Inspecção de Educação convoca pais

Isto é algo surreal quando os tribunais têm dito sucessivamente que não há limites territoriais nas inscrições. E sobretudo porque não falta aí escola do estado em que as famílias inventam moradas para arranjar uma escola mais conveniente (usando os legítimos critérios que cada família encontra de acordo com o seu projecto educativo).
Eu se fosse fã destas técnicas pidescas poderia indicar casos concretos.

Acabem com os contratos de associação

Pais, alunos, professores e restantes colaboradores de escolas privadas com contratos de associação falam de liberdade de escolha. Errado! Não há liberdade de escolha na Educação. Tiveram apenas a boa sorte de viverem em localidades com insuficiente oferta de escolas públicas. Ou até, nos casos de escolas privadas ineficientes, má sorte…

Agora que Estado construiu novas escolas (agradecia que explicassem este gasto!) e/ou há menos alunos (por razões demográficas, que também obriga à redução do número de professores) alguns contratos de associação deixam de ser necessários.

Certamente houve muitas pessoas que incluíram na decisão da compra de casa os bairros que estavam inseridos no âmbito desses contratos. Também acontece o mesmo para as escolas públicas melhor classificadas no ranking (resultantes de exames que sindicatos desejam exterminar). Mas a maioria dos portugueses não tem a sorte de viver numa dessas localidades. Nem nas poucas escolas em que a Parque Escolar fez “festas” à custa do contribuinte.

Querem defender liberdade de escolha? Façam-no!!! Mas os contratos de associação não entram neste tema. Nunca tivemos liberdade e o governo geringonça apenas está a “pôr tudo em pratos limpos”. Bem-vindos à servidão 😦