Em permanente campanha pelo aumento do desemprego

Jornal de Negócios

A CGTP apresenta hoje dez medidas de combate ao desemprego que passam, nomeadamente, pelo aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) e das prestações sociais, como forma de promover o consumo interno e dinamizar a economia.(…) Numa altura em que a taxa de desemprego em Portugal se situa nos 14,9%, de acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) referentes ao primeiro trimestre do ano, a CGTP defende a redução do horário de trabalho “para as 35 horas semanais, sem adaptabilidade e sem redução de salário”.

Confesso que tenha alguma dificuldade em hierarquizar as propostas da CGTP pelo número de pessoal que iriam lançar para o desemprego. Porém não resta qualquer duvida quanto ao seu elevado poder destrutivo. Especialmente quando conjugadas.