O Estado da Saúde na União Europeia (UE) 2019

É hoje apresentado um relatório OCDE/Comissão Europeia sobre o estado da Saúde na UE. Há alguns dados positivos para Portugal e Catarina “Salvem O SNS Que Está Muito Bem” Martins e João “The Spin Machine” Galamba já abriram o espumante. Mas será caso para tanto?

health1

Vamos ver. Para começar, é falso que o estudo, ao contrário do que afirma João Galamba, permita concluir que o SNS é melhor a salvar vidas de doentes do que os restantes sistemas. Portugal aparece com melhor resultado do que a média da UE em alguns indicadores. É bom, mas é isso.

E também é falso, ao contrário do que afirma Catarina Martins, que o estudo permita concluir que o SNS é um dos melhores do mundo. Desde logo, porque  analisa apenas sistemas da UE. E, depois, porque lá está: em alguns indicadores estamos melhor do que a média UE, em outros não. Acresce que nem todos os resultados apresentados são consequência do sistema de saúde público embora este tenha, naturalmente, uma grande influência.

Atentemos então em alguns dados. A esperança de vida para começar. A de Portugal é superior à da média da UE. E cresceu praticamente 5 anos num período de 7 anos. É muito bom e percebe-se o entusiasmo de João e Catarina. Mas os dados referem-se a ao período de 2010 a 2017. Isto significa que uma parte relevante do mérito deve ter estado no governo de Passos Coelho.

healt 2

Por outro lado, o investimento em saúde per capita continua abaixo da média da UE embora tenha aumentado progressivamente nos últimos anos. Mais uma vez, os dados utilizados no estudo são de 2017. Well done, Passos Coelho.

health 3

Já no que diz respeito aos recursos humanos, Portugal tem aparentemente mais médicos do que a média da UE. Mas, como o próprio estudo indica, é preciso cuidado na interpretação. No caso português, os dados apenas recolhem o nº de profissionais habilitados para o exercício da medicina e não o daqueles que estão efetivamente a exercer. Já no que diz respeito a enfermeiros, estamos bem abaixo da média da UE.

health 4

Por último, vamos aos indicadores de eficácia que são os que levaram ao entusiasmo de João e Catarina. Portugal está melhor que a média UE quer em “Causas Evitáveis de Mortalidade”, quer em “Causas Tratáveis de Mortalidade”, com evolução recente muito positiva.

health 5

Justifica-se então o espumante quanto a estes indicadores? Justifica, sim senhor. Mas, tal como o estudo indica, os dados considerados são de 2016 e a forte evolução ocorreu entre 2011 e 2016. Façamos, portanto, com João e Catarina, um brinde entusiástico a Passos Coelho.

health 6

Concluindo:

  • há indicadores positivos e outros nem tanto
  • nada no estudo permite dizer que o SNS é um dos melhores do mundo ou que é o melhor a salvar vidas
  • a evolução positiva de alguns indicadores ocorreu, em parte relevante, durante o governo de Pedro Passos Coelho.

 

*os dados do estudo podem encontrar-se aqui: https://ec.europa.eu/health/sites/health/files/state/docs/2019_chp_pt_portuguese.pdf

 

58 pensamentos sobre “O Estado da Saúde na União Europeia (UE) 2019

  1. nada no estudo permite dizer que o SNS é um dos melhores do mundo

    Bem, se é um serviço que permite resultados bons mas com um custo per capita muito inferior aos outros sistemas, então é de facto melhor.

  2. a evolução positiva de alguns indicadores ocorreu, em parte relevante, durante o governo de Pedro Passos Coelho

    A evolução dos indicadores de saúde é sobretudo uma tendência de longo prazo. Mesmo se a evolução observada ocorreu durante o governo de PPC, ela reflete sobretudo uma forma de organizar e de atuar construída ao longo de muitos anos antes de PPC. Não reflete qualquer mérito (ou demérito) do governo de PPC.

  3. é falso que o estudo permita concluir que o SNS é um dos melhores do mundo. Desde logo, porque analisa apenas sistemas da UE.

    Até parece que há muitos países fora da UE que se candidatem a terem melhores sistemas de saúde!

    Fora da UE, quantos países há com bons sistemas de saúde? Singapura, Nova Zelândia, Japão, e pouco mais.

  4. Filipe Bastos

    Luís Lavoura, muitos ingleses dirão o NHS. Embora tenha sofrido com a ‘austeridade’, continuam a vê-lo como a jóia da coroa e temem que o Brexit o empurre para os mamões (privados) americanos.

    A última coisa que querem é passar pelo mesmo que o típico americano: ter a saúde, em muitos casos a vida, nas mãos de empresas gigantes movidas por ganância infinita.

    A verdade é que a Saúde custa cada vez mais, em todo o lado, porque as pessoas vivem mais tempo, aumentam os tratamentos e medicamentos, a poluição e estilo de vida não ajudam, etc. A questão é encarar isto como um serviço público, como parte da civilização, não como mais um ‘mercado’ a explorar.

  5. Estes tidos de estatísticas são basicamente uma fraude para agradar a burocratas. Boa parte da informação não está lá entre os quais erros médicos, infecções, doenças tratáveis, outra parte da informação tem muitos outros factores – por exemplo a esperança de vida -,,metade da informação é impossível de descobrir porque como não há liberdade não há termo de comparação. E falta aquilo que não sabemos que não sabemos.

    Por isso tratar as cataratas de um cão é rápida e a de uma pessoa no NHS ou outro lado demora semanas ou meses,

  6. Qual a influência de novos medicamentos/técnicas e seu impacto nos resultados? está no estudo?

    Qual evolução na arquitectura dos hospitais e o seu impacto e nos resultados? está no estudo?

