Trumpismo condensado

trumpices

Advertisements

30 thoughts on “Trumpismo condensado

  1. mariofig

    Clarl Kent e o Superhomem são figuras fictícias. Seria mais útil para o Rui Carmo nos mostrar figuras reais. E aí sim, poderia montar uma paródia mais eficaz da visão Trumpista que expõe o gravemente decadente e corrupto sistema de desinformação que é o jornalismo institucionalizado, bem como a forma selvagem e descontrolada como o sistema de controle de fronteiras tem funcionado nos EUA. Com Clark Kent e o Superhomem, no entanto, a tentativa é infantil. Mas com figuras reais e realmente inspiradoras fica mais difícil não é, Rui Carmo? É que não existem realmente em ambos os mundos do jornalismo e da imigração ilegal. Porque será?…

  2. lucklucky

    Assim se nota o estado do Insurgente.

    Que os jornalistas são inimigos da civilização ocidental já há muito se sabe.

    Não foi por causa deles que a União Soviética caiu.
    Já há décadas que tentam destruir Israel. Ajudaram a provocar a derrota dos EUA no Vietname. Estão a destruir as Universidades e a Ciência.
    Por cá amordaçam a Democracia ao impedir que um partido eleito se for de Direita não possa cumprir o seu programa dando apoio e arregimentando protestos e se necessário violência.

  3. A.R

    Os tais “órgãos” de comunicação social terão que se habituar a receber críticas do poder: não são, nem de perto nem de longe, qualquer reserva moral nem estão acima da crítica e do julgamento de quem os lê e percebe que estão fora da realidade.

    Os jornalistas portugueses reuniram em Congresso recentemente? Que fizeram?

    Se se quiserem dar ao respeito terão que repensar a sua actividade, os erros que foram cometendo e que, parece, tencionam cometer no futuro. É que nem tudo lhes é licito e os fantasmas que plantaram agora caem-lhes em cima com as audiências e as vendas em queda acentuada.

    Agora toda esta inquietação injustificada esteve fora dos radares:
    – Obama criticava e denegria a FOX;
    – Chavez ia fechando rádios, ia fechando jornais, mandava os seus apparatchik disparar contra as redacções dos mais rebeldes, punha multas impagáveis, mandava fazer rusgas em casa dos proprietários;
    – A Kirchener perseguia o Clarin com sucessivas “inspecções” do Fisco que mais pareciam assaltos de forças de elite;
    – Rafael Correa, Evo Morales e a troupe bolivariana ia apertando o cerco aos críticos fechando muitos;
    – Daniel Ortega esmagou toda a imprensa que não lhe era afecta.

  4. mariofig

    Da BBC também não EMS. Já lá vai o tempo. Nem me fale da BBC… O que é certo, é que bem pesquisado, sem dúvida encontrará um bom punhado de jornalistas para quem a profissão ainda não morreu e a cuja integridade não pode ser posta em causa. E podia colocá-los no meme. Mas a verdade é que a mensagem do Fake News protagonizada pelos “Trumpistas” (mas que na verdade é também preocupação de uma vasta maioria de cidadãos ocidentais que não são trumpistas) e que o Rui Carmo procura ridicularizar não é sobre esses homens e mulheres que de forma alguma conseguem hoje representar o modelo jornalístico ocidental. Mas isso Rui Carmo prefere ignorar. Tal como todos os outros politicamente correctos e SJWs deste mundo, Rui Carmo prefere ignorar o problema, ridicularizando-o e acusando de intolerantes todos os que já não conseguem mais tolerar este estado de coisas.

  5. mariofig

    E em relação aos imigrantes ilegais, também encontrará exemplos reais dignos de figurarem no meme. Mas mais uma vez, eles não representam o tipo de preocupação que trumpistas e outros (incluindo liberais de esquerda!) manifestam em relação às políticas fronteiriças nos nossos países ocidentais e à selvajaria que certos grupos SJW se manifestam a favor. Penso que explica bem o problema: https://www.youtube.com/watch?v=_Z_RAbOJcu0&t=231s

  6. José Ramos, eu por acaso até me ri bastante com este post. Mas garanto-lhe que é difícil conservar o senso de humor quando boa parte dos comentadores acha legitimo que os “bons da fita” tenham o direito de condicionar a imprensa.

  7. lucklucky

    Condicionar?

    A imprensa não existe.

    Os jornalistas antes de o serem são Políticos. Ninguém vai para o jornalismo para dar notícias. Vai para mudar o mundo.
    Vai para estimular cada vez mais o poder do Estado e assim para tornar cada vez mais as nossas vidas em vidas políticas.

  8. lucklucky

    “Uma figura de não fictícia que encaixa bem nesse perfil poderia ser um correspondente da BBC.”

