Classe e estado da geringonça

simoes

Deputado do PS recomenda que ministro se cale e não faça “figura de miúdo”.

Quatro cadeiras, zero mesas.

 

Parabéns à república popular da Venezuela

Democratas populares ao serviço de Maduro tomam conta da Assembleia Nacional. Imagem: AFP Photo/Juan Barreto)
Democratas populares ao serviço de Maduro tomam conta da Assembleia Nacional. Imagem: AFP Photo/Juan Barreto)

Pelo golpe de estado. Outro caminho é possível e com resultados excelentes dirão os alucinados socialistas.

Tesourinhos

Querido & Sócrates a inventarem a internet e a blogosfera.
Querido & Sócrates a inventarem a internet e a blogosfera.

Deprimentes e hilariantes q.b.

Vale a pena recordar José Sócrates a participar na BlogConf – uma conferência de bloggers, realizada na LX Factory em Lisboa, graças ao empenho do Paulo Querido (sem gola alta) e o protagonismo esclarecido do então Secretário-Geral do PS e dos bloggers que participaram num evento de cariz inovador, num local bonito e com a garantia de qualidade que só o dinamizador Querido é capaz de garantir.

Aproveito a oportunidade para agradecer-lhes, passados que foram alguns anos, os bons momentos presentes em todos os 27 vídeos disponíveis do evento.

A lista de paricipantes é extensa mas destaco, a título meramente exemplificativo, as participações dos bloggers Carlos Santos, Hugo Mendes, João Gonçalves, João Mário Silva, Luís Novaes Tito, Maria João Pires, Tomás Vasques, Tomás Belchior e Rodrigo Moita de Deus.

Este post não teria sido possível sem a oportuna lembraça da Zazie, na caixa de comentários do meu post A confiança no mundo de Sócrates.

http://videos.sapo.pt/socrates2009/playview/7

A confiança no mundo de Sócrates

Na edição do Correio da Manhã de hoje (link disponível para assinantes) , são divulgadas escutas de José Sócrates com Domigos Farinho, o escritor fantasma do sucesso editorial A Confiança no Mundo da autoria do antigo Primeiro-Ministro  de Portugal.

Não sendo propriamente uma surpresa inimaginável, destaco as capacidades de José Sócrates no domínio técnico das ferramentas dos programas de processamento de texto. Resta a dúvida: a versão estaria em inglês técnico?

Publica o CM:

 “6 de Novembro de 2013

José Sócrates diz que tem um texto de email para copiar para um documento e trabalhar sobre ele…

Domingos Farinho explica como fazer. José sócrates pergunta como pode ver quantos caracteres o texto tem.

Domingos Farinho explica.”

Quase um ano depois, a 20 de Setembro de 2014:

Domingos Farinho diz que está a escrever a introdução, que conta ter pronta no final do mês…para José Sócrates estar descansado, quando voltar deve ter coisas para mostrar.”

Sobre esta temática editorial, é de leitura imperdível a crónica de José Diogo Quintela, O Farinho ampara.

Farinho é um Cyrano de Bergerac, o que faz de Sócrates os Milli Vanilli da ciência política.

Ainda no reinado Socrático, uma nota para  a notícia do Sol, Sócrates pagava blogue para elogiar Governo e atacar ‘inimigos’. O blog Câmara Corporativa, tal como os seus upgrades patrulheiros Geringonça e Truques de Imprensa, não são fruto da obra individual mas do esforço colectivo bem pago. Basta passar os olhos pelos posts Anderen Mitteln e O ‘franchising’ Abrantes.

Progressistas pela moral e contra os vícios

O meu texto desta semana no Observador.

‘Vejamos os religiosos do aquecimento global, por exemplo. E em minha defesa – antes que me excomunguem – digo já que sou bastante sovina, e poupada, no que toca a bens isentos de qualidades estéticas como gasolina e eletricidade, e que tenho uma forte paranoia com a reciclagem e reutilização de uns tantos materiais. Mas, lá está, falta-me o fervor religioso.

A incitação para que as populações se abstenham de consumir, um exemplo, costuma mergulhar-me na vontade de praticar vudu contra os detentores de tal opinião. Não (ou sim, mas de maneira diferente) que estejam preocupados ser mais fácil um camelo passar pelo buraco da agulha que um rico entrar no reino dos céus. Credo, os religiosos ambientalistas não se querem confundir com os religiosos católicos, que esses são ultamontanos e rústicos. Que proponham exatamente o mesmo é um mero pormenor. As motivações são muito mais nobres que essas tretas de não nos deixarmos escravizar pelos bens materiais. Os ecofanáticos defendem que se extermine o consumo (e, de caminho, o bem estar das populações) para poupar os recursos do planeta (estes religiosos nunca leram Malthus) e para não causar poluição com transportes de mercadorias.

