A pesada herança autárquica de Valentim Loureiro

Fica mais uma ilustração prática de que, também no âmbito da governação autárquica, popularidade não equivale necessariamente a competência e rectidão: Valentim Loureiro: Faturas falsas obrigam Câmara de Gondomar a devolver 11 milhões de euros

Sob a liderança de Valentim Loureiro, a Câmara de Gondomar criou um esquema de falsificação de faturas e desvio de fundos comunitários. Agora, foi obrigada a devolver 11 milhões de euros.

Colóquio Pensamento Libertário II – 26 de Março, em Lisboa

coloquio_pensamento_libertario

No próximo dia 26 de Março estarei numa conferência na FCSH da Universidade Nova de Lisboa onde falarei no painel das 14h00, sendo a minha comunicação subordinada ao tema “Propriedade sem Estado no pensamento de Nozick e Rothbard”.

Mais informações e inscrições através deste link.

YDreams: uma estória empresarial portuguesa

Porque falhou a YDreams? As explicações de António Câmara

Conta que houve o falhanço de expectativas que não teve a adequada resposta. A conjuntura também não ajudou. Estávamos em 2009 e as expectativas de vendas chegaram a ser de 20 milhões de euros. Estava tudo contratado e adjudicado. Principal cliente: o Estado.

Continuar a ler

O critério de representatividade de Marine Le Pen

pen_2198173b

A propósito de uma entrevista de Marine Le Pen. Por João Carlos Espada.

Em entrevista ao semanário Expresso do último sábado, Marine Le Pen classificou Durão Barroso como “o chefe dos guardas prisionais. Foi o chefe da prisão, foi o grande general da prisão dos povos, que é o que na realidade é a União Europeia.” Quanto a Angela Merkel, ficámos a saber que “é a directora da prisão”.

Continuar a ler

Resultados das eleições em França e na Andaluzia

Assim vai a Europa…

Eleições departamentais em França: Sarkozy em primeiro, Le Pen em segundo
Andaluzia: PSOE ganha eleições, Podemos em terceiro

O Estado indiscreto é uma ameaça à liberdade e à justiça

A lista VIP: o que é uma coisa séria? Por Rui Ramos.

Esta caso da “lista VIP” lembrou-nos que o Estado português tem pelo menos uma coisa em comum com Polichinelo: a incapacidade de guardar um segredo. Dito isto, pode continuar a não parecer uma coisa séria. Não será o sigilo uma relíquia do passado, impossível de honrar na era dos “leaks” e dos “hackers”? Não estará a solução para a falta de confidencialidade em abolir a confidencialidade?

Continuar a ler

A Grécia e o erro de Merkel (3)

Via Facebook, mais uma leitura complementar na sequência do meu artigo de ontem no Observador (A Grécia e o erro de Merkel), desta vez um post de 2011 de Vera Gouveia Barros: O Buraco e o Bicho da Madeira.

O post relaciona-se em particular com esta passagem do meu artigo de ontem:

Ainda que o efeito final das transferências seja discutível também para os países que são recebedores líquidos (pense-se por exemplo, na vasta e perniciosa indústria de captura de fundos europeus que se estabeleceu entre nós), será sempre mais fácil convencer gregos, espanhóis e portugueses a receberem fundos europeus do que alemães, holandeses, britânicos e finlandeses a pagarem-nos. Para os leitores portugueses que tenham dificuldade em aceitar esta ideia, um exercício simples poderá ajudar: basta pensar na última vez que ouviram um político português continental a defender o aumento das transferências orçamentais para a Madeira para fazer face à crise orçamental da Região Autónoma.

Varoufakis e a Paris Match

varoufakis_paris_matchVaroufakis faria bem melhor em arrepender-se publicamente das políticas ignorantes e irresponsáveis que defende do que de um exercício de vaidade idiota, mas inofensivo: Varoufakis arrependeu-se da sessão fotográfica do Paris Match

“Gostaria que aquela sessão fotográfica não se tivesse realizado, arrependo-me dela”, disse este domingo Yanis Varoufakis à Alpha TV, citado pelo britânico Guardian. O professor de economia de 53 anos acrescentou ainda que não concordou com a “estética” das imagens divulgadas. Já antes, no decorrer da sessão fotográfica, disse não gostar de atenção mediática: “Eu desprezo o sistema do estrelato”.