    Qual evolução da organização – por exemplo uma das aberrações por cá em pelo menos alguns hospitais publicos: pessoas da cozinha entregam comida, mas só auxiliares podem abrir os tachos para doentes impedidos de o fazer- dos hospitais e o seu impacto e nos resultados? está no estudo?

    Qual a evolução nos testes de diagnostico e a evolução nos resultado, está no estudo?

    Há uns meses saiu no pais do NHS a notíca que uma mulher ao passar por uma instalação de segurança com infra vermelhos num Museu , notou um sinal de diferença de temperatura junto a um dos seios. Tinha cancro da mama.
    Uma demonstração clara mostra do maus estado da saúde em geral.

    Teve repercussões claro que não continuou tudo na mesma.
    Os jornalistas preferiram falar da Greta.

    A cultura conservadora, burocratica, protecionista e de mesmice das pessoas que têm poder na saúde.

    Qual o efeito da EPA e congénere Europeia na aprovação de medicamentos.
    Quanto custa aprovar uma droga hoje comparado com 10 , 20 anos atrás.
    Qual o preço médio de desenvolvimento de medicamentos?

  7. Duas de três:

    Napoleon was resurrected and came to Moscow on November 7, when a military parade is held to commemorate the 1917 Bolsheviks’ upheaval. Brezhnev invited Napoleon to watch the parade. Napoleon, instead of watching the tanks and rockets, read the Pravda(4) newspaper with a great interest. The Minister of Defense whispered, “Your Majesty, look at this military technique. If you had such tanks, you would’ve won at Waterloo.”

    To that, Napoleon answered, “If I had such press as yours is, nobody would ever know I lost at Waterloo.”

  8. Filipe Bastos

    Algumas para si, Francisco:

    What’s the difference between the US and yogurt?
    If you leave yogurt alone for 300 years, it develops a culture.

    I had to go see my doctor because I’m having an unusual problem. I say to him, “Listen doc, every time I finish masturbating I start singing the American national anthem… is it bad?”
    The doctor said, “Don’t worry, a lot of wankers sing that”.

    What’s the difference between terrorism and democracy?
    Whether the United States is attacking or being attacked.

    E no tema do post:
    What happened when the American broke his arm?
    He went broke.

  9. ATAV

    Sigh… Mais um post na longa série dos liberais e da direita a assumirem o crédito pelos bons resultados de politicas que eles denunciam como “socialismo” e que querem extinguir.

    Este blog está a começar a ficar enfadonho e repetitivo…

    Agora é a vez do SNS. Para os mais novos uma lição de história: o SNS foi criado com os votos favoráveis do PS e do PCP. O PSD e CDS diziam na altura que isso iria transformar os médicos em servos e que não ia fazer nada pela população em geral. Os resultados falam por si…

    É amplamente reconhecido que os liberais querem privatizar o SNS e que acham que os problemas devem ser resolvidos pelo mercado livre. Ou seja querem um sistema de saúde à americana pré Obamacare. Mais caro, mais ineficiente, desumano e que exclui imensa gente de cobertura.

    Mas ei-los aqui a acotovelarem-se para recolher o crédito pelos bons resultados obtidos do “socialismo”. Claro que como a coisa está a correr bem já não é “socialismo”, foi a politica liberal do Passos Coelho, como é evidente! O Luís Lavoura desmontou isso de forma simples com duas frases certeiras:

    “A evolução dos indicadores de saúde é sobretudo uma tendência de longo prazo. Mesmo se a evolução observada ocorreu durante o governo de PPC, ela reflete sobretudo uma forma de organizar e de atuar construída ao longo de muitos anos antes de PPC.”

    Tal como para o pessoal daqui, os países nórdicos não são socialistas apesar de estarem cheios de funcionários públicos, empresas públicas, sindicatos e imensos impostos. Como esses países funcionam bem, já são liberais dos quatro costados!

    Relativamente aos SNS os únicos méritos que o PPC teve foi nomear alguém minimamente competente para ministro da Saúde (Paulo Macedo) e não estragar o que já estava bem feito.

  10. “É amplamente reconhecido que os liberais querem privatizar o SNS e que acham que os problemas devem ser resolvidos pelo mercado livre. Ou seja querem um sistema de saúde à americana pré Obamacare. Mais caro, mais ineficiente, desumano e que exclui imensa gente de cobertura.”

    Não tem mesmo a noção do que é o sistema de saúde à americana. O obamacare ou o que quer que seja.

    O sistema de saúde americano não é liberal.
    É basicamente um pesadelo burocrático onde se mama cheio de regras e regrinhas absurdas, mais capelinhas para este e aquele e só tem bons resultados e mesmo assim comparativamente pelo desastre que são os outros.
    Ainda mais ridículo é você chamar o obamacare ao barulho algo que não é mais que socialismo para empresas de saúde tornando a saúde muito mais cara.
    E que cada vez tem menos pessoas…

  11. ATAV

    lucklucky

    Aparentemente você é que não sabe do que está a falar. A burocracia toda foi criada pelas seguradoras como forma de não pagar os custos dos tratamentos que as pessoas fazem.

    “Lamento mas como não preencheu o formulário certo a seguradora já não cobre essa operação” ou ” Como não pediu pré -autorização vai ter que assumir esse custo na totalidade” ou ainda “Como esse tratamento tem plafond não pode fazê-lo até o fim ou terá que escolher outro tipo de intervenção com resultados piores”

    E antes da ACA (Obamacare) ainda era pior! “Isso era uma condição pré-existente, está excluído da cobertura”. Sem contar que os seguros só cobriam alguns prestadores. Em caso de urgência não dava para ir até o hospital mais perto ou que tivesse uma especialidade mais apropriada. Era o que o seguro cobria.

    E estou a falar apenas dos casos em que as pessoa têm seguros de saúde em dia! Pagam primeiro e depois não recebem nada em troca. As seguradoras recebem e depois tentam tudo para não pagar.