Outro tipo de moralista, bem mais perigoso, é o purista sanitário. Pode-se praticar sexo à vontade, felizmente está estabelecido, e uma ou outra consequência para a saúde ou para a vida (uns sopapos do cônjuge enganado, por exemplo) devem ser encarados com bonomia, que as pulsões sexuais são fortes e difíceis de conter.

Mas não há cá complacência com o álcool (já os antigos diziam que era o pai de todos os vícios, e os antigos alguma vez haviam de ter razão), ousar ter a comida bem apaladada com sal (as pessoas puras de corpo e alma não têm de lhe pagar os comprimidos para a tensão arterial) ou beber refrigerantes açucarados (agora que já se verificou que afinal o colesterol e a gordura não causam o apocalipse humano que os médicos prometeram, teve de se encontrar novo inimigo para atormentar as populações e viraram-se para o açúcar, o novo supervilão; até, claro, dentro de uns anos se reconhecer que o açúcar é essencial para um bom desenvolvimento cerebral das crianças, entre outras maravilhas que então o açúcar de súbito conquistará).’

O texto todo está aqui.

O ministro da economia faz mal à saúde e inteligência

DV/NUNO ANDRÉ
DV/NUNO ANDRÉ

Imposto sobre refrigerantes? É por “razões de saúde”, diz ministro da Economia.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons XVII

maomecartoon

Entretanto, em Estrasburguistão.

A Turkish official ripped a cartoon of the Prophet Mohammed out of a mural at the Council of Europe headquarters in Strasbourg, a source at the rights body said Friday.

Dozens of people watched as the official, a member of Turkey’s parliamentary delegation to the Council, removed the image from the mural titled “The Road not Taken” on Wednesday, the source said.

The drawing of Mohammed wearing a bomb instead of a turban – the original of which sparked outrage in the Muslim world when it was published in 2005 by a Danish newspaper – had a banner across the prophet’s face reading “censored.”  Most Muslims consider portraying the prophet in images to be blasphemous.  The work on the theme of freedom of expression, titled “The Road not Taken,” is made up of around 1,000 images.

The mural’s Maltese creator Norbert Attard told the online version of The Malta Independent he had placed the “censored” banner across the cartoon “so that it would not offend anyone.”

A aldrabice não foi virada

geringonca
Depois se ter extinto por decreto geringonço em 2016, a austeridade continuará a ser virada em 2017.

De acordo com o que notícia a Sic, o IRS vai baixar em todos os escalões.

Estes são os novos escalões:  até 7091€ (em 2016: até 7.035€)

7.091€ – 20.261€ (7.035€ até 20.100€)

20.261€ – 40.522€ (20.100€ até 40.200€)

40.522€ – 80.640€ (40.200€ até 80.000€)

+ de 80.640€ (+ de 80.000€)

O governo actualizou os escalões em 0.80% (abaixo da inflação, de 1,5% de acordo com a previsão  para 2017, quando este ano será de 0.8% e de 0.4% na Zona Euro). O IRS aumenta em todos os escalões. Se o IRS sobe sempre e se os salários subirem 1,5%, a carga fiscal efectiva ainda subirá mais, por aumento da base tributável, como é que a Sic propagandeia que o IRS vai baixar em todos os escalões?

Compreendo que a geringonça martele a realidade, custa a aceitar que a Sic engula sem mastigar a propaganda que chega por mão amiga e bem intencionada.

Ps: Post editado.

O partido socialista e o país

ps

Camaradas, estamos falidos. Queremos mais dinheiro, o vosso.

Saudações socialistas.

Nacionalizado ao Paulo Gorjão.

 

 

Socialismo, maravilhoso socialismo

venezuela

Vale a pena espreitar a foto-reportagem de Alessandro Falco para a Al Jazeera. O título é The face of hunger and malnutrition in Venezuela.

Compreender o putinismo XLVI

putin

Os americanos são lixados. Força, Putin.

Boião da cultura socrático

ls

Os detalhes dos projectos editoriais do antigo Primeiro-Ministro e também decorador amador em Paris vão sendo revelados. Será que não estamos perante uma fraude académica?

