Álvaro del Portillo (2)

Um santo normal. Por Gonçalo Portocarrero de Almada.

Álvaro del Portillo era, surpreendentemente, pouco surpreendente. Nos três anos em que com ele convivi, em Roma, não lhe recordo nenhuma genialidade, nenhuma reacção espantosa, nenhum dito absolutamente original, nenhuma acção invulgar. Pelo contrário, parecia ser muito normal para quem era, afinal, o primeiro sucessor de uma figura tão carismática como Escrivá.

Continuar a ler

About these ads

O PS e António Costa depois das primárias

O debate sobre as primárias no PS em que participei hoje de manhã na Antena 1 pode ser ouvido integralmente aqui.

No dia seguinte às eleições primárias no PS cujo vencedor foi António Costa, o jornalista Nuno Rodrigues modera um debate com a participação do professor de Ciência Política da Universidade Católica André Azevedo Alves, com o comentador de assuntos políticos da Antena 1 Raúl Vaz e com a editora de Política da Antena 1 Maria Flor Pedroso.

Os desafios de António Costa

Os 14 desafios de António Costa. Por David Dinis.

Abrir portas no PSD para um futuro Governo: o novo líder terá de pedir a maioria absoluta, mas sabe que isso é difícil (só uma vez o PS o conseguiu, com Sócrates e contra Santana Lopes). Por isso, Costa saberá que tem construir pontos com futuros parceiros de coligação, para que governar a partir de 2015 (se vencer, claro) não seja uma missão impossível. Abrir portas e construir pontes com o PSD (com o de Rui Rio, ou de outros potenciais candidatos à substituição de Passos) pode ser crucial no ‘day after’. O difícil é conciliar isso com um discurso de campanha eleitoral, onde a crítica ao Governo será permanente. Há alternativas? Sim: o CDS, ou a esquerda (com quem Costa nunca se cruzou), ou os novos partidos (o de Marinho Pinto, entre eles). Mas não se sabe se os votos chegam – e se não é mais fácil estabelecer consensos ao centro.

Um mau prenúncio… (2)

Um homem, aparentando ter mais de 50 anos de idade, foi transportado por uma ambulância do INEM para o Hospital de Braga, queixando-se de dores no peito e apresentando ferimentos, na sequência de uma rixa que opôs apoiantes de António Costa e de António José Seguro, na Escola Básica 2+3 André Soares, uma das maiores secções de voto nas primárias do PS do país. (…) O JN testemunhou o início do desacato, pelo que pode confirmar ter sido causado por disputas eleitorais. Apesar disso, agentes do Partido Socialista local insistiram em negar que a origem da cena de pancadaria fosse partidária.

Um mau prenúncio…

Pancadaria entre apoiantes de Seguro e de Costa em Braga

Vários apoiantes dos dois candidatos às primárias no Partido Socialista – António José Seguro e António Costa – envolveram-se numa cena de violenta pancadaria na Escola Básica 2+3 de André Soares, uma das maiores secções de voto do país.

Primárias no PS: optimismo e confiança

No final do dia de hoje, alguém estará muito desiludido…

Costa: “Estou obviamente otimista”
Seguro: “Estou muito, muito confiante no resultado destas eleições”

Primárias no PS: Seguro apresenta queixa contra Costa

Seguro apresenta queixa contra Costa

Em causa está um sms que a candidatura de António Costa terá enviado este domingo, dia de eleições, a apelar ao voto. A Comissão Eleitoral já notificou Costa, que diz ter sido um “erro processual”.

Álvaro del Portillo

Alvaro_Portillo

Álvaro del Portillo, um engenheiro civil nos altares. Por Pe. José Rafael Espírito Santo.

Estamos habituados a que quando Deus chama se abandone tudo. E aqui vemos que, porque Deus chama, se abraça tudo. O mundo, o trabalho, a formação profissional, é também vocação. A que é preciso corresponder.

Talvez à grande maioria dos cristãos Deus peça, sim, que convertam o seu coração e mudem o mundo, mas não que mudem de mundo. Para isso são leigos.

