Social Credit System chega à América

Uh-oh: Silicon Valley is building a Chinese-style social credit system

In China, scoring citizens’ behavior is official government policy. U.S. companies are increasingly doing something similar, outside the law.

SesameCredit.jpgEste artigo depois descreve em detalhe como seguradoras podem fazer os prémios cobrados depender de fotos nas redes sociais, o software de um bar pode recusar entrada a um cliente que tenha dado problemas num outro bar a milhares de quilómetros de distância, os condutores Uber agora classificam passageiros, e claro podem ser excluídos de redes de comunicação como WhatsApp, Facebook, …

O que fica a faltar é um acordo entre os grandes (Google, Apple, Fb, Amazon, Microsoft,…) para fazer um sistema como o Chinês para nos excluir a todos (sim, ler este blog vai dar uma pequena penalização por cada dia de acesso) de fazer actividades como: compras on-line, compras em lojas com cartão Visa ou MasterCard, aceder a Netflix ou tv cabo, usar um smartphone, …

Fiquem agora com uma pequena descrição do sistema chinês, e por inerência do que nos espera no futuro se no ocidente não houver oposição suficiente ao sistema.

In China, Your Credit Score Is Now Affected By Your Political Opinions – And Your Friends’ Political Opinions

China just introduced a universal credit score, where everybody is measured as a number between 350 and 950. But this credit score isn’t just affected by how well you manage credit – it also reflects how well your political opinions are in line with Chinese official opinions, and whether your friends’ are, too.

 

 

Anúncios

Diz Que É Uma Espécie De Partido De Direita

Agora que a lei Uber entra em vigor, podem agradecer ao PSD um aumento dos preços a pagar pelos clientes.

Uma das primeiras coisas para as quais se deve preparar é para o pagamento de uma nova contribuição ao Estado, que incide sobre o valor da comissão retirado por cada viagem (aliás, este valor passa a estar limitado a 25%). Terá de pagar ao Estado uma contribuição “única de 5%” sobre as receitas obtidas por viagem.

A imagem abaixo foi retirada daqui.

A Concorrência É Boa e Desejável em Todos os Sectores de Actividade, Excepto no Nosso

Com base nestes quadros retirados daqui, que comparam o que a lei propõe para os Táxis e para as plataformas electrónicas de transporte sinceramente não consigo perceber o que pretendem os taxistas. Em ambas as tabelas, os taxistas têm sempre grande vantagem, excepto na questão menor que é o número one-off de horas de formação. Basicamente, a única conclusão que se consegue retirar é que os taxistas simplesmente não querem concorrência. Bem que podiam alterar o seu slogan para Que Se Lixem Os Clientes.

Revolução Automóvel

Em Portugal anda muita gente distraída com a Revolução a acontecer no sector automóvel, liderada por empresas como Tesla, Waymo (Google), Apple, Foxconn, Uber, Lyft e o sector automóvel tradicional. Para quem não tem acompanhado, aqui fica um resumo das principais componentes da revolução… Continue a ler “Revolução Automóvel”

RadioTaxis obrigada a pagar salário mínimo

Dias atrás foi notícia que tribunal britânico condenou Uber a pagar salário mínimo e férias aos motoristas que usam esta plataforma. Considerou que aqueles não eram entidades independentes. Já se fala de acções judiciais em vários outros países…

Espera-se, portanto, que proprietários que usam o Airbnb para angariar hóspedes recebam daquela uma renda mínima. Hotéis listados no Booking.com passarão a ter direito a lotação garantida de 69%(?). Quem usa BlaBlaCar para partilhar custo da viagem terá automaticamente direito a cheque mensal de abastecimento combustível. E, mais importante, em Portugal a RadioTaxis vai, à semelhança da decisão britânica, assegurar um salário mínimo a todos os taxistas. Urra!!! :/

Regulamentação da Uber

Varios-Lisboa-Portugal-plataforma-Uber_4858947.jpg

Juntando-me ao coro de vozes que vociferam contra a Uber, acusando-a, inclusivamente, de contribuir para o atraso civilizacional (Daniel Oliveira disse mesmo isto), gostaria de materializar as palavras e contribuir para a causa, deixando uma minuta que poderá ser facilmente adaptada para regulamentar a actividade da aplicação móvel Uber:

***

Usando da faculdade conferida pela 2ª parte do n.º 2.º do artigo 109.º da Constituição, o Governo decreta e eu promulgo, para valer como lei, o seguinte:

Artigo 1º – E proibido o uso da aplicação Uber quando os seus portadores não se achem munidos da licença fiscal.
§ 1.º – Os infractores serão punidos com a multa de €250, além da perda do dispositivo móvel ou equivalente, que são apreendidos, salvo as excepções consignadas no presente decreto.
§ 2.º – O disposto neste artigo e parágrafo anterior não é aplicável aos representantes oficiais do Governo.

***

Os restantes artigos poderão ser consultados no Decreto-lei n.º 28219, de 25 de Novembro de 1937, que regulamentava o uso do isqueiro, garantindo assim a protecção da indústria nacional da produção do fósforo. O espírito do Estado Novo está vivo.