(…) 40 mil euros pela ajuda num livro já pareceria muito. Mas não terão sido os únicos montantes envolvidos por uma ajuda do género. A equipa liderada pelo procurador Rosário Teixeira descobriu que a empresa de Rui Mão de Ferro celebrou outro contrato com Jane Kirkby, advogada, mulher de Domingos Farinho e ex-assessora do Gabinete do Secretário de Estado da Saúde de um dos governos de José Sócrates, entre 2008 e 2009. A advogada terá assinado um contrato, também de prestação de serviços, que deveria vigorar entre 1 de Novembro de 2013 e 31 de Outubro de 2014, e a troco de cinco mil euros mensais. Ou seja, ao todo, 60 mil euros. Em Novembro de 2014, Sócrates seria detido por suspeitas de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. O Ministério Público suspeita que o dinheiro pago a Jane Kirkby serviria para pagar os serviços de Domingos Farinho na elaboração de mais uma obra que estava a ser planeada por Sócrates, intitulada “Carisma”. Além destes montantes, foram ainda descobertas faturas de viagens de avião e estadas em hotéis em Paris, no fim de 2012, facturadas a Sócrates, mas em nome de Domingos Farinho e da mulher. Jane Kirkby também foi ouvida no processo, na qualidade de testemunha.

Antes de Sócrates ser detido à chegada ao aeroporto de Lisboa, a investigação interceptou inúmeras conversas que teve com Farinho antes e depois da publicação da obra. Numa dessas conversas, Sócrates diz que têm de conversar sobre os projectos para o futuro e Farinho questiona-o sobre se continuaria interessado em avançar para um doutoramento: é que se continuasse a trabalhar com José Sócrates, alegou, poderia ir com a mulher para o estrangeiro, já que o trabalho, uma vez que conversavam maioritariamente por email e telefone, poderia ser feito lá fora. Noutro momento, Sócrates pede ajuda a Farinho para escrever uma dedicatória em francês e noutro para saber como conta os caracteres. E em Novembro de 2013 já estão a discutir valores e contratos ao telefone: Farinho terá perguntado nessa ocasião a Sócrates se via algum problema em que o contrato fosse feito com Jane por causa da Faculdade. Depois disso, vão trocando impressões sobre leituras e escritas, até que em 2014 Farinho conta que estaria a escrever a introdução, sobre “razão de estado”,

O dinheiro investido nos projectos literários de Sócrates é uma das peças-chave da investigação para tentar provar que o dinheiro de Santos Silva era na verdade de José Sócrates. Além dos pagamentos a Domingos Farinho e à mulher, a investigação tem reunido indícios de que cerca de metade dos exemplares vendidos terá sido comprada por pessoas próximas de Sócrates, com dinheiro do empresário e amigo Carlos Santos Silva.

Não há fome que não dê em fartura

rocha

Depois do caso fechado da GALP, surge o caso EDP -empresa que tem um diferendo fiscal no valor de 327 milhões de euros.

Rocha Andrade é o homem certo, no lugar certo.

Declação entregue no TC indica que secretário de Estado dos Assuntos Fiscais tem ações do BCP e da EDP. No caso da empresa energética, há diferendos fiscais de 327 milhões de euros

Palavra honrada de Rocha Andrade, procura-se

rocha

Novo perdão fiscal também se aplica à Galp.

Viagens: Rocha Andrade pede escusa em decisões sobre Galp

O perdão fiscal da geringonça

gerinconca

Ficam as sábias palavras de Eduardo Cabrita

O deputado socialista Eduardo Cabrita sublinhou que o PS “provou recentemente em matéria de IRC que, quando está em causa defender a economia, a esperança dos portugueses e a criação de mecanismos de confiança” tudo faz “para obter consensos alargados e de médio prazo”.
“O perdão fiscal não é isso, o perdão fiscal é um expediente orçamental de vista curta que reforça o sentimento de injustiça e retira credibilidade ao Governo para lançar propostas para o futuro”, afirmou.
Eduardo Cabrita frisou que, segundo as contas do Governo, “este perdão custou aos contribuintes 494 milhões de euros, isto é, mais de 38% da receita arrecadada em juros de mora, compensatórios ou coimas já liquidadas”.

geringonca2

A repetição desta manobra que recorre aos bolsos de todos para perdoar a alguns, visa novas medidas de austeridade?

geringonca3

Submarino geringonço à vista.

Compreender o putinismo XLV

cleptocracia

The realism we need – The cold war is not over, por Edward Lucas.

Uma Modesta Proposta

Melhor que a ideia de taxar o açúcar e o pão, o que pode ser injusto a vários níveis (por exemplo apanhar pessoas que comem muito mas não acumulam gordura porque fazem exercício), proponho em alternativa o seguinte (os valores em concreto, a frequência e os mês de reporte bem como a consignação da despesa podem depois ser discutidos em detalhe e ajustados face à indignação que isto gerar):

  • Os médicos ficam incumbidos de comunicar ao ministério das Finanças o nome dos seus pacientes com mais de 200 kg no mês de Dezembro.
  • As Finanças computam de acordo com essa informação uma sobretaxa em sede de IRS para os infractores.
  • A receita daqui obtida é exclusivamente usada para melhorias no Serviço Nacional de Saúde.