Continuar a ler

O posicionamento ideológico de António Costa

Estes tipo de testes deve ser encarado com cautela – e o Political Compass tem além disso algumas fragilidades específicas – mas este é ainda assim um exercício interessante: Costa mais à esquerda que Tsipras e que Dalai Lama.

É pena que António José Seguro não tenha respondido. Seria ainda mais interessante comparar os resultados dos dois.

Pedro Passos Coelho e a Tecnoforma

Tecnoforma era o “principal mecenas” da ONG de Passos Coelho, mas não diz quanto dava
Passos: pagamento de despesas sim, salários não
Passos explicou-se. Pena ter demorado tanto
Passos “prestou todos os esclarecimentos”, diz Cavaco
As 17 frases de Passos sobre o caso Tecnoforma

Stephen Hawking e o culto do cientismo

O deus de Stephen Hawking. Por Rui Ramos.

Para os cristãos, Deus fez-se carne; para Hawking, Deus fez-se ciência, e é por isso que não hesita em reivindicar para a ciência todos os tradicionais atributos divinos, menos os “milagres” – o que, todavia, não o impede de avançar com transcendentes promessas de salvação, como a de que a exploração espacial “poderá evitar o desaparecimento da Humanidade devido à colonização de outros planetas”. A ciência, aparentemente, tem os seus milagres, embora do género Star Wars.

Isto não é certamente agnosticismo, mas também não é apenas ateísmo. É a antiga superstição da ciência, o velho culto do progresso, típico dos autodidactas do século XIX, quando a máquina a vapor e a electricidade foram celebradas como os poderes do futuro homem-deus. De facto, é Hawking que representa, nesta história, a fase mais primitiva.

A Escócia, o Reino Unido (sem aspas) e Portugal

Piada “verde”. Por José Manuel Moreira.

Vitória que pode ser tida como sinal de mais confiança num Reino Unido (UK) como “União de Nações” do que numa UE que é cada vez mais uma “União de Estados” capturada por tecno-burocratas que inventam impostos, taxas e controlos que tolhem a vida dos povos. Basta ver como a legalização da cópia privada no UK contrasta com a obscena lei aprovada pelo PSD e CDS por iniciativa de um SE da Cultura mais preocupado em servir lobbies e seguir directivas europeias do que com os prejuízos à economia e aos consumidores. Mas talvez o melhor exemplo de seguidismo em relação à UE seja a anunciada reforma fiscal verde: justificada com a promessa de baixar outros impostos. Trata-se, como se diria em Espanha, de um “chiste verde”: uma piada obscena. Com graça acrescida quando se olha para a forma como os filhos da geração que gastou a herança dos avós (e se tornou incansável no esforço para deixar dívidas aos descendentes) acolhem – em nome da salvação do Planeta – o novo saque da fiscalidade verde e a treta da neutralidade.

Sobre a aprovação da absurda nova Lei da Cópia Privada (3)

Servos das já-não-tão-belas artes. Por Maria João Marques.

Parecendo que não, esta ideia de que as empresas e consumidores podem ser (ainda mais) sangrados para sustentar artistas que não vendem e burocratas das áreas culturais, e de recompensar a inércia, é mais mortífera do que os 20 milhões da taxa.

Leitura complementar: A nova Lei da Cópia Privada: uma mancha notável.

Sobre a aprovação da absurda nova Lei da Cópia Privada (2)

Maria João Nogueira no Canal Q, sobre a absurda nova lei da cópia privada.

A lei da cópia privada é uma ausência de resposta :: Inferno T4 Ep.13

Leitura complementar: A nova Lei da Cópia Privada: uma mancha notável.

A verdadeira lógica da nova Lei da Cópia Privada

A nova lei da cópia privada não pode ser justificada com a pirataria (que no entanto é continuamente invocada de forma implícita para tentar suprir a absoluta falta de justificação da lei) mas, como bem salienta o meu ilustre colega João Pereira Coutinho no seu artigo Mãos ao alto!, o verdadeiro propósito é claro: sacar um pouco mais aos contribuintes.

