Jordan Peterson Biblical Series (I)

Biblical Series I: Introduction to the Idea of God

Anúncios

“Long Live The Local”

Long Live The Local

#LONGLIVETHELOCAL

Uma campanha interessante…

Political Correctness Debate ft. Stephen Fry and Jordan Peterson

Political Correctness Debate ft. Stephen Fry, Jordan Peterson, Michael Dyson, Michelle Goldberg

Jair Bolsonaro – Roda Viva

Roda Viva | Jair Bolsonaro | 30/07/2018

Steve Bannon on Trump, Putin and China

Steve Bannon Speaks At Delivering Alpha | CNBC

Sir Bobby Robson

Adolfo Mesquita Nunes e Mariana Mortágua debatem caso Robles

Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita Nunes debatem a polémica em torno de Ricardo Robles

Steve Bannon interviewed by Financial Times editor Lionel Barber

Bannon on Trump, populism and Cambridge Analytica

Alice Weidel (AfD) sobre Angela Merkel (CDU)

AfD’s Alice Weidel “Our neighbours think Germany is a madhouse” Bundestag speech

Jordan Peterson on the worst thing about Trump

Jordan Peterson on the worst thing about Donald Trump

“Did Africa Just Win The World Cup?”

Did Africa Just Win The World Cup? | The Daily Show With Trevor Noah

Steve Bannon sobre visita de Trump ao Reino Unido

Susanna Reid Debates Steve Bannon over Trump’s Brexit Criticism | Good Morning Britain

#WalkAway

Existe desde final de Maio um movimento que anda a desgastar a base de apoio do Partido Democrata. Tal como o movimento #NeverTrump desgastou o Partido Republicano em 2016, o movimento #WalkAway desgasta agora o Democrata em 2018 (porque o 1º passou dezenas de vezes nos Legacy Media portugueses e este 2º não passa, deixo à vossa consideração).

Far Right.jpgA ideia é simples: o Partido democrata assenta hoje numa política do medo. A intolerância, a inflexibilidade, o ódio, a hipocrisia, o racismo invertido, o sexismo invertido e a ameaça são a norma. Quem apoia Trump ou tem as posições erradas é perseguido (ao ponto de um gay num dos vídeos da campanha afirmar que saiu de um armário sexual para entrar num armário político!). A hierarquia de vitimização é agora uma hierarquia de poder político e quem não é vítima, que se cale. Quem não estiver no canto da “esperança e do amor”, é extrema direita. Nesta fase, já nem Bernie Sanders é de Esquerda!

Vejam aqui o vídeo que originou a campanha:

Sublinhe-se que quem sai dos Democratas geralmente fica Independente, tornando-se swing voter. O ponto aqui é sair da “plantação” – onde os democratas “escravizaram” o seu voto – e ser um espírito livre, que pense pela sua cabeça, e que depois do seu “Red Pill moment” já não acredite em tudo o que os Legacy Media lhe empurram pela goela abaixo.

Devo dizer que vejo com bastante esperança movimentos destes. Se virem os vídeos do canal, são todos de indivíduos interessantes que acordaram recentemente e que baixam agora os decibéis da gritaria para se juntarem a uma discussão calma e lógica sobre alguns dos grandes temas do momento. Deixo aqui por exemplo um para perceberem do que falo – mas aconselho a que ouçam os mais que possam deste canal de YouTube:

Face a isto, como reagem os legacy media ligados aos democratas? Não vão acreditar: são Bots russos! Same old, same old. Podem ver no Salon “Russian bots are back: #WalkAway attack on Democrats is a likely Kremlin operation” ou na CNN “Russian bots are using #WalkAway to try to wound Dems in midterms” ou até no Washington comPost “The #WalkAway meme is what happens when everything is viral and nothing matters“. Quando a realidade magoa, culpem-se os Russos. Depois de Obama ter em 2012 atacado Romney por achar Rússia era o papão, e de ter relançado a relação com a Rússia em 2009, creio que esta história da Rússia está a ir longe demais. Mas hey, é ainda assim a melhor narrativa que eles têm. O desespero tem destas coisas.

Unhinged

O “Partido da tolerância” está assim em 2018.
Para derrotar o fascismo, promove práticas fascistas.
Para atacar um presidente “desequilibrado”, tem cabeças de cartaz desequilibradas.
Para atacar a linguagem de Trump, usa linguagem pior.
Para contrariar as mentiras de Trump, mente.
Para impedir a reeleição de Trump, prefere uma economia em cacos.

Fica aqui um bom resumo feito pelo RNC, daqueles que não verão na RTP.

