Encontrado o que, “no limite”, nunca foi furtado

Azeredo Lopes: “No limite, pode não ter havido furto nenhum”

10/Set/2017

Material de guerra roubado em Tancos apareceu na Chamusca

18/Out/2017

Este governo é uma anedota: depois da queda da Ministra das Polícias e dos Bombeiros, o Ministro das Forças Armadas é ridicularizado pela realidade: o armamento que, “no limite”, descobrimos em setembro que “pode” não ter sido furtado… apareceu agora, fruto de uma denúncia anónima.

Azeredo LopesÓ Sr. ministro, diga lá quanto vale a qualidade da generalidade dos ministros do seu governo?

Por muito menos que esta série de trapalhadas, foram dedicadas estas palavras a um governo em 2004. Mas é claro: falsear números oficiais da saúde, não é grave; provocar mais de 100 mortos com uma série de erros grosseiros, não é grave; gerir como uma criança a questão do desaparecimento do equipamento militar, não é grave. Agora ser de direita, isso é inaceitável. Certo, certo…

Anúncios

Salvaram o Jorge!

2016-04-05-jose-azeredo-lopes-ministro-da-defesa-2016

Jorge é franzino, aparentando estar doente mesmo nos raros períodos sem pieira ou alergia a algo que existe além do conhecimento médico actual. Católico por filiação, sente que a sua verdadeira afinidade sócio-cultural é com os seres chocados no Pokemon Go. Jorge, sem perspectivas em Portugal como cantor de ópera, o seu único talento natural e alívio para os sons irritantes que emanam do nariz, decide inscrever-se no curso para comandos. Azeredo Lopes, homem com capacidade inata para fazer sempre o contrário do que é apropriado, manda fechar o curso para comandos, “temporariamente”, até que possa perceber que o melhor a fazer é reverter silenciosamente a decisão anterior.

Jorge não entrou no curso de comandos esta semana. Dificilmente entrará na próxima ou noutra qualquer da sua nasalada vida. Porém, Jorge pode ficar feliz por saber que o ministro se preocupa com ele. E, ainda bem que assim é: sem Azeredo Lopes, lá teriam que rejeitar Jorge no curso de comandos. Assim, com Azeredo, pode evitar-se o trauma para o pequenino Jorge. “Não entras tu nem entra ninguém”.

Seria útil ter alguém para nos proteger dos Azeredos Lopes. Agora, só não serão os novos comandos a fazê-lo.