Esquerda e direita Portuguesas vistas à distância

Vistas de longe e na preparação para as Europeias há uma diferença impressionante entre a Esquerda e a Direita em Portugal. A Esquerda está de acordo nas ideias mas em desacordo com a forma de chegar ao poder. A Direita não está de acordo nas ideias mas em acordo na forma de chegar ao poder. Depois admiramo-nos que a direita é vista como pragmática e a esquerda como idealista. Torna a direita mais apelativa para quem quer chegar ao poder mas difícil de frequentar para quem ainda quer perseguir ideais.

6 pensamentos sobre “Esquerda e direita Portuguesas vistas à distância

  1. Ricardo G. Francisco

    Como chegar aos lugares institucionais de poder político. Criação de partidos, “movimentos” activistas, coligações, listas.
    Que ideais orientam as organizações que querem chegar ao poder político. Base filosófica/moral, posições políticas em temas económicos e sociais.

    Na esquerda estamos a ver a discussão de se vão coligados, alinhados, namorados ou casados. Saem e entram em partidos por desavenças na táctica de ataque ao poder e aos lugares eleitos. Na direita o que divide não é o método, são as questões sociais que a fracturam, é a divergência entre um liberalismo económico que seria natural e o estatismo necessário para a satisfação das máquinas partidárias.

    Estou a generalizar e a exagerar sem pedir desculpas por isso.

  2. Marco

    Eu acho que tanto num ou noutro caso é apenas mais do mesmo, como lá chegar sem olhar a meios ou propriamente uma linha de ideias. A diferença é que num caso há um casamento de conveniência a suportar a coisa e no outro uma alarvidade de desentendimento …

  3. Acho que isso é um regra mais geral do que simplesmente as eleições europeias – social-democratas, comunistas clássicos, trotskistas, “autónomos” e anarco-sindicalistas têm raizes filosóficas muito próximas (há 150 anos atrás era dificil distinguir os antepassados de uns e outros) mas não se podem ver uns aos outros. Já liberais, democratas-cristãos, conservadores e (ocasionalmente) nacionalistas inspiram-se em tradições filosóficas bastante diferentes (que há uns 150 anos mal tinham deixado de andar aos tiros uns com os outros), mas juntam-se em coligações ou mesmo no mesmo partido com a maior das facilidades.

  4. Por outro lado, não sei se será correcto dizer que “A esquerda está de acordo nas ideias”; sobretudo no que diz respeito à política europeia, por vezes até parece termos o PS e o BE (mais as réplicas por meiose do BE) dum lado, o PCP (mais o MAS, o MRPP e o PNR) do outro, com o PSD e o CDS ao meio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.