem piedade… e remodelação em 11 apartamentos para alojamento local, apesar de todas as iniciativas do Bloco e do próprio Robles contra este negócio! (Onde é que ia viver a irmã Lígia afinal??). Viva a transparência! Viva a coerência!

e ainda:

Se temos esta vergonha de políticos medíocres, vigaristas e aldrabões, é porque há quem vote neles. A culpa é dos eleitores que parece que gostam de ser roubados.
Nós não! Lutamos pela justiça e pela ética nos cargos públicos. Não toleramos esta constante pilhagem ao erário público por parte dos “pulhíticos” do sistema, aldrabões e hipócritas, que se servem dos cargos em vez de servirem.
No dia 31 às 12:30 horas, vamos “oKupar” o prédio do político de Extrema-Esquerda-caviar.
Venha connosco mostrar a justa indignação daqueles que não são cúmplices desta imoralidade.

Estou muito curioso sobre o que vai agora dizer Catarina Martins.
Vamos descobrir agora que também é contra as ocupações?

Okupar o Robles.jpg

Robles Tower

The Sky is the limit!
(via Twitter de ANL)

BE descredibiliza BE

Miguel Morgado faz um excelente ponto no Fb:

Não percebo o argumento que corre por aí mais ou menos assim: “Robles pode fazer isto como qualquer outra pessoa; mas como político é incoerente”.
A tese do BE é a de que aquelas práticas são lesivas sem ambiguidades; criam males objetivos. Daqui deduz-se que:
1) Ou a tese do BE é falsa e o programa do BE é lixo;
2) Ou a tese do BE é verdadeira e Robles provocou males objectivos e graves aos seus semelhantes e à sociedade portuguesa. O que significa que nunca, nem em circunstância alguma, ele poderia dedicar-se às práticas reportadas.
Sejamos consequentes, caso contrário andaremos eternamente em círculos. Por aqui também se vê que o problema que emergiu não é a “arrogância” do BE.

Robles provavelmente vai manter-se em todos os cargos que ocupa. É hipócrita o suficiente para isso e na esquerda portuguesa o corporativismo é rei e senhor.

BEMas sendo assim, conseguimos o 2º óptimo: como Marques Mendes hoje disse, o Bloco com histórias como esta quando chegar as próximas eleições já não virá com o seu suposto “high ground” moral. Ou se vier será ridicularizado pelo eleitor de direita médio. O Bloco pode manter o vereador, mas perde a face.

Agora, a maior mudança poderá ser mesmo a nível do programa. Mantê-lo-á? Ou alterará o programa para ser Robles-compatível? Ou será pró-programa às 2ªs, 4ªs e 6ªs e pró-Robles especulador às 3ªs, 5ªs e Sábados? Eu voto em como o Programa do BE é lixo. Veremos se o BE agora tem mais noção do disparate e faz o mesmo.

 

Quem com demagogia ataca…

Lá diz o povo: Quem com ferros mata, com ferros morre!

Hoje é esta a apresentação do prédio de Robles (visto aqui):

Robles.jpg

Bem, arranja-se um técnico da câmara para remover o grafiti, não?
Quer dizer, depois de usar a Seg. Social e ca CGD de forma abusiva, porque não?

A internet não elegeu Trump

Lido no Slate, um site de notícias do mais esquerda que há nos EUA:

Maybe Trump Isn’t the Internet’s Fault, After All

A new study shows Trump did best among voters who were extremely offline.

For all the hand-wringing about fake news, Russian trolls, Infowars, and Cambridge Analytica, the internet may not have helped elect Donald Trump after all. That, at least, is the strong suggestion of a new study from economists at Stanford and Brown universities.

Já disse a várias pessoas em conversas presenciais que eu tinha esta ideia, mas até ontem não tinha acesso a um estudo que corroborasse essa minha sensação. Agora surgiu: a vitória de Trump foi baseada nos votos dos Republicanos, no domínio de Trump na ciência da persuasão, e na desilusão de Democratas que se recusaram a votar em Clinton nos estados decisivos. A eleição foi decidida fora das grandes cidades, sobretudo no rusty belt. Por causa da internet? Acham mesmo?

