É Rey uma Mary Sue?

Obviamente que sim.

Para mim Kathleen Kennedy é uma anedota como produtora (não vale a pena, eu li) e está a fazer dos mais recentes Star Wars os filmes mais SJW de sempre naquele universo. Não sinto que preciso de justificar o carácter SJW dos filmes SW na era Disney, mas para os mais distraídos: todos os maus são brancos: Kylo Ren, Snoke, Hux, Kaplan, …; todos os bons são de minorias ou mulheres: Rey (mulher), Poe (latino, da Guatemala), Finn (afro), Leia (mulher), Maz Kanata (mulher, afro) Rose Tico (mulher, chino) e a liderança da resistência é Leia e Holdo (ambas mulheres, óbvio).
Os únicos heróis brancos que restavam morreram no VII (Han Solo) e no VIII (Luke). O único branco apresentado no VII morre de seguida (Lor San Tekka).
O mesmo se passando claro no Rogue One: Jyn Erro (mulher), Cassian Andor (latino – Mexico), Chirrut Imwe (chino), Baze Malbus (chino), Saw Gerrera (afro), Bodhi Rook (indiano). Os maus, adivinharam, são brancos: Tarkin, Orson Krennic, …
A linguagem é do mais PC que há. Uma pessoa que não diz um palavrão como eu enjoa.
As imagens obviamente mostram sempre os heróis em esforço ou a sorrir e os brancos, perdão, os maus com ar mau e distantes, aparentemente prontos para entrar numa escola e começar a disparar sobre todos.
O VII é obviamente uma repetição do IV e o Rogue One é um 3.9 que arruina partes do IV (por exemplo, torna o início do IV ridículo quando a Leia afirma que não tem os planos e o Vader SABE que ela os tem.

Mas o mais ridículo de tudo para mim é o quão Mary Sue a Rey é. Porquê? Bem, vejamos:

  1. O começo de Luke é como um jovem, irascível, desfocado, preocupado mais com o seu amigo Biggs do que com o mundo de fora (vejam as cenas cortadas do IV), e até preguiçoso. Rey, obviamente é uma jovem cheia de qualidade, limitada pelo seu ambiente mas com força de vontade (Cinderela?) e obviamente super altruísta (salvando o BB8 e não o vendendo por uma boa maquia)
  2. A primeira luta de Luke acaba com ele empurrado no chão, salvo da morte certa por Obi-Wan, salvo na Cantina por um velhote – ridículo. A primeira luta de Rey acaba com ela a livrar-se de dois rufias sozinha.
  3. O primeiro force pull de Luke: difícil, concentra-se para se salvar do Wampa em Hoth, a 1 metro de distância.o primeiro de Rey? Saca de 1 sabre na luta com Kylo Ren a metros e metros de distância.
  4. O primeiro uso de um lightsaber de Luke, o filho do escolhido, é indigno de um padawan – incapaz de se defender de um droid de treino acaba gozado por Han Solo. O primeiro uso de um lightsaber por Rey? Acaba com ela a derrotar mais exímio dos lutadores de sabre do lado negro, que tinha treinado durante anos com Luke e tinha recebido treino complementar de Snoke, marcando-o na cara.
  5. Mind control. Luke, só no VI e fraco. Rey, sem treino, sem saber como até, obtém domínio total. Desvaloriza o conceito. Nojo.
  6. Levantar objectos. Luke tem uma prestação miserável em Dagoba. Rey no VIII é só facilidades.
  7. Quem sabe pilotar melhor o Millennium Falcon no episódio VII? Se responderam Han Solo, responderam mal: Rey pilota melhor. Ah, e não só pilota melhor como conhece melhor a nave para identificar o que se passa de mal com esta.
  8. Snoke tinha guardas para quê, quando há uma Rey por aí?
  9. Nadar? No problemo para a menina criada num deserto.
  10. Perigo? Adversidades? Ferimentos? Falhas? lol

Podem ler contra argumentos de 2015 na Vox e na Verge e de 2017 na Forbes. Têm o resto da internet para ver inúmeras versões do que está acima. Esta é só um ex. Este não 🙂

lucas-force-awakens-rey-mary-sue

Anúncios