    Um pobre coitado que não tivesse seguro e fosse atropelado saia do hospital com uma divida de 250 000 dólares.

    A solução que costuma ser avançada pelos republicanos é a mesma que se impinge por aqui: o mercado resolve!

  12. ATAV

    lucklucky

    “Ainda mais ridículo é você chamar o obamacare ao barulho algo que não é mais que socialismo para empresas de saúde tornando a saúde muito mais cara.”

    A ACA é um programa imperfeito mas é uma melhoria ao que estava antes.

    Você tem a noção que está a defender que os Estados Unidos nacionalizem os prestadores de saúde todos? É que só assim é que se acaba com o “socialismo” para as empresas de saúde…

    “E que cada vez tem menos pessoas…”

    Agradeça ao Trump e aos republicanos que passam a vida a tentar não aplicar a ACA ou a sabotá-la. Nos Estados onde a ACA foi implementada na sua totalidade os preços da saúde não subiram tanto e há mais pessoas abrangidas pelos seguros.

  13. Filipe Bastos,

    Há uma diferença entre as anedotas que me contou e as soviéticas que lhe conto. As que me contou foram claramente feita por estrangeiros que odiavam americanos sobre os americanos. As que lhe contei foram feitas pelos SOVIÉTICOS sobre SOVIÉTICOS.

    Percebe a diferença, não percebe?

    Se não perceber, sugiro que me diga quantos americanos foram aprisionados pelos soviéticos depois da II Guerra e nunca deixados regressar ao seu país. Compare com o número de russos na contraparte americana. O rádio não é indeterminado e é igual a infinito positivo.

    Invertido esse rácio, obterá o real valor de um comunista para uma sociedade de comunistas

  14. Filipe Bastos

    O Francisco e as suas certezas. As anedotas podem bem ter sido escritas por americanos; basta terem algum sentido de humor e de autocrítica – qualidades que não abundam em fanáticos, como se vê.

    Algo estranho na sua cruzada anticomuna, além da cruzada em si, é a sua escolha de público: aqui, no Blasfémias, no Gab, ainda não reparou que está a pregar aos convertidos?

  15. Se você julga que burocracia começa nas seguradoras está bem engando, começa logo no que os médicos têm de passar para poderem exercer a profissão. Quanto ás seguradoras sabe que não pode haver competição entre uma seguradora do Estado de Nova York com uma da da Pennsylvania? ou como as distorções dos impostos promovem o controlo dos empregadores sobre os empregados, ou como o cada vez maior número de cuidados de saúde de pessoas pago por outras pessoas implica que o controlo de custos é cada vez menor beneficiando as seguradoras? Sim o socialismo beneficia os capitalistas mais do que o mercado livre,

    https://danieljmitchell.wordpress.com/2017/09/07/the-obamacare-repeal-fight-is-important-but-much-more-is-needed-if-we-want-a-pro-consumer-health-system/

    “The way to think of Obamacare is that we are shifting from a healthcare system 68 percent controlled/directed by government to one that…is 79 percent controlled/directed by government. Those numbers are just vague estimates, to be sure, but they underscore why Obamacare is just a continuation of a terrible trend, not a profound paradigm shift.”

    https://news.yahoo.com/trumps-big-health-care-win-113000560.html
    – tom demasiado optimista no entanto –

  16. Filipe Bastos

    A ver se entendemos, embora não seja fácil, Lucky: o sistema de saúde americano, o mais caro do mundo e o que mais enche mamões privados, é… socialista? É isto que v. diz?

    “Sim o socialismo beneficia os capitalistas mais do que o mercado livre”… tantas perguntas por fazer:

    1. Então beneficiar os capitalistas já não é bom?
    2. Se o tal ‘mercado livre’ não existe nos EUA, afinal onde existe?
    3. Que mercado é esse que permanece magicamente ‘livre’ sem ser viciado pelo poder e pelo capital dos grandes grupos?
    4. Que mercado deixado a si mesmo não acaba num oligopólio ou, se passar tempo bastante, num monopólio?
    5. A famosa ‘natureza humana’ que, segundo a direita, torna o socialismo inviável, é desligada no capitalismo?
    6. Os mamões respeitam todos o ‘mercado livre’, é isso?
    7. E o socialismo é que é utópico?

  17. Ainda não percebeste que o socialismo vai para quem tem mais poder?

    Porque é que julgas que a maior parte dos capitalistas com o dinheiro dos impostos e que querem regulação para impedir a concorrência= veja-se as nossas TVs em siinal aberto – são favoráveis ao socialismo em vez do mercado livre?

  18. Filipe Bastos

    Até agora só percebi, Lucky, que utiliza ‘socialismo’ como um rótulo para aquilo de que não gosta. Ou não faz ideia do que é socialismo, ou estica-o à medida do que precisa para poder culpá-lo de tudo.

    Há muitas críticas que se lhe podem fazer, mas v. até o culpa pelos excessos do capitalismo e do ‘mercado’, como é obviamente o caso.

    Para fãs como o Lucky ou o Francisco, até mamões privados são ‘socialistas’: não conseguem conceber que o problema pode estar no capitalismo; que este pode não ser perfeito e definitivo.

    ‘Socialismo’ torna-se assim um termo genérico para tudo o que é mau ou que funciona mal. Já o capitalismo e o mercado não podem ser maus; apenas deturpados ou conspurcados – claro – pelo socialismo. A carneirada comuna e a direitalha são realmente parecidas.

  19. ATAV

    lucklucky
    lucklucky

    “Se você julga que burocracia começa nas seguradoras está bem engando, começa logo no que os médicos têm de passar para poderem exercer a profissão.”

    E então? Em todos os países civilizados do mundo o acesso à profissão de médico é regulado. E os Estados Unidos não são excepção. Ninguém gosta que trafulhas como o Prof Karamba possam exercer profissões de elevado grau técnico e responsabilidade.

