Associação que é Fórum e Manifesto ambiciona Plataforma

Ênfase em “chegar ao Governo”: Fórum Manifesto quer “ampla plataforma política” que possa chegar ao Governo

A Associação Fórum Manifesto, que tem vários membros que abandonaram o Bloco de Esquerda, lançou o desafio para a construção de uma “ampla plataforma política” que possa levar a uma “futura governação de esquerda”.

About these ads

As diferenças entre Costa e Seguro

O meu artigo de hoje no Observador: Seguro e Costa: a quadratura do círculo.

As clivagens parecem de facto ser de natureza essencialmente pessoal, como evidenciam as acusações lançadas mutuamente nos debates (arrogância, altivez, falta de lealdade, etc). O padrão de argumentação entre apoiantes reforça a mesma ideia. A título de exemplo – ainda que extremo – vale a pena recordar o comentário de Paulo Pedroso no Twitter: “Imaginem alguém com o perfil psicológico de Seguro a governar o país”.

O resto do artigo pode ser lido aqui.

Mário Soares sobre Ricardo Salgado e o Governo

Soares à RTP: Governo meteu-se “num grande sarilho” entrando em guerra com Ricardo Salgado

“Meteram-se num grande sarilho”. A frase, em jeito de aviso, é de Mário Soares, e é dirigida ao Governo. Numa reportagem da RTP, que vai para o ar no Telejornal deste sábado, o fundador do PS – principal responsável pelo regresso da família Espírito Santo a Portugal e pela privatização do seu banco, diz que o sarilho foi a alegada intromissão no BES e no Grupo Espírito Santo (a quem Passos negou uma ajuda, como noticiou em junho o Observador). E o aviso tem seguimento: “Quando ele falar, e vai falar, as coisas vão ser diferentes”.

Leitura complementar: BES: o bom, o mau e o vilão; O Banco de Portugal falhou. Outra vez.

Manuel Alegre e a liberdade de expressão

O tenente-coronel aviador (na reforma) Brandão Ferreira e o diretor do semanário “O Diabo”, Esteves Pinto, foram hoje absolvidos do crime de difamação contra o histórico dirigente socialista Manuel Alegre.

O tenente-coronel João José Brandão Ferreira foi julgado por difamação por causa de artigos publicados em blogues, tendo o arguido reiterado em julgamento a tese que Manuel Alegre cometeu, aos microfones da rádio Voz da Liberdade, em Argel, traição à pátria, ao incitar os militares portugueses a desertar, ao conviver com os líderes dos movimentos de libertação de Angola, Moçambique e Guiné e ao ajudá-los na guerrilha contra as tropas portuguesas no Ultramar.

Continuar a ler

De falha em falha até ao colapso final ?

Será que vem aí o “Novo Novo Banco” ?

Oficial: Vitor Bento, Moreira Rato e José Honório renunciaram esta semana aos cargos no Novo Banco

Administração confirma ter pedido esta semana para sair do Novo Banco. Alega não ter “conflito com ninguém”, mas justifica que a missão inicial foi profundamente alterada. Carlos Costa em silêncio.

Carlos Costa em silêncio. Objetivo é apresentar nomes para o Novo Banco até domingo

Leitura complementar: BES: o bom, o mau e o vilão; O Banco de Portugal falhou. Outra vez.

Nenhuma guerra será a última

Nenhuma guerra acabará com a guerra. Por Rui Ramos.

A crença oitocentista no “progresso” levou os ocidentais a ver a guerra como o resquício maligno de uma fase primitiva da humanidade, destinado a desaparecer com a globalização da ciência, do comércio e da democracia. (…) Esta evolução impede-nos hoje de perceber como, antes do século XX, a guerra foi pensada e praticada como um recurso normal da política — horrível, sem dúvida, mas não necessariamente apocalíptico. E desse ponto de vista, talvez o eco do noticiário de hoje fosse menos tremendo. As manobras ucranianas de Putin não teriam espantado nenhum estadista do século XVIII: o destino das grandes potências, ou de quem se imaginava como uma grande potência, era competir por influência no mapa.

Continuar a ler

Os inflacionistas

Saudades do euro. Por Rui Ramos.

