Pornografia lusa

ERCporno

Existem instituições cruciais para manter o Estado de Direito. Depois existem instituições para manter as instituições do Estado de Direito. Finalmente, existem instituições sem qualquer propósito que não o de albergar demais parasitas que pululam pelas instituições, que nada servem, excepto aos próprios, mas que existem de direito. Depois existe a Entidade Reguladora da Comunicação (ERC).

Numa demonstração da sua imprescindível utilidade, a ERC asseverou que não existe porno nacional suficiente. Que é como quem diz, falta-nos um Nacho Vidal, sustenta a ERC, que o Capitão Roby está reformado. Imagino que tão grave constatação só possa ser resultado de estudos técnicos sobre o assunto. Falamos, portanto, de dois a três comités de investigação das grelhas de programação dos canais porno. Este tema atormentava profundamente qualquer pessoa razoável, mas hoje descansaremos — temos funcionários públicos, pagos com os abundantes recursos do contribuinte, a ver porno. Para nossa segurança e interesse nacional, claro está. E da Kleenex.

O parecer da ERC vem acompanhado de um receituário de políticas de promoção do porno nacional. O Estado deve ter um papel mais activo — ainda mais activo — na pornografia nacional, cumprindo com o seu desígnio histórico de sodomização do contribuinte. Exige-se, portanto, uma iniciativa nacional de investimento público no porno luso. Há que estimular os multiplicadores e o efeito reprodutivo. We’re all keynesians now. O efeito dos estímulos fará sentir-se, não no crescimento do PIB ou da receita fiscal, mas no crescimento de outros instrumentos de política macro.

Adicionalmente, o cumprimento das recomendações e normas sugeridas pela ERC requererá uma autoridade capaz de monitorizar a sua prossecução, e executar os procedimentos legais em caso de incumprimento. A Autoridade Nacional para o Usufruto Sexual. Competirá a esta autoridade garantir o cumprimento do comprimento mínimo nacional, entre outras quotas e regulamentações. Ao actor pornográfico luso exigem-se qualificações dignas de um equus lusitano.

Finalmente, existem diversas estrelas nacionais que reúnem as qualificações para integrarem as fileiras da ERC, a fim de garantirem o sucesso desta importante iniciativa de correcção das falhas do mercado porno, e demais imparidades que emurchecem a sociedade portuguesa.