    “Quanto ás seguradoras sabe que não pode haver competição entre uma seguradora do Estado de Nova York com uma da da Pennsylvania?”

    Ahh! O velho mito da venda interestadual… Eu lembro-me quando o Trump e o Paul Ryan andavam com este disparate para tentar justificar a revogação do Obamacare. Sabia que já vários estados tomaram esta medida? Não funcionou porque as seguradoras não conseguiam arranjar uma rede de prestadores ampla o suficiente servir para a população a um preço baixo. Ups!!! Não é uma pena quando a realidade dá cabo da ideologia?

    “ou como as distorções dos impostos promovem o controlo dos empregadores sobre os empregados”

    Que treta! A sua costela de caloteiro que não quer pagar impostos está a vista. Os funcionários ficam sob controlo dos seus empregadores se a lei laboral permitir despedir por tudo e por nada, não por causa dos impostos. Se o funcionário puder ser posto na rua sem mais nem menos vai ter que aceitar o salário que o patrão lhe puser à frente e não pode dizer que não a nada. Portanto se não gosta de patrões com o poder de abusar os seus funcionários toca a mandar vir com aqueles que estão sempre a pedir liberalizações do mercado de trabalho. Tipo quase toda a gente de direita e os liberais todos que por aqui andam…

    “cada vez maior número de cuidados de saúde de pessoas pago por outras pessoas implica que o controlo de custos é cada vez menor beneficiando as seguradoras”

    Ena, ena… Que orgia de disparates! Nem sem bem por onde começar. Está a querer dizer o controlo de custos prejudica o consumidor? Ou que cuidados de saúde universais beneficiam principalmente as empresas?

    “Sim o socialismo beneficia os capitalistas mais do que o mercado livre”

    Então e o liberalismo pá? Já não é melhor coisa desde a roda?

  20. Hilariante, Deve julgar que socialismo para empresas não é socialismo.
    Que o poder do estado e os milhares de milhões de euros que o estado socialista gere por causa desse poder não atraí as empresas, ao mesmo tempo destrói o mercado livre porque fica muito mais fácil ter um amigo no estado a fazer mais um contrato de favor que ir ao mercado vender o produto.

    Santa ingenuidade.

    Talvez você deva pesquisar aqui a opinião sobre a privatização da ANA feita pelo Passos para ver se percebe alguma coisa.

  21. ATAV

    OK. Então passamos de um sistema de saúde americano com muitas deficiências que sofreu algumas melhorias recentes para uma privatização manhosa em Portugal que transformou um monopólio público num monopólio privado.

    Tudo a ver! Agora que não já tem argumentos deu para desconversar ou foi culpa do socialismo?

  22. Estava a responder ao Filipe que julga que dar dinheiro dos impostos a privados não é socialismo. Dentro do socialismo prefiro vouchers para cada pessoa escolher do que entregar o dinheiro a um hospital publico, ppp ou hospital privado.
    Mas como os socialistas como tu querem é poder e controlo sobre os outros já sabemos porquê , por isso choram Cuba e Venezuela..
    A saúde que se lixe. Porque o ódio é sempre a quem se destaca a quem sai for da norma mediocridade.

    “E então? Em todos os países civilizados do mundo o acesso à profissão de médico é regulado. ”

    Depois do curso há a regulação para todo o tipo – incluindo especifica estadual mais obrigação a pertencer à associação xyz e zhx. depois coisas estúpidas como impedir de fazer certos cuidados que têm de ser só feitos por enfermeiros.

    “Que treta! A sua costela de caloteiro que não quer pagar impostos está a vista.”

    Nada como um ataque do Prvada a injuriar -a seguir vem o apelo à natural violência socialista – com quem não concorda com você.

    . “Sabia que já vários estados tomaram esta medida? Não funcionou porque as seguradoras não conseguiam arranjar uma rede de prestadores ampla o suficiente servir para a população a um preço baixo. ”

    Can you buy health insurance across state lines?

    The short answer: No.

    Under current law, you will need to buy health insurance in state in which you have your permanent address. If you move to another state, you will need buy a health insurance plan in that state.

    There are no changes to this law for 2019. The current administration has said that they may want to change this, but as a health reform law has not passed, there are currently no changes currently on the horizon to this law.

    “Portanto se não gosta de patrões com o poder de abusar os seus funcionários toca a mandar vir com aqueles que estão sempre a pedir liberalizações do mercado de trabalho. ”

    Não percebes a ponta, é a lei que permite ter deduções nos impostos se uma empresa paga o plano de saúde mas tal não acontece se for uma pessoa individual a comprá-lo. O que é que isto faz, distorce o mercado.

    https://danieljmitchell.wordpress.com/2016/04/29/the-healthcare-exclusion-is-the-tax-codes-most-harmful-loophole/

    The exclusion has caused a shift in compensation from taxable cash wages to greater health benefits which are not taxed. Between 1999 and 2015, the average employer contribution for family coverage nearly tripled while wage rates increased by only about half.

    “Ena, ena… Que orgia de disparates! Nem sem bem por onde começar. Está a querer dizer o controlo de custos prejudica o consumidor? Ou que cuidados de saúde universais beneficiam principalmente as empresas?”

    Quanto menos ligação entre as pessoas e os custos mais os custos sobem, menos importa a escolha porque outros pagam. Não há incentivo para baixar preços. Há incentivo para gastar.

    ““Sim o socialismo beneficia os capitalistas mais do que o mercado livre”
    Então e o liberalismo pá? Já não é melhor coisa desde a roda?”

    Com socialismo muito menos empresas vão à falência como se viu com os bancos. Capitalismo para beneficiar capitalistas? então estaria todo contente com monopólios capitalistas construídos por favor aos sindicatos e campanhas eleitorais dos partidos. Clientelismo, Mercantilismo. Tudo conceitos que a Esquerda que fazes parte adora.

