A violência simpática da esquerda que nos salva da barbárie

O meu texto de hoje no Observador.

‘Apoiar assassinos, ditadores, protoditadores e catalisadores de pobreza generalizada, sendo estes de esquerda, é bom. Visitar um evento na única democracia decente do Próximo Oriente é mau.

Vai daí, um blogue anarquista decide punir o chefe português provocador que ousou associar-se ao extorsionário cubano, perdão, aos guerrilheiros terroristas colombianos, perdão, (muito pior!), aos israelitas. Fizeram muito bem. Pintalgaram-lhe o restaurante de tinta encarnada. É para o chefe aprender. Deixo aqui a justificação do ato:

‘O vermelho que escorre no vidro é o sangue que Avillez avilta com a sua colaboração culinária. A cola que veda a fechadura é a fome provocada que Avillez quer gourmet. As ementas recheadas de realidade são a face visível de que ‘o destino das nações depende da forma como elas se alimentam.’

Eu não percebi nada do que queriam dizer, ofereço um bombom a quem traduzir a algaraviada, mas em boa verdade as sequências de palavras e frases vindas das pessoas de extrema-esquerda costumam gritar falta de lógica formal e conteúdo revelador de um autor com QI aí, no máximo, 79. Pelo que não me espantei. Como de resto considerei a lambuça pretensiosa a armar ao poético refrescantemente consistente com o que esperamos da extrema-esquerda. Gosto sempre que não me desfaçam as desilusões.

E o chefe nem pode argumentar que não estava avisado, que estes anarquistas, perdão, anjinhos, que destroem propriedade privada são leais e avisam atempadamente o mundo das consequências das suas aleivosias. Depois do chefe ter ignorado os avisos feitos na ‘imprensa dos monopólios’ (e quem ousa ignorar avisos de maluquinhos deste calibre?), os criminosos, perdão, os justiceiros decretaram ‘que não nos encheu os olhos, deixando um travo amargo nos nossos estômagos de poetas, que apenas um copo de ação direta – essa forma máxima de poesia – mitigará’. Mais uma vez não se percebe nada, mas dá para rir com o estilo de escrita adolescente. E para nos questionarmos se os ‘estômagos de poetas’ não estarão a necessitar de transplante à conta da ingestão de comprimidos com substâncias alucinogénias.’

O texto completo está aqui.

Episódio de uma teocracia exemplar

cool

As leis são para cumprir na terra dos Ayatollahs. Yaser Mosibzadeh, Saheb Fadayee e Mohammed Reza Omidi estiveram presos por ofensas às leis da religião da pás. Saíram da prisão após o pagamento da fiança, detalhe que não impede a execução do resto da sentença – 80 chicotadas, em espectáculo público.

Ninguém os manda converter ao cristianismo, blasfemar nem beber o vinho da Comunhão no Irão moderado.

Compreender o putinismo LX

Soldado desconhecido ou para a famíla e amigos: Maxim Kolganov,
Soldado fantasma ou  Maxim Kolganov, para a famíla e amigos. Fotografia Reuters/Maria Tsvetkova.

Na Ucrânia ficaram conhecidos como os homens verdes, simples agricultores com óbvios problemas de orientação. Na Síria, passaram a soldados fantasma.  Só ao alcance de uma santa mãe pátria.

Ghost soldiers: the Russians secretly dying for the Kremlin in Syria

Síria: back to basics XXVII

assad

Algumas das razões pelas quais o regime de Assad não ganha a guerra, por Mikhail Khodarenok.

Um velho truque da imprensa

A partir do automóvel, um condutor palestiniano ataca soldados israelitas. Decide  sair da viatura e, supõe-se que por mero acaso, esfaqueia um militar e é abatido a tiro. A agência de notícias Reuters notícia o incidente assim: “Israeli soldier shoots dead Palestinian driver in West Bank: army.

truquesimprensa

Permanece um mistério as razões pelas quais as armas rudimentares continuam a ser usadas para matar pessoas e a mesma agência de notícias ter alterado o título inicial da notícia para “Palestinian who stabbed Israeli soldier shot dead: army“, de modo a clarificar o incidente.

