Conferência: RBI – Rendimento Básico Incondicional – Univ. Lusófona, 24 de Maio

Na próxima Quinta-feira, dia 24 de Maio, a partir das 17 horas estarei no primeiro painel desta conferência sobre RBI na Universidade Lusófona, em Lisboa. Mais informações aqui.

Anúncios

Seminários IES 2018

Caríssimos,

O IES está a organizar 2 seminários semanais para explorar as ideias de Liberdade, num ambiente informal e de confraternização. Já participei há uns anos e posso garantir que foi uma semana espectacular: quer em termos de relações que ficaram, quer em termos dos debates com pessoas que entendem a nossa matriz ideológica.
PS: o prazo de inscrição é curto e acaba amanhã, dia 15/Maio.

Podem ver a descrição do instituto AQUI.

The aim of The Institute for Economic Studies Europe is to stand at the center of a worldwide network of students, scholars and other intellectuals. Since 1989, the Institute, a non profit organization registered in the state of Virginia, has aimed at discovering, developing and supporting the most outstanding people it could find among students, scholars and other intellectuals who share an interest in exploring and applying the principles of classical liberalism. For that purpose, IES uses or supports three different tools of teaching or of research. Every year we organize summer seminars somewhere in Europe, a summer university in Aix-en-Provence, France, and sponsors researchers or translations of major books.

Each of these activities aims at the spreading of classical liberalism which includes among its principles:

– the recognition of inalienable individual rights and the dignity and worth of each individual
– the protection of those rights through the institution of private property, contracts and the rule of law.
– the support of the ideal of voluntarism in human relations, including support of the free market mechanism in economic affairs and free movement of goods, ideas and people.

Podem ver a página dos seminários AQUI.

Interested in exploring the ideas of Liberty? Spending a week of great experiences, intercultural exchanges, discussing and thinking about freedom, learning from top professors and making new friends from all over the world?

In 2018, IES Europe will offer you just that. So, come back in the following weeks to find out about this year’s seminars and their deadlines and grab those unique opportunities.

Participation is free! The best applications will be selected.

Caso tenham alguma dúvida, pretendam informações, ou queiram que vos escreva uma carta de recomendação, enviem mail para campelodemagalhaes@gmail.com
(esta última implica uma conversa telefónica)

Seria interessante ter um ou dois representantes portugueses nestes fóruns europeus.

“Using Voter-choice Modeling to Plan Final Campaigns in Runoff Elections” – 10 de Maio em Lisboa

Na próxima, Quinta-feira, dia 10 de Maio, mais um seminário da Arrow Workshop Series, uma iniciativa conjunta do CIEP e do CUBE da Universidade Católica Portuguesa.

“Para onde vai a Direita?”, 25 de Maio em Lisboa

Tertúlia com Vasco Pulido Valente e Adolfo Mesquita Nunes – Moderação: André Abrantes Amaral

25 de Maio 2018, 19.30 – Grémio Literário, Lisboa

“Do 25 de Abril à Liberdade”, hoje no Porto

“A Educação em Portugal” – Alexandre Homem Cristo, IEP-UCP, 2 de Maio

“A Educação em Portugal” por Alexandre Homem Cristo
02 Maio | 18h30-20h00
Sala de Exposições – Piso 2 Edf. BJPII

“Challenges for the European Union”, 26 de Abril

Open Day IEP – 18 de Abril

Compreender o putinismo LXXXV

Estão finalmente explicados os fenómenos da santidade e do excepcionalismo  russo.

No que toca à santidade – algo que pode ser alterado a qualquer momento, assim queira o chefe Putin -, para além da verborreia propagandística, a Santa Mãe Rússia opta por nada fazer acerca do segundo ataque militar aliado (EUA, Reino Unido e França) durante a administração Trump à Síria, país que se encontra em guerra há sete anos.

A grande novidade no que toca ao ponto central do excepcionalismo russo é que os russos sob a sábia direcção de Vladimir Putin  possuem, em regime de exclusividade para o planeta Terra, a capacidade sobre-humana de ir e regressar do futuro.

