Fake News

Lembro-me de ler, na semana passada, uma triste notícia sobre a morte precoce de uma jornalista da Fox News. Para minha surpresa, vi essa notícia – que julguei inócua – ressurgir no meu feed do Facebook em tom de piada: “A Bre Payton merece o prémio Darwin 2018”. Incapaz de entender a graça, fui pesquisar sobre o assunto. Deparei-me com uma notícia do Correio da Manhã e outra da Sabádo que, realmente, anunciavam um acontecimento digno de um sketch dos Monty Python: Jornalista que fez apelo contra vacinas morreu de gripe AApresentadora antivacinação morre aos 26 anos após contrair gripe suína 

Ora, eu, na minha inocência, julguei que a rapariga era mais inteligente. Fui, então, procurar mais sobre a sua militância anti-vacinação. Felizmente, a Sabádo e o Correio da Manhã pouparam-me trabalho. Em ambas as notícias podemos encontrar a única menção que a desgraçada fez à anti-vacinação em toda a sua vida e esta, para júbilo do tribunal popular pós-moderno, foi feita num tweet (e, pasmem, de 2011!). O tweet incriminador diz, literalmente, o seguinte: “@latimes: Whooping cough: State urges more people to get vaccinated http://lat.ms/jlJcoa ” // NOOO! vaccines are from the devil!”

Creio que chegamos com isto a um novo estágio de loucura: se até há poucos meses reputações eram arruinadas por causa do que se disse num tweet aos 19 anos, agora reputações são arruinadas por causa do que não se disse num tweet aos 19 anos. Qualquer pessoa sã – excluindo, portanto, os jornalistas – entende a ironia do tweet. Não se trata de um comentário peculiarmente sagaz, nem peculiarmente subtil: é uma simples ironia. E este comentário, até por ser um caso isolado, devia ser ainda mais facilmente entendido como tal. Infelizmente, os arqueólogos de tweets não são capazes de conceber tamanhas subtilezas. Ou será que são?

Bastou ler a notícia novamente para que entendesse a assunção de que a rapariga era uma militante anti-vacinação. Afinal, estamos perante uma “comentadora da Fox News”, “conservadora”, “convicta apoiante de Trump”, com “opiniões vistas como radicais” e que, preparem-se, “em várias ocasiões mostrou-se contra a saúde pública e chegou a dizer inclusivamente que esta “não é um direito humano”. É claro que estamos perante alguém anti-vacinas. Eu diria mais, anti-civilização. Pior que defender a anti-vacinação aos 19 anos, só apoiar Trump aos 26. Estão desculpados, jornalistas.

Anúncios

25 pensamentos sobre “Fake News

  1. Dizer que não devemos vacinar-nos com todas as vacinas de vacinação oficialmente aconselhada é o mesmo que dizer que o holocausto não foi bem assim como consta nos manuais oficiais. Cai-nos o Carmo e a Trindade encima…

    É que há muitas coisa$ em jogo…

  2. joaopinheirodasilva

    MANOLOHEREDIA, ainda bem que cai. O problema é cair quando não se defende tais coisas.

  3. ATAV

    Eu não sei se ela era antivacinação ou não. Mas sei que a ironia ou o sarcasmo não se detectam com facilidade na escrita. Ela, sendo jornalista deveria saber isso e ter tido atenção à maneira como escreveu as coisas. Também sei que quando defendemos extremistas ou pontos de vista radicais as pessoas tendam a julgar tudo o dizemos de forma literal. Incluindo enormidades sobre outros assuntos

    Ela defendia o Trump que é um plutocrata racista que não demonstra o mínimo respeito pelas instituições democráticas norte-americanas. Se ele pudesse transformava aquele pais numa ditadura como tem feito o Orban, Erdogan, Maduro, Putin, etc…Aliás ele utilizou a mesma retórica para chegar ao poder que todos os outros. E mesmo após chegar ao poder continua a espalhar o ódio para tentar consolidar o seu poder. Não é acidente nenhum que o Trump seja caloroso com ditadores cruéis e maltrate os aliados democráticos dos Estados Unidos ou que tenha escolhido visitar a Polonia na primeira viagem à Europa.

    Ela também dizia que a saúde pública não é um direito. Ou seja, que milhões de americanos pobres devem adoecer e morrer prematuramente porque não têm acesso a cuidados de saúde básicos.

    Não admira nada que a maior parte das pessoas julguem que ela estava a ser séria no que disse. É compatível com as outras coisas que ela defendia. Quem defende radicalismos e extremistas tem de se sujeitar a ser considerado um extremista. É a vida…

  4. ATAV

    “Qualquer pessoa sã – excluindo, portanto, os jornalistas – entende a ironia do tweet.”

