Mulher ganha concursos caninos (UK)

Homem transgénero identifica-se como cão

Tony McGinn nasceu mulher, mas é um homem transgénero que se identifica como cão. E é treinado pelo seu marido, Andrew: “Eu dou-lhe muita atenção e digo que ele é um ‘lindo menino’.”
Progresso, dizem eles. Enfim…

Welfare Chauvinism & Die Linke

Preocupados com a subida nas sondagens da AfD – e com a sua queda – a esquerda alemã resolveu finalmente uma incoerência no seu interior: ninguém no seu perfeito juízo pode ser simultaneamente 1) pelo crescimento do estado social e dos direitos que este garante e 2) pela imigração e portanto pela multiplicação exponencial dos potenciais receptores de tal welfare.

A extrema direita já há algum tempo que defende o “chauvinismo do estado social” – ou seja, a concentração dos benefícios em quem para eles contribuiu. A extrema esquerda alemã defende agora a mesma posição. Aparentemente entre os eleitores alemães e os não-eleitores refugiados, um partido que procura votos escolheu os primeiros.

Se conseguirem ler sem enjoar o People’s World, aqui fica um dos artigos em inglês a cobrir esta nova versão do socialismo. Excerpto:

Wagenknecht, however, rejects the totally open borders approach that die Linke has held.

She said recently: “The politically sensible dividing line is not between AfD resentments and the general morality of a border-free welcoming culture. A realistic left-wing policy equally rejects both of these maximum demands. It supports many in public life who voluntarily helped provide for the integration of the refugees. But at the same time, it does not leave it up to gangs of criminal traffickers to dictate to us which human beings are to be brought illegally into Europe.”

Asked if this view did not mean abandoning the left-wing commitment to internationalism, she replied: “On the contrary, internationalism means fighting for a more just world economic order. It is those who plunder the natural resources of poorer countries, who supply weapons to conflict regions and dictate unfair trade treaties who are being nationalist. We reject that. Internationalism does not mean luring away the middle classes of poorer countries in order to push down wages here. In a world with no borders, it is the multi-national corporations who have the power. At present social leveling and democracy can only function within single countries for there are no levers on a global level which can be used. The countries must, of course, protect their citizens from the competition of job dumping.”

Relação Esquerda – Narcisismo

Tammy Bruce faz aqui um ponto muito interessante, ainda antes da era Obama:

Em bebé alguns de nós obtém validação dos que os rodeiam. Os restantes  não têm e têm de a criar, sobrevalorizado-se. Para estes, muito do que se passa no mundo passa-se por causa deles. Se não se passar devido a eles, isso é visto por esses narcisistas como um ataque à sua identidade. Isso justifica o velho adágio: “se uma pessoa de direita não concorda com uma prática, não a faz; se um esquerda não concorda com uma prática, procura que o estado a proíba”.

Muita coisa faz agora sentido, no modo infantil como muitos esquerdas esganiçados tentam impor a sua visão. Pobres criaturas.

Como a esquerda vai comemorar o Aniversário da Eleição de Trump?

Como é que a esquerda mais marada vai passar a noite do… inimaginável e inacreditável (para eles) aniversário da eleição de Trump?
Conseguem imaginar?

Gritando para o céu

Scream helplessly at the sky on the anniversary of the election – Boston (Evento original, com 4400 pessoas), Nova Iorque (2200), Filadélfia (554), Austin (539), Dallas (181), Corning NY (120), Rochester NY (61), Chicago (20, lol), Miami (13), Vermont (13), América (21), Votem antes (2).

22788656_1169281703173595_888455850460446223_n

You can’t make this stuff up!
Dia 9 os vídeos estarão no YT.

Esquerdas de Ponta – Bugchasing

Há uma grande discriminação nas sociedades ocidentais contra os portadores de doenças. É uma discriminação e é importante resolveres-te-la. Poderíamos por exemplo tentar integrar os portadores de HIV/SIDA no nosso meio e ter relações normais com eles, pois o vírus só é transmissível por via sexual. Seríamos assim Bons Samaritanos.

Mas isso já não é hedgy o suficiente. O chique agora é ser Bug Chaser.

Sim, o objectivo é tentar fazer sexo com o maior número possível de pessoas infectadas com o vírus HIV com o objectivo de contrair a doença.
Já sabem que não estou a brincar, por isso aqui ficam alguns links onde podem ler mais sobre o tema (tudo em inglês):sida_2

E sim, eu sei que o fenómeno é antigo, mas só agora é que começa a haver uma comunidade significativa de praticantes, fruto de uma narrativa SJW de integração.
Para que não vos falte nada, aqui ficam exemplos da ligação deste fenómeno aos SJW:

Nota: Não confundir com bareback sex, prática em que não há intenção, logo é só desejo carnal e não há o desejo de integração implícito no bugchasing. Nem confundir com gift-giving, que neste contexto é o oposto (um HIV+ que oferece sexo desprotegido a quem quiser, publicitando o facto e usando-o como “isco”). Outros termos semelhantes.