Trump.jpg

 

 

NewSpeak Jornalístico em Portugal

O comentador LuckyLucky fez aqui uma pequena lista de manipulações usadas pelos Legacy Media portugueses. Editei e fiz algumas adições para fazer esta lista que se segue.

Extremista – Indivíduo violento de direita
Activista
 – Indivíduo violento de esquerda

Exilado – Indivíduo refugiado de regime de direita
Dissidente – Indivíduo refugiado de regime de esquerda

Ditadores – Ditadores de regime de direita, como o Ditador Chileno Augusto Pinochet
Líderes – Ditadores de regime de esquerda, como o Líder Cubano Fidel Castro

Populista – Indivíduo ou ideia que o povo gosta e o jornalista não gosta que o povo goste.
Democrático – Indivíduo ou ideia que o povo gosta e o jornalista gosta que o povo goste.

Ataque – Ataque que o jornalismo não apoia
Protesto – Ataque que o jornalismo apoia

Foram Mortos (voz activa) – pessoas mortas em ataques em que interessa ao jornalista designar quem atacou, como em “ataque Israelita mata palestinianos”
Morreram (voz passiva)
– pessoas mortas em ataques em que não interessa aos jornalista designar quem atacou, como em “Israelitas morrem em explosão”

Indignação – caracterização dos protestos quando o governo é de direita
Raiva/Extremistas – caracterização dos protestos quando o governo é de esquerda

Coerente – uma pessoa de esquerda é coerente
Inflexível – uma pessoa de direita é inflexível

Gastos – Despesa que o jornalista não apoia (independentemente do retorno)
Investimento – Despesa que o jornalista apoia (independentemente do retorno)

Apaixonada – uma pessoa de esquerda é apaixonada
Controversa/Polémica – uma pessoa de direita é controversa e polémica

Denúncia – Crítica feita por partido ou força de esquerda
Aproveitamento/Incitamento – Crítica feita por partido de direita

Oposição Firme – Oposição feita pela esquerda
Obstrução – Oposição feita pela direita

Convicções e Princípios – A Esquerda tem convicções e princípios
Ideologia – A Direita é ideológica (dica: usar ideologia cega no meio do texto)

Austeridade – Política Orçamental contraccionista implementada pela Direita
Rigor – Política Orçamental contraccionista implementada pela Esquerda

Corte – A direita faz corte no Orçamento da Educação
Redução – A esquerda reduz o Orçamento da Educação (ou então a Economia cresceu)

Há tantas mais expressões que faltam aqui…
Por favor coloquem nos comentários que eu depois adiciono aqui as melhores.

News Speak Newspeak.jpg

Parlamento Cubano evolui

Parlamento cubano inicia debate sobre nova Constituição que elimina a palavra “comunismo”

Por outro lado, o artigo 21 do novo texto submetido a debate reconhece “outras formas de propriedade, como a cooperativa, a propriedade mista e a propriedade privada”, e admite o investimento estrangeiro como “uma necessidade e um elemento importante de desenvolvimento”.

PC Cubano a ultrapassar PC Português pela direita?

cuba-1303-asamblea

Médicos Cubanos revoltam-se

Cuban Doctors Revolt: ‘You Get Tired of Being a Slave’

“When you leave Cuba for the first time, you discover many things that you had been blind to,” said Yaili Jiménez Gutierrez, one of the doctors who filed suit. “There comes a time when you get tired of being a slave.”

Cubanos a acordarem: wow!

 

 

Vasco Pulido Valente – “Os noticiários são enviesados à esquerda”

Podem ler no Expresso a entrevista completa. Ficam aqui com uma citação disponível no Expresso online:

“As notícias são feitas por uma parte da classe média”, responde. “A anormalidade tem a ver com a anormalidade do papel do Estado em Portugal, que é bastante maior do que noutras sociedades. E os noticiários são muito enviesados. Sobretudo, são enviesados à esquerda. Refletem a visão que a esquerda portuguesa de classe média tem do mundo. Na escolha das notícias do estrangeiro, das que se dão sobre a sociedade portuguesa, dos comentários que se fazem.”