    Bela retórica anti-jornalistas. O seu ídolo Trump também está constantemente a atacá-los. Aliás tal como o Orban, Bolsonaro, Erdogan, Putin, Maduro, Duterte entre outros. Tudo democratas convictos e imensamente respeitadores dos direitos humanos dos outros especialmente das minorias, mulheres e opositores políticos.

  5. “Ela defendia o Trump que é um plutocrata racista que não demonstra o mínimo respeito pelas instituições democráticas norte-americanas. ”

    racista onde?
    não demonstra respeito? esta a falar de Obama que assina aocrdos internacionais sem o Congresso? aí já é bom

    Você é que parece ser racista, afinal defende o jornalismo Marxista.

  6. ATAV

    Lucklucky
    Tem razão. O Trump não é um racista. Quando ele e o pai foram postos na linha por discrimarem negros em arrendamentos nos anos 70, quando andou a questionar o local de nascimento do Obama prometendo revelações bombásticas que nunca apresentou ou a retórica que os mexicanos são traficantes de droga e violadores está tudo na minha cabeça. Também imaginei o apoio de Trump aos” very fine people” de Charlottesville e ele aceitar plenamente o apoio de supremacistas brancos durante a eleição. Nada disto aconteceu…

    Quanto ao respeito pelo congresso, bem está a ver-se agora mesmo uma paralisação do governo devido a uma birra do Trump porque ninguém lhe dá dinheiro para construir o muro. Os ataques constantes ao Mueller e ao antigo procurador geral que ele próprio nomeou também são muito salutares para a democracia americana.

    Vejo também que para si todos os jornalistas são comunistas. Bravo! Informação fidedigna para si só aquela que vem do querido líder ou das entranhas do órgão de propaganda do partido. Já agora não conseguia meter na sua intervenção uma defesa apaixonada de Mário Machado?

  7. Ricardo

    @ATAV npc alert
    “Sei que a ironia ou o sarcasmo não se detectam com facilidade na escrita. ”
    Pois.. deve ser verdade… ai se o Gil Vicente soubesse!… teria sido sapateiro, ou talvez quem sabe youtuber, não sei. Já agora, note a ironia, para não passar despercebida, sff.

    “Ela, sendo jornalista…”
    Sim, aos 19 anos já era jornalista… com toda a certeza (ironia, ok?)

    @ManoloHeredia
    Não! As vacinas são do diabo!… a ironia não é muito evidente. Eu percebo que a critiquem… aliás, todos os que a criticam são do demo…

  8. ATAV

    RICARDO

    “@ATAV npc alert” Sim Ricardo. Só o Ricardo e outros com ideologia igual à sua é que pensam pela sua própria cabeça. Todos os outros são imbecis facilmente manipuláveis. Vá debitar os seu ataques ad hominem para outro lado!

    A sério???? Gil Vicente???? Não sabe a diferença entre obra-primas satíricas e um tweet? A ironia e o sarcasmo podem ser inferidas do contexto ou do tom de voz. Um tweet não tem nada disso… A rapariga como já editava o jornal da faculdade já deveria saber isso. Quem escreve aprende isso muito cedo. Evita mal entendidos e muitas clarificações desnecessárias.

    Mas o meu ponto de vista mantém-se igual. As pessoas acreditaram que ela era antivacinas por causa das outras coisas radicais que ela defendia. Um extremista geralmente defende várias coisas extremistas.

  9. ATAV

    RICARDO

    “@ATAV npc alert” Sim Ricardo. Só o Ricardo e outros com ideologia igual à sua é que pensam pela sua própria cabeça. Todos os outros são imbecis facilmente manipuláveis. Vá debitar os seu ataques ad hominem para outro lado!

    A sério???? Gil Vicente???? Não sabe a diferença entre obra-primas satíricas e um tweet? A ironia e o sarcasmo podem ser inferidas do contexto ou do tom de voz. Um tweet não tem nada disso… A rapariga como já editava o jornal da faculdade já deveria saber isso. Quem escreve aprende isso muito cedo. Evita mal entendidos e muitas clarificações desnecessárias.

    Mas o meu ponto de vista mantém-se igual. As pessoas acreditaram que ela era antivacinas por causa das outras coisas radicais que ela defendia. Um extremista geralmente defende várias coisas extremistas.

  10. “ele e o pai.”
    ena o Pai…..que tal falar do negócios de Trump ?

    “..retórica que os mexicanos são traficantes de droga e violadores está tudo na minha cabeça…”

    talvez se estivesse a referir a isto..:
    “Between 60 percent and 80 percent of female migrants traveling through Mexico are raped along the way, Amnesty International estimates.”

