Explicando o conceito de produtividade

Frequentemente encontro por aí boas explicações sobre o que significa produtividade. É o caso de um curto vídeo, divulgado no Jornal Económico, da autoria do professor Nadim Habib, da Nova School of Business and Economics. Nesse vídeo o professor Nadim dá três boas dicas para as organizações melhorarem a sua produtividade, todas elas derivadas da mesma … Continue reading Explicando o conceito de produtividade

Um pouco mais de pudor

Uma discussão interessante: Bloco pede a Rui Tavares “mais rigor na história” Numa nota ao jornal Público, o Bloco assinala que não aceita que as suas posições “para as quais Miguel Portas contribuiu (neste caso, de forma decisiva) sejam publicamente falseadas”. “Pedimos apenas um pouco mais de rigor. E, já agora, de pudor”, lê-se na … Continue reading Um pouco mais de pudor

Rácio de verborreia orçamental

ACREDITE SE QUISER: Rácio de verborreia Orçamento de Estado português 2017 Despesa total 57 mil milhões de euros Número total de páginas 270 (Lei 233 + Normas de Execução 37) Orçamento do Reino Unido 2017 Despesa total 784 mil milhões de libras (900 mil milhões de euros) Número total de páginas 68 Número de páginas … Continue reading Rácio de verborreia orçamental

Unidade de Missão Impossível

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que será lançada uma unidade de missão destinada a incentivar a localização de empresas em Portugal que pretendam continuar sem condicionalismos no espaço europeu após a saída do Reino Unido da União Europeia. Tenho a propósito desta unidade de missão una proposta para poupar despesa ao estado: Basta imprimir um … Continue reading Unidade de Missão Impossível

O terrorismo não é uma questão de inserção social

Londres e a irrealidade, a opinião de Paulo Tunhas no Observador. (…) É inútil lembrar que “fobia” vem da palavra grega que significa “medo” e que o medo não é propriamente uma emoção disparatada nestes casos. Mas talvez não seja despiciendo recordar que o dever de compaixão pelos refugiados vindos daquelas terras às quais as … Continue reading O terrorismo não é uma questão de inserção social

A presunção de inocência e os prazos no dia da felicidade

O meu texto de ontem no Observador. ‘Vejam por exemplo os disparates que foram ditos e escritos sobre a presunção de inocência de Sócrates. A presunção de inocência é um conceito jurídico que garante que ninguém é condenado sem que existam provas sólidas de um crime cometido. Ponto final. Ora como qualquer pessoa pensante percebe, … Continue reading A presunção de inocência e os prazos no dia da felicidade

As autárquicas não são um plebiscito

O meu artigo no ‘i’. Relativamente às escolhas do PSD para as autárquicas discordo do que o meu amigo Alexandre Homem Cristo escreveu segunda-feira no Observador. O governo quer que as autárquicas substituam as legislativas, legitimando-o e forçando a demissão de Passos Coelho, que venceu as eleições. O PSD não pode ser usado neste esquema. … Continue reading As autárquicas não são um plebiscito

Um pequeno ensaio sobre a grande estagnação

O motto foi dado por uma partilha do sempre recomendável Pedro Romano. O link apontava para um artigo do Simon Wren-Lewis, um pós-keynesiano indefectível de Oxford, que, à semelhança de outros economistas como Larry Summers, acham que a grande estagnação económica, particularmente visível no século XXI, se deve a um problema crónico, ou estrutural, de falta … Continue reading Um pequeno ensaio sobre a grande estagnação

A inveja imprimida

Hoje é destaque de primeira página do Jornal de Notícias [JN] a posição de empresários portugueses no ranking Forbes dos mais ricos. Naquele destaque, é apresentado o seguinte texto: “Fortuna dos mais ricos dava para pagar juros da dívida pública” Considerem o contexto subentendido na frase. Claramente, coloca a hipótese do confisco das fortunas acumuladas por aqueles empresários, … Continue reading A inveja imprimida

PdVeC* de vento em popa

Depois do insuportável peso do estado e da interferência deste na vida de pessoas e empresas, agradeçamos ao governo da geringonça o *Processo de Venezuelização em Curso. Graças ao bizarro governo, a república portuguesa tem uma página na internet que marca o dia internacional da felicidade e que, imagine-se dá pelo nome de “FELICIDADE” – assim mesmo, … Continue reading PdVeC* de vento em popa

(in)segurança na CGD?

Já pensaram na razão da CGD eventualmente pagar a investidores internacionais taxa de juro de 10% por dívida subordinada enquanto remunera portugueses com depósitos a prazo em 1-2%? Certamente os nossos leitores rapidamente chegam à resposta: o risco é diferente. É admissão (implícita) do governo do Estado accionista que existe probabilidade da CGD não cumprir … Continue reading (in)segurança na CGD?

Sobre fugas de informação e outras coisas

Imagine o leitor que era um juiz ou um procurador a investigar alguém muito poderoso. Possivelmente, uma das pessoas que mais poder e influência acumulou em 40 anos de democracia. Essa pessoa tem uma rede de contactos que se estende do mundo empresarial à imprensa, passando, claro está, pelo poder político. O leitor sabia que, … Continue reading Sobre fugas de informação e outras coisas

O panorama político português em perspectiva

Os leitores mais atentos terão notado a alegria de alguns membros do Partido Socialista pelo fraco resultado do Partido Trabalhista nas eleições holandesas. Alguns acharão estranho que responsáveis políticos do Partido Socialista regozigem com a derrota de um partido que pertence à mesma organização política europeia: o Partido Socialista Europeu. Na realidade, sendo teoricamente da … Continue reading O panorama político português em perspectiva

Offshores e a Caixa Geral de Depósitos

De acordo com a notícia do Expresso, as obrigações subordinadas que fazem parte do plano do governo para aumento de capital da Caixa Geral de Depósitos, e que andam a ser vendidas a investidores pelo Professor Rebelo de Sousa, serão colocadas no Luxemburgo por forma a fugir aos impostos e despesas de colocação em Portugal. … Continue reading Offshores e a Caixa Geral de Depósitos

Portugal, o país onde não podemos escrever livros

O meu texto de ontem no Observador. ‘Ontem quando escrevia este texto o país estava calmo, mas aposto que hoje existem, pelo menos, três bairros barricados em Lisboa. Nem imagino o atroz sofrimento da esquerda nacional por tão hedionda traição. Caso a PSP não tenha pensado atempadamente (o que é imperdoável e justifica por si … Continue reading Portugal, o país onde não podemos escrever livros

E que tal mexerem-se?

“A regulação bancária deve definir regras pela negativa, que delimitem o que não se pode fazer, e relativas a práticas concretas. Seria muito mais útil do que muitas micro medidas.” Destaque do meu artigo de hoje no ECO – Economia Online. Sobre a regulação bancária em Portugal.

Rentes de Carvalho sobre Geert Wilders

Rentes de Carvalho vota Geert Wilders. E explica porquê Temer eventuais consequências? Nunca isso me passaria pela cabeça. Nada tenho a ver com os meus leitores, não lhes devo coisa nenhuma, tão-pouco me interessa o seu favor ou desfavor, ou que eles suponham poder-me associar com Wilders, a islamofobia, a extrema-direita, o partido dos animais … Continue reading Rentes de Carvalho sobre Geert Wilders