Comparação dos contratos dos 3 grandes com as operadoras de telecomunicações

Para que não restem dúvidas, apesar da confusão jornalística e da propaganda clubística, fica aqui um quadro resumo dos acordos dos três grandes com a NOS (Sporting e Benfica) e MEO (F.C.Porto).

table2

Fontes:
Comunicado da NOS à CMVM em relação ao contrato do Benfica
Comunicado da NOS à CMVM em relação ao contrato do Sporting
Comunicado da FCP SAD em relação ao contrato com a MEO

Notas:
1) O Sporting comunicou ainda um valor acrescido pelos direitos televisivos das 3 épocas antes do acordo com a NOS entrar em vigor. Esse valor é de 69 milhões pelas 3 épocas (23 milhões por época). Somados aos 446 milhões do contrato com a NOS dá os 515 milhões anunciados pelo Sporting. O contrato com a NOS para os direitos de transmissão é para os 10 anos seguintes.
2) O Benfica tem um contrato de patrocínio com a Emirates de valor não comunicado, mas que se estima ser de 8 milhões/ano.

32 pensamentos sobre “Comparação dos contratos dos 3 grandes com as operadoras de telecomunicações

  1. Lau

    3) No valor atribuído ao Benfica inclui-se também os direitos da Liga Inglesa que terão custado ao Benfica cerca de 7,5 milhões de Euros.

    Para a época desportiva 2016/2017, o SLB já não tem os direitos televisivos da liga inglesa, pelo que, considerar 7.5 milhões de euros nestas contas, não faz qualquer sentido.

  2. Eurico(s)

    E agora alguém explica uma coisa ?
    A SPORTTV pagava por ano digamos metade (muito menos mas não interessa) e tem aparentemente prejuízo.(sim tem outros encargos …)
    Como é que os operadores vão justificar estes negócios?

  3. Carlos Guimarães Pinto

    Eurico, os operadores se tiverem os direitos exclusivos pdoerão fazer muito dinheiro no cross-selling. Ou seja, adeptos do Benfica quererão ter serviço de TV da NOS. Levam com o serviço de internet e ainda serão incentivados a ficar com o serviço de telemóvel. É esse o racional.

  4. 3) No valor atribuído ao Benfica inclui-se também os direitos da Liga Inglesa que terão custado ao Benfica cerca de 7,5 milhões de Euros.

    Isto é mentira, pois os direitos do Benfica sobre a Liga Inglesa já terminavam esta época e o acordo é só a começar na próxima época. Já os direitos da UFC, Liga Francesa e Liga Italiana continuam com o Benfica

  5. Ricardo Louro

    Façamos contas e não olhemos apenas para o número grande apresentado!

    Contrato NOS + Benfica (Total: 400M€):
    – Direitos televisivos equipa sénior A (Contrato revisto após 3 anos, podendo ser renovado por mais 7 anos) – A partir de 2016;
    – Direito transmissão e distribuição da BTV em sinal aberto (10 anos).

    Contrato MEO + Porto (Total: 457M€):
    – Direitos televisivos equipa sénior A (10 anos) – A partir de 2018;
    – Direito transmissão e distribuição do Porto Canal (12,5 anos);
    – Principal Patrocinador das camisolas (7,5 anos);
    – Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio do Dragão (10 anos).

    Contrato NOS + Sporting (Total: 446M€):
    – Direitos televisivos equipa sénior A (10 anos) – A partir de 2018;
    – Direito transmissão e distribuição da SportingTV (12,5 anos);
    – Principal Patrocinador das camisolas (12,5!!!! anos);
    – Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio Alvalade XXI (10 anos).

    No que toca ao Sporting, houve de facto um grande negócio que foi a renegociação do contrato em vigor com a PPTV para os jogos até 2018 e publicidade do estádio, sendo que este último ponto foi adicionado ao contrato pois não fazia parte do contrato anterior.

    Há ainda a suposta cláusula no contrato do Benfica com a NOS de aumento de 10% caso haja negociação dos rivais por valores superiores, contudo não sabemos se esta cláusula de facto é real.

    Mas podemos perceber aqui que o FCP e o SCP se venderam por completo, à excepção do naming do Estádio, contudo, tendo a NOS e a Altice os direitos de Exploração Comercial de Espaços Publicitários dos Estádios, estes vão estar tão identificados com estas empresas que será difícil a negociação deste activo (Naming).

    O Benfica deixou esta possibilidade em aberto para um potencial negócio e, já tinha o seu principal Sponsor nas camisolas (Fly Emirates).
    Mas podemos concluir que se a Exploração Comercial de Espaços Publicitários dos Estádios rende em média 20M por ano, hipotecando 10 anos desta fonte de rendimento, são 200M que devem ser retirados aos 457M e 446M do FCP e SCP respectivamente, sobrando assim 257M no caso do Porto e 246M no caso do Sporting para as camisolas, Canal do clube e Direitos de TV.