Portanto, já sabem: Virtue signalling é algo que não conhece limites!

Esquerdas de Ponta

Para o leitor que baseie o seu conhecimento do mundo naquilo que vê na televisão, sobretudo da portuguesa, imagino que algumas notícias que venham do exterior pareçam extremas, ou até impossíveis. Certamente serão “Fake News”!

Stepping Stones on LakePara aqueles de nós que “vivem na internet”, o que se passa cá são apenas pequenos passos num caminho que vai muito mais longe. Conhecendo o lago de possibilidades e as pedras até lá, aquela pedra ao fundo não parece impossível, mas apenas um estado mais avançado que Portugal poderá atingir.

Como exemplos passados, já publiquei a aprovação de uma Associação de Pedófilos, ou a proposta de instaurar Abortos Pós-Natal. Ou ainda os Trash Vegans. Ou o artigo de hoje, sobre o limite do virtue signalling: o BugChasing.

Bem, como os legacy media gostam de vos dar isto em pequenas doses crescentes para que o povo não se aperceba do lento deslizar da sua opinião, eu planeio criar uma série de posts chamada “Esquerdas de Ponta“. Para ver os restantes artigos desta série, criada hoje, basta clicar no tag (de novo: “Esquerdas de Ponta“) e verão quão longe certas pessoas vão na sua loucura ideológica.

Have fun…

Esquerdas Coerentes: Aborto Pós-Natal

Na reputada revista científica Journal of Medical Ethicsespecialistas na área defendem o Aborto Pós-Natal, ou seja, após o nascimento do feto, como noticiado aqui no Telegraph.

Se bem que não é um assunto económico ou habitual para mim, deixo aqui algumas notas sobre o tema:
1. Discordo em absoluto do Aborto, Pré-Natal ou Pós-Natal.
Na verdade acho mesmo execrável a ideia. E não tenho como humanista quem a defenda…
2. Aceito que uma certa esquerda defenda também esta opção, em coerência com o que disse anteriormente.
Obviamente, a minha opinião sobre esta esquerda que concorde com esta medida não vai melhorar…
3. Aceito que alguns se comovam e achem isto demais, havendo uma cisão no movimento pró-infanticídio.
Neste caso, estarão a ser incoerentes, mas ao menos terão um mínimo de dignidade…
4. Como Minarquista, acho que uma das poucas atribuições do Estado é defender a vida dos cidadãos. Todos.
E sim, a vida começa na concepção pelo que, como Ron Paul, sou a favor da intervenção do Estado aqui!
5. Acho deplorável que “cientistas” escrevam o que aqui foi escrito. É de facto uma profissão em crise.
O relativismo instalado está a atingir um ponto que eu penso que terá consequências num futuro próximo.

Post Script: O Público noticiou este assunto aqui.

5 Pistas de Esquerdismo Profundo

Você sabe que sofre de Esquerdismo profundo se tem diversos dos seguintes sintomas:

1. Personificação de Colectivos – Culpa os males do mundo a entidades que não existem como “A Sociedade”, “A Economia de Mercado”, “O Mercado de Trabalho”, “A Pobreza” ou “Esses Capitalistas” (que eu nem sei quem são, pois se há inimigos do capitalismo são esses que geralmente são referidos nestas situações). Se chega ao ponto de usar estes substantivos colectivos como sujeitos de frases, tipo “O Mercado de Trabalho é que obrigou o Joaquim a aceitar aquelas condições” ou “A Pobreza existente neste país levou a que ele ter de trabalhar em 2 empregos”, então… Obviamente estas frases são apenas destinadas a esconder os verdadeiros culpados, desresponsabilizando-os, e não permitindo atacar verdadeiramente o problema. Ou por preguiça intelectual, ou por incapacidade de compreensão da situação.