A história de uma rosa do deserto

Foto: WAEL HMEDAN / REUTERS
Foto: WAEL HMEDAN / REUTERS

Sabe Deus as razões pelas quais o exercício de relações públicas a entrevista  à Primeira Dama síria, Asma al-Assad que saíu na Vogue desapareceu mas vale a pena ler o artigo de Joan Juliet Buck, My notorious interview with Mrs. Assad, the first lady of hell que revela detalhes preciosos.

Parabéns Wikileaks

FREE ASSANGE

A Wikileaks decidiu revelar ao mundo informações pessoais e financeiras de centenas de bandidos. De entre os expostos contam-se algumas vítimas de abusos sexuais, relatórios médicos  de crianças e adultos e gays.

O caso já seria muito grave e revelador do encanto da organização de Julian Assange mas o detalhe da exposição ter como palco a Arábia Saudita – esse oásis – da democracila liberal e dos direitos humanos -, apimenta a coisa.

A organização informativa está, uma vez mais, de parabéns. Nem imagino o que o jornalismo-cidadão e a polícia religiosa local serão capazes de fazer com tamanha quantidade e qualidade de informação. O mundo respirará melhor quando a liberdade da verdade completar o seu caminho.

Private lives are exposed as WikiLeaks spills its secrets.

WikiLeaks’ global crusade to expose government secrets is causing collateral damage to the privacy of hundreds of innocent people, including survivors of sexual abuse, sick children and the mentally ill, The Associated Press has found.

In the past year alone, the radical transparency group has published medical files belonging to scores of ordinary citizens while many hundreds more have had sensitive family, financial or identity records posted to the web. In two particularly egregious cases, WikiLeaks named teenage rape victims. In a third case, the site published the name of a Saudi citizen arrested for being gay, an extraordinary move given that homosexuality is punishable by death in the ultraconservative Muslim kingdom.

“They published everything: my phone, address, name, details,” said a Saudi man who told AP he was bewildered that WikiLeaks had revealed the details of a paternity dispute with a former partner. “If the family of my wife saw this … Publishing personal stuff like that could destroy people.” (…)

Uma questão de publicidade

Esqueçamos a tirada "não existe má publicidade: apenas publicidade. " Reuters Tv/Reuters.
Esqueçamos a tirada “não existe má publicidade, apenas publicidade. ” Reuters Tv/Reuters.

Iran ends Russian use of air base because of unwanted publicity.

Rand Paul calls for indictment of Hillary Clinton

Rand Paul: CIA Annex In Benghazi Shipped Arms From Libya To Syria; Clinton Lied About It

Sen. Rand Paul says that Hillary Clinton deserves five years in prison for lying to Congress about the true nature of the CIA operation in Benghazi that was attacked by terrorists in 2012.

Rand Paul calls for indictment of Hillary Clinton

Onde já se viu?

Diabos em duas rodas e provavelmente com selim. Imagem: AFP/Getty Images
Diabos em duas rodas e provavelmente com selim. Imagem: AFP/Getty Images.

O mulherio a andar de bicicleta fora do recato caseiro.

Qualquer dia ganham vontade própria.

Na vanguarda

A imagem da Reuters é de duas médicas num hospital em Riade mas à primeira vista, uma delas poderia ser o Dr. Mohannad al-Zubn a evitar chatices.
A imagem da Reuters é de duas médicas num hospital em Riade mas à primeira vista, uma delas poderia ser o Dr. Mohannad al-Zubn a evitar chatices.

Um novo e aliciante desafio à medicina ou apenas uma forma de agradecimento local.

A doctor working at a hospital in Saudi Arabia has been shot for helping a woman deliver a baby.

Jordanian obstetrician Dr Mohannad al-Zubn helped a Saudi woman give birth at the King Fahad Medical City in the Saudi capital, Riyadh, last month.

The new father went to the hospital, saying he wanted to thank the doctor – but, after meeting him outside in the garden, withdrew a concealed gun and shot him at close range.

The unnamed attacker was reported to have carried out the shooting because he did not believe a man should have helped his wife give birth.  “The husband came to the hospital looking for the doctor and shot him in the chest in an attempt to kill him for helping his wife deliver a baby,” said a hospital spokesperson.

Leitura recomendada

Escritora saudita questiona como reagiriam muçulmanos se terroristas cristãos se fizessem explodir no meio deles.

A autora é Nadine Al-Budair, saudita. A tradução é de Romeu Monteiro.