Leitura complementar: A nova Lei da Cópia Privada: uma mancha notável.

Sobre a aprovação da absurda nova Lei da Cópia Privada

O meu artigo de hoje no Observador: A nova Lei da Cópia Privada: uma mancha notável.

Jorge Barreto Xavier, marcado por um trajecto profissional em que esteve numa situação de proximidade com os meios culturais que mais fortemente fizeram lobby a favor da nova lei, consegue um importante triunfo pessoal. De facto, conseguir impor um significativo e injustificado agravamento fiscal em prejuízo não só dos consumidores e da economia portuguesa, mas também dos próprios interesses eleitorais do PSD e do CDS é um feito que evidencia o peso político do actual secretário de Estado da Cultura. Considerando adicionalmente que o feito foi logrado a um ano das eleições e num país que atravessa ainda uma grave crise orçamental, económica e social, os principais beneficiários – desde logo a AGECOP (Associação para a Gestão da Cópia Privada) e as entidades associadas – têm amplas razões para aplaudir Jorge Barreto Xavier.

O resto pode ser lido aqui.

Rui Moreira ameaça expropriar proprietários do Porto

Quando até alguém com o perfil de Rui Moreira defende formas de flagrantes desrespeito pela propriedade privada, é caso para concluir que o país está mesmo muito mal…

Rui Moreira, em Setembro de 2013:

Quando é que deu o salto, e deixou de lhe fazer espécie trabalhar num espaço como esse?

Nunca me fez espécie. O meu pai foi preso a seguir ao 11 de Março de 75 – foi daqueles a quem disseram para fugir e que não fugiu, achou que não tinha feito mal nenhum e resolveu ficar. Tínhamos passado para uma casa mais moderna. Vivia lá um tio meu, solteirão. Uma vez fui visitar o pai a Caxias e ele disse: “Têm de montar algum negócio na casa de família senão ela vai ser ocupada”. E como eu estava a montar a navegação nessa altura…, foi uma maneira de a casa não ser ocupada. Durante anos foi estranho: na casa convivia o meu negócio, que eu geria, com uma data de gente nova, cabeluda, com camisas Levis Strauss, e o meu tio e as empregadas que serviam à mesa… O meu tio morreu cedo, num desastre de automóvel. O negócio foi crescendo e acabámos por ocupar a casa toda.

(…)

Como é que ficaram as finanças da família com a revolução?

Muito mal. O que tínhamos em África, perdemos de um momento para o outro. Tínhamos uma grande empresa em Angola semelhante à Molaflex. Aqui, a empresa foi intervencionada. Os nossos bens foram congelados. Quando o meu pai regressa à liberdade em Novembro de 75 e volta à Molaflex, a empresa tinha sido estragada pelos senhores sargentos e capitães que lá tinham estado. Foi possível recuperar, mas, como muitas famílias, passámos uma fase de transição complicada.

(via João Miranda: Rui Moreira e as expropriações)

Os genes dos europeus

O “gene europeu” é afinal mais complexo do que se julgava

Um estudo publicado por um grupo de cientistas da Universidade de Harvard provou que a maioria dos europeus descende afinal de três “tribos” ancestrais, ao contrário do que se julgava.

Continuar a ler

A independência é hoje em dia um privilégio bastante caro…

O preço da independência. Por João Miranda.

Os factores que mais pesaram a favor do NÃO foram o risco de não conseguirem pagar por eles próprios o estado social e o risco de terem que sair da união monetária com Inglaterra, e consequente fuga de capitais. O principal argumento do SIM para memorizar estes riscos foi o petróleo no Mar do Norte. E apesar do petróleo, os partidários do SIM defendiam uma independência mas mantendo a Escócia na libra. O seja, prevaleceu a realidadezinha. E note-se que a realidade é o que é. Não é imposta pela Europa.