  23. ATAV

    “regulação para todo o tipo – incluindo especifica estadual mais obrigação a pertencer à associação xyz e zhx. depois coisas estúpidas como impedir de fazer certos cuidados que têm de ser só feitos por enfermeiros.”

    Há menor probabilidade de desenvolver infecções se o penso for feito por alguém qualificado. Tal como há menor probabilidade de complicações se a operações forem feitas por cirurgiões qualificados. Acha isso estupido? Eu chamo-lhe protecção do consumidor/utente/doente. Lá porque você não se importa de ser operado por um sapateiro não quer dizer que tenha o direito de impor isso aos outros. SEU SOCIALISTA!!!! Sempre a impor a sua violência SOCIALISTA aos outros!!!

  24. ATAV

    “Nada como um ataque do Prvada a injuriar -a seguir vem o apelo à natural violência socialista – com quem não concorda com você.”

    Adoro vir aqui. Aprende-se tanto… Especialmente definições como a de baixo.

    Impostos: violência de origem socialista.

    Prometo usá-la sempre que puder.

    Já agora, seguem em baixo seis estados que permitem a alguém comprar seguros de saude noutro estado. Ups… MALDITO SOCIALISMO!!!

    Georgia, Kentucky, Maine, Rhode Island, Washington, e Wyoming.

  25. Filipe Bastos

    “Estava a responder ao Filipe que julga que dar dinheiro dos impostos a privados não é socialismo.”

    O socialismo é gerido e distribuído pelo colectivo, não por mamões privados, seu palerma. V. até aos EUA chama socialismo se lhe dá jeito.

    Com excepção da cornadura de direitalhas alienados, vivemos num país e num mundo capitalista, onde – que surpresa! – o capital controla tudo, incluindo governos. Por isso estes saqueiam a população para encher mamões.

    E não é assim por acidente: é este o fim natural do capitalismo. É todo este o objectivo – a concentração da riqueza, a aniquilação da concorrência, a imposição do interesse privado ao interesse colectivo e ao bem comum.

  26. ATAV

    BING, BING, BING!!

    Muitos parabéns Lucklucky. Você acabou de fazer a referência 1000 000 à Venezuela neste blog e como tal acabou de ganhar esta maravilhosa torradeira liberal.

    Seguindo os principios maravilhosos do liberalismo que se defende nesta casa, esta torradeira foi projectada por um engenheiro recém-licenciado a fazer um estágio gratuito, construída recorrendo aos materiais mais baratos e montada por crianças esfaimadas a recibos verdes numa fabrica sem condições num pais de terceiro mundo.

    O pagamento da torradeira foi efectuado a uma empresa sediada numa offshore como é evidente.

    O engenheiro foi instruido a ignorar toda a regulamentação de segurança visto que esta só existe para endrominar a cabeça dos pobres dos empresários. Claro que corre o risco de ficar com a casa a arder, mas não se preocupe caso aconteça o pior terá que comer e calar pois como a proteção ao consumidor é mais uma regulação desnecessária não pode ser aplicada neste caso.

    Desfrute!

  27. ATAV

    “Não percebes a ponta, é a lei que permite ter deduções nos impostos se uma empresa paga o plano de saúde mas tal não acontece se for uma pessoa individual a comprá-lo. O que é que isto faz, distorce o mercado.”

    Pois é! Tem toda a razão. E sabe como distorce? Eu explico: como as pessoas têm a sua saúde através do emprego, não podem abandonar o trabalho para lançar o seu próprio negócio ou mudar de residência sem correrem riscos consideráveis ou se tiverem doenças crónicas como diabetes.

    E sabe qual é a solução? É dar uma maneira das pessoas arrajarem seguros de saúde mesmo que não tenham emprego. Como por exemplo através do Obamacare. Ups…

  28. ATAV

    “Com socialismo muito menos empresas vão à falência como se viu com os bancos.”

    Claro!!! Foi o “socialismo” que privatizou e desregulamentou o sistema financeiro português. Lá voltamos ao velho ” Correu bem? Liberalismo! Deu asneirada? Maldito socialismo!!!”

    “Capitalismo para beneficiar capitalistas? então estaria todo contente com monopólios capitalistas construídos por favor aos sindicatos e campanhas eleitorais dos partidos.”

    Partidos e sindicatos. A sério? Então e os gestores e os acionistas? Nem uma palavrinha singela sobre o ganho deles em monopólios?

    Sabia que uma das teorias avançadas pata a perda do poder de compra dos trabalhadores foi a formação de oligopólios que perseguem sindicatos e usam a sua posição dominante para esmagar os salários dos funcionários? Isto também explica o aumento da desigualdade em que os gestores e o acionistas ganham mais enquanto os trabalhadores ficam na mesma. Lá está a maldita realidade a impor-se à ideologia outra vez…

    “Clientelismo, Mercantilismo. Tudo conceitos que a Esquerda que fazes parte adora.”

    Qual esquerda? A do Trump que fala do défice comercial como se fosse um jogo de soma nula (que é a base do… mercantilismo). Ou do Passos Coelho que queria equilibrar a nossa balança comercial e só falava em exportações? Ė essa esquerda que está a falar ?

  29. ATAV,

    Nunca ouviu falar de regulamentação excessiva?

    Se dez trabalhadores da SIC ou da EDP quiserem sair e criar uma televisão ou uma empresa de electricidade nova, faz ideia do ajuste da regulamentação existente aos desejos dos incumbents, contra os insurgentes?

    Quer saber porque os salários sobem menos do que poderiam? Siga o que indiquei no parágrafo anterior. Sobem menos porque porém. E podem porque não têm a temer concorrência de abovinados à mestria dos lobos que, em nome do povo, o comem à esquerda e à falsa direita.

