Escalões De IRS Para 2020

Fazendo serviço público, disponibilizo aqui as tabelas dos escalões de IRS para 2020 (fonte).

De referir que o governo actualizou os escalões de IRS para 2020 em apenas 0,3%, abaixo da inflacção que o governo estima para 2020 entre 1,2% e 1,4%, facto que só por si representa um aumento encapotado de impostos (fonte).

Fazendo as contas para o rendimento mensal bruto necessário para atingir cada escalão (contabilizando o efeito no rendimento colectável do máximo entre 4104€ e as contribuições para a segurança social; e depois dividindo o valor por 14 meses), obtemos a tabela e o gráfico abaixo.

Em Portugal, quem ganha até 9125,79€ por ano (651,8€ mensais) está isento de IRS (fonte).

De referir também que em Portugal, quem ganha 2934€ por mês é considerado super-rico, atingindo o sexto escalão de IRS e é sujeito a uma a taxa marginal de IRS de 45%. De facto, excluindo à Bélgica, Portugal é o país da União Europeia onde mais cedo se atinge a taxa marginal de 45% (fonte).

De referir ainda que, em termos de progressividade, 84% de todos os agregados familiares portugueses (dos que têm menos rendimentos) pagam apenas 16% de todo o IRS. Os 16% dos agregados familiares portugueses com maiores rendimentos pagam 84% de todo o IRS. Mais supreendente (ou talvez não) é que os cerca de 2500 agregados familiares com maiores rendimentos (representando apenas 0,1% de todos os agregados familiares portugueses), sozinhos pagam cerca de 8,5% de todo o IRS (fonte). Enfim. Para a esquerda, o IRS nunca será suficientemente progressivo.

Disponibilizo os cálculos que serviram de base às tabelas e gráfico acima aqui.

23 pensamentos sobre “Escalões De IRS Para 2020

  1. Gaius Octavius

    A esquerda está no bom caminho para acabar de vez com os “ricos”. Depois de já não haver “ricos”, os que estavam abaixo destes passam a ser os “ricos” e assim sucessivamente. No final, teremos uma população composta somente por escravos proletários famintos e iletrados a viver debaixo da bota da esquerda. Então aí poderão dizer orgulhosos: “cumpriu-se o socialismo!”

  2. Filipe Bastos

    “Os 16% dos agregados familiares portugueses com maiores rendimentos pagam 84% de todo o IRS … os 2500 agregados familiares com maiores rendimentos (apenas 0,1% de todos os agregados) sozinhos pagam cerca de 8,5% de todo o IRS.”

    Realmente escandaloso, Sr. Cortez: que rendimento obsceno têm esses agregados? Porquê uma disparidade tão grotesca para 99,9% do país? De onde vem tanta massa e que fizeram para a merecer? (é uma pergunta retórica: é impossível merecerem tanto a mais).

    Quantos deles são mamões, chulões, trafulhas? Quantos não o são, mas herdaram tudo ou quase tudo dos papás que o eram?

    E conhecendo os offshores, advogados e ‘engenharias financeiras’ de boa parte deles, para não dizer de todos, quanto mais deviam pagar?

  3. Jan

    Filipe e se calhar o mereceram? E se recebem bastante mas dão salários a muita gente? E se herdaram que mal tem?
    Menos odio menos inveja filipe. Menos esquerda. Mais dinheiro para todos. Felicidades e bom resto de semana!

  4. Jan

    Gosto tanto dos grandoleiros que por aqui se passeiam. Dão o corpo às balas merecem por hoje um elogio pelos vossos comentarios dissonantes. abr aos lavouras atavs e bastos. Mas amanha, porrada.

  5. Filipe Bastos

    JAN, eu também emprego pessoas; isso não me dá licença moral ou razão lógica para receber grotescamente mais que elas. Repito, a partir de certo valor ninguém merece tanto. Que valor? É ver a remuneração média. As contas estão num post anterior, salvo erro de dia 11.

    Se herdaram, ainda menos mérito têm. É limitar também as heranças a um valor razoável. Demasiada gente confunde inveja com equidade e com justa indignação, JAN; não seja mais um.

    Detesto a “Grândola”. Estou a trabalhar e a ouvir Helloween (7 Keys), a seguir Purcell (St. Cecilia’s). Obrigado e boa semana.

  6. Jan

    Filipe por favor veja isto

    É uma visao perigosa de marxista romantico. Ainda recentemente a ameba da ocasio cortez disse algo assim.
    De facto como sociedade não evoluímos o suficiente para que haja tanta riqueza em mãos de tão poucos MAS a solução socialista já foi testada e é muito pior. Preferivel que haja riqueza nas mãos de uns e algum dinheiro para todos.
    Algo como governo liberal e estado social é para onde nos deviamos dirigir.
    Obg pela partilha das musicas.

