Sim, podemos

Foto: EFE
Foto: EFE

La gran incoherencia de Podemos: hijos de la ‘casta’, especuladores y millonarios

Los líderes de la extrema izquierda española son comunistas, pero su ideología no se corresponde con la dolce vita de la que disfrutan. (…)

La moraleja de todo esto es clara: vive como tú quieras y deja que los demás vivan como tú quieras también. Y, sobre todo, haz lo que yo diga, no lo que yo haga.

Soluções para acabar com os proto-fascistas

Estaline também apontou para soluções saudáveis para resolver problemas.
Estaline também apontou para soluções saudáveis para resolver problemas.

O Ricardo Paes Mamede, usa a sua página de Facebook para esclarecer os mais desatentos sobre os caminhos a percorrer para travar o populismo proto-fascista.

Uma vida saudável previne o populismo proto-fascista. Esta parece ser a conclusão de um estudo publicado na edição desta semana da revista The Economist sobre o resultado das eleições americanas.

De acordo com o estudo, o desvio de votos a favor de Trump em cada condado está fortemente associado à incidência de fenómenos como a reduzida esperança média de vida, a obesidade, o alcolismo, a diabetes, ou a falta de exercício fisico. Isto verifica-se mesmo depois de se considerar o efeito de variáveis como a etnia, a educação, a idade, a situação perante o mercado de trabalho. As condições de vida da população local são estatisticamente mais relevantes do que a proporção de população branca com reduzida educação – o factor que tem sido mais apontado nas análises.

Só falta mesmo dizer que, como vários estudos têm mostrado, os problemas de saúde estão recorrentemente associados às desigualdades sociais e à inexistência de serviços públicos de qualidade.

A conclusão é óbvia e não é nova: só o socialismo previne a barbárie.

Isto foi tudo para prevenir a barbárie, através do empenho de pessoas boas que procuravam difundir os ensinamentos e as vantagens de uma vida saudável e de combate ao fascismo

O que diz a voz do povo sobre as eleições dos EUA

am

Dita o educador do Povo, camarada Arnaldo Matos.

(…) E para aqueles que, como nós, proletários e combatentes marxistas e comunistas, temos como missão política e ideológica derrubar o imperialismo, inclusive no nosso país, nada temos que ver com as eleições presidenciais americanas e não alimentamos nenhuma espécie de ilusões sobre as marionetas presidentais do imperialismo, chamem-se elas o que se chamarem: desde Donald Trump a Hilary Clinton.

Dentro de alguns meses verão como Hilary e Trump realmente se amam…

Há por aí um chibarro da estirpe de Garcia Pereira para quem uma mulher na presidência dos Estados Unidos da América do Norte sempre seria, e apesar de tudo, um progresso revolucionário. Coisas desses cretinos papagaios! E quantos milhares de mulheres matou o imperialismo americano na Líbia, na Síria, no Iraque, em Alepo e em Mossul durante a campanha eleitoral para levar uma marioneta feminina do imperialismo, como Hilary Cinton, à Sala Oval da Casa Branca?! Garcia e seus capitulacionistas preferem a promoção de uma mulher a presidente do imperialismo ao de milhões de mulheres vivas no Médio Oriente…

Venha Trump ou quem vier; o nosso grito de guerra é sempre o mesmo: Morte ao Imperialismo Ianque! Viva o Comunismo! Não embarcamos em mascaradas presidenciais imperialistas.

O futuro

O burro e o Ferrari: never again!

De facto, o burro parece visivelmente stressado

burro_ferrari

Quando as consequências precedem as causas

A “geringonça” é tão boa que medidas aplicadas em 2016 e 2017 produziram efeitos nos dados da emigração relativos a… 2015…

Ou como a agenda político-partidária se pode sobrepor até às mais elementares regra de lógica: Portugueses voltaram a ter um “capital de esperança” que fez baixar a emigração

publico_emigracao_2015_2017

Dom profano e seus dois autores

O Zé Diogo Quintela, que não é de esquerda e é humorista — um oxímoro ontológico, portanto —, escreveu mais uma crónica maravilhosa. Fica aqui um pequeno excerto, eventualmente da sua autoria, mas não é de fiar, que nos dias que correm todo o cuidado é pouco. O resto está aqui.