(…) “Imaginem um jovem ocidental a vir aqui e a levar a cabo uma missão suicida numa das nossas praças públicas em nome da Cruz. Imaginem que dois arranha-céus haviam colapsado numa capital árabe, e que um grupo extremista cristão, vestindo roupas do milénio passado, haviam assumido responsabilidade pelo evento enquanto destacavam a sua determinação em ressuscitar ensinamentos cristãos ou decisões cristãs, de acordo com a sua percepção, para viver como no tempo [de Jesus] e dos discípulos, e para implementar certos edictos de teólogos cristãos…

“Imaginem ouvir as vozes dos monges e dos padres nas igrejas e lugares de oração, dentro e fora do Mundo Árabe, gritando em altifalantes e fazendo acusações contra muçulmanos, chamando-os de infiéis, e cantando: ‘Deus, elimina os muçulmanos e derrota-os a todos.’

“Imaginem que havíamos oferecido a um número incontável de grupos de estrangeiros vistos de turismo e residência, cartões de identidade, cidadania, bons empregos, educação gratuita, cuidados de saúde modernos gratuitos, segurança social, e por aí fora, e depois disso um membro de um desses grupos surgia, consumido por ódio e por sede de sangue, e matava os nossos filhos nas nossas ruas, nos nossos prédios, nos escritórios dos nossos jornais, nas nossas mesquitas e nas nossas escolas. (…)

O Chipre, a Turquia e a eterna adesão à União Europeia

Chipre

Do ponto de vista do Chipre, não é viável a adesão da Turquia à União Europeia. Para o governo cipriota a questão de má vizinhança afecta o normal funcionamento do condomínio do bloco económico regional europeu.

Compreender o putinismo XXXVI

VPutin

Vladimir Putin declara que os objectivos da Rússia na Síria foram atingidos. A acreditar no maior defensor dos cristãos do Médio Oriente e arredores, o Estado Islâmico foi destruído pelos Mig’s e mísseis russos. Agora os soldados russos podem reclamar o merecido descanso na Ucrânia Crimeia. Parece que o dinheiro continua a fazer falta e o gigante russo não aguenta duas guerras.

je suis estátua romana com nu

O meu texto de hoje no Observador.

‘Já tinha um texto escrito, só a precisar de revisão e apuro do tom cáustico e irónico, a verberar os moralistas anti-abstenção que atacam em cada ato eleitoral, e a explicar como a abstenção é, algumas vezes, mesmo aquilo que os políticos e os partidos merecem e de forma nenhuma um desinteresse pela política e pela participação. Mas não estava destinado a ser, porque de repente apanhei no twitter a notícia de que o governo italiano tinha coberto as estátuas de nus do Museu Capitolini para que estas não ofendessem o suscetível presidente do Irão, pelas Europas em visita oficial.

E depois de se ter dissipado o encarnado que tomou conta do meu campo de visão com esta notícia, lá me decidi que afinal devia escrever sobre os governantes que temos que teimam em esterilizar – ou, se calhar, deformar seria melhor palavra – a realidade em que vivemos na prossecução dos seus objetivos progressistas.

Neste caso do presidente do Irão versus as estátuas de nus romanas, há que ser taxativa.

1) Cabe-nos defender e orgulharmo-nos da cultura europeia, e proclamar que é, até ver, a mais justa, decente e (sim, não tenho medo da palavra) civilizada que o mundo produziu. O facto de ter falhas e imperfeições e potencial de ser melhorada não nos pode levar a um relativismo amoral de fazer equiparar – ou, em alguns casos, denegrir – a nossa cultura ocidental aos barbarismos mais ou menos declarados de outras zonas do globo. E se dizia no outro dia que para defender a Europa temos de defender o Natal, também é verdade que temos de defender as esplendorosas estátuas de nus renascentistas que o génio europeu produziu. É degradante cobrirmos as expressões artísticas da nossa cultura e da nossa História para agradar a um visitante.

