Alheamento (2)

 

A afirmação de José Sócrates, ontem na entrevista a Miguel Sousa Tavares, de que ‘o défice salvou o mundo’, deixou-me estupefacto. O ‘défice salvou o mundo’. A frase ainda ressoa na minha cabeça, tantas horas depois de ter sido proferida. A força com que Sócrates entoou ‘O Krugman’ para embalar idiotas, ainda me apoquenta.

A sensação não melhora quando lemos os jornais de hoje. Segundo o WSJ, e de acordo com a análise do governador do Banco de Inglaterra, o Reino Unido vai ser prejudicado pela paragem da recuperação da economia na zona euro. Parece que na Alemanha e em França as coisas andam um pouco ao solavancos. Um verdadeiro pára-arranca. Em resposta aos estímulos, a actividade económica lá vai dando alguns sinais encorajadores, até que a realidade bate mais forte: A dívida, os défices não desaparecem assim. E mesmo que Sócrates escreva mil vezes, no seu caderno de apontamentos, ‘Keynes era um grande economista que nos deixou grande ensinamentos que devemos seguir’, a verdade é que nos anos 30 não havia défices.

Uma diferença que devia ser elementar, não transpirasse Sócrates, ao contrário do que nos quer fazer crer, ideologia por todos os poros.

Anúncios

5 thoughts on “Alheamento (2)

  1. Confusão doentia…

    Virtualmente governado
    por fervorosas fantasias
    neste país ajardinado
    florescem muitas agnosias.

    Da assaz irrealidade
    no discurso governativo
    brota a virtualidade
    de carácter emulativo.

    Com a mentira despachada
    de forma tão intencional
    é mais uma razão manchada
    da devassidão nacional.

    Gente muito responsável
    que nos deixa a patinhar,
    é por demais impensável
    como isto vai definhar.

  2. “E mesmo que Sócrates escreva mil vezes, no seu caderno de apontamentos, ‘Keynes era um grande economista que nos deixou grande ensinamentos que devemos seguir’, a verdade é que nos anos 30 não havia défices.”

    Não percebo bem o que o AAAmaral querd izer com isso? Que não havia defcits orçamentais nos anos 30 (havia)? Que, quando começou a haver defcits nos anos 30 não havia um deficit acumulado prévio?

  3. ricardo saramago

    Não transpira só ideologia, transpira também ignorância.
    A arrogância vem-lhe do facto de achar que os portugueses são todos parvos.
    Como todos os homens medíocres vive rodeado de inimigos por todos os lados e defendido por fiéis apaniguados de baixa qualidade que lhe dizem o que ele quer ouvir para fugir as suas fúrias.
    Conheci ao longo da vida vários homens assim e descobri que não vão a lugar nenhum e quando desaparecem deixam grandes estragos para os que lhe sucedem.
    Não deixam saudades.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.