  30. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    Sim conheço o conceito de regulação excessiva para protecção dos incumbentes.

    Até lhe posso dar um exemplo: o formato dos vegetais e frutas que a União Europeia exigia. Há também o caso do Japão alegar que a neve de lá era diferente para não deixar entrar skis produzidos noutros paises. Mas este último caso era mais para proteger uma indústria nascente.

    Está a ver? Sei bem que dois regulamentos que protegem incumbentes podem ter efeitos completamente diferentes. É por isso que embirro tanto quando o pessoal daqui manda vir com o estatismo. É redutor…

  31. Os regulamentos que impedem empresas de nascer e de operar facilmente no mercado mantém os salários deprimidos. Parahe dar um exemplo, onde existem poucos regulamentos, como na programação de aplicações informáticas, o mercado é mais dinâmico e os salários são mais altos.

    Não deve considerar que este seja o único factor por mim admitido para a depressão dos salários. Considero-me continuei o principal.

    A existência de um valor de referência (leia-se de encosto e de demissão) chamado salário mínimo é o outro, que talvez tenha quase tanto impacte como o anterior.

  32. ATAV

    Há algo que deprime os salarios e tira vitalidade a sectores competitivos que não referiu. O abuso de posição dominante do empregador.

    A Califórnia baniu recentemente as “non-compete clauses” que basicamente impediam os trabalhadores do sector tecnológico de irem trabalhar para a concorrência. Como os trabalhadores não podiam ir para a concorrência, não conseguiam negociar salarios mais elevados para si. Outro efeito nefasto é que sem a movimentação dos trabalhadores entre empresas o know-how não era partilhado pelo sector nem apareciam empresas novas. Logo o sector fica com menos vitalidade.

    Tem aqui um exemplo de como o aumento de regulação pode aumentar a vitalidade doe um sector.

    Sem contar que andamos a desregular e a baixar impostos desde os anos 80 e os salários estagnaram. Nos 30 anos anteriores a regulação era muita e os impostos eram altos e houve ganho do poder de compra dos trabalhadores

    O salário minimo também parece ser uma boa maneira de combater monopsónios pois anula a posição dominante dos empregadores e força os salários para cima.

    Sem contar que o salários de um sector geralmente são negociados com os sindicatos e quando havia maior taxa de sindicalização nos paises ocidentais os salários subiram muito mais. Portanto um valor de referência pode benéfico para os trabalhadores.

  33. Que os salários de um determinado sector sejam livremente negociados entre empresas e sindicatos do sector, nem em nada me choca, nem deixo de o considerar desejável. São as empresas e os empregados quem sabe do negócio e das suas particularidades em cada local e em cada sector de actividade.

    Agora, por que raio têm as CGTP e as UGT o exclusivo de negociação em Portugal naquela aberração ontológica que é a Concertação Social? Especialmente quando os novos sindicatos são independentes dos sindicrápulas daquelas organizações para-partidárias?

    Se o salário mínimo universal é assim tão positivo, porque não há mais dinamarqueses a invadir as nossas fronteiras? Ou italianos? Devem ganhar muito mal, aqueles pobrezinhos.

  34. Filipe Bastos

    “Onde existem poucos regulamentos, como na programação de aplicações informáticas, o mercado é mais dinâmico e os salários são mais altos.”

    Trabalho em ‘programação de aplicações informáticas’ (já não ouvia o termo ‘informática’ há uns anos). Os salários são mais altos porque há mais procura do que oferta. Muitos programadores emigraram, outros trabalham remotamente para o estrangeiro. Das faculdades não sai nada de jeito.

    Hoje em dia, em Portugal, qualquer badameco se diz programador e quer entrar a ganhar 1300€ limpos – nem sonha qual o custo real disso – mesmo que não passe de um júnior medíocre ou copy-paster do stackoverflow.

    “Se o salário mínimo universal é assim tão positivo…”

    O salário mínimo é apenas isso, um mínimo: não impede nenhuma empresa de negociar ou pagar mais. Serve como travão básico a mamões gananciosos (passe o pleonasmo) e empregadores sem escrúpulos. Quem o rejeita não deve ter boas intenções.

    Ou acharia normal e decente pagar a alguém, em 2020, menos de 600 e tal euros por mês?

  35. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “As non-compete clauses são nulas em Portugal.”

    Era apenas um exemplo de uma regulação que estimula um sector. Leis anti monopólio e a actividade da DG Comp e autoridade da concorrência são outros exemplos.

    “Baixar impostos desde os anos 80? Desregulamentar?
    A expressão “carga fiscal máxima de sempre” não lhe diz nada?”

    Sim, andamos a desregulamentar e a liberalizar desde os anos 80. Liberalização do mercado de trabalho já foram 3. Simplex, lembra-se dessa? E há muitas mais.

    Quanto à carga fiscal tem razão, está a subir, mas é a custa dos impostos indirectos que atingem os mais pobres. Mas eu referia-me aos impostos directos, que são os que incidem nos mais abastados. Esses têm vindo a baixar consideravelmente. As taxa médias de IRC eram 40% antes e agora está nos 20%. E sem contar com offshores que estão abaixo dos 5%. Isto é outra coisa que os liberais adoram: transferir o esforço fiscal dos mais ricos para os mais pobres.

    “Se o salário mínimo universal é assim tão positivo, porque não há mais dinamarqueses a invadir as nossas fronteiras? Ou italianos? Devem ganhar muito mal, aqueles pobrezinhos.”

    Nesses locais há salários mínimos. São é negociados sectorialmente com os sindicatos. Mas não se preocupe, a ofensiva dos liberais contra os trabalhadores tem sido tão eficaz que em sítios onde não havia salário mínimo, este tem vindo a ser implementado. Tipo na Alemanha.