    Se tomarmos por base os 5M por ano que a PT pagava aos clubes pelo patrocínio nas camisolas e, se for o mesmo valor atribuido, retiramos 37,5M (7,5 anos) aos 257M que sobram no FCP e 62,5M (12,5!!! anos) aos 246M que sobram no SCP.
    Agora para o Canal do Clube e direitos televisivos sobra 219,5M para o FCP e 183,5M para o SCP.

    Assim chegamos à conclusão que o acordos para exactamente a exploração das mesmas coisas (Canal do Clube + Direitos TV) ficam como abaixo indicados:
    Benfica: 400M
    Porto: 219,5M
    Sporting: 183,5M

  6. flm

    Boa análise. Falta acrescentar que o valor dos contratos para a transmissão dos jogos aplicam-se no caso do Sporting daqui a 3 anos, no do Porto daqui a dois e no caso do Benfica a partir da próxima época.

  7. cfrego

    Em relação ao contrato com a Emirates que o Pedro Anacleto em cima referiu que são 3,2 M/ano esse é o valor para as camisolas das equipas de formação que vem no R&C da época passada. Para a equipa principal fala-se de um valor entre 8 M mínimo e 10 M máximo dependente de objectivos, ou seja, e especulando por baixo o valor do contrato de publicidade nas camisola poderá render ao Benfica 80 M ao longo dos 10 anos…

  8. Pedro

    Faltam aí alguns valores…

    O que não está no acordo da NOS/Benfica:

    – Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio do Luz e Direito de exploração da publicidade estática e virtual do Estádio da Luz, pelo período de 10 épocas desportivas
    10 ME/ano (100 ME a 10 anos) – 20 ME foi o valor de 2014/2015

    – Estatuto de Patrocinador Principal , com o direito de colocar publicidade na parte frontal das camisolas da equipa principal
    7-8 ME/ano (renderá entre 70 a 80 ME)

    – Direito de transmissão multimédia dos jogos em casa da equipa A de futebol sénior (valor difícil de prever)

    – Direito de transmissão e distribuição do Canal Benfica por 12 anos (é apenas 10)
    Renderá, pelo menos, mais dois anos, se dividirmos os 100 ME por 10 anos dará, por isso, cerca de 20 ME

    – Direito de exploração das receitas da BTV. Deve rondar os 2/3 ME/ano (depende dos conteúdos).
    Portanto, 20/30 ME a 10 anos

    – Direitos da liga italiana, italiana e UFC
    (pode render 3 ME ou, então, se o Benfica ficar com esse conteúdo na BTV 2 e, claro, tornar o canal pago, por um preço inferior a 10 euros, claro)
    30 ME a 10 anos.

    Contas feitas, e falamos a 10 anos, o Benfica arrecadará, por época, entre 60 a 70 ME/época. Portanto, entre 600 ME a 700 ME por 10 anos.

  9. Bruno

    Os valores pagos ao Benfica incluem os direitos de transmissão não só da LIga Inglesa (8.5 milhões / ano e não 7.5 milhões), mas como a da Liga Italiana e Liga Francesa (até 2017/18) – Taça do Rei de Espanha, Supertaça Espanhola e UFC serão irrisórios. E seguindo o seu próprio ROC, a Emirates pagou 3 milhões pela publicidade da camisola…

    Os contratos não são comparáveis e as grandes vencedoras são as próprias operadoras.

  10. As contas do Sr. Ricardo Louro estão um pouco inflacionadas… 🙂
    Primeiro e infelizmente, os espaços publicitários do Sporting ou Porto não rendem 20 milhões ano, rendem no Benfica 17 milhões, no Sporting cerca de 12 milhões e no Porto (não estando nas contas do clube) devem ser perto das do Sporting, vamos dizer 12 milhões tb, logo aí são 120 milhões pelos tais 10anos. Quanto as camisolas a Meo pagava apenas 2,5 milhões por época e não 5 milhões, o que faz 25 milhões. Logo aí os valores corrigidos são: Benfica 400, Porto 344,5 , Sporting 308,5. Porém o Sporting no negócio com a NOS renegociou o que já tinha vendido por mais 69 milhões, ficando então os valores dos clubes em Benfica 400, Sporting 377,5 e Porto 344,5. A juntar a isso poderemos acrescentar que o Benfica gera cerca de 5milhões mais então nos espaços publicitários e cerca de 1milhão no patrocínio das camisolas(já que na realidade a Emirates deve pagar 3,5milhões época). Sem dúvida que os valores do Benfica são superiores em no total 80,90 milhões de euros, o contrato do Porto no fundo andará perto do Sporting ou a 10,20 milhões de distância, no fundo penso que foi bem negociado por cada um dada a realidade do futebol português, preparem é as carteiras que em breve quem quiser ver futebol pagará e bem… 😦

  11. Preferia pagar menos pelas telecomunicações.
    Quando e se houver um distribuidor de sinal na minha zona que só me venda o que eu quero comprar, mudo assim que puder.

