A internet não elegeu Trump

Lido no Slate, um site de notícias do mais esquerda que há nos EUA:

Maybe Trump Isn’t the Internet’s Fault, After All

A new study shows Trump did best among voters who were extremely offline.

For all the hand-wringing about fake news, Russian trolls, Infowars, and Cambridge Analytica, the internet may not have helped elect Donald Trump after all. That, at least, is the strong suggestion of a new study from economists at Stanford and Brown universities.

Já disse a várias pessoas em conversas presenciais que eu tinha esta ideia, mas até ontem não tinha acesso a um estudo que corroborasse essa minha sensação. Agora surgiu: a vitória de Trump foi baseada nos votos dos Republicanos, no domínio de Trump na ciência da persuasão, e na desilusão de Democratas que se recusaram a votar em Clinton nos estados decisivos. A eleição foi decidida fora das grandes cidades, sobretudo no rusty belt. Por causa da internet? Acham mesmo?

Trump.jpg

 

 

Esta capa é ridícula

Time Trump child

Trump tem defeitos e cada um pode gostar dele ou não por diversos motivos. Tem aspectos que eu gosto (anti-politicamente correcto) e que e não gosto (política proteccionista que lhe rendeu a Casa Branca no Rust Belt).

Agora, colocar na capa um tema de 2014 como se fosse novo, absolvendo Obama e nazificando Trump, que é essencialmente um problema legislativo e que o Partido Democrata não quer resolver pela via legislativa (Nazis também?) é mau jornalismo.

A situação só se agrava quando se sabe a foto da história da capa:
A criança é hondurenha, a mãe deixou as outras 3 crianças com o pai, pediu asilo por motivos políticos sem base real para tal, nunca foi separada da filha, e o choro deve-se a cerca de 3 minutos de conversa da mãe com um polícia, por acaso latino. Ah, e mãe e filha estão juntas. Podem ver Ban Shapiro sobre esta foto no seguinte vídeo:

Para quando uma oposição séria com base em verdades?
PS: E as lágrimas a pedido da Rachel “mad dog” Maddow? Triste.

Faz hoje 1 Ano

mockup

Hillary Clinton perdeu a eleição mais surreal, mais absurdamente cara, e mais ridícula que eu me lembre.

Donald Trump nunca foi o meu candidato preferido (preferiria Ron Paul ou, dos disponíveis em 2016, Rand Paul), mas foi um candidato muito melhor que Hillary.

Que os apoiantes de Hillary tenham sido tão desligados da realidade que não tenham visto a real possibilidade de ela perder, só torna a sua derrota mais engraçada.

E que os mesmos apoiantes tenham reagido de forma tão exagerada, tão sentimentalista, tão irracional, tão Over The Top, só tornou a sua derrota Hillary…ante! 😀

Fiquem com as melhores compilações e as melhores reações.

Continue a ler “Faz hoje 1 Ano”

Como se vestirem para o Halloween?

Se são brancos e se vestem a vossa filha de uma princesa branca (Elsa ou Ana, por exemplo), isso é esfregar privilégio branco na cara de todos. Etnocêntricos!
Se são brancos e vestem a vossa miúda de Tiana ou Moana, isso é apropriação cultural.

Se a vossa filha infringe um dos erros anteriores, vocês serão responsabilizados.
Se a vossa filha quiser mudar de sexo, isso é assunto exclusivo dela.

Podem ver aqui Ben Shapiro a descrever toda esta loucura (Ben Shapiro, Cosmopolitan):

Moana Disney Princess

O livro de Hillary – 2 versões de 1 Resposta

Há 2 formas de ver a questão:

  1. O livro tem a pergunta e a resposta na capa: O que aconteceu? Aconteceu Hillary Clinton, que era tão fraca tão fraca que perdeu contra o candidato com menos apoio na história.
  2. O livro tem uma pergunta, falta apenas o livro com a resposta… e Trump um dia lançará o seu livro de memórias com o título “I Happened”.

Foi Hillary que perdeu? Foi Trump que mereceu vencer? Eu inclino-me mais para a 1ª opção, mas a história será a melhor juíza.

What happened - I happened