Preconceitos sobre o cheque-ensino (2)

Como referi, uma objecção apresentada à introdução de um sistema de cheque-ensino assenta na ideia que as escolas privadas seleccionam os alunos e portanto passariam a usar o sistema para escolher alunos ricos pagos à conta do estado. Antes de entrar neste assunto, convém recordar que não havendo ricos suficientes para popular as escolas agora, …

Continuar a ler Preconceitos sobre o cheque-ensino (2)

Preconceitos sobre o cheque-ensino

Há alguns preconceitos que recorrentemente emergem quando se debate o cheque-ensino. (Em abstracto, porque na verdade não há indicação clara que existam planos para introduzir aquilo que se entende por “cheque-ensino” em Portugal.) Em primeiro lugar, a ideia que as escolas privadas são para ricos. Talvez influenciada pela ficção de época sobre aristocratas britânicos que …

Continuar a ler Preconceitos sobre o cheque-ensino

O cheque-ensino entre os orgulhosos e os preconceituosos

Ainda sem estarmos a par de pormenores acerca da mudança noticiada a respeito da educação, muito se tem escrito, nos últimos dias, acerca do designado “cheque-ensino”. Contudo, é um tema que está longe de se esgotar e julgo que existem aspectos que continuarão a merecer uma reflexão continuada, com “prudência e caldos de galinha”, e …

Continuar a ler O cheque-ensino entre os orgulhosos e os preconceituosos

Onde cortar na despesa: cheque-ensino superior

O DN noticia hoje que um aluno do ensino superior privado gasta, em média, mais 3108 euros por ano em despesas de educação do que um aluno do ensino público. Segundo o orçamento de estado e os números apresentados pelas universidades, cada alunos das 3 maiores universidades do país (Universidade do Porto, UTL e Universidade …

Continuar a ler Onde cortar na despesa: cheque-ensino superior

Professores: há que separar o trigo do joio

O gráfico acima, aparentemente complexo mas de simples interpretação, ilustra bem a importância do professor na performance dos discentes, uma observação muitas vezes contestada pelos romeiros do eduquês, que insistentemente se resguardam no contexto sócio-económico, Santo Graal para os fatídicos resultados da escola pública — os republicanos-laicos-excepto-para-construir-mesquitas-em-Lisboa que me perdoem a referência pia. Vejamos. O gráfico no canto superior …

Continuar a ler Professores: há que separar o trigo do joio

Mas então os liberais querem subsidiar as escolas privadas?

De todos os argumentos que se esgrimem contra os contratos de associação, mais especificamente sobre a posição de pessoas mais ou menos liberais sobre o tema é a aparente contradição entre querer o estado fora da economia e ao mesmo tempo defender subsídios públicos a colégios privados. Há uma ponta de verdade aqui. Mas só …

Continuar a ler Mas então os liberais querem subsidiar as escolas privadas?