Demora muito?

Públco

O aviso foi dado pelo vice-presidente do grupo parlamentar do partido de Angela Merkel, Michael Fuchs, em declarações ao jornal diário Handelsblatt, numa entrevista que será publicada na segunda-feira.

De acordo com o responsável, a Alemanha está preparada para recorrer ao seu poder de veto, caso entenda que a Grécia não está a cumprir o acordado com os credores internacionais (União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu).

Dois terços dos alemães são austeritários

Diário Económico

De acordo com uma sondagem divulgada hoje, quase 66% dos alemães não concorda que se dê mais tempo a Portugal, Grécia e Espanha para cumprir as metas acordadas com a troika.(…) A poll da ZDF-Politbarometer, citada pela Reuters, também mostra que 63% dos alemães apoia a forma como a chanceler Angela Merkel tem gerido a crise de dívida(…).

Mais de metade dos alemães também não concorda com a mutualização da dívida na zona euro.(…) A mesma sondagem mostra que o partido conservador de Merkel continua a ser o mais popular na Alemanha, com um apoio de 36% dos sondados, dois pontos percentuais acima da última poll, de Maio

Grécia não quer dinheiro Europeu?!?

De acordo com esta notícia, a Grécia parece preferir o sistema SBA (sistema de betão armado) ao ABS? Passo a explicar:

O 1º Ministro Grego, cansado de impor as medidas de austeridade aos seus concidadãos, pede agora que eles escolham entre estas e a alternativa, para os co-responsabilizar pela decisão. Ou seja, os Gregos vão ser chamados para votar nas 2 alternativas:

– Medidas de Austeridade: vão ter de travar a fundo com as despesas, aumentar a carga fiscal e tentar conter o défice enquanto existe um balão de ar disponibilizado pelos restantes países Europeus.

– Caso contrário: no sistema betão armado, a economia bate contra uma parede e pára de brusco. Sem dinheiro dos mercados ou dos parceiros Europeus, o Estado colapsa, deixa de ter dinheiro para pagar salários, pensões e subsídios vários. Provavelmente sai do Euro e quiçá da União Europeia. Pode demorar mais algum tempo a recuperar do que a Argentina, mas eventualmente os Gregos sairão do fosso, mas agora com pensões e salários adequados à sua (baixa) produtividade e transportes adequados às suas posses.

O 1º Ministro grego, cansado das greves e do conflito social joga tudo. Vamos ver como corre, pois Portugal ainda está na zona de perigo e um derrape grego pode afundar a confiança dos credores em emprestar a países que ainda estão longe de equilibrar os orçamentos estatais…

Socialistas já admitem pedido de ajuda à UE/FMI

Afinal, estamos em “Emergência”

Francisco Assis: “Uma situação de emergência exigirá soluções de emergência. A situação é de emergência sob vários pontos de vista porque o quadro político é aquele em que vivemos, com um governo de gestão, não podemos ignorar essa situação a dois meses da realização de eleições”.

Claro que o que hoje é óbvio, ontem era inadmissível…