    “Especialmente quando os novos sindicatos são independentes dos sindicrápulas daquelas organizações para-partidárias?”

    Prefere os sindicatos verticais do Estado Novo?

  36. André Miguel

    “Ou acharia normal e decente pagar a alguém, em 2020, menos de 600 e tal euros por mês?”

    Pergunte isso a um desempregado de longa duração que não tenha rendimento algum.

    Ninguém tem de “achar” seja o que for, só patrão e trabalhador devem discutir isto. Fim do salário mínimo JÁ!

  37. ATAV,

    «Liberalização do mercado de trabalho já foram 3.»

    Tente despedir um mau funcionário. Mesmo tendo sido apanhado por câmeras de segurança a dormir no trabalho — caso real.

    Tente ter uma empresa onde quer, por serem os melhores para um determinado posto ou apenas pelas suas preferências pessoais, contratar apenas homens. Caso real.

    Tente negar a um negro rabeta, anão e seropositivo, escarralhado e activista escagonifobético, um emprego apenas porque ele é o terceiro ou quarto numa seriação de requisitos à partida. Esta ainda não é caso real, mas brevemente o será.

    Tente não preencher o famoso relatório sobre assédio sexual.

    Fale-me depois de liberalização.

  38. ATAV,

    «Prefere os sindicatos verticais do Estado Novo?»

    Quais as diferenças entre esses e a CGTP? Ambos obedecem à voz do dono, e os seus membros são apenas assinaturas para fingir volume.

    Diga-me porque houve tanta sanha na imprensa contra o sindicato dos enfermeiros, contra o sindicato dos camionistas e contra o SIM (sindicati independente na área do ensino). Eu a«sei: é porque não têm dono assignado.

  39. ATAV

    André Miguel

    “Pergunte isso a um desempregado de longa duração que não tenha rendimento algum.”

    Há ampla evidência que aumentos moderados do salário mínimo têm efeitos negligenciáveis no nível de emprego. Menos ideologia e mais leitura.

    “Ninguém tem de “achar” seja o que for, só patrão e trabalhador devem discutir isto. Fim do salário mínimo JÁ!”

    A citação de cima deve ser lida “O trabalhador deve ficar completamente à mercê do empregador. Mais poder para o patronato JÁ”

  40. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “Tente despedir um mau funcionário. Mesmo tendo sido apanhado por câmeras de segurança a dormir no trabalho”

    O despedimento com justa causa existe. Há muitas razões para que o trabalhador não tenha sido despedido. A empresa que contrate advogados melhores, que aprenda a escrever regulamentos internos que abranjam estas situações ou que cumpra com as obrigações legais decorrentes da videovigilância.

    Ah! Mas tinha-me esquecido que quando é com os empresários a “responsabilidade individual” não existe. É preciso ter o “Estado papá” a desequilibrar a balança para o lado deles…

    “Tente ter uma empresa onde quer, por serem os melhores para um determinado posto ou apenas pelas suas preferências pessoais, contratar apenas homens. Caso real.”

    Caso real de quê? Só se for de discriminação… Então não sabe que é ilegal discriminar as pessoas com base no seu género? Portanto o patrão não pode contratar apenas homens só porque lhe apetece. Também não podia dizer que na empresa dele não entram pretos ou mórmons. Já percebi que quando a extrema direita enche a boca com palavras como “meritocracia” estão-se a referir a isto.

    “Tente negar a um negro rabeta, anão e seropositivo, escarralhado e activista escagonifobético, um emprego apenas porque ele é o terceiro ou quarto numa seriação de requisitos à partida. Esta ainda não é caso real, mas brevemente o será.”

    Às vezes esqueço-me de quão preconceituoso o Francisco é e da imensidão do seu ódio pelos outros. Mas enfim, você lá faz questão de me lembrar disso frequentemente.

    Pense assim: se os mórmons sofressem tanta discriminação como as mulheres ou os africanos você nunca teria tido o sucesso profissional que teve até agora. Mas enfim, a discriminação no rabo dos outros é refresco para si, não é?

  41. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “Quais as diferenças entre esses e a CGTP? Ambos obedecem à voz do dono, e os seus membros são apenas assinaturas para fingir volume.”

    Os sindicatos verticais eram dominados pelos gestores/donos das empresas tal como as associações patronais. Basicamente os patrões negociavam com eles próprios.

    Agora os donos dos sindicatos são outros. Já não dá para resolver a questão nas jantaradas dos resorts.

    “Diga-me porque houve tanta sanha na imprensa contra o sindicato dos enfermeiros, contra o sindicato dos camionistas e contra o SIM (sindicati independente na área do ensino).”

    Sindicatos dos enfermeiros: a greve teve um financiamento caricato e foi encabeçada pela bastonária da ordem dos enfermeiros. Isto é ilegal, as Ordens não se podem envolver em questões laborais. Caso fique provado o envolvimento da bastonária ela deverá ser expulsa do cargo e a própria ordem corre o risco de ser dissolvida.

    Sindicato dos condutores de matérias perigosas: Parte dos motivos para a greve parece ter sido a obtenção de visibilidade para a carreira politica daquele advogado manhoso. E o facto da greve ser dirigida por um advogado em vez de ser um motorista também causou muita estranheza.

    SIM: Não tenho conhecimento que este sindicato tenha causado celeuma.

    “Eu a«sei: é porque não têm dono assignado”

    Todos estes sindicatos ou greves estão associados a pessoas de direita ou populistas. Portanto o problema da UGT e CGTP não é terem dono. É que você não gosta da cor politica dos donos. Mas se forem de direita então já não há problema…

    NOTA: Considero que os enfermeiros e os motoristas tinham razões legitimas de queixa e considero parte das suas reivindicações justas mas a instrumentalização de greves por pessoas com ambições politicas é nocivo para a causa dos trabalhadores.
    E o Governo esteve mal em não perseguir a questão do financiamento da greve dos enfermeiros até ao fim. Era uma questão que merecia ser esclarecida

  42. ATAV,

    «E o Governo esteve mal em não perseguir a questão do financiamento da greve dos enfermeiros até ao fim.»