2018-07-20-3c2a3165_t

The Mob

I Was the Mob Until the Mob Came for Me

I drive food delivery for an online app to make rent and support myself and my young family. This is my new life. I once had a well paid job in what might be described as the social justice industry. Then I upset the wrong person, and within a short window of time, I was considered too toxic for my employer’s taste. I was publicly shamed, mobbed, and reduced to a symbol of male privilege. I was cast out of my career and my professional community. Writing anything under my own byline now would invite a renewal of this mobbing—which is why, with my editor’s permission, I am writing this under a pseudonym. He knows who I am.

In my previous life, I was a self-righteous social justice crusader. I would use my mid-sized Twitter and Facebook platforms to signal my wokeness on topics such as LGBT rights, rape culture, and racial injustice. Many of the opinions I held then are still opinions that I hold today. But I now realize that my social-media hyperactivity was, in reality, doing more harm than good.

Um testemunho interessante, com uma história pessoal de alguém que é um exemplo vivo do adágio “Quem com espada mata, com espada morre”, versão digital.

Este é muito diferente do caso de Scarlett Johanson, caso em que “the mob” começou por criticar, depois conseguiu que ela abdicasse, e agora arriscam-se a que o filme nem seja feito – a menos que queiram fazê-lo apenas para ganhar aqueles prémios europeus que são tão relevantes que nem sei o nome deles.

The Mob.pngOs testes de pureza da esquerda estão a chegar. Eu gosto de ver. É uma espécie de Hunger Games mas com a carreira das pessoas. E as vítimas são agora cada vez mais as pessoas da esquerda – afinal, os de direita já estão perdidos e já…

Para a esquerda, já sabem: Don’t Mess with The Mob 😉

 

 

#WalkAway

Existe desde final de Maio um movimento que anda a desgastar a base de apoio do Partido Democrata. Tal como o movimento #NeverTrump desgastou o Partido Republicano em 2016, o movimento #WalkAway desgasta agora o Democrata em 2018 (porque o 1º passou dezenas de vezes nos Legacy Media portugueses e este 2º não passa, deixo à vossa consideração).

Far Right.jpgA ideia é simples: o Partido democrata assenta hoje numa política do medo. A intolerância, a inflexibilidade, o ódio, a hipocrisia, o racismo invertido, o sexismo invertido e a ameaça são a norma. Quem apoia Trump ou tem as posições erradas é perseguido (ao ponto de um gay num dos vídeos da campanha afirmar que saiu de um armário sexual para entrar num armário político!). A hierarquia de vitimização é agora uma hierarquia de poder político e quem não é vítima, que se cale. Quem não estiver no canto da “esperança e do amor”, é extrema direita. Nesta fase, já nem Bernie Sanders é de Esquerda!

Vejam aqui o vídeo que originou a campanha:

Sublinhe-se que quem sai dos Democratas geralmente fica Independente, tornando-se swing voter. O ponto aqui é sair da “plantação” – onde os democratas “escravizaram” o seu voto – e ser um espírito livre, que pense pela sua cabeça, e que depois do seu “Red Pill moment” já não acredite em tudo o que os Legacy Media lhe empurram pela goela abaixo.

Devo dizer que vejo com bastante esperança movimentos destes. Se virem os vídeos do canal, são todos de indivíduos interessantes que acordaram recentemente e que baixam agora os decibéis da gritaria para se juntarem a uma discussão calma e lógica sobre alguns dos grandes temas do momento. Deixo aqui por exemplo um para perceberem do que falo – mas aconselho a que ouçam os mais que possam deste canal de YouTube:

Face a isto, como reagem os legacy media ligados aos democratas? Não vão acreditar: são Bots russos! Same old, same old. Podem ver no Salon “Russian bots are back: #WalkAway attack on Democrats is a likely Kremlin operation” ou na CNN “Russian bots are using #WalkAway to try to wound Dems in midterms” ou até no Washington comPost “The #WalkAway meme is what happens when everything is viral and nothing matters“. Quando a realidade magoa, culpem-se os Russos. Depois de Obama ter em 2012 atacado Romney por achar Rússia era o papão, e de ter relançado a relação com a Rússia em 2009, creio que esta história da Rússia está a ir longe demais. Mas hey, é ainda assim a melhor narrativa que eles têm. O desespero tem destas coisas.