A prova, imune a fake news, para os cépticos:

(…) Russian Foreign Minister Sergei Lavrov said citing data from the Swiss laboratory that the BZ toxin was used in the poisoning of the Skripals, adding that the chemical has been in the possession of the US and the UK, but has never been produced in Russia. Specialists from the laboratory finished examining the samples on April 27.(…)

Trumpices

Conheço um presidente que se deu muito mal com o uso indevido do Facebook. Este, como é do conhecimento geral, é o presidente mais libertário e pacifista de sempre que exerce o mandato e “envia” bombas através do Twitter. Um senhor!

Pedófilos na creche, Síria na ONU

Não virá grande mal ao mundo nem à ONU (vénia ao engenheiro Guterres), a Síria, um país com uma história, um presente e um futuro tão ricos quanto pacíficos contribuir para o desarmamento químico e nuclear do Planeta.

Syria to chair UN disarmament forum on chemical & nuclear weapons

Seminário “A evolução da família portuguesa”, por Manuel Braga da Cruz

Seminário Adérito Sedas Nunes “A evolução da família portuguesa”, por Manuel Braga da Cruz.
11 Abril | 18h30-20h00
Sala de Exposições – Piso 2 Edf. BJPII – Universidade Católica Portuguesa

Seminário “Blockchain e a Digitalização da Sociedade” – 4 de Abril na Universidade Católica, no Porto

Seminário “Blockchain e a Digitalização da Sociedade”

As Crises Económica e Política à Luz da Escola Austríaca de Economia – 4 de Abril no Porto

Para quem esteja pelo Porto no próximo dia 4 de Abril, uma oportunidade a não perder para ouvir o Professor Ubiratan Iorio, Professor da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e Diretor Académico do Instituto Mises Brasil.

Mais informações aqui.

Joana Marques Vidal e o futuro do Ministério Público – 6 de Abril na Universidade Católica, em Lisboa

Continue reading “Joana Marques Vidal e o futuro do Ministério Público – 6 de Abril na Universidade Católica, em Lisboa”

A atracção por ditadores

Portugal e Rússia: a “geringonça” tem as costas largas, por João Miguel Tavares. A atracção do PS por ditadores e cleptomaníacos – uma tradição que vem de Sócrates.

O Governo virou as costas aos aliados. É uma vergonha que nos sairá cara, por José Manuel Fernandes.   A diplomacia portuguesa de mãos dadas com o regime de oligarcas.

Fake news. Putin, O porteiro do Kremlin adorado por liberais variados, socialistas e integralistas lusitanos perdidos de amor por super-líderes, oferece estátuas de ditadores socialistas? A culpa é dos ingleses.

O Paciente Inglês

o pac

Como a direita continua a não ter vergonha na cara e teima em chafurdar na mesma desonestidade intelectual de que acusa os Costas e os Galambas desta vida, acumulam-se as duras críticas à sensata posição do Governo de Portugal em relação à guerra fria entre a Rússia e o Reino Unido. Serão os mesmos que evocam uma aliança centenária, quase pretendendo fazer a equivalência entre a defesa da mesma e o patriotismo, patriotismo esse que os leva, em certas ocasiões e nas poucas partes que conhecem de cabeça, a cantar um hino que surge de uma marcha exigindo que os portugueses rasgassem essa tal aliança e pegassem em armas, o equivalente a um suicídio dos dolorosos, “contra os Bretões”. Bom povo inglês, sempre do nosso lado em Goa, em Angola, em Timor.

Bem faz o Governo em exigir prova concreta que suporte as acusações inglesas, como também faria bem em desconfiar das mesmas, sejam elas apresentadas. Não há muito tempo, a dupla Durão e Portas arrastou Portugal para um conflicto desencadeado à margem do direito internacional, cujas provas, posteriormente, se verificaram serem falsas, e que pode bem acartar as culpas da terrível situação que o Médio Oriente hoje enfrenta. Sim, PSD e CDS têm ambos sangue nas mãos e a choradeira dos seus dirigentes e apoiantes quando se deparam com imagens dos meninos sírios lembra aquelas viúvas chorosas no luto do defunto,  tendo umas semanas antes escarniado o marido à cabeceira do amante.

