Jerónimo de Sousa, o Novo Rico

Jerónimo de Sousa Capitalista.gif

Agradecemos ao nosso leitor MFA (Manuel Folque Antunes) o grafismo. Está excelente.

Quanto a Jerónimo, no fundo é apenas mais um “artista”. Apenas mais hipócrita.

Nota: para quem ler isto depois de 2019, aconselho: PCP, Sábado, Ana Leal com provas.

Anúncios

O Grande Derrotado

jeronimo-de-sousa

Perde as Câmaras de:

  1. Almada (!)
  2. Alandroal
  3. Alcochete
  4. Barrancos
  5. Barreiro
  6. Beja
  7. Castro Verde
  8. Constância
  9. Moura
  10. Peniche

Caríssimo Jerónimo,
Num governo de coligação, o partido pequeno tende a perder para o grande, pois as populações preferem sempre o original à cópia. Se o PCP se vendeu ao poder e assume as políticas hoje colocadas em prática pelo Partido Socialista, então para quê votar PC?
Mereceu. E ficará para a história como o Secretário Geral que entregou mais câmaras ao centrão.
Durma bem.

Pela minha parte fico satisfeito: sempre é uma viragem à direita e, se outras câmaras no Alentejo são algum indicador, este é o 1º passo para virem a votar PSD dentro de alguns ciclos eleitorais. Já era tempo de o PC perder força nas autarquias. Finalmente!

Solidariedade Com A Venezuela Bolivariana

PCP_LogoTranscrevo aqui a nota de imprensa do PCP publicada hoje sobre a derrota esmagadora do Partido Socialista Unido na Venezuela:

Tendo-se realizado as eleições legislativas na República Bolivariana da Venezuela, onde após 17 anos (e 18 actos eleitorais em que foram derrotadas) as forças contra-revolucionárias alcançaram a maioria dos lugares no parlamento, o PCP expressa a sua solidariedade às forças reunidas no Grande Pólo Patriótico e, nomeadamente, ao Partido Socialista Unido da Venezuela e ao Partido Comunista da Venezuela, com a confiança de que as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas encontrarão as soluções que defendam o processo revolucionário bolivariano e as suas históricas conquistas que tão importante repercussão têm tido na América Latina.

O PCP salienta que estas eleições se realizaram no contexto de uma conjuntura económica particularmente desfavorável em resultado da baixa do preço do petróleo e no quadro de grandes operações de desestabilização e boicote económico dos sectores mais reaccionários venezuelanos articuladas com a ingerência do imperialismo contra a Revolução Bolivariana.

O PCP alerta para a tentativa do imperialismo utilizar os desfavoráveis resultados eleitorais na Venezuela para intensificar o seu combate aos processos de soberania e progresso social que tem subtraído o continente latino-americano ao seu domínio e apela à solidariedade com os povos e as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas e de toda a América Latina.

Convém recordar que o PCP é um dos partidos que faz parte da Frente de Esquerda liderada por António Costa.

Medidas PCP para a Crise

O PCP decidiu parar de se esconder atrás de discursos generalistas e lançou 12 medidas concretas para Portugal neste momento de crise.

Aqui estão elas:

1 – Aumento dos salários – incluindo aumento do salário mínimo nacional no imediato para 515 euros, reposição efetiva dos cortes salariais e dos subsídios de férias e de Natal na administração pública.

2 – Aumento das pensões, através de uma atualização extraordinária, com particular incidência nas pensões mais baixas, aumento este que não pode ser inferior a 25 euros.

3 – Alargamento do acesso ao subsídio de desemprego, aumento da sua duração e dos seus montantes.

4 – Reposição do abono de família retirado às crianças pelas alterações efetuadas pelo anterior e pelo atual Governo, repondo a totalidade dos escalões para efeitos de atribuição do abono de família e a majoração em 25% nos 1º e 2º escalões, avançando no sentido de garantir a sua universalidade;

5 – Congelamento do preço dos transportes e anulação dos aumentos verificados em 2012 e 2013.

6 – Retoma do processo de preços regulados, visando a diminuição do preço dos combustíveis para valores compatíveis com as necessidades das famílias e da economia.

7 – Estabelecimento de um preço máximo para 2013 num conjunto de bens essenciais básicos alimentares e de higiene, designadamente anulando os aumentos de IVA que sobre eles tenham incidido.

8 – Congelamento dos preços e anulação dos aumentos processados em 2013 de serviços essenciais, incluindo designadamente a eletricidade, o gás e as telecomunicações básicas.

9 – Congelamento dos aumentos das portagens e anulação dos aumentos já verificados em 2013 e eliminação das portagens nas ex-SCUT.

10 – Anulação do aumento anual das rendas e revogação da nova lei do arrendamento.

11 – Anulação dos aumentos das taxas moderadoras nos últimos dois anos.

12 – Reforço dos meios de ação social direta e indireta, para garantir a frequência e o sucesso escolares aos estudantes do ensino superior.

Assembleia da República, em 17 de Janeiro de 2013

Mas descansem, pois…

Continue a ler “Medidas PCP para a Crise”