Como não podia deixar de ser, na quinta-feira fui logo adquirir o novo livro de José Sócrates. A funcionária olhou para mim, espantada: ‘Só um?’. E eu: ‘Acha mal?’. Diz ela: ‘Não, é que as pessoas costumam comprar logo à dúzia. Aliás, temos estas embalagens já preparadas, se quiser’. E apresentou- -me um six pack, que em vez de cervejas, tinha livros. Segundo percebi, havia também a possibilidade de comprar a granel.

Ainda não tive tempo de lhe dedicar a atenção que merece. Mas posso já dizer que, com esta obra de filosofia, torna-se legítima a comparação entre Sócrates e o homónimo grego. Não pela qualidade das ideias, mas por nenhum deles ter escrito aquilo que lhes é atribuído.

Apesar de ainda não o ter lido na íntegra, sinto-me à vontade para o comentar. A única ocasião em que é aceitável criticar um livro sem o ter lido é quando o autor o apresenta sem o ter escrito.

A bem da república

nunofelix

No dia em que Relvas se demitiu, Nuno Félix desafiou o Ministério Público e os senhores jornalistas para investigarem todas as licenciaturas dos políticos, colocando-se à disposição dos investigadores. Tudo em prol da república tão bem representada por ele próprio.

Isto não tem preço.

Imagem nacionalizada ao Rui Rocha.

Crato, rua!

crato

Chefe de gabinete inventou dois cursos e o ministro da Educação segurou-o. Demitiu-se agora.

Em Abril, o ministro Crato deixou cair o anterior Secretário de Estado da Juventude que quis exonerar o amigo do ministro.

nuno

Adenda: No consulado de Sócrates, Nuno Félix recebeu 98.277 euros por serviços na área da comunicação, por ajuste directo.

 

Classe e estado da geringonça

simoes

Deputado do PS recomenda que ministro se cale e não faça “figura de miúdo”.

Quatro cadeiras, zero mesas.

 

Tesourinhos

Querido & Sócrates a inventarem a internet e a blogosfera.
Querido & Sócrates a inventarem a internet e a blogosfera.

Deprimentes e hilariantes q.b.

Vale a pena recordar José Sócrates a participar na BlogConf – uma conferência de bloggers, realizada na LX Factory em Lisboa, graças ao empenho do Paulo Querido (sem gola alta) e o protagonismo esclarecido do então Secretário-Geral do PS e dos bloggers que participaram num evento de cariz inovador, num local bonito e com a garantia de qualidade que só o dinamizador Querido é capaz de garantir.

Aproveito a oportunidade para agradecer-lhes, passados que foram alguns anos, os bons momentos presentes em todos os 27 vídeos disponíveis do evento.

A lista de paricipantes é extensa mas destaco, a título meramente exemplificativo, as participações dos bloggers Carlos Santos, Hugo Mendes, João Gonçalves, João Mário Silva, Luís Novaes Tito, Maria João Pires, Tomás Vasques, Tomás Belchior e Rodrigo Moita de Deus.

Este post não teria sido possível sem a oportuna lembraça da Zazie, na caixa de comentários do meu post A confiança no mundo de Sócrates.

http://videos.sapo.pt/socrates2009/playview/7

A confiança no mundo de Sócrates

Na edição do Correio da Manhã de hoje (link disponível para assinantes) , são divulgadas escutas de José Sócrates com Domigos Farinho, o escritor fantasma do sucesso editorial A Confiança no Mundo da autoria do antigo Primeiro-Ministro  de Portugal.

Não sendo propriamente uma surpresa inimaginável, destaco as capacidades de José Sócrates no domínio técnico das ferramentas dos programas de processamento de texto. Resta a dúvida: a versão estaria em inglês técnico?

Publica o CM:

 “6 de Novembro de 2013

José Sócrates diz que tem um texto de email para copiar para um documento e trabalhar sobre ele…

Domingos Farinho explica como fazer. José sócrates pergunta como pode ver quantos caracteres o texto tem.

Domingos Farinho explica.”

Quase um ano depois, a 20 de Setembro de 2014:

Domingos Farinho diz que está a escrever a introdução, que conta ter pronta no final do mês…para José Sócrates estar descansado, quando voltar deve ter coisas para mostrar.”