Continue reading “O Paciente Inglês”

O CDS Feminista

Cds_simbolo_2.png
Foi ontem anunciado que será aprovada na AR a mudança da funesta Lei da Partidade, com o aumento da percentagem prevista para 40% e o alargamento do critério a todos os órgão politicos electivos. Na minha curta jornada pelo mundo da política já conheci, pessoalmente e pela via literária, uma imensidão de opiniões dentro das próprias ideologias, mesmo dentro das direitas, diversidade essa, em muitas ocasiões, bem fundamentada. Ora eu já conheci pessoas de direita, incluindo bons conservadores, defendendo a legalização das drogas leves ou da prostituição e socialistas que se lhe opunham. Já conheci quem de direita se opusesse à liberalização do porte de arma para defesa pessoal ou fosse um ambientalista fervoroso – como este que vos fala – e socialistas que optassem pelas posições contrárias. Muito se pode escrever acerca destas questões e muito se pode e se tem teorizado sob o seu enquadramento, legítimo ou não, à luz das ideologias relevantes.
O que eu nunca conheci pessoalmente, nunca encontrei nos livros, nem nunca ouvi num podcast foi uma feminista – nos moldes em que actualmente o feminismo se enquadra, na sua terceira via – que fosse de direita. Sendo improvável a existência de um cavalo com asas, nem pelas leis da biologia nem pelas da física, é mais provável eu ter exagerado nos shots de tequila do que estar na presença da mítica criatura. O que me leva a concluir que, dada a diferente natureza entre os fenómenos da própria e os ideológicos, quando me deparo com a primeira pessoa, supostamente à direita, que se diz feminista, é mais provável essa pessoa não ser, de facto, de direita do que estarmos na presença de um cisne negro, terminando eu a indagar acerca do escombro do espectro político em que a Presidente do CDS habita. Dito isto, revivo o debate que se acendeu pelas posições tomadas, na AR, por um deputado do partido, debate esse que gerou páginas de discussão na imprensa, no Facebook, na blogosfera e nas suas caixas de comentários, pois dizia-se ser impensável o partido ser tão complacente a uma suposta violação grave da matriz do partido.

Continue reading “O CDS Feminista”

“Porquê a Teologia? Na universidade e espaço público”, 19 de Março na UCP

Compreender o putinismo LXXXIII

Razões de ser da superioridade Ocidental face à Santa Mãe Rússia de Vladimir Putin.

We must stand up to Russia – even over the fate of just one man. That’s what makes us better than Putin, por Daniel Hannan.

 

“O Estado Providência em Portugal”, 14 de Março, IEP-UCP

Uma excelente oportunidade para ouvir Miguel Gouveia, um dos melhores especialistas nacionais neste tema.

Novo Manual de Investigação – 9 de Março, em Lisboa

O novo livro de Gabriel Mithá Ribeiro, com apresentação de Helena Matos.

CDS – Uma Reflexão Pré-Congresso

img_817x4602016_06_13_15_50_22_287628

O CDS padece, desde a sua génese, de uma lamentável disposição a ser bengala. Esta disposição, originada, a meu ver, por um medo de parar, permite-lhe ir andando, mas também o impede de correr. Nas ocasiões, poucas, em que o CDS resolveu tentar aspirar a marcar a sua posição no espectro político, ora obteve votações expressivas da parte do povo português – ver este artigo de Richard A. H. Robinson -, ora foi esmagado por circunstâncias da época, como o foi o choque de Lucas Pires e do Grupo de Ofir – ver artigo do Adolfo MN – com a ascensão do Cavaquismo. Faz falta pensar, sobretudo pensar. Os tecnocratas que nos apoquentam, os que nos bombardeiam diariamente com chavões como challenge e leadership e branding, não entenderam, ou não quiseram entender, o poder da marca na política: e essa marca é a ideologia, firme, segura de si.

