Óbvio

Técnicos de apoio ao Parlamento dizem que o Governo precisará de obter excedentes primários duradouros, de normalizar as condições de acesso ao financiamento e de colocar a economia no caminho do crescimento para conseguir conter o aumento da dívida pública

Eis algo tão óbvio que nem deveria merecer destaque. Infelizmente parece que a receita preferida pelos anti-“austeritaristas” nunca passa pelo controlo das contas públicas mas pelo “crescimento”. Na sua “narrativa” este assume um papel tão importante quanto misterioso dado que nunca explicam como é que o vamos alcançar. Enfim, contrariando o passdo recente quando até a desvalorizavam ou queria extinguir ultimamente até a têm citado amiude. Vejamos se o fazem desta vez.