    Agora faça aí a lista de racistas que Obama se ligou, e veja se não bate Trump.
    Pode começar com o seu Jeremiah Wright , estamos a falar de ligações perenes não apenas um dito do momento. Ou Louis Farrakhan. Até uma foto dos dois a sorrir foi escondida pelo jornalista que a tirou.

    Mas claro você ficou calado, discriminou Trump, o que levanta a questão.

    .

  11. Ricardo

    @ATAV
    “A sério???? Gil Vicente???? Não sabe a diferença entre obra-primas satíricas e um tweet?”
    Peço desculpa… um tweet não pode, de facto, ser irónico nem sarcástico. Só as obras primas é que têm essa veleidade. Peço mil desculpas… aliás, para lhe dar mais razão, fou por isso que dei a indicação de que o meu comentário anterior continha este tipo de linguagem. Aliás, também este tem. Digo-o para que não fique com dúvidas, dado que humildemente reconheço que este comentário não é uma obra prima…

    “Só o Ricardo e outros com ideologia igual à sua é que pensam pela sua própria cabeça. Todos os outros são imbecis…”
    O facto é que a comunicação social vende muita treta que muita muita gente repete sem pensar.

    “por causa das outras coisas radicais que ela defendia. ”
    Claro, claro. Todos os que discordam da sua posição são radicais. Basta alguém se assumir como sendo de direita para virem logo os “sabios” clamar aqui d’el rei, que é de extrema direita!… ignorando que esses “sábios” (ironia, ok?) estão ideologicamente muito próximo da extrema esquerda. Que moral têm? Porque raio a vossa visão há-de ser a certa? Afinal, a esquerda e extrema esquerda gostam de abanar a bandeira da tolerância, mas são uns intolerantes

  12. Ricardo

    @ATAV
    “As pessoas acreditaram que ela era antivacinas por causa das outras coisas radicais que ela defendia. ”
    Errado. As pessoas acreditaram que ela era anti-vacinas porque sao npc e vão atrás de toda a bosta que a comunicação social esquerdista vomita

  13. ATAV

    RICARDO

    Essa jornalista era radical porque defendia plutocratas racistas e que os mais pobres não deviam ter cuidados de saúde básicos se não os pudessem pagar. E o Ricardo acha que isso não é radical? Haja pachorra

    Fique a saber que a maioria dos países civilizados deste mundo têm leis anti-discriminação e serviços de saúde universais gratuitos com o apoio da esmagadora maioria da população.

    Aparentemente,e segundo a sua opinião, toda esta gente, que não concorda em julgar alguém pela cor da pele ou que os mais pobres morram por falta de cuidados de saúde básicos, é de extrema-esquerda e não têm moral.

    E rotular a comunicação social de esquerdista e insultar aqueles que obtêm informação de lá é típico de um apparatchik ou de um maluquinho das teorias da conspiração.

    E quanto ao uso da ironia e sarcasmo na palavra escrita faça-me o seguinte: vá para as redes sociais lançar frases curtas cheias de sarcasmo e veja o resultado. Mas depois, quando for mal interpretado e der asneirada da grossa, não venha para aqui choramingar que não o avisaram.

  14. ATAV

    lucklucky

    “Ena o Pai…..que tal falar do negócios de Trump ?”

    Pois… Como os exemplos de racismo do Trump durante a presidência dele já são demasiado abundantes compreendo que se queira cingir à vida dele antes da presidência ou da eleição. Mas não se preocupe, eu, como sou prendado, faço-lho as vontadinhas todas.

    Para começar, o Trump já era o presidente da organização Trump durante a situação da discriminação nos arrendamentos nos anos 70. Parte-se do principio que teria uma palavra a dizer na maneira como a organização era gerida. Ou será que o lucklucky acha o que o grande líder não passava de um testa de ferro e um pau mandado?

    Depois há aquela denúncia de um funcionário de um casino que disse que quando o Trump estava nas instalações os funcionários negros tinham ordens para não lhe aparecerem à frente. Tanto quanto sei, o Trump, que era tão litigioso, não meteu o funcionário em tribunal. Vá-se lá saber porquê…

    Há ainda aquela vez que um jornalista confrontou o Trump com uma citação dele publicada num livro em que o Trump dizia que não queria negros como contabilistas apenas judeus. A resposta de Trump? A citação provavelmente seria verdadeira…

  15. ATAV

    lucklucky

    Quantos aos crimes cometidos sobre migrantes durante a passagem deles pelo México a resposta de Trump a uma situação tão pavorosa foi a de fechar as fronteiras e mandar o exército para garantir que os migrantes não passavam para os Estados Unidos vez oferecer asilo ou pressionar o México para garantir a segurança deles. E eu sei que você concorda com a opção dele.