Ao ambicionar diminuir-se ideologicamente, para com isso assaltar o eleitorado ao centro, o CDS consolida a desconfiança já tremida daquela que é a sua base: a direita. E porque um mal nunca vem só, enxota de vez os desapontados, aqueles que nos mais de 40% de abstenção não se reconhecem neste sistema putrefacto do arco da governação. Hipoteca o futuro por umas migalhas no presente, apesar de ser, mais tarde do que imaginam os arautos da serenidade do bom povo português, Pinheiros de Azevedo desta vida que tomam por fumaça o êxodo dos jovens da política, candidato a como os outros perecer na poeira do tempo, olhado daqui a uns anos como relíquia de uma época menos afortunada.

Continue reading “CDS – Uma Reflexão Pré-Congresso”

Open Day IEP – 19 de Abril

Tertúlia com Pedro Arroja, Rui Albuquerque e Miguel Morgado

Um alinhamento verdadeiramente galáctico: Tertúlia Liberal com Pedro Arroja, Rui Albuquerque e Miguel Morgado, dia 9 de Março no Porto.

Com muita pena minha, provavelmente não poderei estar presente mas recomendo vivamente a quem tenha essa possibilidade.

Trumpices

Da série o presidente mais libertário de sempre: não há nada que uma boa e fácil guerra comercial não resolva.

U.S. President Donald Trump said on Friday trade wars were good and easy to win, striking a defiant tone after global criticism of his plan to slap tariffs on imports of steel and aluminum that triggered a slide in world stock markets. (…)

Vargas Llosa, um homem com juízo

Vargas Llosa: «En España no hay ningún partido liberal en el poder»

(…) «El nacionalismo es un monstruo, una ideología antidemocrática. En Cataluña se ha creado ese monstruo, a través fundamentalmente de la educación, inoculando esa ideología tóxica según la cual Cataluña estaría mucho mejor si se independizara de España», ha sostenido. De ahí que «si hay un brote de nacionalimso, hay que combatirlo», como hicieron «cientos de miles de catalanes» en la manifestación que tuvo lugar el pasado 8 de octubre en Barcelona y de la que Vargas Llosa no se va a olvidar «nunca». «Mi esperanza es que Cataluña vuelva a ser otra vez la vanguardia de España, que este fenómeno haya quedado atrás y el “seny” se imponga», ha destacado.

Volviendo la vista a América Latina, el escritor ha defendido que para poder juzgarla «conviene comparar la de hoy con la del pasado»: «Tenemos que reconocer que hay un progreso muy notable. Dictaduras tenemos Cuba y Venezuela, el resto son democracias imperfectas y algunas van camino de la prosperidad, de la civilización». No obstante, Vargas Llosa ha advertido que «lo que ocurre en Venezuela debería servir de ejemplo preventivo a los países latinoamericanos». «Esas elecciones -en relación a las presidenciales venezolanas del 22 de abril- van a ser una farsa. Sólo se puede esperar un fraude monumental y no creo que haya gente tan ingenua como el expresidente español José Luis Rodríguez Zapatero que invoca a ir a votar a una mentira tan flagrante», ha concluido al respecto. (…)

Aniversários

No dia do 13º aniversário d’O Insurgente, há um outro aniversário que importa realçar: o do assassinato de Boris Nemtsov. Vale a pena ler o artigo de Vladimir Kara-Murza, How I Remember Boris Nemtsov.

Leitura complementar: Remembering Boris Nemtsov, por Keith Gessen.

 

 

Liberalismo e os Partidos em Portugal – 22 de Fev. em Lisboa

Na próxima Quinta, dia 22 de Fev., falarei sobre Liberalismo e Partidos em Portugal numa sessão organizada pelo Instituto Mises Portugal e que terá lugar no IEP-UCP. Mais informações e inscrições aqui.

Palestra Anual Tocqueville do IEP-UCP – Cavaco Silva, 8 de Março

Palestra Anual Alexis de Tocqueville e Cerimónia de Entrega de Prémios e Diplomas 2018
8 Março 2018 – 18h00

“Portugal e o Aprofundamento da União Europeia”
– Professor Aníbal Cavaco Silva