Continuar a ler

A Grécia e o erro de Merkel (2)

Aqui fica uma leitura complementar sugerida pelo leitor Joaquim Costa em comentário ao meu artigo de ontem no Observador (A Grécia e o erro de Merkel): Endgame: Power Struggle in Brussels and Berlin over Fate of Greece.

Political leaders in Berlin understood Juncker’s words just as he meant them: as a challenge. Merkel too, to be sure, would like to prevent Greece from leaving the euro zone. She is concerned about the chaos that would ensue in Greece — and from a practical perspective, a Grexit would mean that Germany would have to write down the billions it has loaned Athens for good.

Merkel, though, sees Juncker’s categorical promises as undermining efforts to force the Greek government to see reason. Merkel’s advisors in the Chancellery are wondering how it is possible to take a tough negotiating stance with Tsipras when the most severe penalty has been ruled out by the Commission president. But Merkel’s team suspects that Juncker also may be trying to protect his own reputation: Should Greece ultimately be forced out of the euro zone, it would be clear to all that Merkel, rather than Juncker, is to blame.

Continuar a ler

Vaticano aprova intervenção militar contra Estado Islâmico

Vaticano aprova ação militar contra Estado Islâmico para parar “genocídio”

O embaixador do Vaticano nas Nações Unidas aprova uma ação militar contra o movimento Estado Islâmico no Iraque e na Síria, uma posição invulgar pois tradicionalmente o Vaticano opõe-se ao uso da força.

Durante uma entrevista ao site católico norte-americanoCrux , Silvano Tomasi disse que os combatentes do Estado Islâmico estão a cometer atrocidades numa escala enorme e que o mundo tem de intervir.

“Temos de parar este tipo de genocídio, de outro modo iremos questionar no futuro porque não fizemos alguma coisa, porque permitimos que acontecesse tal tragédia”, defendeu o arcebispo italiano.

Sinais dos tempos

Quem diria, há 15 ou 20 anos atrás, que a tendência hoje seria esta?

EUA: Há shoppings transformados em igrejas, centros médicos e faculdades

É uma nova vida para os milhares de centros comerciais abandonados nos EUA, cujas infraestruturas começam a ser usadas para outros fins. Ao todo, há mais de 200 projetos para reformular shoppings.

O euro: do dogma à tragédia

O meu artigo de hoje no Observador: A Grécia e o erro de Merkel

O euro não pode ser visto como um dogma de fé europeísta nem como uma varinha mágica para impor boas práticas governativas a povos indisciplinados. Sob pena de acabar como uma tragédia.

O artigo pode ser lido na íntegra aqui.

Os casos e o infernal Estado fiscal

Sejamos realistas. Por José Manuel Moreira.

O caso mais recente é o das dívidas de Passos Coelho à Segurança Social. Fazendo-nos crer que o mal maior não está na máquina fraudulenta, que produz sucessivos casos – da Saúde à Segurança Social – mas nos “apanhados”. Daí que se exija, não a liberdade de saída (ou não entrada), mas que ninguém escape ao sistema.

Continuar a ler

Sadistic tourism in Greece

Greece and tax sadist tourism. Por Alberto Mingardi.

The Greek government apparently announced that it wants to hire part timers as “undercover agents to grab out tax evaders”. Tourists, students and housewives could work armed with wireless devices to catch shopkeepers and service providers who do not issue receipts when they sell goods and services. (…) The application of the concept to tourists potentially opens up a new whole kind of business: sadistic tourism. Syriza regularly portrays Germans as evil people that want to make the poor Greek suffer: why not turning that into a profitable line of activity for the government? Come to Greece. Ouzo, great sea, beautiful landscapes, moussaka, and you’ll have the pleasure to force dirty little shopkeepers to pay their dues to the government!