Jean-Claude Juncker na cimeira da NATO

EU’s Juncker stumbles repeatedly at Nato summit

Juncker a cambalear. Comissão Europeia diz que não estava bêbado

Licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais – IEP-UCP

Apresentação Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa

Está em curso a 1ª fase de candidaturas à melhor Licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais em Portugal – a do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa.

O concurso aos cursos da UCP é local, pelo que a opção “Universidade Católica Portuguesa” não está incluída no concurso nacional, devendo a candidatura ser feita directamente junto da UCP.

Leitura complementar: The U.S. Declaration Of Independence: Its Foundations As Key For Better U.S.-European Understanding.

Esta capa é ridícula

Time Trump child

Trump tem defeitos e cada um pode gostar dele ou não por diversos motivos. Tem aspectos que eu gosto (anti-politicamente correcto) e que e não gosto (política proteccionista que lhe rendeu a Casa Branca no Rust Belt).

Agora, colocar na capa um tema de 2014 como se fosse novo, absolvendo Obama e nazificando Trump, que é essencialmente um problema legislativo e que o Partido Democrata não quer resolver pela via legislativa (Nazis também?) é mau jornalismo.

A situação só se agrava quando se sabe a foto da história da capa:
A criança é hondurenha, a mãe deixou as outras 3 crianças com o pai, pediu asilo por motivos políticos sem base real para tal, nunca foi separada da filha, e o choro deve-se a cerca de 3 minutos de conversa da mãe com um polícia, por acaso latino. Ah, e mãe e filha estão juntas. Podem ver Ban Shapiro sobre esta foto no seguinte vídeo:

Para quando uma oposição séria com base em verdades?
PS: E as lágrimas a pedido da Rachel “mad dog” Maddow? Triste.

Hillary on immigrant children (2014)

Hillary 2014…Just Because Your Child Gets Across The Border…That Doesn’t Mean The Child Gets To Stay

Jordan Peterson vs. “Social Justice Warriors”

Stossel: Jordan Peterson vs. “Social Justice Warriors”

O “haka” dos islandeses

O “haka dos vikings” que os adeptos islandeses fizeram no Argentina-Islândia

Vídeo. “Uh!”: o haka dos islandeses à porta do estádio

Pablo Iglesias e La Roja…

La hipocresía de Pablo Iglesias con la selección española: lo que decía en 2012 y lo que dice ahora

El cambio de discurso de Pablo Iglesias sobre la selección española

United States – North Korea Singapore Summit – the trailer

United States – North Korea Singapore Summit Video (English) (Destiny Pictures)

Watch the astonishing fake movie trailer the US created to convince North Korea to ‘remake history’

E a malta diverte-se…

Era impossível ganhar as primárias…
Era impossível ganhar as eleições…
Era impossível resistir à destituição…
Era impossível fazer regressar empregos…
Era impossível reunir com a Coreia do Norte…
Acho incrível como tantos nos Legacy Media ainda têm emprego.
Confio mais em astrólogos e cartomantes.

Reunião Pública da Câmara Municipal de Lisboa, 30 de Maio de 2018

Sofia Vala Rocha, via Facebook:

Invasão da câmara de Lisboa pedindo casas.

A conversa populista da câmara, do PS, do Bloco de esquerda, do PCP e da Helena Roseta, deram nisto.
As pessoas querem casas.
Isto aconteceu na última sessão da câmara, na passada quarta-feira, dia 30/5.
Acabou assim a reunião, com intervenção da política municipal. O vídeo integral da sessão está no YouTube para quem quiser ver.
O vereador da habitação em exercício diz às pessoas para se indignarem e resistirem.
Vejam que vale a pena.

Porque é que a música de hoje é tão má?

No fundo, porque custa tanto lançar uma música que, para diminuir o risco, tudo se torna numa mescla mais fraca, mais próxima, mas mais segura – como em muitos outros sectores. Mas este vídeo detalha o processo de uma forma mais detalhada do que eu alguma vez conseguiria. Aconselho.

PS: é de doidos que Britney Spears, Taylor Swift, Ellie Goulding, Robyn, Justin Bieber, Katy Perry, Ariana Grande, Justin Timberlake, Maroon 5, Pink, Leona Lewis, Avril Lavigne, Christina Aguilera, Kesha, Backstreet Boys, West Life, N’Sync, Will I Am, Kelly Clarkson, Glee, Jessie J, Nicki Minaj, Selena Gomez, Adele, Demi Lovato, Lana Del Rey, E-Type, Céline Dion, Bon Jovi e muitos outros… todos façam partes da discografia do tal Max Martin. Aliás,Martin teve um total de 54 canções alcançar os dez melhores gráficos colocando-o acima de Madonna (38), Elvis Presley (36) e os Beatles (34).