Assim estamos certos de que apanhamos os portugueses que verdadeiramente abusam de gorduras e açúcares, colocamos a obesidade a financiar o SNS e atingimos um número infímo de pessoas pelo que a questão do sigilo médico nem se põe porque é para poucos e só para aqueles que de facto não se portam nada bem.

(Sobre o título: A Modest Proposal.)

“Defender o SNS”

Mais doentes com cancro operados fora do prazo

António Costa: Defender o SNS é desenvolver mais políticas de saúde públicas

costa_tsipras

Leitura complementar: Ainda há dinheiro para salários.

PT dizimado nas eleições municipais de 2016

luladilma

Golpistas saíram à rua e foram botar o voto na urna.

Compreender o putinismo XLIV

gulag

O regresso dos saudosos gulags soviéticos à Ucrânia.

Human rights activists in eastern Ukraine say they have evidence that slave labour camps reminiscent of Soviet gulags are operating in rebel-controlled areas. A newly published report alleges that 5,000 people in the self-declared Luhansk People’s Republic are held in solitary confinement, beaten, starved or tortured if they refuse to carry out unpaid work.

Voando sobre um ninho de socialistas

Imprescindível foto-reportagem de Meredith Kohut e Nicholas Casey no NYT, intitulada Inside Venezuela’s Crumbling Mental Hospitals. Um sonho que se tornou pesadelo.

Narcosoe

A deliciosa vida política de Pedro Sánchez, o grande líder do PSOE.

 

Quão miserável é Corbyn

corbyn

O fim de um partido? por Paulo Tunhas, n’ Observador.

(…) Corbyn representa, como se sabe, a “esquerda dura” do trabalhismo, no seguimento do seu mentor Tony Benn, que, de resto, começou na ala direita do partido. As tradições são o que são, e a “esquerda dura” trabalhista tem uma longa tradição e sempre foi mais ou menos activa. Mas esta nova encarnação vegetariana, abstémia e pacifista oferece um radicalismo que não parece ter tido antes uma tão plena oportunidade de se manifestar na chefia partidária. E Corbyn anda bem acompanhado, como por exemplo por um seu importante e muito próximo ministro-sombra, John McDonnell, que recentemente se recusou a pedir desculpa por ter apelado ao linchamento da deputada conservadora Esther McVey. McDonnell tem de resto uma longa história no capítulo: em 2003 elogiou, lembra a Economist, “as bombas, as balas e o sacrifício” do IRA.

O velho radicalismo da “esquerda dura” trabalhista – nacionalizações extensas, desarmamento nuclear unilateral, eliminação das bases americanas, anti-europeísmo manifesto ou mais ou menos disfarçado, etc. – encontra-se devidamente complementado em Corbyn por outras posições próprias ao presente. Tal como o antigo mayor de Londres, Ken Livingstone, Corbyn elegeu Israel como o seu ódio de estimação. Defendeu, por exemplo, os autores do atentado bombista de 1994 à embaixada israelita em Londres. E, naturalmente, é dotado de uma vasta complacência para com o islamismo radical. Corbyn, de resto, e só superficialmente há incoerência nisto (é unicamente Israel que se quer atacar), não vê grande diferença entre Israel e o Estado Islâmico.

Lindos e sem make-up

avante

PCP e Rússia, no Avante.

(…) Na explosiva confrontação em curso, o capitalismo russo não pode prescindir do legado da época soviética. Mas as contradições entre a política interna e externa da Rússia, expressão da complexidade da luta de classes, continuam a pairar perigosamente sobre o futuro do país da Revolução de Outubro no século XXI.

Com estes truques, a imprensa está a desaparecer

traques

O artigo do Expresso intulado “O povo português está a desaparecer” pode ser lido aqui. Os dados têm como fonte a Portada.

Nacionalizado ao Romeu Monteiro.

 

Diversão à esquerda

cartaz
O cartaz que respeita a tradição de design a que o PCTP/MRPP nos habituou foi colocado na Venda Nova (Amadora), onde habitualmente o partido coloca a propaganda.

As mentiras do Arnaldo.