Como descredibilizar um país

Ministério da Defesa grego quer introduzir capítulo sobre reparações de guerra alemãs nos livros escolares
Embaixada da Grécia em Berlim faz protesto formal contra declarações de Schäuble

Presidente da Comissão Europeia insatisfeito com falta de progressos nas últimas semanas
Presidente do Eurogrupo diz que a Grécia culpa outros pelos seus problemas
Alemanha admite saída ‘acidental’ da Grécia do euro

A importância de permitir diferentes graus de integração na UE

O euro e a União Europeia. Por João Carlos Espada.

Talvez as elites alemãs venham a ter de aceitar que a Alemanha tem de pagar para salvar o euro no seu presente formato, isto é, incluindo um grupo tão diversificado de países e de economias. Mas, se e quando as elites alemãs aceitassem essa alternativa, iria o eleitorado alemão aceitá-la também? Se e quando uma união orçamental fosse implementada, com transferências automáticas, a Alemanha não iria assistir à subida do extremismo, neste caso de sinal contrário ao do Syriza na Grécia? Em boa verdade, a subida do extremismo de direita na Alemanha, por enquanto limitada, é já um facto observável a olho nu.

Este desencontro entre as preocupações da Alemanha e, em geral, dos países do Norte da Europa, e, por outro lado, as expectativas de vários países do Sul constitui um alerta importante que devia intrigar os europeístas com abertura de espírito.

Continuar a ler

Programa Avançado – Diplomacia Política e Económica

Estão abertas as candidaturas para o Programa Avançado em Diplomacia Política e Económica do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa.
PADiplomacia_Politica_Economica

Os casos fiscais de Pedro Passos Coelho e António Costa

O resumo dos casos recentes envolvendo Pedro Passos Coelho e António Costa oportunamente elaborado pelo Carlos Guimarães Pinto já contabiliza mais de 1000 partilhas no Facebook.

Leitura complementar: Da ditadura fiscal à miséria moral.

Cavaco Silva sobre o perfil do próximo Presidente

Outros critérios podem e devem certamente ser considerados, mas não deixa de ser interessante a opção de Cavaco Silva ao vir publicamente destacar precisamente esta dimensão. Se na área do PS tanto António Guterres como, em menor grau, António Vitorino encaixam no perfil traçado pelo actual Presidente da República, já na área do PSD nenhum dos nomes que tem sido mais falado (Santana Lopes, Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio, Manuela Ferreira Leite) parece, pelo menos à primeira vista, encaixar nesse perfil: Cavaco Silva: Próximo Presidente deve ter experiência em política externa

Cavaco Silva traça o perfil desejável do seu sucessor, no prefácio que assina esta segunda-feira: alguém com experiência em política externa para defender o país.

Interessante também a pronta reacção de Santana Lopes e Marcelo Rebelo de Sousa.

Ditadura fiscal e miséria moral

O meu artigo de hoje no Observador: Da ditadura fiscal à miséria moral.

(…) a Autoridade Tributária (uma designação que em si mesma é já todo um programa…) que impõe prazos e obrigações declaratórias aos cidadãos é a mesma entidade que frequentemente não cumpre prazos e falha nas notificações. Acresce que, por via do alegado “combate à evasão” (o tal que supostamente propiciaria baixas de impostos que ainda ninguém viu), o ónus da prova está hoje cada vez mais invertido, de tal forma que em muitos casos, na prática, é já o cidadão que tem de provar a sua inocência face à máquina fiscal.

O artigo pode ser lido na íntegra aqui.

Ricos cada vez menos ricos em Portugal

E não, não é uma boa notícia: Ranking Forbes: os portugueses mais ricos estão bem mais pobres

Os três portugueses mais ricos do Mundo estão em queda na lista da Forbes: Américo Amorim perdeu 102 lugares, Belmiro de Azevedo 262 e Soares dos Santos 455.