2) Se o presidente do Irão não consegue conviver mantendo a sanidade (supondo que a tem) com estátuas de nus, que fique no Irão. Ou, querendo fazer negócios com os europeus e mante relações diplomáticas, engole os puritanismos e aprende a desviar os olhos das partes baixas das estátuas italianas. Ou – já que os progressistas barra lunáticos apreciam tanto ensinar os outros – destaca-se um guia para ensinar ao presidente Rouhani que o mal das estátuas está todo, afinal, no conservador iraniano. Há dois anos estive em Florença com as minhas crianças, que também aproveitaram para se escandalizar (e rir) muito com as estátuas renascentistas de pessoas despidas pelas ruas da cidade. E lá levaram a necessária lição de que os meus filhos querem-se cosmopolitas e não puritanos. Forneço com gosto o conteúdo dos ensinamentos para crianças sub 10 que ofereci às minhas, que aparentemente aproveitaria ao presidente iraniano.’

O resto está aqui.

Nova oportunidade para os críticos televisivos

Zuhair Kutb foi condenado a quatro anos de prisão (dois serão efectivos). Está impedido de escrever durante década e meia e de sair da Arábia Saudita por um período de cinco anos. Foi ainda multado em mais de 26 mil dólares. O crime do escritor saudita? Ter defendido na televisão a transformação da Arábia Saudita numa monarquia constitucional.

 

Síria: back to basics XXVI

assadandfriend

Vale a pena ler o artigo The West’s Dilemma: Why Assad Is Uninterested in Defeating Islamic State, de Christoph Reuter.

In the fight against Islamic State, the West is considering cooperating with the Syrian army. There’s a hitch though: Assad’s troops aren’t just too weak to defeat IS — they also have no interest in doing so.

(…) Elsewhere, attacks by Assad supporters and by Islamic State have likewise taken place with astonishing temporal and geographic proximity to each other. Near the northern Syrian city of Tal Rifaat in early November, for example, an IS suicide attacker detonated his car bomb at an FSA base, though without causing much damage. Just half an hour later, two witnesses say, Russian jets attacked the same base for the first time.

Unsurprising Cooperation

Was it a coincidence? Likely not. There have been dozens of cases since 2014 in which Assad’s troops and IS have apparently been coordinating attacks on rebel groups, with the air force bombing them from above and IS firing at them from the ground. In early June, the US State Department announced that the regime wasn’t just avoiding IS positions, but was actively reinforcing them.

Such cooperation isn’t surprising. The rebels — in all their variety, from nationalists to radical Islamists — represent the greatest danger to both Assad and IS. And if the two sides want to survive in the long term, the Syrian dictator and the jihadists are useful to each other. From Assad’s perspective, if the rebels were to be vanquished, the world would no longer see an alternative to the Syrian dictator. But the rebels are also primarily Sunni, as are two-thirds of the Syrian populace — meaning that, from the IS perspective, once the rebels were defeated, the populace would be faced either with submission and exile, or they would join IS. (…)

Almas gémeas

Putin e Erdoğan quando estavam disponíveis para o amor e a paz.
Putin e Erdoğan quando estavam disponíveis para o amor e a paz.

As relações entre a Rússia e a Turquia após o abate de avião de guerra russo vivem um momento teen. A Santa Mãe Rússia protesta e bloqueia as importações de vegetais, galinhas e, imagina-se, de perús de origem turca. Um dos elos queixa-se que ele não devolveu a minha chamada. O outro continua à espera do pedido de desculpas. O primeiro faz birra e magoado avisa que o amor não pode brincar com o fogo. Longe vai o paraíso.

Leitura complementar: As voltas que o mundo dá.

As voltas que o mundo dá

Russia

A Ucrânia deixou de ser o inimigo número 1 da santa mãe Rússia. Em menos de 24 horas, a Ucrânia foi substituída em todas as notícias que vêm da Rússia. Deputados, governantes, especialistas e trolls vários quase que desprezam a Ucrânia. Aparentemente a ladaínha dos nazis mais o golpe fascista da Ucrânia apoiado pelos EUA entrou em hibernação.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons XV

Os desenhos de Hadi Heydary são uma ameaça ao regime iraniano
Os desenhos de Hadi Heydary são uma afronta à segurança do regime iraniano

Desenhar a Torre Eiffel e mostrar solidariedade às vítimas dos atentados de Paris dá direito a prisão. No Irão moderado.

Paris, Teerão e os eternos culpados

Substituam Estado Islâmico por Israel e encontrarão o culpado pelos atentados no mundo, esclarece Mohammad Reza Naqdi.
Substituam Estado Islâmico por Israel e encontrarão o culpado pelos atentados no mundo, esclarece Mohammad Reza Naqdi.