    Biased BBC? Fake news BBC?

  9. Os jornalistas acima de tudo são hoje activistas políticos que participam activamente no jogo politico e merecem sofrer as consequências da sua imparcialidade. Dá-me um gozo tremendo a forma como Trump os trata e como os eleitores trataram os seus conselhos sobre quem deviam votar. Mas fartei-me de rir com o cartoon. O Trump aguenta bem com os comediantes, cartonistas, estrelas de Hollywood e junta letras de esquerda. O problema maior é o próprio partido republicano e os organismos federais que não aceitam um outsider.

  10. lucklucky:
    “A imprensa não existe.
    Os jornalistas antes de o serem são Políticos.”

    Qual é o mal de se ser político? Estamos aqui a falar de política. Portanto eu sou político, tu és político, o Rui Carmo e os restante comentadores são políticos.

    ” Ninguém vai para o jornalismo para dar notícias. Vai para mudar o mundo.”

    Deve ser por isso que existem jornais e revistas como a “Caras” e a “Flash Vidas” aquela gente quer mudar o mundo através do glamour, só pode.

    “Vai para estimular cada vez mais o poder do Estado e assim para tornar cada vez mais as nossas vidas em vidas políticas.”

    Deve ser por isso que alguns ditadores (e não só) adoram boicotar jornais ou perseguir jornalistas. Eles só querem impedir a concentração de poder nas suas mãos. É a única explicação possível.
    Alem disso, como prova da sua abnegação e do seu caráter nobre, tentam evitar a todo o custo que os pobres cidadãos tenham que sofrer o incomodo de se sentirem obrigados informarem-se sobre questões de política.

  11. mariofig

    “Qual é o mal de se ser político? Estamos aqui a falar de política. Portanto eu sou político, tu és político, o Rui Carmo e os restante comentadores são políticos.”
    Essa é uma pergunta estranha. Todos reconhecemos a natureza política do homem. Mas o que é que isso tem a ver com o exercício da profissão jornalística de uma forma integra e profissional de acordo com o código deontológico da profissão? O que é que prefere, jornalistas imparciais, ou jornalistas livres de exercer a sua veia ideológica no pleno exercício das suas funções? Nem se percebe muito bem porque compara um jornalista a qualquer um de nós. Eu, por exemplo, como blogger, não tenho qualquer obrigação de imparcialidade. Já um jornalista tem, pelas regras da sua profissão!

  12. mariofig

    “Deve ser por isso que alguns ditadores (e não só) adoram boicotar jornais ou perseguir jornalistas. Eles só querem impedir a concentração de poder nas suas mãos. É a única explicação possível.”
    Porque é que desconversa? Mas o que é que tem a ver a perseguição a jornalistas em regimes totalitários, com a crítica ao jornalismo imparcial? Estará por acaso a querer fazer algum paralelo entre as criticas dos trumpistas ao Fake News e perseguição a jornalistas? É que esse argumento já cheira mal. Assim de repente apetece-me começar a acusar de ditador e perseguidor de jornalistas quem quer que ouse criticar jornalistas ou medias de imparcialidade. Por acaso o EMS tem neste momento, ou teve no passado, alguma critica a fazer ao jornalismo praticado em Portugal? Apetece-me começar por si.

  13. Mariofig:
    “O que é que prefere, jornalistas imparciais, ou jornalistas livres de exercer a sua veia ideológica no pleno exercício das suas funções? Nem se percebe muito bem porque compara um jornalista a qualquer um de nós. ”

    Jornalistas imparciais. Seria bom, no entanto não conheço nenhum ser humano que o seja. O próprio mariofig admitiu que não o é. Em boa verdade eu também não o sou.
    Infelizmente os jornalistas não estão acima dos outros humanos, cometem erros e têm vícios como os outros homens. Conhece algum jornalista, cientista, filosofo, analista, etc. que seja realmente objetivo ou imparcial? Olhe nem eu.

    Se prefiro jornalistas livres. Claro que sim. Que alternativa temos? Uma comissão para a pureza jornalística, dominada por um grupo de “imparciais”, que depois de muitas deliberações permite apenas a publicação de algo parecido com o Pravda?

  14. Mariofig:
    “Porque é que desconversa? Mas o que é que tem a ver a perseguição a jornalistas em regimes totalitários, com a crítica ao jornalismo imparcial?”

    Não estava a desconversar simplesmente estava a dar uma resposta algo sarcástica ás afirmações do lucklucky. E para já, não vejo critica, apenas boicote.

    Mas por acaso é capaz de me dizer se há diferença entre as fake news dirigidas ao Trump das dirigidas a outra personalidade qualquer?
    Consegue-me explicar porque é que em democracia a personalidade atingida simplesmente rebate e refuta essas “fakes news” mas fora de um sistema democrático a tendência é boicotar ou perseguir esses meios de comunicação?

