Recapitulando…

1. A notícia de que Manuela Ferreira Leite estaria a par, desde Junho, da intenção da PT comprar a TVI surgiu ontem ao fim da manhã.

2. A notícia é baseada num escuta, à qual o DN teve acesso, segundo a qual a 27 de Junho, Rui Pedro Soares diz a Paulo Penedos que ambos foram vítimas de uma “cilada”, acrescentando: “A pessoa que mais sabia deste negócio era a Manuela Ferreira Leite”.

3. Soubemos hoje que essa escutas foram posteriores à data (25 de Junho) a partir da qual os investigadores do Ministério Público e da Polícia Judiciária de Aveiro consideram que, tendo sido informados de que estavam sobre escuta, Paulo Penedos e Rui Pedro Soares terão semeado conversas para confundir a investigação (ilibando Sócrates de uma eventual participação do negócio).

4. Escassos momentos após a divulgação da notícia sobre o eventual conhecimento que Manuela Ferreira Leite tinha do negócio, Pedro Passos Coelho apressou-se a reagir, publicando o Jornal de Negócios (com quem, por sorte, estava a almoçar) a sua crítica ao «Envolvimento de Ferreira Leite»: Falando ao início da tarde, num almoço-debate organizado pela Associação Comercial de Lisboa em parceria com o Negócios, Pedro Passos Coelho, um dos três candidatos à presidência do PSD, não poupou nas palavras em relação ao envolvimento da ainda líder do seu partido.

Se Pedro Passos Coelho «não poupou nas palavras» em relação ao «envolvimento de Ferreira Leite», decerto tem «poupado nas palavras» no que toca ao envolvimento de Sócrates no mesmo caso, ambos em pé de igualdade no que toca à fonte – as escutas. A duplicidade de critérios é evidente.

Recapitulando novamente…

1. Pedro Passos Coelho tem «poupado» o nome de Sócrates – quer no seu livro, no qual nunca é referido apesar dos vários capítulos sobre a actualidade política, quer na apresentação da sua campanha onde nem por uma vez qualquer tipo de responsabilidade governativa foi imputada directamente ao nome Sócrates, preferindo as críticas vagas e gerais.

2. Pedro Passos Coelho é o administrador do grupo Fomentinvest. e presidente do conselho de administração da HLC Tejo e da Ribtejo. A Formentinvest tem como sócios figuras envolvidas em escândalos financeiros: os construtores Irmãos Cavaco, acusados de burla qualificada no caso BPN (Passos Coelho também «poupou palavras» na “nacionalização” do BPN) e Horácio Luís de Carvalho, que está a ser julgado por corrupção e branqueamento de capitais no processo do aterro da Cova da Beira.

3. No processo de adjudicação do aterro sanitário da Cova da Beira, Horácio Luís de Carvalho é acusado de ter depositado 59 mil euros numa conta offshore de António Morais, o “célebre” professor de José Sócrates na Universidade Independente.

4. O concurso teve lugar quando José Sócrates ainda era secretário de Estado do Ambiente – e o actual primeiro-ministro chegou a ser investigado, mas no que lhe dizia respeito o processo foi arquivado em 2007.