Esqueçam Churchill, as cruzadas, o Jesus, a saga Guerra das Estrelas, as constantes viagens de Star Trek e da Lua no Espaço 1999 bem como as mudanças que levaram ao fim dos impérios e à extinção dos dinossauros. A culpa do terrorismo é do imperialismo americano, de Israel e da islamofobia.

“If we write the word Israel instead of ISIL, the behind the scene of the recent events in France will come into light; the ISIL is the infantry unit of the US and the usurper Zionist regime since they don’t have fighters today anymore and have lost power to fight, and they have created the ISIL by making investment on the fools,” Naqdi said on Wednesday.

“Such events should happen in Europe in order for the US and its hirelings to be able to justify their presence in the region and escape from criticisms,” he added.

Naqdi also described Saudi Arabia as the dealer of the recent incidents, and said Riyadh has founded the ISIL stream and as long as the US is unable to fill the banking accounts of its arms companies with the Saudis’ money, these wars and cruel massacres will continue.

He also warned that the western states seek to spread Islamophobia in Europe and the US by creating fear and horror among the European and American people.

In relevant remarks on Saturday, Deputy Chief of Staff of the Iranian Armed Forces Brigadier General Massoud Jazzayeri warned Washington and its European allies not to replay the September 11 theatre to pressure and attack Muslims by misusing the Friday night’s terrorist events in Paris.

Jazzayeri made the remarks after a series of bombings and shootings in the French capital left over 150 people dead and scores of others injured following which certain western media attempted to blame all Muslims for the attacks.

“The French people paid the price for their government’s support for the ISIL and the Takfiri terrorism,” he said. (…)

Leitura complementar: Alcançado o inovador patamar de moderação.

 

Avisos ao Bataclan

Paris’ Bataclan Theater was BDS and terrorist target for years.

Adenda: Pascal Laloux, um dos antigos proprietários do Bataclan, revela que vendeu a casa em Setembro e zarpou para Israel.

Assad e Estado islâmico separados à nascença

Cartoon de David Simonds/The Observer
Cartoon de David Simonds/The Observer

Bashar al-Assad afirmou que os ataques a Paris são o resultado da política externa francesa. Por mais que procure não encontro as declarações do ditador em que diz que o abate do avião comercial russo no Egipto foi a consequência esperada da política externa russa.

 

Rei Saudita nunca ouviu falar de wahhabismo

Emigrantes afegãos sensibilizados pelo Irão a defender floresta síria

Foto de Mujtaba Jalali.
Foto de Mujtaba Jalali.

O Irão descobriu um filão uma nova utilidade para os refugiados que acolhe.

Afghan refugees in Iran being sent to fight and die for Assad in Syria

Exclusive: Photographs of funerals for Afghans killed in Syria reveal refugees recruited into Iran’s effort to save its ally

Fogo que arde à vista de todos

Palestinianos atearam fogo ao túmulo de José em Nablus.” A notícia só pode estar errada. A culpa é sempre dos imperialistas norte-americanos, dos sionistas e da transferência do Jesus para o Sporting. Está no livro de estilo.

Na Indonésia, a influência da Mossad também se faz sentir.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons XIV

AtenaFarghadani

Cartoonista iraniana, Atena Farghadani, condenada a 12 anos e 9 meses de prisão foi forçada a realizar um teste de virgindade e outro de gravidez pelas autoridades do Irão por ter apertado a mão ao advogado. Sopra uma brisa de abertura  e outra, mais forte, de mudança no regime iraniano.

Na quinta do mártir

HH

O general iraniano Hossein Hamedani alcançou na Síria o abençoado estatuto de mártir. Hossein Hamedani ficou conhecido a nível internacional pelo desempenho brutal na repressão das manifestações realizadas contra os resultados das eleições presidenciais iranianas de 2009, proezas reconhecidas pela comunidade internacional, através da aplicação de sanções ineficazes.

Se o currículum de atrocidades é marcante, a cobertura mediática (em persa – não encontrei o equivalente no site em inglês) em “directo” e de dentro do lar do militar, revela uma assinalável “big brotherização” da propaganda iraniana. São outros valores que se levantam.

 

Síria: back to basics XXV

siria

Cartoon de Akram Raslan.

Os trabalhos do grande líder sírio. Ou tão só algumas das razões da revolta.

‘They were torturing to kill’: inside Syria’s death machine