Festa Brava

António Costa prossegue dizendo ainda a Alegre: “Como homem da Liberdade tem também de respeitar os cidadãos que, como eu, rejeitam a tourada como manifestação pública de uma cultura de violência ou de desfrute do sofrimento animal”. E critica “o novo politicamente correcto [que] é ser politicamente ‘incorrecto’”. O primeiro-ministro faz ainda uma revelação: “Choca-me que o serviço público de televisão transmita touradas. Mas não me ocorre proibir a sua transmissão”.

TOURADA

Anúncios

11 pensamentos sobre “Festa Brava

  1. JP-A

    Isto é o retorno da fórmula mágica de Costa, o governante que está para estar e não para governar: se o Infarmed ou qualquer outra coisa está a correr mal, chuta-se para uma comissão independente ou para as autarquias. E porque terá necessitado de aludir na carta ao Mata-Frades de Coimbra com a frase “não me receie como mata-toureiros…”? Se tivesse sido em alemão aposto que era uma chatice.

  2. ‘manifestação pública de uma cultura de violência e de desfrute do sofrimento animal’
    É isto ignorância ou pura estupidez?

    A tourada surge para honrar homens valentes, não para sacrificar bestas que para tanto bastam os matadouros.

    E como é que os ignorantes pensam que se matava o gado bravo antes de haver touradas?

    Corretês de merda e cretinice militante.

  3. Quando vejo Costa e seus muchachos a desdizerem hoje, por actos ou palavras, aquilo que disseram ou fizeram ontem mas voltarão a dizer ou fazer amanhã, lembro-me sempre das palavras de Bruce Lee: “You must be shapeless, formless, like water. When you pour water in a cup, it becomes the cup. When you pour water in a bottle, it becomes the bottle.” Costa tomará sempre a forma daquilo que lhe der mais um voto.

  4. JP-A

    Gostava de saber o que tem a Direção-Geral da Saúde a dizer sobre o facto de os cidadãos reportarem matilhas à solta pelo país e os respectivos serviços informarem que agradecem muito a indicação da localização da bicharada, mas que não os podem recolher porque não há vagas. É uma espécie de estado em negação das regras de saúde que nos distinguiam do que se passava há 200 anos, para gáudio do PM que vai fazendo concessões que lhe garantem estadia forçada à custa da proteção de uns animais, enquanto se sacode dos outros. Agora expliquem-me como é que um tribunal vai condenar como tem condenado por maus tratos e onde estão os princípios da defesa da saúde pública: “O aumento da Leishmaniose Canina pode fazer aumentar a Leishmaniose Humana, o que torna ainda mais importante a vacinação dos cães.”

    Todo este circo da bandalheira tem um nome no centro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.