Sobre esta temática editorial, é de leitura imperdível a crónica de José Diogo Quintela, O Farinho ampara.

Farinho é um Cyrano de Bergerac, o que faz de Sócrates os Milli Vanilli da ciência política.

Ainda no reinado Socrático, uma nota para  a notícia do Sol, Sócrates pagava blogue para elogiar Governo e atacar ‘inimigos’. O blog Câmara Corporativa, tal como os seus upgrades patrulheiros Geringonça e Truques de Imprensa, não são fruto da obra individual mas do esforço colectivo bem pago. Basta passar os olhos pelos posts Anderen Mitteln e O ‘franchising’ Abrantes.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons XVII

maomecartoon

Entretanto, em Estrasburguistão.

A Turkish official ripped a cartoon of the Prophet Mohammed out of a mural at the Council of Europe headquarters in Strasbourg, a source at the rights body said Friday.

Dozens of people watched as the official, a member of Turkey’s parliamentary delegation to the Council, removed the image from the mural titled “The Road not Taken” on Wednesday, the source said.

The drawing of Mohammed wearing a bomb instead of a turban – the original of which sparked outrage in the Muslim world when it was published in 2005 by a Danish newspaper – had a banner across the prophet’s face reading “censored.”  Most Muslims consider portraying the prophet in images to be blasphemous.  The work on the theme of freedom of expression, titled “The Road not Taken,” is made up of around 1,000 images.

The mural’s Maltese creator Norbert Attard told the online version of The Malta Independent he had placed the “censored” banner across the cartoon “so that it would not offend anyone.”

O partido socialista e o país

ps

Camaradas, estamos falidos. Queremos mais dinheiro, o vosso.

Saudações socialistas.

Nacionalizado ao Paulo Gorjão.

 

 

De São Paulo a Max Weber

socrates

José Sócrates está a adorar ler o livro que escreveu e quer conhecer o autor.

O Insurgente sabe de fontes seguras que a apresentação da segunda obra literária do também decorador José Sócrates estará a cargo do colectivo composto por Lula da Silva, Mário Soares, Jorge Máximo e a família alargada dos Metralha.

Não há fome que não dê em fartura

rocha

Depois do caso fechado da GALP, surge o caso EDP -empresa que tem um diferendo fiscal no valor de 327 milhões de euros.

Rocha Andrade é o homem certo, no lugar certo.

Declação entregue no TC indica que secretário de Estado dos Assuntos Fiscais tem ações do BCP e da EDP. No caso da empresa energética, há diferendos fiscais de 327 milhões de euros

Palavra honrada de Rocha Andrade, procura-se

rocha

Novo perdão fiscal também se aplica à Galp.

Viagens: Rocha Andrade pede escusa em decisões sobre Galp

PT dizimado nas eleições municipais de 2016

luladilma

Golpistas saíram à rua e foram botar o voto na urna.

Narcosoe

A deliciosa vida política de Pedro Sánchez, o grande líder do PSOE.

 

Lindos e sem make-up

avante

PCP e Rússia, no Avante.

(…) Na explosiva confrontação em curso, o capitalismo russo não pode prescindir do legado da época soviética. Mas as contradições entre a política interna e externa da Rússia, expressão da complexidade da luta de classes, continuam a pairar perigosamente sobre o futuro do país da Revolução de Outubro no século XXI.

Com estes truques, a imprensa está a desaparecer

traques

O artigo do Expresso intulado “O povo português está a desaparecer” pode ser lido aqui. Os dados têm como fonte a Portada.

Nacionalizado ao Romeu Monteiro.

 

Diversão à esquerda

cartaz
O cartaz que respeita a tradição de design a que o PCTP/MRPP nos habituou foi colocado na Venda Nova (Amadora), onde habitualmente o partido coloca a propaganda.

As mentiras do Arnaldo.

A título meramente exemplificativo, destaco o post Povo Exige Internamento de Arnaldo Matos, datado de 23 de Setembro e que reza assim:

Durante esta noite, numa grande acção de repudio pelo assalto do ditador Arnaldo ao PCTP/MRPP, foram afixados por todo o País incluindo regiões autónomas, uma série de cartazes.