    Seria o equivalente a entrar num quarto e ao ver um homem a violar uma mulher, sair e trancar o quarto à chave deixando a mulher à mercê do atacante. E colocar guardas armados à porta com instruções para não deixar ninguém entrar. Um verdadeiro humanitário.

    Mas sei que só utilizou esse exemplo como tentativa de justificar a discriminação de todos os mexicanos. Como se esses crimes tivessem sido cometidos por TODOS os habitantes do México e não apenas por alguns. Ou você acha bem punir todos pelos crimes de alguns? O ódio justifica tudo…

  16. ATAV

    lucklucky

    As referências ao Obama é puro whataboutism. Um mimo! Para alguém que passa a vida a vituperar os comunistas e os marxistas não tem problemas nenhuns a utilizar abundantemente as ferramentas de propaganda deles. Pelo andar da carruagem daqui a uns tempos há de estar a apelar à apropriação dos meios de produção. Já faltou mais…

    “Mas claro você ficou calado, discriminou Trump, o que levanta a questão.”
    A citação acima já é um caso clássico de projecção. Acusar os outros dos crimes que o próprio comete. Sem contar que tenta pintar o Trump, um individuo muito rico e privilegiado a vida toda e que ocupa a presidência do pais mais poderoso do mundo, como um coitadinho.

    Ohhhhh. Pobrezinho do Trump… Não consegue insultar umas minorias étnicas e apoiar racistas sem ser violentamente apelidado de racista por uns mauzões que não compreendem a grandiosidade do homem. Que pena.

    116 006. Deixo aqui a linha de apoio à vítima para o Trump. Aparentemente ele precisará de ajuda por causa dessa enorme injustiça que metade do mundo lhe está a fazer (incluíndo por membros do partido dele). Não se preocupe que o nº é gratuito.

  17. Ricardo

    @ATAV
    “Aparentemente,e segundo a sua opinião…”
    Típico do seu género. Colocar palavras na boca dos outros para os acusar de extremismos. Não sabe qual a minha opinião sobre esses temas, até porque isso não foi discutido e nem é o âmbito da notícia. O âmbito é o julgamento em praça pública que você insiste em fazer

  18. ATAV

    RICARDO

    “Típico do seu género.”
    Cuidado com as generalizações, elas tendem a ser abusivas. Julgar a parte pelo todo é costume das ditaduras.

    “Colocar palavras na boca dos outros para os acusar de extremismos.”

    O Ricardo é que se colocou essas palavras na sua própria boca. Tendo em conta que eu estava a defender que apoiar racistas e excluir os pobres de cuidados de saúdes básicos era radicalismo, foi você que definiu a sua posição com esta frase:

    “Porque raio a vossa visão há-de ser a certa?”

    A palavra chave é vossa. Ou seja, se concordasse com esse ponto de vista teria escrito “nossa visão…”. Ou se quisesse permanecer neutro usaria “essa visão…”.

    “O âmbito é o julgamento em praça pública que você insiste em fazer”

    Chamo a sua atenção para a primeira frase do meu primeiro comentário que transcrevo abaixo:

    “Eu não sei se ela era antivacinação ou não.”

    Por falar em colocar palavras na boca dos outros… Realmente a projecção está na moda por estes lados.

    E não, o âmbito não é o julgamento em praça pública dessa rapariga. O que interessa aqui é que o autor do post (João Pinheiro da Silva) utilizou esta notícia para atacar os meios de comunicação por motivos políticos. Outros insurgentes e comentadores deste blog também o fazem regularmente inclusive o Ricardo que o fez em dois dos seus comentários acima. O Trump, Orban, Putin, Maduro e todos os outros também passam a vida a fazer isso. Como o jornalismo é um dos pilares da democracia o que está aqui em causa é a democracia. É esse o alvo a abater deste blog.

  19. Ricardo

    @ATAV
    “Julgar a parte pelo todo é costume das ditaduras.”
    Então compre um espelho.
    Deturpar ou criar “factos” ao colocar palavras na boca das outras pessoas é típico do quê? Da sua democracia?

  20. ATAV

    RICARDO

    Eu não estou a deturpar nada. São as suas palavras não as minhas. Eu não o obriguei a escrever nada daquilo. Da próxima vez não se ponha a defender o indefensável.

    Quanto à criação de factos, lamentavelmente não o poderei ajudar. Talvez seja melhor inquirir junto de quem defende “factos alternativos”. Creio que eles saberão mais do que eu sobre esse assunto…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.