“Houve um pouco de ‘bluff’ da nossa parte” (2)

Um leitor do Insurgente aponta um interessante post  de 2012 (pouco antes das anteriores legislativas onde o Syriza era por muitos indicado como vencedor) no blog pessoal de Yanis Varoufakis. Indicado pelo Syriza para ministro das finanças.

Should we be afraid of Syriza’s ‘ultra-leftism’? My answer is a resounding No. I recommend that (even those who have Greek amongst their languages) you do not read their manifesto. It is not worth the paper it is written on. While replete with good intentions, it is hort on detail, full of promises that cannot, and will not be fulfilled (the greatest one is that austerity will be cancelled), a hotchpotch of policies that are neither here nor there. Just ignore it.

“Houve um pouco de ‘bluff’ da nossa parte”

Dois dias após as eleições gregas e o Syriza já começa a recuar. Sinceramente tinha esperança que levassem a cabo a sua desastrosa ambiciosa promessa de denúncia unilateral do pagamento da dívida.

O deputado do Syriza Yanis Varoufakis, apontado como provável novo ministro das Finanças, afastou hoje a saída da Grécia do euro e assegurou que o partido não procurará “a confrontação”.

Em declarações ao programa radiofónico Today, da BBC, Varoufakis disse que o novo Governo grego liderado pelo Syriza negociará construtivamente uma restruturação da dívida do país com Bruxelas.

“Houve um pouco de ‘bluff’ da nossa parte”, declarou o parlamentar de dupla nacionalidade grega e australiana, acrescentando que “o que realmente importa agora é sentarmo-nos a falar” sobre a melhor maneira de reorganizar o pagamento da dívida grega.

Não deixa de ser significativa que o “bluff” seja exposto em tão curto espaço de tempo.

Acima de qualquer suspeita (edição argentina)

Na Argentina, outra heroína do povo diz serem “irracionais” quaisquer suspeitas contra si e contra o seu governo. Mesmo depois de um procurador ter sido encontrado morto na véspera de ir testemunhar no processo do atentado contra a Associação Mutualista Israelita Argentina que o seu governo é acusado de encobrir em troca de uns favores petrolíferos de Teerão.

Russia downgraded

Reuters

Ratings agency S&P cut Russia’s sovereign credit rating to junk status on Monday, bringing it below investment grade for the first time in a decade.

Warning of difficult times ahead for Russia’s economy, S&P said it had cut the rating from BBB- to BB+ and that Russia’s economic growth prospects, hit by low oil prices and Western sanctions over the Ukraine crisis, had worsened.

QED

Diário Económico

A taxa de juro das obrigações helénicas a 10 anos, o prazo de referência, subia 35,8 pontos base até aos 8,769%. (…) No caso português, por exemplo, o risco alivia em praticamente todas as maturidades. Nas obrigações a 10 anos a taxa recua para 2,358%, cotando muito próxima do seu mínimo histórico.

Como asseguravam alguns comentadores, a vitória do Syriza irá certamente fazer “vergar” os mercados.

O modelo comum da esquerda portuguesa

A esquerda parlamentar portuguesa saúda entusiasticamente a vitória do Syriza.

António Costa Vitória de Syriza é “mais um sinal da mudança” na Europa

PCP Vitória do Syriza é “derrota” de quem tem governado o país

Catarina Martins Bloco saúda “vitória da democracia” conquistada pelo Syriza

O Charlatão

Diário Digital

Num comentário a estes números, João Galamba disse que não pode ser esquecido que “grande parte do resultado orçamental” é fruto do “enorme aumento de impostos do ano passado que foi liquidado em 2014″.
Além disso, acrescentou, existem outros valores “muito preocupantes” e que explicam o facto do Governo ter ficado cerca de 700 milhões de euros abaixo das metas estabelecidas, nomeadamente o corte no final do ano “em quase 700 milhões no investimento público”.

“Ou seja, para fazer um brilharete de curto prazo sacrificou o futuro do país, sacrificando investimentos que são fundamentais, também para execuções orçamentais futuras”, declarou.

Se em anos anteriores o PS, pela voz dos mesmos personagens, criticava a revisão em alta dos objectivos do défice público esta anos resolve criticar o inverso. A falta de vergonha socialista é recorrente pelo que nem é preciso dizer mais nada. Para quem ainda não soubesse, a estratégia do PS passa por uma aposto no aumento da dívida pública algo que já foi levado a cabo com extrema eficácia nos consulados de António Guterres e José Sócrates. Estes dois PM socialistas resolveram “não sacrifica o futuro” com os resultados conhecidos. Na boa tradição socialista o deputado Saldanha Galamba demonstra ser um exímio vendedor de banha da cobra.

