Quando os extremos se tocam, apedrejam e pontapeiam

Ontem a plataforma “15 de Outubro” que congrega 41 (!) movimentos conseguiu juntar mil pessoas em Lisboa, o que dá cerca de 25 pessoas por movimento. Para ajudar aos números, o grupo nacionalista Oposição Nacional juntou-se à manifestação. A ala democrática da manifestação não gostou e à democrática pedrada tentaram convencer esse grupo a prescindir democraticamente do seu democrático direito à manifestação. Depois democraticamente trataram de queimar em público uma bandeira dos fascistas e seguiram para a sua democrática assembleia popular, onde obviamente os fascistas não têm lugar.

Este acontecimento é uma boa amostra do tipo de democracia que estes grupelhos extremistas querem para o país.  Se grupos semelhantes nas suas reinvindicações (ver imagem) não se conseguem entender, imaginemos a sua reacção a grupos com aspirações diferentes.

10 pensamentos sobre “Quando os extremos se tocam, apedrejam e pontapeiam

  1. Pingback: Occupy em modo arrebatador « O Insurgente

  2. Pingback: Os “indignados” bons e os “indignados” maus… « O Insurgente

  3. p D s

    Porventura já apurou como se iniciaram os confrontos ?….já tentou perceber porque razão ficaram os “indignados” do movimento nacionalista, bloqueados e rodeados por um Corpo de intervenção ?

    E muito engraçado aproveitar estes circunstancialismos, para criticar movimentos com os quais não concordamos…quase parece brincadeira de crianças!
    É quase o mesmo fenomeno, (aplicado de forma invertida) utilizado para minimizar os disparates do presidente.

    Quando nos convem, filtramos parte da realidade, e minimizamos as situações – (decalrações de cavaco, por exemplo) – explicando por A+B que afinal não era bem assim.
    No caso concreto da manifestação, filtramos parte da realidade (q as agressões e provocações tiveram origem sabe-se bem onde!), e maximizamos a “agressividade dos indignados” (os de esquerda, claro está).

    A isto chama-se Hipocrisia….mas lá está, passe porque certamente será : “uma gaffe do autor do post”…que só devia querer dizer que violencia é sempre de condenar, venha de onde vier !

    Deve ser isto…

  4. E foi isso que eu li no post, oh p D s, que a violência é de condenar, venha de onde vier. Também leio uma crítica a quem só vê a violência por parte dos outros, ou justifica a sua com a dos outros…

  5. joão santos

    Esta mania que temos de perdoar sempre a pseudo democrática extrema-esquerda e diabolizarmos os nacionalistas, nunca mais acaba?
    À esquerda todos os dislates são perdoados; à direita longe disso!
    Que apelativo é dizer-se em Portugal que se é de esquerda! (os níveis de imunidade aumentam significativamente)

  6. Pingback: 300.000 ou 30.000 ? « O Insurgente

  7. Pingback: Socialistas anti-imigração « O Insurgente

  8. Pingback: Lá como cá « O Insurgente

  9. Pingback: Agressões em debate na Grécia « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.