Recordamos que pela primeira vez na sua história, o PCTP/MRPP não celebrou a sua data de fundação. O povo não deixou passar em claro o golpe do Arnaldo e sua seita.

João Galamba dixit

Para o Bloco, a solução para a pobreza e para as desigualdades é muito simples: estamos perante um problema de redistribuição da riqueza. É o estafado: existem pobres porque existem ricos. Há quem ache que se deve ir por aqui. Eu discordo. Ou melhor: a redistribuição e necessária, mas não chega. É uma fantasia achar que se resolve o problma da pobreza e das desigualdades criando um escalão de 45% de IRS e um imposto sobre as grandes fortunas. Os nossos problemas também não se resolvem nacionalizando a banca, os seguros e o sector energético — e muitos menos se resolvem introduzindo mecanismos de controlo administrativo e burocratico dos juros.

Em tudo o que cheire a economia a solução do BE é sempre a mesma: estatismo e penalização da iniciativa privada. Estamos perante, se me permitem, um liberalismo invertido: onde estes acham que o privado resolve tudo, o BE acha que o estatismo é a panaceia para todos os atrasos do nosso país. Um e outro, acreditam na solução varinha mágica e reduzem as razões do nosso atraso reside à estafada questão da propriedade dos recursos — e não na utilização dos recursos. Se o PSD tem um preconceito em relação ao Estado, o BE tem um preconceito em relação aos privados. Nenhum destes partidos entende que a relação entre Estado e privados não é um jogo de soma nula.

O PS mostra ser mais inteligente e vai buscar ensinamentos tanto à direita liberal como à esquerda estatista. Daí o PS propor uma solução intermédia que reconhece a complementariedade entre público e privado, isto é, o PS é o único partido que mostra ter aprendido com a crise actual e com a falência do socialismo real. Enquanto o PSD fala como se esta crise não tivesse existido, o BE fala como se só tivesse existido essa crise, como se o socialismo tivesse sido inventado em 2009.

Um dos maiores problemas do BE consiste na ausência de uma política que assegure um crescimento económico que garanta o a sustentabilidade do estado social. Para o Bloco, solidariedade não requer competitividade e crescimento económico. Por outras palavras: a solução para todos os nossos problemas não tem de ser construída, isto é, não depende da criação de um contexto que económico que ainda não existe. Os nossos problemas resolvem-se a partir dos recursos actualmente existentes, redistribuindo-os. Mas alguém acredita que as medidas propostas pelo Bloco garantam os crescimento económico que financie as políticas sociais que a esquerda bloquista deseja? Qual a tx de crescimento necessária para pagar o estado social defendido pelo bloco sem que o défice se torne insustentável? O BE, infelizmente, ignorou estas contas.

Esquerda tradicional vs Esquerda moderna, numa realidade pré-geringonça.

galambamortagua

PSD de luto

Até hoje não sabia quem era o Paulo Vieira da Silva, mas segundo a imprensa é um militante importante do PSD. Aparentemente o Pedro Viana da Silva foi membro do conselho nacional, uma posição importantíssima que só 900 militantes do PSD já tiveram a honra de assumir. Apenas 900, e o Pedro Vieira de Sousa foi um deles. O Paulo Viana de Sousa demitiu-se de militante do PSD porque não gosta de Pedro Passos Coelho. Pedro Vieira da Silva sai por causa de Pedro Passos Coelho apesar de há menos de um ano ainda achar que ele era “um homem honesto, corajoso, está na politica para servir e não para se servir. É exactamente o mesmo homem que chegou a primeiro-ministro, apenas mais velho, com mais rugas e menos cabelo, certamente fruto das muitas preocupações que carrega todos os dias nas suas costas. Mostrou ser um político com sentido de Estado.”. O mundo mudou. Ou simplesmente Pedro Viana da Silva queria voltar a ver o seu nome no jornal e não sabia como. Mas conseguiu-o. O seu nome ficará para a posteridade: Paulo Viana de Sousa, o militante que saiu do PSD porque um homem “honesto e corajoso” era presidente.