Prioridade ao combate da criminalidade económica

Rodrigo Moita de Deus

Guerra dos sacos de plástico. Ministério alertado de que comerciantes compraram grandes quantidades

Isto das leis serem públicas e aprovadas no parlamento é uma chatice.Mas nós vamos atrás destes malandros que compram sacos em grandes quantidades antes de existirem novos impostos. Hoje os retalhistas. Amanhã os bandidos dos automobilistas que atestam os depósitos antes dos preços subirem.

Somewhere over the rainbow

Se há crítica que um liberal pode apontar a este governo, sem grande margem de dúvida, é o pouco empenho demonstrado na redução do estado social. Obviamente houve necessidade de acomodar a descida na receita e a impossibilidade de financiar livremente o défices orçamentais tal como no passado. O MoU assinado pelo anterior governo socialista já previa inúmeros cortes na despesa pública não resguardando o sacrossanto “estado social”. Mas um governo verdadeiramente liberal teria preferido cortar mais despesa a aprovar o enorme aumento de impostos. Aliás, se questionar alguém onde se encontra o propalado o tal “desmantelamento do estado social” o mais provável é que este seja incapaz de referir programas concretos redundando o argumento na “falta de meios”. Algo surpreendente num país falido.

Desta forma, quando António Costa acusa o PSD de romper o “consenso nacional”, colocando-se como um adversário do Estado social esperamos que ele nos diga onde estão os cortes que ele pretende reverter e com que meios. Pretende aumentar (ainda mais) os impostos? Conta com a ajuda de um filantropo desinteressado (tipo Carlos Santos Silva)? Estará a desmentir o seu conselheiro económico?

Pode-se alegar que devíamos ter cortado em X em vez de Y. Mas dada a dimensão da despesa com a função pública e o estado social (aproximadamente 3/4 da despesa corrente) não existem grandes alternativas.

No Domingo temos as eleições gregas e muitos socialistas aguardam ansiosamente que a vitória do Syriza demonstre a possibilidade da quadratura do círculo. A memória é curta e provavelmente será preciso recordar o entusiasmo com que foram recebidas as eleições de Hollande ou Renzi. Tal como no passado não espero que aprendam coisa alguma quando o entusiasmo se transformar em frustração.

Je ne suis pas charlie

EU Observer

Paris’ mayor is suing Fox News for saying there are “no-go” zones for non-Muslims in the city. “When we’re insulted, and when we’ve had an image, then I think we’ll have to sue … to go to court, in order to have these words removed,” she told CNN

.

O PS retorna ao centro?

O Observador publicou ontem uma entrevista a Manuel Caldeira Cabral, conselheiro de António Costa para matérias de económicas. Nesta, é de louvar a sobriedade e o abandono do discurso radical que não poucas cola o PS ao programa de uma qualquer facção da extrema-esquerda. No entanto se, como confessa, a política do PS “é só ligeiramente diferente” da do actual governo fica por explicar porque razão a critica de forma tão veemente. E acaba por esvaziar o discurso e a promessa das “alternativas”.

Acima de qualquer suspeita (2)

HMV

Presidente da ERC queria que regulador tivesse sido mais duro com o Correio da Manhã no caso Sócrates

LEITURAS COMPLEMENTARES: Verdade ou mentira?; O segredo da “boa imprensa”; Exactissimamente; Um socialista passista para a ERC

Exactissimamente

Sobre o “curioso” editorial de Afonso Camões (JN) onde, queixando-se da violação da privacidade e do segredo de justiça, acaba por confirmar a notícia do Correio da Manhã

The Comedians

Curiosamente, na altura, não se lembrou de ir a fugir avisar a PGR para a possível violação do segredo de justiça que beneficiava o investigado e prejudicava a investigação. Antes foi a fugir avisar Sócrates. Mas não falemos destas coisas que remetem para a capacidade que um poderoso, sobretudo um poderoso com os contactos de Sócrates, tem para conseguir obstruir a justiça (e nem falemos desta dita comunicação social que funciona como informante e «spin master» desses mesmos poderosos).

