O programa de privatizações do PS

No Programa de Estabilidade e Crescimento 2010-13 elaborado durante o governo PS no seguimento da crise iniciada em 2008-09 e do enorme aumento do défice e do endividamento público previa-se “um amplo programa de privatizações” a fim de obter receita extraordinária para ajudar no esforço de consolidação orçamental.

O programa de privatizações, articulado com uma visão moderna do papel do Sector Empresarial do Estado na salvaguarda do interesse público, constituirá um poderoso contributo para a correcção do crescimento da dívida pública e do endividamento da economia, induzindo também, consequentemente, a redução da despesa com juros. O encaixe estimado, ao longo do período, é de 6000 milhões de euros, sendo que o programa inclui empresas do sector financeiro, bem como dos sectores da energia, dos transportes, das comunicações e do papel, entre outros.

privatizações pec2010-13

Perante isto tornam-se ainda mais absurdas as criticas e pruridos actuais dos socialistas quanto a privatizações.

10 pensamentos sobre “O programa de privatizações do PS

  1. Luís Lavoura

    Este foi aquele PEC-IV que o PSD, o CDS, o PCP e o BE se coligaram para derrotar, não foi?

  2. Miguel Noronha

    Não. Este foi anterior a esse. Se tivesse atenção às datas sabia disso. Este foi o PEC I de Março/2010. Como as previsões teimavam em não bater com a realidade e as contas se deterioravam a um ritmo alarmante (vejam a previsões que estão no PEC) em Maio já tinhamos um PEC II e em Setembro um PEC III. O PEC IV (o tal que foi “chumbado”) só aparece quase um ano depois.

  3. FB

    Pela data, parece-me que não, Luís Lavoura. Este deve ser o II ou o III. Que também eram a solução milagrosa para o país.

  4. Lucas Galuxo

    É. Foi numa altura em que a oposição exigia mais austeridade, mais cortes na despesa, mais severidade no aumento de impostos e que se vendessem as empresas públicas a qualquer preço.

  5. tina

    Bem visto, Miguel. A esquerda é uma pândega, bêbada, que anda na rua de encontro aos postes, ora vai numa direção, ora noutra, já não sabe o que diz, e o que diz deixou de interessar às pessoas sérias, só outros pândegos ainda lhe dão atenção.

  6. Miguel Alves

    Mas essa proposta do PS era para um “programa de estabilidade e crescimento”.. com o António Costa agora temos um “programa de promessas de crescimento”.. por isso não entendo qual a incongruência sinceramente.. Agora o objetivo é só ganhar as eleições.

  7. Miguel Alves,

    Ainda não tem nem um programa de promessas de crescimento, nem promessas de um programa de crescimento. Ainda tem uma promessa de um programa de promessas de programa de crescimento (leia, que faz sentido!), e isso é completamente diferente.

    Isto é, o PS está a prometer que irá fazer um roteiro (programa) para chegar a uma lista de medidas (promessas, na maior parte) que programam o crescimento. Ainda há muito novelo e muitos tiros no pé até aparecer um programa de promessas. Entretanto, o Costa nem consegue ficar em pé, com tanto cheiro de pólvora que emana dos seus membros inferiores.

    É um pouco como os programas da URSS que sempre diziam, nos pósteres, «ferir o capitalismo».

  8. Pingback: O socialismo lava mais branco (4) | O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.