2. Atracção pelos Paradoxos – Ciências que lidem com fenómenos a escalas muito pequenas ou muito grandes (física, química, astronomia, entre outras) muitas vezes chegam a resultados contrários ao que parecia a uma pessoa simplesmente usando o senso comum. Aparentemente, isto preparou a mente de algumas pessoas para aceitar que eventos muito mais banais e à escala humana também deverão na verdade ser explicados por uma teoria contrária à percepção comum. Aceitar o senso comum traz consigo o rótulo de ingénuo, enquanto que preparação para o contrariar é a marca do sofisticado.
Exemplos: Punição não desincentiva, Casamento é como Prostituição, Machos são inerentemente iguais a Fêmeas, Indivíduos a livremente realizarem contratos estão a ser coagidos mas adquirir sapatos do único fornecedor numa loja soviética era liberdade, a inteligência é irrelevante para o sucesso na vida e qualquer aluno pode atingir qualquer nível se o seu professor acreditar que ele pode, dar dinheiro a mulheres por terem filhos ilegítimos desencoraja-as de terem filhos ilegítimos, taxar algo – como o trabalho – leva a que haja mais disso, Estaline e Che Guevara eram tipos porreiros.

3. Sentimento de Missão – Inveja, Culpa, Identificação com o Fraco, a Perspectiva de Gerir a Máquina Estatal, … muitas podem ser as causas para desejar expandir o Estado. E claro desejar ser quem o faz, ou pelo menos estar próximo de quem o faça. Este sentimento é fundamental e, claro, tem que ser tudo menos racional, resistindo a todo e qualquer argumento sobre as falhas do Estado.

4. Sentimento de Revolta – Sem o correspondente desejo de resolver a situação por si, claro. A culpa da sua situação não é sua (como visto no ponto 1). A riqueza existente neste mundo é fixa (o crescimento económico não existe e o crescimento do PIB é só devido à Inflação) e portanto alguém ficou com a sua parte. Provavelmente uma daquelas pessoas que têm muito dinheiro e que não faz mais nada senão receber juros do mesmo – sendo ele cada vez mais rico e os outros cada vez mais pobres. Sim, é mesmo isso. Até porque os camaradas (que percebem tanto de criação de riqueza como a “vítima”) confirmam.

5 – O que é meu, é meu. O que é teu, é nosso. – Obviamente. Dúvidas?

Por fim, fica um pequeno estudo da Anatomia de um verdadeiro “Avantis Camaradis”.

Sobre o Ponto 2, deixem-me só acrescentar: os sexos parecem ser diferentes, portanto são o mesmo; homens e mulheres parecem ligar-se devido a emoções profundas, por isso a sua ligação é meramente comercial; sexo com outro homem é nojento e repulsivo para heterossexuais, por isso uma personalidade heterossexual é igual à homossexual; as línguas ocidentais são fonéticas, por isso devem ser ensinadas por imagens, como se fossem Chinês; o Capitalismo levou à prosperidade onde quer que foi usado, por isso deve ser mau – o Socialismo nunca funcionou, por isso deve ser bom; ninguém força ninguém a assinar contratos, por isso eles não são livres; sobre o Socialismo, não somos autorizados a escolher nada, por isso somos livres; todos temem morte, dor e perda de propriedade, portanto ameaças de morte, dor e perda de propriedade não afectam o comportamento; algumas pessoas não percebem certos conceitos por mais detalhada e lentamente que eles lhes sejam explicados, por isso a culpa é de quem lhes explica; as pessoas ficam desmoralizadas quando aquilo que é deles lhe é retirado, por isso aumentar impostos fazem-nas trabalhar mais (curva de Laffer invertida =]); Estaline e Che Guevara mataram milhões de pessoas dos seus próprios povos, por isso seriam bons chefes.

Referências: Michael Levin, The Era of Deadly Error (MP3), Anatomias (Recomendo fortemente!)

Coreia do Norte: os Verdadeiros Ambientalistas!

Encontrei um artigo de 2009 verdadeiramente humorístico, que podem ler AQUI.

Earth Hour was a world-wide event which let conscientious environmentalists symbolically vote for preserving the environment by turning off their lights for an entire hour. No one, however, went to the heroic lengths of North Korea. Just look at this satellite picture comparing the indifferent, environment-wrecking people of South Korea versus the caring, Gaia-nurturing people of North Korea.

Wait, it gets even better…

In writing this post, I found out that North Korea celebrates Earth Hour every hour of every night and has done so for decades! North Korea was the industrialized area of Korea at the end of WWII, but over the last 70 years they have bravely chosen to wean themselves from pollution-vomiting factories, the consumption of fossil fuels and unsustainable machine- and artificial-fertilizer-based agriculture. Of course, it goes without saying that they don’t use genetically engineered frankenfoods.

Just look at this picture of progressive North Korea surrounded by more-gluttonous societies.

I think I speak for all environmentalists when I say that the methods that produced the level of sacrifice, organization and willpower exhibited by the North Koreans are methods that all real environmentalists would like to see extended to all the nations of Earth. 

Vote Green! If enough people do, we will all end up living the same kind of environment-respecting life as the people of North Korea!