A Porta da Loja

Como dirige o jornal teve o espaço que bem quis para se queixar da “Coisa” que não lhe agrada. Porquê? Porque revelou factos que se Camões tivesse um mínimo de dignidade profissional e pessoal já nem estaria a assinar o escrito em lençol onde justifica o injustificável, confirmando o facto implicitamente

LEITURA COMPLEMENTAR: Verdade ou mentira?; O segredo da “boa imprensa”

Uma manifestação da quadratura do círculo na pessoa do camarada Jerónimo

Notícias ao Minuto

O líder comunista, Jerónimo de Sousa, relembrou hoje que o PCP é contra bases militares estrangeiras em território português, mas exigiu compensações aos Estados Unidos pela redução de efetivos das instalações açorianas das Lajes.

Andamos a sabotar o socialismo bolivariano

No Diário de Notícias

O Presidente da Venezuela acusou no sábado os distribuidores privados de alimentos de estarem a fazer uma “guerra económica” contra os venezuelanos e denunciou que os produtos importados para abastecer o mercado local vão parar a outros países, incluindo Portugal.

“Se investimos em dólares e em bolívares para importar, para produzir (…) porque é que, pelas redes privadas, os produtos acabam em Cúcuta, em Bucaramanga, em Bogotá, em Cali (todas elas localidades na Colômbia), em Aruba, em Miami (EUA) e até em Portugal”, questionou Nicolás Maduro.

LEITURA COMPLEMENTAR: As Virtudes Do Socialismo

Assim não se pode

Catorze dos 21 elementos do único órgão representativo do movimento decidiram dissolver a comissão dinamizadora por não quererem partidos organizados dentro do “Juntos Podemos”.

Espera-se que os estes dissidentes formem rapidamente um movimento alternativo para unir a esquerda

O segredo da “boa imprensa”

Observador

O ex-primeiro-ministro, José Sócrates, foi escutado a falar com um dos seus advogados, Daniel Proença de Carvalho, sobre o negócio de compra da Controlinveste – o grupo que detém o Diário de Notícias, o Jornal de Notícias e a TSF. Das escutas, no âmbito do processo que pôs Sócrates em prisão preventiva, percebe-se que foi o ex-governante quem escolheu o atual diretor do JN, Afonso Camões. E que Proença de Carvalho chegou a reunir com o presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social para tentar travar as primeiras notícias sobre as suspeitas da casa de Paris, ainda em 2013.

ADENDA: Isto não aparece por acaso.

Há coincidências tramadas

Ontem na AR, o ex-administrador da ESCOM confessou que a família Espirito Santo usou o famoso RERT para apagar o rasto das comissões dos submarinos. Coincidentemente o mesmo foi usado pelo amigo Carlos Santos Silva para repatriar uns misteriosos milhões que amigável e periodicamente era doados ao amigo José Sócrates. Coincidência, certamente.

Alcatraz fiscal

José Meireles Graça no Gremlin Literário

A opinião pública, enxofrada por uma opinião publicada que veicula a ideia esquerdista de que as empresas são antros do crime, liderados por ladrões, acolhe qualquer medida que se lhe apresente como servindo o nobre propósito de combater a evasão fiscal; e no processo não se dá conta de que esse combate não é legítimo desde que implique diminuição de garantias e multiplicação de obrigações declarativas e controles demenciais, porque faz recair o custo da fiscalização sobre quem cumpre, persegue quem não tem culpas, facilita abusos de funcionários com uma tradição de impunidade, cria custos desproporcionais à dimensão das empresas, e tudo isso tem consequências na vida, nos resultados e na sobrevivência delas.

The sick men of BRIC

Notícias ao Minuto

Questionado pela Bloomberg sobre se ainda agruparia o Brasil, a Rússia, a Índia e a China como os mais fortes mercados emergentes, como fez em 2001 num célebre ensaio com o título ‘Building Better BRIC, Jim O’Neill respondeu: “Eu poderia estar tentado a chamá-los apenas IC ou, se os próximos três anos forem o mesmo que os últimos para o Brasil e a Rússia, antecipo isso para 2019″

.

Genocídios desconhecidos

libertad Digital

El portavoz parlamentario de Alternativa Galega de Esquerda (AGE), Xosé Manuel Beiras, ha sufrido hoy uno de sus brotes y ha acusado a los “bárbaros” del PP de “matar más gente” que la yihad, pues cada día mueren 12 enfermos de hepatitis C sin acceso a su tratamiento.