Observador mente sobre adolescentes com bonés com slogan de Trump

Que o Observador pertence à união de legacy media que ataca tudo o que seja relacionado, mesmo que da forma mais ténue, com Trump, já eu sabia. Só não sabia que ia ao ponto de mentir descaradamente para o fazer. Mas este caso prova-o.

Escreve o Observador:

Jovens com bonés com o slogan de Trump — Make America Great Again — cercaram e gozaram com ancião da tribo Omaha, que fazia uma marcha em Washington.

Mais abaixo acrescenta:

Vários adolescentes com bonés com a inscrição Make America Great Again — o “grito de guerra” de Donald Trump — cercaram e gozaram com um ancião nativo-americano, da tribo Omaha, que estava a executar um cântico e a tocar um tambor indígena, à margem da Marcha dos Povos Indígenas, perto do Lincoln Memorial, em Washington D.C, noticiou a CNN.

(…)

Phillips [um ancião da tribo Omaha] foi até à multidão de adolescentes e as coisa até se acalmaram, contou Taitano. Pelo menos até Phillips chegar perto do rapaz que aparece a sorrir no vídeo. “Aquele miúdo recusou-se, simplesmente, a sair e pôs-se mesmo cara a cara com o Nathan”, disse a estudante.

Da leitura parece que aconteceram 2 coisas:
1. Os miúdos, sobretudo o focado na reportagem, moveram-se
2.  Os miúdos gozaram com o ancião índio

Na verdade, como se pode ver nos vídeos abaixo, não só foi o índio que foi ter com os miúdos – que na maioria se foram mexendo até que aquele decidiu ficar a olhar para o espectáculo  – como a maioria ficou calada, sobretudo o tal rapaz que mais não fez do que sorrir e achar piada ao que o índio estava a fazer. O miúdo não se mexeu, o miúdo não gozou, o miúdo nem sequer moveu um músculo que não fosse para sorrir. Aparentemente, isso hoje é motivo para ser pedida a sua expulsão da escola, para ser pedido o despedimento do seu pai, e para fazerem bullying internacional ao miúdo. Vergonhoso.

De seguida ficam os vídeos onde esta informação pode ser confirmada, informação que quer o Observador podia facilmente pesquisar e incluir na sua reportagem. Mas dava muito trabalho e estragava a narrativa. Enfim. Espero agora a retração do Observador e, já agora, o pedido de desculpas ao miúdo e respectiva família por terem participado na sua humilhação indevida. Era o mínimo, se forem sérios.

Continue a ler “Observador mente sobre adolescentes com bonés com slogan de Trump”

Anúncios

Furacões Fêmea mais mortíferos que Furacões Macho, diz a CNN

Female hurricanes are deadlier than male hurricanes, study says – via CNN.

A study suggests people prepare differently for hurricanes depending on whether the storm has a male or female name.
“Feminine-named hurricanes (vs. masculine-named hurricanes) cause significantly more deaths, apparently because they lead to a lower perceived risk and consequently less preparedness,” a team of researchers wrote in the Proceedings of the National Academy of Sciences.
In other words, a hurricane named “Priscilla” probably wouldn’t be taken as seriously as a hurricane named “Bruno,” which might spark more fear and prompt more people to flee.

Nota: apesar de eu classificar como humor, a citação é real e podem comprovar no link que ainda hoje se encontra on-line.

CNN – um desastre em câmara lenta

Esta é a história daquela queda é chamada “A queda da CNN”. Pode não ser o fim, mas depois destes desastres, nunca mais o mundo vai olhar para a CNN da mesma forma. Note-se que vou focar nos eventos mais recentes. Assim, eventos como a história de Kathy Griffin e as suas consequências ficam de fora.

A saída dos 3 jornalistas (22 a 26 Junho)

Em 26 de Junho a CNN aceitou a resignação de 3 “jornalistas de investigação”: Thomas Frank, Eric Lichtblau, and Lex Haris. O motivo: os três tinham escrito uma história de uma faceta da narrativa Trump-Russia, que alegadamente ligava Anthony Scaramucci a um fundo de investimento russo. A CNN aceitou o artigo a 22 de Junho mas depois pediu desculpa quando ameaçada com um processo e deixou online esta nota editorial.
(Ler mais: WaPo, LATimesBreitbart)

O Ataque do Project Veritas (26 a 30 Junho)

James O’Keefe é um fervoroso adepto de Trump. Isto dito, o relevante não é o que ele diz mas o que os trabalhadores da CNN dizem a ele. Em 26/Jun, foi divulgado o vídeo em que John Bonifield de Atlanta disse que a narrativa russa era BS. Em 28/Jun, foi divulgado o vídeo em que Van Jones disse que a narrativa russa era um “nothing burguer”. Em 30/Jun, foi divulgado o vídeo em que Jimmy Carr afirmava que os eleitores são estúpidos como a m…. Que depois em 5/Jul ele (Jimmy Carr) agravou e desenvolveu (!). Numa luta pela credibilidade, estes foram duros golpes. A lição é que a CNN não tem ética, a história russa existe para manter os democratas a assistir, e que internamente não existe o mínimo respeito pelos seus clientes.

O Tweet do Ano (2 de Julho)

O Twitter é uma rede ideologicamente democrata (Trump banido? Nov, Dez, Jan, Fev, Mar, Abr, Mai, Jun, Jun2, Jul). No entanto, o tweet mais retweetado da história é de Trump: 602mil curtidas, 369mil partilhas, 144mil comentários (Ver Tweet). A resposta imediata foi chamar Trump de imaturo. Mas o pior foi o que aconteceu depois.

#CNNBlackmail (4 de Julho)

A CNN decidiu investir os seus recursos de pesquisa em perseguir o anónimo que fez o vídeo. Descobrindo-o, publicou este infame artigo. Muito mau. Resumindo: 1) encontrámo-lo, 2) só não publicamos a informação porque pediu desculpa e tememos pela sua segurança, mas… 3) se ele alguma vez reincidir publicaremos os seus dados pessoais. Sim, a CNN agora é uma entidade religiosa que ameaça lançar os seus fundamentalistas atrás de quem a blasfema. Nesse dia, #CNNBlackmail foi o trending term no Twitter. Todo o espectro político considerou este acto um erro. Ex: Julian Assange, Jimmy Dore (wow), Styxhexenhammer666, Stefan Molyneux, The Hill, German Lopez (Vox)Vox,… Esta burrice é de quem não compreende o fenómeno do trolling.
PS: Ah, e sim: identificaram o gajo errado.
PS2: Ah, e o mesmo “jornalista” Andrew Kaczynski tem umas histórias mal contadas no seu historial (ataque, defesa).

II Meme War (5 de Julho – …)

CNN Criminal News Network

Depois de Gamer Gate (2015), e da Great Meme War (2015-2016), 2017 parece ser o ano da guerra à CNN.
Há literalmente milhares de exemplos. Para não me alongar , fica aqui uma intro e um ex com as principais figuras da estação:

Googlem “Meme War CNN” ou “CNN Blackmail” ou “CNN Kekistan” e verão.

CNN Boycott (5 de Julho – …)

Agora a internet está-se a organizar para a atingir onde dói: ratings e boicotes a quem lá fizer publicidade. Será que se meter com um grupo que

Aquele Documentário sobre a Síria (9 de julho)

A prova de que tudo corre mal para a CNN? Os aliados no site Salon publicaram este artigo sobre a integração de um membro da Al-Qaeda no documentário Undervover in Syria sobre a Síria que ganhou um Peabody Award.

Tanto para escrever ainda e tão pouco tempo. Mas certamente este tema não se esgota aqui.