Fazer

Enquanto uns se queixam e choram, enquanto outros, em jeito de claque, garantem que não pode haver criação artística sem a intervenção do Estado, enquanto isso,  há quem trabalhe. Onze dias de rodagem, um orçamento “ridículo” e facilmente recuperável e uma distribuição que rompe com os esquemas tradicionais. Ah, e também ganha prémios em festivais.

Já agora, e a propósito, vale a pena ler este texto do Alexandre Pomar: contra-manifesto.

…grande parte dos manifestos que por aí circulam, e também das considerações autorais sobre o panorama cultural, são enganadores ou fraudulentos ao angariarem os seus apoiantes e admiradores através de uma ilusória promessa de destinos artísticos para todos graças à subsidiação universal

5 pensamentos sobre “Fazer

  1. José

    Estou à espera da vossa solução brilhante para a conservação e restauro do património cultural

  2. Caro José,

    No Insurgente não ambicionamos a dar soluções para todos os problemas do mundo, mas só em relação ao que nos apetece. Por isso pode esperar sentado, ou então ter a sorte de alguém, por aqui, decidir falar no tema. Mais, isto aqui é um blogue, não é nem a AR, nem o governo, nem um partido político. A forma máxima de organização que promovemos são umas almoçaradas de vez em quando, mas só aparece quem quer.

  3. José

    Ou seja limitam-se a mandar uns bitaites e a mandar umas postas de pescada. Nda para levar a sério portanto…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.