Merkel defende Ivanka a representar na G20

Merkel, a responsável pela organização da conferência, defende a presença de Ivanka a representar os EUA no G20, conforme aqui reportado. Parte final do artigo:

“Ivanka Trump was part and parcel of the American delegation, so that is something that other delegations also do. It’s very well known that she works at the White House and is also engaged in certain initiatives.”

A photo of the first daughter sitting beside British Prime Minister Theresa May and Chinese President Xi Jinping surfaced on Twitter, drawing some criticism, including from aides to former President Barack Obama.

Cabinet officials typically replace the president at high-level sessions when a stand-in is needed. Ivanka serves as an unpaid adviser to her father in the White House.

“Ivanka was sitting in the back and then briefly joined the main table when the president had to step out,” a White House official said in response to the photo.

The topic at hand reportedly concerned one of Ivanka Trump’s projects, the World Bank finance initiative for women entrepreneurs.

Ou seja: 1) é habitual, 2) foi por breve período, 3) foi num assunto que ela conhece bem.

Curiosamente as críticas vieram de Obamistas, geralmente defensores da igualdade para as mulheres… até que a mulher elevada seja uma de direita.

IvankaAndFriendsAtG20

Anúncios

Exemplar

Está no ADN dos políticos a incapacidade (ou pelo menos a tentação) de assumir os seu próprios erros. Se Sócrates culpava a UE pela crise doméstica, Durão Barroso culpa os EUA pela crise na UE. Indepedentemente da sua origem, a crise financeira veio por a descoberto as fragildades de algumas regiões, países e instituições. E atitudes como as de Sócrates e Barroso são exactamente a razão pela qual se perde tanto tempo a atacar “homens de palha” e a aplicar remendos inúteis em vez de se avançar para as soluções eficazes. Para terminar, registo mais uma vez, a sobranceria dos líderes da UE que mesmo perante o colapso das suas economias e das instituições comunitárias continuam a pretender dar lições ao mundo acerca da superioridade do “modelo social europeu”. Não aprendem.

Como as coisas mudam

O presidente da Comissão Europeia disse hoje que a União Europeia não está em Los Cabos, México, para receber lições em termos de democracia ou de gestão económica dos seus parceiros do G20, alguns dos quais nem são democracias

Nos idos 2008 perante um crise que na altura parecia confinada aos EUA os lideres da UE faziam prelecções acerca da superioridade do “modelo social europeu”, o novissimo “fim da História”. É chato estar do outro lado, não é?