Ou seja, a independência é hoje em dia um privilégio bastante caro, pouco compatível com malta que não tem petróleo e está sempre a dizer que não aguenta.

O modelo irlandês

2009: Irlanda corta salários dos funcionários públicos para reduzir o défice

Professores, enfermeiros, polícias e até mesmo o primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, irão sofrer cortes salariais já no próximo ano, de acordo com as medidas anunciadas pelo ministro das Finanças irlandês, Brian Lenihan. Ao todo, a Irlanda espera reduzir a despesa em seis mil milhões de euros nos próximos dois anos. (…) Os irlandeses estão deste modo a seguir as recomendações das agências de ‘rating’ que aconselham uma redução do défice pelo lado da despesa. “Ao tomarmos as medidas difíceis mas necessárias agora vamos reconstruir a auto-confiança da nossa Nação e a nossa reputação no exterior”, explicou o ministro, citado pela Associated Press.

2010: Irlanda despede 25 mil, corta salário mínimo e aumenta IVA

Dublin, que pretende emagrecer o desequilíbrio das contas públicas num total de 15 mil milhões de euros até 2014 (ano em que o défice estará nos 3%), propôs ontem a redução do salário mínimo (de 8,65 para 7,65 euros à hora), um corte de quase 25 mil empregos públicos, um aumento do IVA dos actuais 21% para 22% em 2013 e 23% no ano seguinte, cortes no investimento público e um desbaste de quase três mil milhões de euros em apoios sociais até 2014, entre muitas outras medidas de grande dureza. Apesar das muitas pressões dos outros países da Zona Euro, o Governo de Brian Cowen não aumentou o IRC, uma das bandeiras do antigo milagre irlandês. Assim, o IRC ficou nos 12,5%, uma das mais reduzidas da Europa.

2014: Economia da Irlanda regista maior crescimento dos últimos sete anos

O PIB da Irlanda cresceu 7,7% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado. O crescimento da economia em 2014 deverá superar largamente as estimativas, enquanto o défice deverá ficar muito abaixo da meta.

Os movimentos separatistas, a Europa e Portugal

Independencite. Por Michael Seufert.

Num mapa que a Business Insider publicou, sobre os movimentos independentistas, só um país com dimensão geográfica escapa. Somos nós e parece-me bem. Mas se nos derem a perspectiva de ficarmos com a Galiza eu apoio o Reino dos Suevos, do Cantábrico ao Mondego, com capital em Braga – nós no Porto não nos queremos chatear com burocratas da capital.

Os contrabandistas e a lei da cópia privada

Contrabandistas que tentaram contornar lei da cópia privada atiraram milhares de gigabytes ao mar quando viram a polícia

Esta madrugada, ao largo de Olhão, uma lancha de contrabando de cartões de memória e discos rígidos foi perseguida pela polícia e atirou milhares de gigabytes borda fora.

Leitura complementar: A abominável Lei da Cópia Privada ataca de novo; A lei da cópia privada e a gestão das receitas do imposto; Impedir a aprovação da proposta de lei n° 246/XII, da Cópia Privada.

Muhammad Shakil Auj assassinado no Paquistão

A Pakistani Scholar Accused of Blasphemy Is Shot Dead

A liberal Muslim scholar who had been accused of blasphemy for a speech he gave during a visit to the United States was shot and killed in Karachi on Thursday, the city police said.

The scholar, , was the dean of Islamic studies at the state-run University of Karachi.

Continuar a ler

Cheerio, Mr Salmond !

Independentemente da posição que se possa ter relativamente à independência da Escócia, Alex Salmond não deixará saudades: “Não” faz primeira vítima. Primeiro-ministro escocês demite-se

Não passaram 24 horas até que a vitória do não no referendo à independência da Escócia fizesse a primeira vítima política. Alex Salmond, primeiro-ministro escocês, apresentou a demissão esta sexta-feira à tarde. Além da demissão do cargo, demite-se também do partido, SNP.

Daniel Hannan sobre o referendo na Escócia