Unhinged

O “Partido da tolerância” está assim em 2018.
Para derrotar o fascismo, promove práticas fascistas.
Para atacar um presidente “desequilibrado”, tem cabeças de cartaz desequilibradas.
Para atacar a linguagem de Trump, usa linguagem pior.
Para contrariar as mentiras de Trump, mente.
Para impedir a reeleição de Trump, prefere uma economia em cacos.

Fica aqui um bom resumo feito pelo RNC, daqueles que não verão na RTP.

Trump Vs Obama with the Arabs

Mas depois: “Ai. Ui. Trump cumprimentou Putin.” Certo, certo…

Esta capa é ridícula

Time Trump child

Trump tem defeitos e cada um pode gostar dele ou não por diversos motivos. Tem aspectos que eu gosto (anti-politicamente correcto) e que e não gosto (política proteccionista que lhe rendeu a Casa Branca no Rust Belt).

Agora, colocar na capa um tema de 2014 como se fosse novo, absolvendo Obama e nazificando Trump, que é essencialmente um problema legislativo e que o Partido Democrata não quer resolver pela via legislativa (Nazis também?) é mau jornalismo.

A situação só se agrava quando se sabe a foto da história da capa:
A criança é hondurenha, a mãe deixou as outras 3 crianças com o pai, pediu asilo por motivos políticos sem base real para tal, nunca foi separada da filha, e o choro deve-se a cerca de 3 minutos de conversa da mãe com um polícia, por acaso latino. Ah, e mãe e filha estão juntas. Podem ver Ban Shapiro sobre esta foto no seguinte vídeo:

Para quando uma oposição séria com base em verdades?
PS: E as lágrimas a pedido da Rachel “mad dog” Maddow? Triste.

Ben Shapiro sobre Star Wars

No, ‘Star Wars’ Isn’t Failing Because Of Hateful Trolls. It’s Failing Because Kathleen Kennedy Has Done A Garbage Job.

Why all this effort to blame the fans for the series’ troubles? Because we must never – ever, under any circumstances – blame Kathleen Kennedy. Kennedy, you see, is woke. The Lucasfilm story group is entirely female. Their goal, according to The New York Times: “They wanted to tell beautiful stories, fulfill the expectations of loyal fans and create meaningful female characters.” The Times gushes, “Today, the Lucasfilm story group is a diverse outlier in Hollywood: five of its members are people of color, and the team includes four women and seven men. … A new, unpublished analysis of Star Wars films shows striking progress in their representation of gender and race.”

Now, Kennedy could have had these priorities and created good movies. Instead, she didn’t. She created a bunch of goop. The Force Awakens is garbage; The Last Jedi is double-garbage. That’s because Kennedy had two choices upon being granted the helm of the Star Wars universe: (1) fast-forward fifty years, beyond the original characters, and reboot, losing the nostalgia of the original characters but gaining freshness; (2) recast the original characters and pick up where Return of the Jedi left off. Instead, in fully risk averse fashion, she chose door (3): leech off the nostalgia while introducing new characters a few years in the future. This led her to the idiotic decision to murder off all the original beloved characters in increasingly stupid fashion — and then to the doubly idiotic decision to go back and create new movies around those now-dead characters. She pissed off all of us who grew up on Star Wars, and in doing so, destroyed whatever good will existed among us for the newer batch of characters. Solo and Rogue One are good movies — but Han Solo was killed by JJ Abrams in The Force Awakens after being turned into a loser drifting around the galaxy in his iconic Millenium Falcon, the equivalent of a deadbeat dad who abandoned his family in the 1970s to trek the country in his bug van; Rogue One revolved around a set of characters who all die.

And then even the new movies were chained to the most risk averse strategy: instead of teaming Rey up with Kylo Ren (the only moment of The Last Jedi anyone liked) or killing off Finn for effect, Kennedy’s team saved Finn and essentially rebooted the series to Episode IV by splitting Kylo and Rey. All the SJW antics of the new stuff (from Solo’s odd droid-rights narrative to The Last Jedi’s class warfare-animal rights jaunt) are ancillary to the fact that Kennedy has wildly botched the landing on Star Wars.

sjwPessoalmente, o Episódio 7 era fraco mas pelo menos a fandom tinha hipóteses e teorias interessantes para fazer dezenas (centenas, milhares…) de vídeos sobre os pais de Rey, quem é Snoke, porque Luke se refugiou, como se revoltou Finn, onde estava a mulher de Luke, … (Outra visão). Agora, depois do 8? Todas as histórias foram fechadas e todos os personagens ridicularizados. Fechou até nova gerência tomar o espaço. Solo, que perdeu 50 a 80 milhões (algo novo em SW), foi vítima dos SJW. Veremos o que decide a Disney.

