Branqueamento dos Crimes Comunistas

A propósito da proposta da Iniciativa Liberal de uma resolução de condenação dos crimes praticados pelo nazismo e pelo comunismo que foi chumada pelo PS, BE, PCP  e Verdes (fonte) – resolução esta que foi aprovada pelo parlamento europeu inclusivé com os votos favoráveis dos eurodepudados do PS (fonte), aplaudo o discurso da deputada luso-ucraniana da Assembleia Municipal de Lisboa Aline Gallasch-Hall de Beuvink do PPM, que denuncia apaixonadamente o Holodomor e outros crimes marxistas-comunistas branqueados pela “frente popular” há 45 anos instalada em Portugal.

Communism_Kills.jpg

De referir que o Partido Socialista desde a era António Costa, tem sempre procurado coligações e apoio nos partidos portugueses de extrema-esquerda que defendem não só os regimes comunistas como políticas comunistas. Políticas essas, que em todos os países onde foram implementadas, resultaram sempre em milhares e milhões de mortos assim como em fome, miséria e pobreza generalizadas.

Trinta Anos Da Queda Do Muro De Berlim

Assinala-se hoje o trigésimo aniversário da queda do muro de Berlim, também conhecido com o “muro da vergonha“.

O muro foi construído em 1961 com o objectivo de impedir com que os cidadãos saíssem da Alemanha de Leste (RDA). Ainda assim, durante a existência do muro, cerca de 5.000 pessoas conseguiram escapar para a Alemanha Ocidental (RFA) tendo morrido cerca de 140 pessoas ao tentar passar o muro, sendo que dessas 140, cerca de 100 pessoas foram mortas a tiro pelos guardas durante a sua tentativa de fuga (fonte e fonte).

Deixo aqui também a estatística do número de pessoas que tentaram atravessar o muro do no sentido da Alemanha Ocidental para a Alemanha de Leste: zero – aparentemente ninguém estava interessado em se juntar ao paraíso socialista.

O socialismo e o comunismo são de facto tão bons que os países onde são implantados precisam de contruir muros para impedir seus cidadãos de fugirem desses “paraísos socialistas” em direcção ao “inferno” dos países capitalistas.

Assinalo que partidos em Portugal que defendem as ideias e políticas semelhantes às que eram praticadas na Alemanha de Leste consigam obter sistematicamente entre 15% a 20% dos votos em Portugal. Provavelmente os eleitores desses partidos prefeririam viver dentro do muro da vergonha.

Destaco um tweet do PCP de há dois atrás, que celebra a revolução Russia que criou o primeiro estado comunista no mundo – um cancro da humanidade que viria a matar 100 milhões de pessoas em 100 anos; e a condenar à miséria e à pobreza extrema centenas de milhões de pessoas mais.

Leitura complementar:

Parlamento Europeu Aprovou Resolução que Coloca Nazismo e Comunismo em Pé de Igualdade

À atenção especial dos partidos de esquerda em Portugal:

A União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois do Parlamento Europeu ter aprovado em setembro uma resolução que condena os dois regimes ditadoriais.

[…] um balanço preciso e documentado das verdadeiras perdas humanas do comunismo. Os resultados foram esmagadores: cem milhões de mortos, quatro vezes mais do que o valor atribuído por esses mesmos historiadores ao regime de Hitler.

Partilho também o sentido do voto dos eurodeputados portugueses.


A notícia acima foi retirada daqui e o voto dos eurodeputados foi retirado daqui.

Black Ribbon Day 2018 – Dia Europeu da Memória das Vítimas do Estalinismo e do Nazismo

Assinala-se hoje, dia 23 de Agosto, o Dia Europeu da Memória das Vítimas do Estalinismo e do Nazismo, designado como o “Black Ribbon Day”. Neste dia, recordam-se os milhões de vítimas de regimes totalitários, especialmente dos regimes nazistas e comunistas.

A perda de uma única vida humana é só por si uma tragédia. A morte deliberada de tantos milhões de pessoas levada a cabo por estes regimes totalitários é um horror indescritível e uma grande mancha negra na história da humanidade que nunca será apagada.

Never Again!

Parlamento Cubano evolui

Parlamento cubano inicia debate sobre nova Constituição que elimina a palavra “comunismo”

Por outro lado, o artigo 21 do novo texto submetido a debate reconhece “outras formas de propriedade, como a cooperativa, a propriedade mista e a propriedade privada”, e admite o investimento estrangeiro como “uma necessidade e um elemento importante de desenvolvimento”.

PC Cubano a ultrapassar PC Português pela direita?

cuba-1303-asamblea