Quem paga os salários na NAV?

Se são os tais internacionais, tudo bem. Se formos todos nós, então… azarito.
Se não concordarem, estão à vontade para mudarem de país.

A propósito das greves na NAV e na TAP

O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, está a pensar em recorrer à requisição civil para combater os previsíveis prejuízos das novas paralisações anunciadas pela NAV e o Sindicato de Pilotos de Aviação Civil

À semelhança do que fez Reagan nos início dos anos 80, faz algum sentido decretar a requisição civil dos controladores areos. Justificar-se-ia até que fosse aprovada legislação que impedisse ou condicionasse as greves dos controladores à manutenção da navegação em segurança no espaço aereo nacional.

Já quanto à greve dos pilotos da TAP não faz qualquer sentido nem estou a ver que motivos poderia alegar o governo para impedir a greve. Aliás, a questão só toma uma dimensão nacional e de estado porque teimosamente e contra qualquer tipo de racionalidade económica e bom senso os sucessivos governos têm adiado a privatização companhia aérea. À custa dos contribuintes, é necessário recordar. Em suma, a solução para a TAP não é a requisição civil mas a sua rápida privatização. Quem deseja manter “companhias de bandeira” que o pague do seu bolso e não com o dinheiro dos contribuintes.