Um novo escudo seria o regresso a uma política de expropriação pela socapa. Através da inflação, os governos poderiam comprimir salários, reduzir pensões, anular subsídios e saquear poupanças sem passar pelo parlamento ou pelos tribunais. Os reformados e os mais pobres – isto é, aqueles com menos poder de reivindicação — estariam entre as suas principais vítimas.

Continuar a ler

A contra-reforma do arrendamento

Porventura sinalizando o que se poderá esperar da pré-campanha para as legislativas de 2015, o Governo reverte uma das poucas reformas estruturais que tinha permitido avançar na direcção correcta. Se esta via prevalecer, é de esperar o pior para os próximos meses…

Rendas: senhorios com menos poder para despejar por obras

Proprietários acusam governo de “retrocesso total” com alterações à lei do arrendamento

Marinho e Pinto: uma nova forma de fazer política…

Depois do MPT, deve vir aí o PMP (Partido Marinho e Pinto)…

Marinho e Pinto sai do MPT sem avisar

Marinho e Pinto, eurodeputado eleito pelo MPT – Partido da Terra, anunciou que vai criar um novo partido político nas próximas semanas, ao jornal i. Pelo que o Observador apurou, essa decisão não foi comunicada ao MPT e vai contra alguns compromissos internos que o político tinha assumido.

Um mundo kafkiano e parasitário

Prisioneiros e Reguladores. Por José Manuel Moreira.

É este mundo kafkiano e parasitário que nos cabe aguentar. Até se conseguir ligar esta maldição à proliferação de entidades que nos policiam, fiscalizam e saqueiam. A bem da protecção dos interesses instalados no Orçamento do Estado. Num crescendo de legislação e controlos burocráticos que perseguem sem parar o cidadão comum.

Leitura complementar: O Banco de Portugal falhou. Outra vez.

Jantar de Apresentação – Instituto Mises Portugal

A pedido da nova equipa do Instituto Ludwig von Mises Portugal (IMP), aqui fica o anúncio do respectivo jantar de apresentação, com inscrição aberta a todos os interessados:

Caríssimos simpatizantes do Instituto Ludwig von Mises Portugal (IMP),

O Instituto tem o prazer de vos convidar para o Jantar de Apresentação da nova equipa do IMP. Serão apresentados os novos projectos do Instituto, nomeadamente um Ciclo de Conferências do Liberalismo que se avizinha.

O jantar terá lugar no Porto, no Restaurante Varanda da Barra, pelas 21h do próximo dia 19 de Setembro. É obrigatória a confirmação de presença, apenas sendo necessário mandar e-mail para contacto@mises.org.pt até ao dia 15.

Contamos com todos vós.

Saudações Liberais,
A equipa do Instituto Ludwig von Mises Portugal

O aviso de George W. Bush sobre o Iraque, em 2007

President Bush Warns What Would Happen if the U.S. Withdrew from Iraq Too Early

Flashback: President George W. Bush Warned of What Would Happen If the U.S. Withdrew From Iraq Too Early

Facing criticism from opponents of the Iraq War after ordering a troop surge in 2007, President George W. Bush issued a warning of what would happen in the future should the United States withdraw armed forces from Iraq. Now, seven years later, the president’s admonition mimics what’s happening in Iraq today.

“A Cultura apoia António Costa” (3)

Mais um momento de pura genialidade artístico-cultural do grande Bel’Miro: Bel’Miro apoia António Costa

Apesar da omissão nos meios de comunicação social, há artistas que transcendem o mainstream e que também apoiam António Costa. É o caso de Bel’Miro, artista plástico e cineasta. Em 2012, Bel’Miro queixava-se da demora do subsídio do ICA para o seu filme “Arminda, a meretriz desdentada”, baseado no mashup da obra de 1879 de Camilo Castelo Branco, “Eusébio Macário” e do jornal A Bola.

Esta curta-metragem, “Kant e o Papagaio”, é uma síntese em 2 minutos da história de Portugal entre 1095 e 2014, com particular ênfase no período 1655–1659 (quase 5 segundos) e conta com a participação da Câmara Municipal de Arrabalde de Baixo.

