O que têm um Criacionista e um Esquerdista em comum?

Um excelente artigo de Migul Nunes Silva no PsicoLaranja.

Opções para hoje

Opcoes

Hoje há 3 grandes opções para quem queira ter uma noite diferente no Porto:

  1. Ouvir 2 liberais a sério fazerem uma crítica de direita (!) ao governo.
  2. Ouvir o principal responsável pelo governo explicar porque é o governo mais liberal de sempre.
  3. A preferida do governo: ir a Aveiro à bola (ou assistir pela tv no café da zona) enquanto não pensa no que o governo está a fazer ao país.

Quem achar que está tudo bem pode à 2 ou à 3 e depois queixar-se que nunca ninguém se interessa pela sua situação.

Quem quiser ter um pensamento crítico e ir à 1ª, pode registar-se e ver todos os detalhes do evento AQUI.
Basicamente, é ir hoje pelas 21h à Junta de Freguesia de Vermoim – Localização.

Até logo!

Liberais a Sério – Faltam 230 horas

Se pretender ir ao Evento “Liberais a Sério analisam 14544 horas de governo“, já referido neste post, era bom que se inscrevesse neste evento de Facebook para facilitar a organização:

Evento de Facebook: Liberais a Sério.

Dia: Sexta-feira, 15 de Fevereiro
Horas: 21:00
Local: Junta de Freguesia de Vermoim (Maia) – mapa no evento do Facebook
Oradores: André Azevedo Alves (Política) e Ricardo Campelo de Magalhães (Economia)

Agradecemos os contributos já enviados para o correio Insurgente (link na barra lateral) e continuamos a aceitar sugestões/dados para a palestra, desde que com sentido.

Eu e o André estaremos à vossa espera e tentaremos fazer uma crítica construtiva e liberal. Até breve.

 

O nojento pseudo-moralismo de Ana Drago

Em que é que o Bloco acredita?

  • na culpa por associação;
  • na inversão da presunção de inocência para ‘culpado até prova de inocência’;
  • na conspurcação do bom nome das pessoas;
  • na demonização dos ricos e dos bancários, na demonização da direita.

Ana Drago e o Bloco de Esquerda são uma vergonha para a política Portuguesa. A falsa autoridade moral, o riso de quem estupidamente julga que fazer generalizações discriminatórias é uma vitória.

Interessante como os partidos que se declaram como defensores da liberdade, são tão bons no assassínio de carácter…

por Miguel Nunes Silva, do PsicoLaranja.

A autoridade moral desta esquerdalha caviar que defende os assassinatos de Lenine e seus comparsas, que pensa ser possível viver numa sociedade de direitos sem deveres, e que defende que há cidadãos de primeira (também conhecidos como “contratados”) e cidadãos de segunda (também conhecidos como “independentes”, onde eu me incluo)…
O Miguel chama-lhe uma vergonha. Eu acho hipócrita mais exacto.

Irresponsabilidade Humanitarista

Miguel Nunes Silva sobre a Irresponsabilidade das Associações Humanitárias:

Em 2011, quando a Primavera Árabe ganhava ímpeto, os humanitaristas ocidentais lançavam achas para a fogueira: Amnistia Internacional ou Human Rights Watch (HRW) incitavam apoio aos revolucionários e reclamavam mais apoio da parte dos governos ocidentais e mundiais, para com a onda revolucionária no mundo Árabe.

Mas hoje, na apresentação do seu relatório anual, a HRW – surpresa das surpresas – queixa-se que afinal as ‘democracias’ erguidas nas ruínas dos prévios regimes aliados do Ocidente, não respeitam os mais básicos dos direitos humanos. Vejam só, se ao menos alguém tivesse previsto tal facto infeliz…

Como já aqui reportei há outros indicadores que também se degradam.

Mais uma vez se vê o resultado de amadores ideologicamente cegos, interferirem com políticas de estado cuja prerrogativa não pertencem à ‘rua’.

Mas a irresponsabilidade destas associações não se resume à interferência com a política externa e os interesses de estados ocidentais, é que no fundo aquilo que estas ONGs verdadeiramente querem é que o mundo Árabe – e o resto do planeta – adoptem os valores ocidentais à força mesmo se depois estes se revelam impossíveis de adaptar. Este euro-centrismo fanático prejudica portanto as relações entre estados mas também prejudica as sociedades para onde eles são exportados.

Haja vergonha.

Boas intenções resultam muitas vezes em “unintended consequences”.
A liberdade de que gozam – e bem – nas sociedades ocidentais deveria ter associada uma palavra pesada mas sempre a ela relacionada: a responsabilidade.

Liberais a Sério analisam 14544 horas de Governo

O blog Psico Laranja – um blog sem ideologia definida mas muito interessado em ouvir todos os pontos de vista do qual também faço parte – vai organizar uma iniciativa com o nome “Liberais a Sério – Analisam 14544 horas de governo” na Maia.

Os 2 oradores deverão ser familiares para todos vocês: eu próprio (economia) e o André Azevedo Alves (ciência política).

Todos os que possam estar presentes na Sexta dia 15 de Fevereiro à noite na Junta de Freguesia de Vermoim e que queiram ouvir críticas de direita ao actual governo estão convidados.

Boas notícias para os sindicalizados do Michigan: sindicatos vão mesmo ter de ser mais eficazes agora!

Detroit é uma das cidades mais decadentes da América. E porquê? Porque desde 1962 sempre teve um Presidente de Câmara do Partido que tudo dá depois de extorquir aos que têm a capacidade de criar riqueza. Conseguiu aliás ser pior que Cleveland, que já é mau suficiente para merecer uma série de vídeos da Reason TV sobre o assunto.

Consequentemente, Detroit é a cidade líder em Pobreza infantil (53,6%, à frente de Cleveland que tem um esperado 2º lugar), uma das líderes em abandono escolar (75%não terminam o secundário), a cidade líder em mortes em legítima defesa (2200% acima da média nacional dos EUA), onde se compem comprar casas por 80Euros da população que foge, e é um exemplo – entre vários – de como NÃO deve ser gerida uma cidade ou um país. Colocou-se até a hipótese de em Dezembro de 2011 ser tomada pelo Governo Estadual – uma hipótese obviamente rejeitada pelo presidente de câmara, que é tipo o Sócrates ao cubo. Só para ilustrar: em 2010 queria deitar abaixo um quarto da cidade (ora aí estava uma oportunidade de crescimento económico, não é Sr. Paul Krugman?) Enfim…

Bem, e porque está Detroit nas notícias… agora? Continue a ler “Boas notícias para os sindicalizados do Michigan: sindicatos vão mesmo ter de ser mais eficazes agora!”

Não há espelhos no PCP?

Via Paulo Colaço do PsicoLaranja:

Para criticar a rotativa escolha dos portugueses entre os partidos do chamado arco democrático, o líder parlamentar do PCP soltou esta pérola: “a alternância que praticam entre si é isso mesmo: mudar os protagonistas para procurar garantir que a política não muda”.

Corrijam-me de estiver errado: Não tem sido essa a eterna vida do PCP? Mudar de líderes sem mudar de políticas?

http://img0.rtp.pt/icm//thumb/phpThumb.php?src=/noticias/images/88/88d4e6285ffebf54a2b16f9693a2ddfc&w=620&sx=0&sy=0&sw=620&sh=340&q=75&w=620