  12. A minha questão é outra como é que uma direcção pode vender os activos de um clube- em 2 casos a quase totalidade e todas as possíveis fontes excepto venda de jogadores- em contratos de 10 dez!!!!! Anos!!
    E nos 2 casos a começar! sim começar! somente numa altura em que as respectivas direcções já nem estão em funções !

  13. Teodoro

    Um péssimo negócio para as operadoras MEO e NOS! O que compraram não nem 1/4 daquilo que pensam vir a pagar!

  14. Veryon

    As operadoras (mercado) pagaram em função do valor que atribuíram e do lucro que esperam gerar. Os clubes pequenos não conseguem contratos semelhantes porque não têm a capacidade para gerar lucros semelhantes às empresas. Economia de mercado ao mais alto nível, não percebo qual o problema.

  15. carlos

    os chamados pequenos que se juntem e peçam no mínimo 10milhões cada um por época se podem dar 40 aos grandes também devem 10 aos pequenos porque se se juntarem vão ficar muitos jogos por tansmitir

  16. Manuel Gomes

    O Sporting renovou o contrato em 2010 para as 5 épocas de 2012/2014 até 2017/2018. O valor foi de 108 milhões de euros.
    Até Junho de 2015 tinha recebido 39 milhões de euros desde contrato. Falavam receber outros 69 milhões. Incluir esse valor como um “aditamento” é absurdo. Não houve aumento nenhum. Tudo não passa de mais uma falcatrua do Azevedo Carvalho.
    Se assim fosse, o contrato do FCP também seria de 500 milhões de euros.

  17. Bom dia

    Imfelizmente começo a preocupar-me é com a minha carteira vejo aqui malta a fazer contas e contas e contas por ai a fora, pergunto esteve alguem a fazer estes contratos no final dos relatorios de contas é que vamos ver. Alem de tudo não acredito nestes valores em nem um dos clubes só vou acreditar quando ver o resto dos contratos o contrato não é só o comunicado que eles mostram é muito mais eles falam por alto mas tudo isto tem contrapartidas para ambos e principalmente para nós, somos nós que pagamos a fatura. Malta esperem pelo os relatorios de contas de cada clube e acreditem se isto tiver impacto os passivos dos clubes tem que baixar e daqui a 10 a 15 anos os passivos vão estar maiores e todos vão pensar aquele negocio com a Zon e Meo a 10 anos e 15 anos atras não serviram de nada e estamos nos aqui a pagar.
    Não me levem a mal mas é o que vejo eles a ficarem mais ricos e rirem-se na nossa cara e nos mais pobres e a pagar. Abraço e bom Ano

  18. Miguel A. Baptista

    Os meus amigos dos futebóis andam eufóricos com as negociações com os operadores de telecomunicações. À partida até posso concordar com eles. É sinal que os clubes geraram valor e conseguiram capturar grande parte do valor gerado. Vendo as coisas em termos muito “keynesianos” são boas notícias. Num país de Portugal dos Pequenitos é raro vermos negócios assim que encaixam na categoria de “big business”.
    Mas utilizando a minha veia de serrano, não muito sofisticado mas que é capaz de fazer umas contas de merceeiro, as notícias talvez não sejam assim tão fantásticas.
    Com a presente valorização a Liga Portuguesa está a ser avaliada a um valor mais elevado que a Liga Holandesa (que tem clubes míticos como o Ajax, PSV ou Feyenoord). Quer dizer que os portugueses vão pagar para os futebóis mais que os holandeses. E os holandeses produzem quase quatro vezes mais riqueza que os portugueses (853 mil milhões de USD vs. 227 mil milhões). Ou seja a “taxa de esforço” dos portugueses para alimentar futebóis é brutalmente elevada.
    Essa “taxa de esforço” vai ser cobrada através do custo das telecomunicações para particulares e empresas. Quando chegou a Portugal a troika já tinha denunciado que o nosso preço das telecomunicações era demasiado elevado assumindo-se como um entrave à competitividade das empresas.
    Em termos de fluxos de caixa puros o que iremos assistir é a uma saída de dinheiro das pessoas “normais” (que ganham mil euros) e uma entrada de dinheiro nos bolsos dos jogadores dos “três grandes” (que ganham cem mil euros). E isto já não são tão boas notícias. Aquilo que parecia um “big business” de país desenvolvido acaba por ser algo que acentua a “veia sul-americana” que existe em Portugal.
    PS – Este meu raciocínio, para não me estender excessivamente, é um bocado simplista mas, creio, não está muito longe da realidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.