    “Por acaso o EMS tem neste momento, ou teve no passado, alguma critica a fazer ao jornalismo praticado em Portugal? Apetece-me começar por si.”

    Lol, tantas! Mas bolas, não estamos no reinado de D. Carlos ou na 1ª republica. Aqui no século XXI há uma coisa chamada Internet que nos ajuda a fazer cruzamento de fontes.

  15. ruicarmo

    Assim se nota o estado do Insurgente.

    É a confirmação que faltam poucos segundos para o Universo acabar.

  16. lucklucky

    “Não estava a desconversar simplesmente estava a dar uma resposta algo sarcástica ás afirmações do lucklucky. ”

    Não teve nada de sarcástico, só teve a sua tentativa de não responder ao que eu afirmei.
    Como o jornalismo está destruir o Ocidente e a Liberdade..

    Por exemplo como o jornalismo em Portugal impede que um Governo de Direita que for aceite nas urnas faça uma Governação de Direita.

    A monocultura dos media controla o que é aceitável e é permitido mesmo que milhões de pessoas digam o contrário nas urnas.

    E para si os jornalistas podem tratar como quiserem os outros mas os outros não podem tratar os jornalistas como querem.

  17. lucklucky

    Podemos ver a manipulação jornalistica com a fake news dos offshores que até hoje não passa de uma estatística que não foi apresentada.

    E isto acontece porque os Jornalistas são Políticos e desejam ser Políticos antes muito de serem Jornalistas.

  18. mariofig

    Caro António, não lhe parece uma forma simplista de olhar a coisa? O dinheiro move o mundo, portanto os media são movidos pelo dinheiro. Ponto. E assim se ignora a dimensão política da coisa. Mas mesmo que tivesse razão, mesmo que fosse o dinheiro exclusivamente que movesse o mundo e os maus jornalistas que temos andassem ao sabor da ideologia que ganhasse nas urnas ou do que percebessem ser a ideologia que mais vende, isso não esconderia o facto de que o problema continua lá, bem visível. O mau jornalismo ainda assim estaria a ser praticado, independentemente da cor política do momento.

  19. mariofig

    O que é realmente me parece anedótico, caro António, é a sua tentativa de subverter a discussão para o domínio do dinheiro e da sobrevivência económica do jornalismo, como se a promiscuidade e a politização do jornalismo não existissem e não fossem elas mesmas apontadas de uma forma generalizada como a principal razão porque os media tradicionais estão a perder terreno em toda a linha e a sua sobrevivência económica cada vez mais posta em causa.

  20. mariofig

    E o facto de o jornalismo tradicional estar a enterrar-se cada vez mais, prejudicando-se a si próprio e colocando em causa a sua própria sobrevivência, significa que o dinheiro na realidade não é a grande motivação. Mais importante que fazer dinheiro e tornar o negócio viável, será usar o jornalismo como ferramenta de disseminação politico-ideológica. As causas deste lento suicídio colectivo dos media tradicionais seriam um debate interessante. Quando é que se perdeu a ideia que o que verdadeiramente vende informação nos meios tradicionais é a busca da verdade, o fact-checking e a imparcialidade pura e dura, e qual o nível de responsabilidade que os agentes políticos, os jornalistas e a população em geral partilham neste actual estado de coisas? Mas esse debate não existe. Em vez disso, andamos de manhã a queixar-nos do mau jornalismo e à tarde a postar memes da treta a ridicularizar quem denúncia o mau jornalismo. Cambada de hipócritas.

  21. Aladdin Sane

    Isto pode não interessar a mais ninguém, mas com o link que coloquei acima nos “comentos”
    http://www.cc.com/shows/roast-of-donald-trump
    estava de facto a elogiar o então candidato Trump em submeter-se a este programa. No fundo é tudo entretenimento. Todos o desancaram, mas ele aguentou-se à bronca com “sportmanship”, e no final (o vídeo não está disponível no link) ainda deu para um pequeno discurso à nação.

    Outro exemplo: a presença do PM holandês num programa de entretenimento (tipo “late night”), em que foi tratado “apenas” por Mark Rutte (nada de Dr, ou Sr. 1º Ministro); o oposto dos enconanços dos políticos portugueses, que não conseguem sair da zona de conforto do politicamente correcto (Mark Rutte riu-se de notícias sobre a Grécia com o mesmo desprendimento dos outros convidados). Quando muito, em PT ensaiam-se umas chegadas a inaugurações de bici, ou uma viagem pelos transportes públicos na “Semana da Mobilidade” ou como se chama essa charanga.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s