E a malta diverte-se…

Era impossível ganhar as primárias…
Era impossível ganhar as eleições…
Era impossível resistir à destituição…
Era impossível fazer regressar empregos…
Era impossível reunir com a Coreia do Norte…
Acho incrível como tantos nos Legacy Media ainda têm emprego.
Confio mais em astrólogos e cartomantes.

Entretanto, na Eslovénia…

Eu nem ia escrever nada, mas como o silêncio na comunicação social portuguesa foi ensurdecedor, republico aqui alguns artigos sobre as Eleições na Eslovénia:

Slovenia Elections Tilt Another European Country to the Right, NYT

“I will say what I have said already before: We are for solidarity, but we are against stupidity,” he said, advocating a policy of discouraging migrants from coming to Europe by improving conditions in their own countries.

Slovenia faces political uncertainty after election, Reuters

The president has previously said he would nominate the leader of the biggest party as prime minister in the next couple of weeks but Jansa may struggle to win sufficient parliamentary support to lead the next government.

(e não vai: o Presidente deverá a seguir convidar outros partidos que formarão uma coligação “centrão” enquanto os nacionalistas não têm votos nem apoios partidários)

Slovenian right-wingers try to form government and oust liberals after election gains, Independent

Slovenia could be on course to join the swathe of central and eastern EU members with right-wing anti-immigrant governments after populists made gains in elections.

(…)

Right-wing nationalist parties have come to power in Hungary, Poland, Italy and Austria in recent years, representing a new bloc of largely anti-immigrant politics at a European level.

Slovenia election: Anti-immigrant SDS is largest party, BBC

Slovenian nationalist party set for power after winning election, The Guardian

Janez JansaToda esta onda politicamente correcta, todo este enfiar a cabeça na areia, todo este desprezo pelo crescimento de incompatibilidades entre o Estado Social Europeu e a Política Migratória de Braços Abertos… vai dar mau resultado. Mas em princípio não é no Porto que o martelo vai cair com mais força.

Porque é que a música de hoje é tão má?

No fundo, porque custa tanto lançar uma música que, para diminuir o risco, tudo se torna numa mescla mais fraca, mais próxima, mas mais segura – como em muitos outros sectores. Mas este vídeo detalha o processo de uma forma mais detalhada do que eu alguma vez conseguiria. Aconselho.

PS: é de doidos que Britney Spears, Taylor Swift, Ellie Goulding, Robyn, Justin Bieber, Katy Perry, Ariana Grande, Justin Timberlake, Maroon 5, Pink, Leona Lewis, Avril Lavigne, Christina Aguilera, Kesha, Backstreet Boys, West Life, N’Sync, Will I Am, Kelly Clarkson, Glee, Jessie J, Nicki Minaj, Selena Gomez, Adele, Demi Lovato, Lana Del Rey, E-Type, Céline Dion, Bon Jovi e muitos outros… todos façam partes da discografia do tal Max Martin. Aliás,Martin teve um total de 54 canções alcançar os dez melhores gráficos colocando-o acima de Madonna (38), Elvis Presley (36) e os Beatles (34).

Copyright Europeu

A UE, depois do RGPD, que tem implicações reduzidas além de mails e sms, tem agora um risco muito maior para a liberdade na Europa: a nova lei de Copyright Europeu.

Este desastre inclui 2 provisões muito destruidoras:

  1. Mandatory filtering – Filtros de Uploads para instalar censura
  2. Link taxes – Taxas e taxinhas para cada link de uma fonte

Se esta censura se tornar lei no próximo mês, a prazo isto corresponderá ao fim de pequenas e médias redes sociais, fontes de notícias alternativas, e vídeos de paródias.
Mesmo fontes de notícias oficiais e a blogosfera terão de se adaptar a um mundo em que links para fontes deixarão de ser economicamente viáveis sem grandes contas bancárias a financiar por trás.

flag_of_copyright_europe-640x320.pngE claro: se vocês acham que hoje o que domina a internet é uma cultura excessivamente PC (politicamente correcta), bem então preparem-se pois isto vai cada vez mais assemelhar-se ao Alentejo profundo.

