A Teia da Família Socialista

Parece uma mapa estelar, mas o facto é que se torna cada vez mais complicado desenhar a teia da família socialista – cada vez maior e mais complexa.

Com os devidos créditos ao Alexandre Afonso, deixo aqui então o mapa da Teia da Família Socialista, que dada a sua extensão, só pode ser devidamente apreciado clicando na imagem e fazendo zoom.

Porreiro, pá.

Anúncios

A Força do Amor

Sobre a força do nepotismo amor, recomenda-se a leitura do artigo de João Miguel Tavares no jornal Publico intitulado Duarte ♥ Susana ♥ Pedro ♥ Catarina ♥ António.

A gente às vezes já não sabe bem se isto é um país, se é um sketch do programa de Ricardo Araújo Pereira. Então não é que depois de descobrirmos, na semana passada, que a mulher de Pedro Nuno Santos foi nomeada para o governo por Duarte Cordeiro, descobrimos, esta semana, que a mulher de Duarte Cordeiro foi nomeada pelo governo para coordenar um fundo de 55 milhões de euros acabadinho de criar?

[…]

Depois disto, bastará continuar a assobiar para o ar e a cantarolar o “Burbujas de Amor”, que em última análise são poucos aqueles que realmente se chateiam com as regras aborrecidas das democracias civilizadas. Por cá, aquilo que mais importa é a poesia do amor, e o amor, como está na Bíblia, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. Por favor, não inventem boas práticas éticas que o passam abalar. Pedro amava Duarte que amava Susana. Duarte amava Pedro que amava Catarina. Todos amavam António, desde os tempos da Câmara de Lisboa. O António foi para o Governo. O Pedro foi para o Governo. O Duarte foi para o Governo. A Catarina foi para o Governo. E a Susana foi nomeada pelo Governo. Felizmente, ninguém ficou fora desta história. Tal é a força do amor.

A Dinastia Socialista Continua a Sua Expansão

Reconheço três competências-chave (core competencies) aos socialistas:

  1. Criar novas taxas, taxinhas e impostos (locais, nacionais, europeus, …); assim como aumentar taxas, taxinhas e impostos existentes.
  2. Fazer boa propaganda: distorcendo e manipulando os factos, fazendo passar por exemplo a ideia de que se virou a página da austeridade, ou que 35 horas na função pública não acarretam custos adicionais, ou que Portugal é líder na execução dos fundos europeus, ou que Portugal tem feito um grande investimento ferroviário, …
  3. Expandir a presença da sua família socialista no aparelho de estado a nível local e nacional.

Em relação ao ponto 3 referido acima, está na altura de actualizar o organigrama do governo a àrvore genealógica da dinastia socialista.

Desta feita, trata-se da mulher de Pedro Nuno Santos (o tal que ia colocar as pernas dos banqueiros alemães a tremer) que foi nomeada chefe do gabinete do sucessor do marido (fonte).

Como bem diz o Rui Rocha, a a genealogia da dinastia socialista começa a ficar tão ou mais complicada do que a àrvore genealógica do livro Cem Anos de Solidão.

Visualização complementar: Nepotismo em Portugal (Sexta às 9)

Dinastia Socialista

Não resisto a partilhar o tweet abaixo da Cátia Domingues.

Leitura complementar: Quantas relações familiares do PS há no Estado?

Visualização complementar: Nepotismo em Portugal (Sexta às 9)

Questões de Memória (2)

“Bovarismo” de Filipe Nunes Vicente (Corta-Fitas)

É conveniente não esquecer que muitos dos que hoje se manifestaram exigindo a saída de Relvas são os mesmos que assinaram a petição para destituir Cavaco por delito de opinião ( uma comatosa ideia saída da constitucional e rigorosa cabeça de Isabel Moreira). No passado ficaram em casa enquanto dezenas de socialistas entregavam o país aos amigos e aos financiadores do partido.

O bovarismo, depois de Flaubert, ficou conhecido, no meio mundo entre a psicologia e a literatura, como o sintoma dos que se imaginam diferentes do que são. Emma Bovary imagiva-se nos braços de Lancelot, os nossos manifestantes imaginam-se agentes purificadores. O bovarismo deles é um mundo em que os únicos beneficiados são eles e as sua crenças. No entretanto acendem fogueiras imaginárias.

LEITURA COMPLEMENTAR: Questões de Memória