Kant e o Papagaio

Fica-lhe bem

jose_socrates_armando_vara

Sócrates deixa palavras de amizade a Armando Vara e José Penedos

José Sócrates aproveitou o comentário, que esta semana fez excecionalmente ao sábado no telejornal da RTP, para enviar uma “mensagem de amizade pública” aos “camaradas” Armando Vara e José Penedos, ambos condenados no âmbito do processo Face Oculta.

Sobre a condenação de Vara e Penedos, José Sócrates não teceu comentários, adiantando que se tratava de um assunto que entrava na “dimensão pessoal” da sua vida e que não tinha espaço para um comentário de ordem política.

Para compreender o buraco em que estamos metidos

Mesmo não concordando com algumas das afirmações, vale francamente a pena ler na íntegra: Entrevista i a João César das Neves. “Só há uma maneira de resolver isto: é não haver dinheiro”

Os desempregados que saíram logo em 2007, as empresas que foram à falência em 2008, 2009 e 2010, os que emigraram, que mudaram de sector, que se reconverteram, foi isso que salvou o país. Ao mesmo tempo, uma enorme quantidade de outros grupos próximos do Estado ou próximos do poder económico, como o BPN, o BES, e também podemos falar dos funcionários públicos e de outras entidades, conseguiram proteger-se dos cortes. E esses, curiosamente, são os que mais protestam, os que mais gritam. É espantoso que o Tribunal Constitucional esteja a defender aqueles que foram menos tocados, quando o sector privado está a sofrer desde 2007.

Continuar a ler

Rand Paul and ISIL

What Do Libertarians Think About Rand Paul and ISIL? Let’s Ask Them

Sen. Rand Paul’s hawkish turn on ISIL surprised and dismayed some non-interventionists libertarians who thought the likely Republican presidential candidate’s foreign policy views were closely aligned with their own.

(…)

Having no idea if this reaction was common among libertarian folks, I posed the following question to a few prominent libertarian writers:

“Rand Paul recently articulated support for U.S. military intervention against ISIL. What’s your reaction?”

“Does this complicate the narrative that Rand Paul is a libertarian noninterventionist? Or is Rand Paul’s argument for the necessity of bombing ISIL ultimately persuasive?”

Their responses are below. Some were disappointed that Paul came to this conclusion but remained broadly supportive of him; some hesitantly agreed with Paul’s stance; and some took a strongly negative view.

KPMG, Banco de Portugal e BES

Presidente da KPMG aponta o dedo ao vice-governador do Banco de Portugal

Sikander Sattar, o presidente da KPMG, a auditora das contas do primeiro semestre do BES que deitaram o banco abaixo, diz ter informado a tempo o vice-governador do Banco de Portugal do buraco encontrado nesses resultados – na prática, mais de duas semanas antes do colapso do banco.

Leitura complementar: BES: o bom, o mau e o vilão; O Banco de Portugal falhou. Outra vez.

Face Oculta e José Sócrates

jose_socrates_armando_vara

O segundo mais empenhado blogue do socratismo quebrou o incómodo silêncio sobre as condenações no processo Face Oculta.

O tema do post ?
José Sócrates. Eles lá saberão porquê…

Leitura complementar: Face Oculta: penas de prisão para Armando Vara, José Penedos, Paulo Penedos e Manuel Godinho.

Juan Ramón Rallo e a TVE

Na TV estatal só há lugar para socialistas: Polémica por la salida del economista Juan Ramón Rallo del programa de Mariló Montero

TVE ha cancelado el contrato de colaboración que tenía el programa de Mariló Montero con el economista Juan Ramón Rallo, quien atribuye el conflicto a sus declaraciones sobre el cierre de las televisiones públicas. «La cosa ha tardado poco: TVE cancela mi colaboración con @LaMananaTVE», ha anunciado Rallo en su cuenta de Twitter. «Ya sabemos quién manda en la televisión de todos».

Rallo ha contado en esRadio, emisora en la que colabora, su versión de cómo le ha comunicado el despido la propia Mariló, «diciéndome que no compartía la decisión». «La verdad es que no me han comunicado los motivos, me han dicho que ha sido una decisión de arriba y muy probablemente el comunicado de UGT haya tenido su peso y su influencia», añadió.

Continuar a ler