BE descredibiliza BE

Miguel Morgado faz um excelente ponto no Fb:

Não percebo o argumento que corre por aí mais ou menos assim: “Robles pode fazer isto como qualquer outra pessoa; mas como político é incoerente”.
A tese do BE é a de que aquelas práticas são lesivas sem ambiguidades; criam males objetivos. Daqui deduz-se que:
1) Ou a tese do BE é falsa e o programa do BE é lixo;
2) Ou a tese do BE é verdadeira e Robles provocou males objectivos e graves aos seus semelhantes e à sociedade portuguesa. O que significa que nunca, nem em circunstância alguma, ele poderia dedicar-se às práticas reportadas.
Sejamos consequentes, caso contrário andaremos eternamente em círculos. Por aqui também se vê que o problema que emergiu não é a “arrogância” do BE.

Robles provavelmente vai manter-se em todos os cargos que ocupa. É hipócrita o suficiente para isso e na esquerda portuguesa o corporativismo é rei e senhor.

BEMas sendo assim, conseguimos o 2º óptimo: como Marques Mendes hoje disse, o Bloco com histórias como esta quando chegar as próximas eleições já não virá com o seu suposto “high ground” moral. Ou se vier será ridicularizado pelo eleitor de direita médio. O Bloco pode manter o vereador, mas perde a face.

Agora, a maior mudança poderá ser mesmo a nível do programa. Mantê-lo-á? Ou alterará o programa para ser Robles-compatível? Ou será pró-programa às 2ªs, 4ªs e 6ªs e pró-Robles especulador às 3ªs, 5ªs e Sábados? Eu voto em como o Programa do BE é lixo. Veremos se o BE agora tem mais noção do disparate e faz o mesmo.

 

Quem com demagogia ataca…

Lá diz o povo: Quem com ferros mata, com ferros morre!

Hoje é esta a apresentação do prédio de Robles (visto aqui):

Robles.jpg

Bem, arranja-se um técnico da câmara para remover o grafiti, não?
Quer dizer, depois de usar a Seg. Social e ca CGD de forma abusiva, porque não?

Bloco Vs Realidade – Porque Arde Portugal?

Bloco: Erros nos incêndios foram causados por “preceitos neoliberais”.

A coordenadora do Bloco não deixa, porém, de apontar o dedo aos anteriores Executivos. Para a líder bloquista, a política da floresta e da Proteção Civil têm seguido “todos os preceitos neoliberais”. Até com a autoridade nacional que nós tínhamos para as florestas se acabou nos tempos da ‘troika’. O Bloco até aprovou recomendações empenhadas sobre ser preciso sapadores florestais e vigilância e nunca nada foi posto em prática porque ‘ai o défice, ai a austeridade’”, criticou Catarina Martins.

(Então a austeridade não acabou? Porque reduziu o orçamento para a defesa das florestas em 9% este governo? Quem é neoliberal? O PS?)

Realidade: ¿Por qué los incendios en Portugal son tan letales?

Sí se sabe que hay una parte del bosque que nunca se incendia, el de la industria. Las papeleras gestionan el 6,5% de los terrenos privados, algo más de 200.000 hectáreas. Sus eucaliptos no arden, y cuando lo hacen es por contagio del vecino. El sector invierte cuatro millones de euros anuales en labores de prevención y silvicultura. Su brigada de intervención rápida se mantiene en alerta todo el año. Casi todos los fuegos que apagan (el 85%) están en propiedades vecinas.

Sim: a floresta na mão das grandes papeleiras não é consumida por grandes incêndios.

E são da espécie maldita: Indústria Papeleira diz que problema dos incêndios não se deve ao eucalipto.

“Se formos ver as estatísticas, em média arde menos de 1% anualmente do património gerido por estas empresas. Isto é um valor que só por si já diz tudo”, destacou, recordando que cerca de 200 mil hectares de floresta, a maioria de eucalipto, são geridos pelas empresas associadas da CELPA.

A diferença é ter uma gestão privada. Não o facto de ter uma ou outra espécie de árvores.

Extra: “O maior atentado à floresta portuguesa”. Indústria papeleira arrasa reforma florestal.

Catarina MartinsConclusão: Catarina Martins… pense antes de dizer baboseiras dessas.
Olhe que lhe fica mal, pois apesar do controlo que tem da imprensa em Portugal há sempre modo de a informação circular.
Sobre a Comunicação Social: Não há 1 jornalista que questione a senhora no final da intervenção sobre os dislates da senhora, por exemplo sobre este tema? Estão assim tão atados?

Definição Técnica De Cara De Pau

Apenas dois dias separam as duas notícias abaixo.

16 de Outubro de 2017 (fonte) –  Já depois dos incêndios trágicos do fim-de-semana passado que vitimaram mortalmente 42 pessoas

18 de Outubro de 2017 (fonte) – Já depois da demissão da ministra da administração interna

Se isto não configura a definição técnica de Cara-de-Pau, recordemos a declaração do mesmo Bloco de Esquerda na longínqua data de Agosto de 2015, numa altura em que o governo era constituído por uma coligação PSD-CDS.

12 de Agosto de 2015 (fonte) – Por comparação, no total do ano de 2015 arderam 64.444 hectares (fonte) contra mais de 520.000 hectares em 2017 – quatro vezes mais do que a àrea total que ardeu em Espanha no mesmo período (fonte); e que em 2015 se registaram sete mortos em consequência dos incêndios (fonte) enquanto que em 2017 o número de vítimas mortais de incêndios ascende a um número inacreditável de 113, a que se juntam mais de uma centena de feridos.

Este é o mesmo partido que qualifica a moção de censura apresentada pelo CDS como “um truque grotesco” e a moção de confiança pedida pelo PSD como “ridícula” – tendo ambas as moções sido propostas em sequência das mais de cem vidas perdidas nos incêndios deste ano (fonte).

Enfim, quando não se tem espinha dorsal nem falta de vergonha, existem parasitas políticos e partidos como este.

Bloco = PNR

Ao falar com um esquerda qualquer, perante a santificação da arruaceira* da Catarina Martins, comparei esta com José Pinto-Coelho – uma personagem que obviamente tem uma ideologia muito díspar da minha – mas que é perfeitamente comparável com Catarina Martins.
Ora, se o PS acha normal colocar Trotskistas que ainda hoje vêm como ideal de sociedade Maduro (!) (!!), então vamos ver o que dirão quando o PSD precisar do voto do PNR no parlamento, o que pode vir a acontecer pois, como provaram as últimas eleições, o governo é constituído por quem tiver a maioria parlamentar do seu lado e não pelo partido que fica em 1º no voto popular.

Mais grave ainda, João Nascimento, 47 anos, é voluntário da delegação da Figueira da Foz da Cruz Vermelha Portuguesa30 anos. Em abril deste ano, foi suspenso de todas as funções, por ter partilhado um post do PNR num grupo fechado do Facebook, reservado a voluntários daquela instituição. Uma demissão política, que pode consagrar-se um despedimento sem justa causa – se fosse por ser do Bloco sê-lo-ia de certeza, originando manchetes de letras garrafais.

Para mim, já sabem:

Bloco e PNR.jpg

* – meramente descritivo, dado que é na rua que é o ambiente natural dela.

Nota: eu nunca concordei ou concordarei com a inclusão de qualquer um destes partidos em apoios ao governo.
Exigirei é silêncio das esganiçadas e respectivos camaradas governamentais.
Por vergonha na cara.