    Poderia ter parado após perseguir. Para pessoas de esquerda, esse verbo dispensa complemento directo, indirecto, oblíquo ou completamente obtuso.

  43. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “Ironia, humor e sarcasmo só são compreendidos por gente inteligente. Os outros chamam-lhe ódio, a escusa para não dizerem que compreenderam ironia.”

    Vejo que continua com a mesma predisposição para o insulto fácil. Bom, adiante.

    Sou inteligente o suficiente para perceber que está a tentar disfarçar que meteu a pata na poça. O Carlos Guimarães Pinto tenta disfarçar as alarvidades que diz com asteriscos. É uma abordagem a considerar…

    E sempre ouvi dizer que enquanto a maioria das pessoas aprende com os próprios erros os mais inteligentes aprendem com os erros dos outros.

    “Poderia ter parado após perseguir. Para pessoas de esquerda, esse verbo dispensa complemento directo, indirecto, oblíquo ou completamente obtuso.”

    Claro, claro… só a esquerda é que é fã de perseguições e valas comuns. A direita está cheia de anjinhos com harpas e auréolas. Especialmente a direita das suásticas e bandeiras confederadas…

  44. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    Outra vez com isso? *Sigh*…

    “República Popular Democrática da Coreia.”

    “República Democrática Alemã”

    Coreia do Norte e Alemanha de Leste, duas democracias pujantes…

  45. Logo, direita e nacional socialismo são antagónicos.

    Direita é individualista por natureza. Nacional-socialismo é outra forma de colectivismo. Direita acredita no primado do indivíduo. Nacional-socialismo e internacional-socialismo e espavento-socialismo à la Bloco acreditam no primado da sociedade sobre o indivídio, e dos direitos de quem manda no colectivo sobre os direitos do indivíduo.

    Confundir Hitler com direita é confundir um tomate com uma ponte suspensa.

  46. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “Direita é individualista por natureza.”

    Que o digam a Itália de Mussolini, o Estado Novo de Salazar e a Espanha de Franco. Foi só primado do individuo.

    E o que dizer da direita actual do Leste? Desde os oligarcas do mafioso Putin, do controlo dos média e grandes empresas por apparatchiks do Orban e até dos teóricos da conspiração polacos? Mais primado do indivíduo…

    Claro que também posso referir a direita liberal que quer tirar o estado da frente. Da frente dos empresários que querem esmagar os seus trabalhadores, dos fundamentalistas que gostam de perseguir pecadores ou dos racistas que querem discriminar os outros à sua vontadinha… Sim senhor, aqui não há o esmagamento do individuo por instituições opressivas como uma empresa ou a igreja. Apenas o primado do individuo…

  47. Filipe Bastos

    “…acreditam no primado da sociedade sobre o indivídio, e dos direitos de quem manda no colectivo sobre os direitos do indivíduo.”

    No socialismo todos têm os mesmos direitos, é uma sociedade igualitária, e quem manda no colectivo é o colectivo; não é uma minoria ou uma ‘elite’. Isto na teoria; na prática tem sido diferente – e também por isso não tem sido socialismo.

    No capitalismo uma minoria tem também mais poder e direitos do que o resto das pessoas. Mas ao contrário do socialismo, não é por abuso do sistema; o sistema é assim. É suposto uns poucos terem muito mais que os outros.

    O indivíduo tem valor… se tiver dinheiro. A maioria dos fãs ‘die hard’ da direita, ou tem muito dinheiro, ou espera vir a tê-lo. Os que o têm são egoístas; os que o não têm, nem nunca terão, são otários. Ambos são gananciosos.

    For the record, concordo com o Francisco sobre Hitler e o nazismo: impõe submissão completa ao colectivo.

  48. ATAV

    Filipe Bastos

    “For the record, concordo com o Francisco sobre Hitler e o nazismo: impõe submissão completa ao colectivo.”

    Claro que sim, nem eu disse o contrário. Toda a direita impõe a submissão do individuo ao colectivo. Parece-me óbvio.

    Desde o corporativismo do fascismo, às democracias iliberais actuais e até aos liberais de direita, todos eles esmagam o individuo à vontade de um colectivo.

    Agora dizer que o nazismo é de esquerda ou socialista ė absolutamente ridículo.

  49. Filipe Bastos

    Isso, ATAV, é a velha diferença entre a direita liberal e a direita fascista. A ambas se chama ‘direita’, mas pouco têm em comum.

    O Francisco terá os seus defeitos, mas duvido que defenda qualquer fascismo. A direita dele é a (ultra)liberal: cada um por si, à faroeste. Parece um típico fã da Ayn Rand; poderá também ter lido Nietzsche e gostou de se rever no ‘super homem’; provavelmente imagina-se de capa e tudo.

  50. ATAV

    “Isso, ATAV, é a velha diferença entre a direita liberal e a direita fascista. A ambas se chama ‘direita’, mas pouco têm em comum.”

    Discordo de si quando diz que a direita fascista tem pouco em comum com a liberal. Partilham uma coisa em comum que é central para ambas: a crueldade para com os mais fracos e que “might makes right”.

    E não se esqueça que o liberalismo que se impinge nesta casa de randroids é na sua essência incompatível com a democracia. Afinal o liberalismo é frontalmente contra a redistribuição enquanto que a democracia é um sistema quetende naturalmente para a redistribuição de riqueza.

    Resumindo, acho que é mais provável que um liberal vote num fascista do que em alguém da esquerda democrática

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.