Não está mal visto…

Mariana Mortágua quer ‘ir buscar dinheiro a quem está a acumular’, contribuintes recomendam que vá buscar ao Fisco

Contos infantis para bloquistas – A cigarra e a formiga

mosca-e-formigaNum reino não muito distante havia uma cigarra e uma formiga. Chegado o Verão, a formiga desatou a trabalhar mais do que 35 horas por semana. Sempre a carregar migalhas dia e noite. Enquanto a parola self-made-bug da formiga trabalhava, a muito culta cigarra expressava-se artisticamente, mantendo viva a cultura do país. Chegado o Inverno, a cigarra, vendo-se sem comida, foi bater à porta da formiga:

– Oh formiga, não tens aí uma migalha?
– O que é que fizeste o Verão todo enquanto eu trabalhava?
– A culpa não foi minha. O Mundo mudou. Ninguém esperava que chegasse o Inverno. Para além disso, eu sou uma representante da cultura. Se não me deres as tuas migalhas, eu vou cantar para o Brasil e nunca mais volto.
– Então, faz boa viagem – disse a formiga

Passado um dia, a cigarra regressa, desta vez com a Mariana Mortágua.

– Oh formiga, passa lá metade do que acumulaste que isto é uma democracia e eu ganhei as eleições. Para além disso, este teu ninho apanha sol por todos os lados e não te vejo a pagar o que devias.

A formiga não teve outra opção e lá deu aquilo que tinha acumulado. No Verão seguinte foi apanhar migalhas para a Holanda e nunca mais voltou. A cigarra bem bateu à porta da formiga, mas ninguém atendeu. Sem outra hipótese de sobrevivência, vestiu uma mini-saia e foi ganhar a vida para um bar de gafanhotos. No final do mês lá veio a Mariana Mortágua sacar-lhe metade do que tinha ganho: “Agora que a formiga se foi embora, tens que ser tu a pagar.”.

A cigarra aprendeu a sua lição. Chegado o Verão, foi também para a Holanda. Arranjou um emprego na empresa da formiga e viveram felizes para sempre.

Sócrates e o PS: faz sentido

Sócrates “estrela principal” em iniciativa do PS/Lisboa

Faz sentido: Sócrates é o modelo do homem sem poupanças

Insurgente memória: João Galamba e o “alegado optimismo” do PS

Estávamos no final de Janeiro de 2016. A desaceleração no crescimento do PIB nos últimos dois trimestres de 2015 era conhecida. Discutia-se o orçamento de estado. Muitos, entre os quais este vosso servo, criticavam o irrealismo das previsões de crescimento económico do PS. Na altura (há menos de 8 meses), o PS garantia que o crescimento seria de 2,1% em 2016. Quando o Orçamento chegou às instituições europeias, as malvadas mandaram reduzir a previsão para uns mais realistas 1,8%. O país está por esta altura a crescer 0,9%.

João Galamba jurava a 7 pés que não havia excesso de optimismo nenhum. Na altura, publicou esta mensagem (sublinhados meus):

galambajaneiro2016

Diálogos no Terreiro do Paço

O Micha reproduziu o diálogo que terá ocorrido no Terreiro do Paço. Julgo que, por motivos que lhe serão certamente alheios, transcreveu mal o diálogo. O diálogo corrigido é este:

– Chefe, posso entrar?
– Claro. Senta-te aí
– Obrigado. Posso tirar um Nespresso? Estou com orçamento reduzido no meu gabinete…
– Força aí
– Muito obrigado. Estava a precisar. Sabe, aquela encrenca da Galp não está nada fácil. O que vamos fazer?
– Tens razão, Mário. Aqueles %$#%$#& puseram a notícia a circular e, claro, queimaram-me logo. Era só um jogo, pá. Que mal traz ao mundo ir de business, ficar num hotel com mais estrelas que o rating de Portugal e assistir ao jogo? Porra, pá.
– Pois é, chefe. Mas agora temos é de resolver isto, senão sobra para mim.
– Bom. O que dizes de agora assumires esta pasta da Galp? Está na hora de te emancipares, e eu ficava um pouco mais recatado. Preciso de uns tempos longe das câmaras e dos jornais
– É melhor, chefe. Pronto, vamos então anunciar que você transferiu os seus poderes para mim
– Ok, Mário. Olha, leva lá a chávena, que eu não sou teu criado
– Sim, chefe.