Headllines Isentos e Imparcias

A nossa comunicação social é muito boa a arranjar títulos. Em relação à venda da TAP – que me parece um excelente negócio dadas todas as condições, restrições e incertezas – foram estas as headlines que o jornal Público e o jornal Expresso acharam mais apropriadas para as suas páginas online.

Publico_Privatização_TAP

Expresso_Privatização_TAP

Ouch

Margarida Bon de Sousa sobre a Carta de Passos Coelho à Troika.
Frases que não estava à espera de ler:

 Uma incógnita: se se mantêm ou não as condições principescas de reforma atribuídas a alguns trabalhadores das carreiras especiais, incluindo os juízes do Tribunal Constitucional, os únicos que se podem aposentar aos 40 anos com 10 anos de serviço.

E no final:

Trabalhar no Estado compensa cada vez menos e quem não está preparado para se adaptar deve ponderar seriamente se esta não será a melhor altura para se ir embora. A partir de agora, é só a descer.

Fica a pergunta: o que é que a senhora jornalista anda a ler? Deve ser alguma coisa revolucionária para ter assim estes 2 desvios da doutrina habitual… Criticar assim um Órgão de Soberania, ainda por cima que acabou de tomar uma decisão em favor dos “trabalhadores”? Assumir o fracasso da luta de classes e da incapacidade da sua contínua força pela preservação dos “direitos” dos favorecidos, perdão, dos trabalhadores da função pública? E a ortodoxia? E os seus princípios?

Quer dizer, um dia destes ainda vemos alguém a fazer as perguntas que ninguém faz quando um político qualquer faz uma promessa em Portugal: Quanto Custa? e Quem paga?