Podem ler mais aqui. Site EDRi.
Julia Reda (ex-SPD, Partido Pirata) alerta aqui.
Podem ver aqui as 145 Organizações que subscreveram uma carta aberta.
E sim, António Costa é fortemente a favor disto e até mais.

Seminários IES 2018

Caríssimos,

O IES está a organizar 2 seminários semanais para explorar as ideias de Liberdade, num ambiente informal e de confraternização. Já participei há uns anos e posso garantir que foi uma semana espectacular: quer em termos de relações que ficaram, quer em termos dos debates com pessoas que entendem a nossa matriz ideológica.
PS: o prazo de inscrição é curto e acaba amanhã, dia 15/Maio.

Podem ver a descrição do instituto AQUI.

The aim of The Institute for Economic Studies Europe is to stand at the center of a worldwide network of students, scholars and other intellectuals. Since 1989, the Institute, a non profit organization registered in the state of Virginia, has aimed at discovering, developing and supporting the most outstanding people it could find among students, scholars and other intellectuals who share an interest in exploring and applying the principles of classical liberalism. For that purpose, IES uses or supports three different tools of teaching or of research. Every year we organize summer seminars somewhere in Europe, a summer university in Aix-en-Provence, France, and sponsors researchers or translations of major books.

Each of these activities aims at the spreading of classical liberalism which includes among its principles:

– the recognition of inalienable individual rights and the dignity and worth of each individual
– the protection of those rights through the institution of private property, contracts and the rule of law.
– the support of the ideal of voluntarism in human relations, including support of the free market mechanism in economic affairs and free movement of goods, ideas and people.

Podem ver a página dos seminários AQUI.

Interested in exploring the ideas of Liberty? Spending a week of great experiences, intercultural exchanges, discussing and thinking about freedom, learning from top professors and making new friends from all over the world?

In 2018, IES Europe will offer you just that. So, come back in the following weeks to find out about this year’s seminars and their deadlines and grab those unique opportunities.

Participation is free! The best applications will be selected.

Caso tenham alguma dúvida, pretendam informações, ou queiram que vos escreva uma carta de recomendação, enviem mail para campelodemagalhaes@gmail.com
(esta última implica uma conversa telefónica)

Seria interessante ter um ou dois representantes portugueses nestes fóruns europeus.

Parabéns Marvel

Durante muitos anos, “Star Wars was the biggest game in town”. Convenções, um enorme EU (Expanded Universe) cheio de histórias que enchiam uma galáxia e toda uma cronologia complexa que eu mal conseguia acompanhar: há canais com centenas de vídeos sobre todos os Sith, todos os Jedi, todos os heróis das guerras dos clones e das múltiplas guerras anteriores e posteriores (pós-Endor).

Agora? Com a secretária do Spielberg a dirigir?

DcE4CFlXcAAziFm.jpg

Continue reading “Parabéns Marvel”

Carla Ortiz sobre a Síria

Eu não sou o maior defensor dos direitos das minorias – deixo esse tema para outros com mais motivação. Agora, o que eu acho incrível é como os legacy media não defendem as mulheres, os homossexuais, os cristãos, os islâmicos comuns e o povo Sírio em geral, escolhendo o lado dos mercenários da CIA, dos hijabs, das jaulas com cristãos no topo de hospitais e nas ruas. Os legacy media americanos (onde os portugueses vão copiar as notícias sem critério) estão a definhar e, vendo isto, não posso negar um certo alívio.

Outras leituras:
CNN chama Jimmy Dore e outros de Fake News – o desespero…
Rand Paul sobre o ataque químico na Síria – Cereja no topo do bolo: na CNN 😉
John Kerry sobre como os Árabes se ofereceram para pagar a queda de Assad.

Sun Tzu sobre a Síria… ou talvez não.

Sun Tzu on Syria.jpg

Suspeito, no mínimo. Desafia a lógica.

Independentemente de isto ser verdade ou não, que pode bem não ser.
As reações dos líderes europeus como se fossem uma orquestra…
Há algo muito mal contado nesta história. Algo de que nunca se fala...