A título meramente exemplificativo, destaco o post Povo Exige Internamento de Arnaldo Matos, datado de 23 de Setembro e que reza assim:

Durante esta noite, numa grande acção de repudio pelo assalto do ditador Arnaldo ao PCTP/MRPP, foram afixados por todo o País incluindo regiões autónomas, uma série de cartazes.

Recordamos que pela primeira vez na sua história, o PCTP/MRPP não celebrou a sua data de fundação. O povo não deixou passar em claro o golpe do Arnaldo e sua seita.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons XVI

hattar

Nahed Hattar já não blasfema. Foi assassinado por um imã à porta do tribunal onde iria ser julgado por insultar o Islão, a religião da paz.

A prominent Jordanian writer was shot dead by a suspected Islamist gunman on Sunday outside the courtroom where he was due to stand trial for offending Islam by sharing a cartoon on Facebook.

Nahed Hattar, a 56-year-old intellectual from Jordan’s Christian minority, was gunned down on the steps of a courthouse in Amman in what appeared to be a religiously motivated attack.

The gunman was arrested at the scene and a Jordanian security source identified him as Riyad Ismail Abdullah, a 49-year-old imam who was wearing traditional Islamic robes at the time of the shooting.

The alleged shooter recently returned from making the Hajj pilgrimage to Saudi Arabia, the source said. The gunman is believed to have acted alone rather than as part of an organised group.

The high-profile murder is a fresh blow to Jordan’s image as a bastion of stability amid the sectarian violence that is wracking much of the Middle East and the latest in a long string of killings across the world linked to cartoons about Islam.

Mr Hattar was arrested in August for sharing a cartoon on his Facebook page which showed a jihadist smoking in bed with two women while Allah waits attentively at the window for him.

The jihadist orders Allah to fetch him some wine and take away the dirty plates while demanding the archangel Gabriel get him some cashew nuts.

Mr Hattar said the cartoon was intended to mock jihadists and their twisted interpretation of Islam but Jordan’s government charged him with insulting the faith and “provoking sectarian rifts”.

The writer rejected the charges and planned to fight the case. If convicted, he could have faced up to three years in prison. (…)

João Galamba dixit

Para o Bloco, a solução para a pobreza e para as desigualdades é muito simples: estamos perante um problema de redistribuição da riqueza. É o estafado: existem pobres porque existem ricos. Há quem ache que se deve ir por aqui. Eu discordo. Ou melhor: a redistribuição e necessária, mas não chega. É uma fantasia achar que se resolve o problma da pobreza e das desigualdades criando um escalão de 45% de IRS e um imposto sobre as grandes fortunas. Os nossos problemas também não se resolvem nacionalizando a banca, os seguros e o sector energético — e muitos menos se resolvem introduzindo mecanismos de controlo administrativo e burocratico dos juros.

Em tudo o que cheire a economia a solução do BE é sempre a mesma: estatismo e penalização da iniciativa privada. Estamos perante, se me permitem, um liberalismo invertido: onde estes acham que o privado resolve tudo, o BE acha que o estatismo é a panaceia para todos os atrasos do nosso país. Um e outro, acreditam na solução varinha mágica e reduzem as razões do nosso atraso reside à estafada questão da propriedade dos recursos — e não na utilização dos recursos. Se o PSD tem um preconceito em relação ao Estado, o BE tem um preconceito em relação aos privados. Nenhum destes partidos entende que a relação entre Estado e privados não é um jogo de soma nula.

O PS mostra ser mais inteligente e vai buscar ensinamentos tanto à direita liberal como à esquerda estatista. Daí o PS propor uma solução intermédia que reconhece a complementariedade entre público e privado, isto é, o PS é o único partido que mostra ter aprendido com a crise actual e com a falência do socialismo real. Enquanto o PSD fala como se esta crise não tivesse existido, o BE fala como se só tivesse existido essa crise, como se o socialismo tivesse sido inventado em 2009.

Um dos maiores problemas do BE consiste na ausência de uma política que assegure um crescimento económico que garanta o a sustentabilidade do estado social. Para o Bloco, solidariedade não requer competitividade e crescimento económico. Por outras palavras: a solução para todos os nossos problemas não tem de ser construída, isto é, não depende da criação de um contexto que económico que ainda não existe. Os nossos problemas resolvem-se a partir dos recursos actualmente existentes, redistribuindo-os. Mas alguém acredita que as medidas propostas pelo Bloco garantam os crescimento económico que financie as políticas sociais que a esquerda bloquista deseja? Qual a tx de crescimento necessária para pagar o estado social defendido pelo bloco sem que o défice se torne insustentável? O BE, infelizmente, ignorou estas contas.

Esquerda tradicional vs Esquerda moderna, numa realidade pré-geringonça.

galambamortagua