  7. Filipe Bastos

    Já vi quase todos os vídeos de Friedman, JAN. Gosto muito de o ouvir. Não sendo o génio que a direita pinta, é ainda assim fascinante como alguém tão obviamente inteligente pode estar tão errado. Não em tudo, claro: nas coisas mais importantes.

    Gosto também muito do Firing Line, do William F. Buckley Jr., conhece? Aquele tom pomposo, mas tão civilizado, faz sempre sorrir.

    É célebre o “I’ll sock you in your goddamn face” ao Gore Vidal, mas há-de ver um episódio do FL entre o Buckley e o Chomsky: este mete-o no sítio com tal pinta, que o Buckley nunca mais o convidou.

    A ‘solução socialista’ não foi testada; nem sei se será testável. Sei que esta desigualdade e este capitalismo não são sustentáveis. Precisamos duma verdadeira 3ª via. Novamente obrigado.

  8. o governo actualizou os escalões de IRS para 2020 em apenas 0,3%, abaixo da inflação que o governo estima para 2020 entre 1,2% e 1,4%, facto que só por si representa um aumento encapotado de impostos

    O governo atualizou os escalões de acordo com a inflação verificada em 2019. Parece-me uma opção correta – fazer as coisas de acordo com a inflação que se verificou e não de acordo com a inflação que se prevê – uma vez que a previsão até pode vir a dar errada.

    De notar que o governo, corretamente, adoptou o mesmo procedimento para aumentar os salários da função pública – de acordo com a inflação verificada e não com a inflação prevista. Portanto, há coerência.

  9. ATAV

    Filipe Bastos

    Quando o JAN nos rotulou e ao Luís Lavoura de “grandoleiros”, não se estava a referir ao nosso gosto musical.

    Luís Lavoura

    Tem razão. Os governos têm sido consistentes. Mas a consistência tem sido pagar o mínimo possível à administração pública. Nos anos oitenta quando a inflação era muito maior, as actualizações salariais eram feitas tendo em conta a inflação prevista, não a verificada. Na altura, como a inflação verificada estava sempre cima da prevista, a administração pública perdia poder de compra e o estado poupava uns dinheiros.

  10. Pode-se comparar também, se se quiser, com a atualização das rendas de casa. Essa atualização é sempre feita de acordo com a inflação verificada no ano que se passou, e não de acordo com a inflação que se prevê para o ano que vem.

  11. Jan

    Desculpem a questão aqui não é os aumentos míseros da função pública mas sim ideológica. A função publica deve ser valorizada muito mais e limitada aos serviços que sao do estado, ou seja as áreas onde o estado deve actuar e actuar bem -ainda esta semana duas pessoas morreram no sns á espera de atendimento, i.e. temos um estado obeso que vai a todas em detrimento das suas áreas fulcrais de atuação.
    Vcs adoram cascar no capitalismo mas é esse capitalismo que faz países ricos e classe média forte – Obviamente regulando para que nao apareça capitalismo selvagem.
    Esta transição será sempre difícil uma vez que a nossa economia gira toda em torno do parlamento, tem de ser feito aos poucos…
    Pegando na comparação do lavoura é como as rendas nao se pode liberalizar completamente de um dia para o outro senao fica-se a braços com uma calamidade social.
    Obg por terem levantado a guarda para uma discussao mais construtiva.
    Depois investigo os nomes que o filipe mencionou.

  12. Carlos Guerreiro

    Filipe

    “JAN, eu também emprego pessoas; isso não me dá licença moral ou razão lógica para receber grotescamente mais que elas.”
    Com o tempo que passa online nas caixas de comentários, diria que deveria receber “grotescamente” menos do que elas, caso contrário será mais um capitalista (detentor do capilar) explorando os trabalhadores. A não ser que seja uma empresa de trollaria, e aí, pelo trabalho desenvolvido acho que deve receber “grotescamente mais que elas”.

  13. Carlos Guerreiro

    Filipe
    “A ‘solução socialista’ não foi testada; nem sei se será testável. Sei que esta desigualdade e este capitalismo não são sustentáveis. Precisamos duma verdadeira 3ª via.”
    Em mais de 100 anos de socialismo, este nunca foi testado?!!
    Até já tivemos o socialismo do século XXI, o da Venezuela, cujos os resultados foram miséria para o povo e dirigentes ricos, igual a todas as experiência anteriores.
    Bem, se não sabe se será testável, ou arranjam outra canção ou o melhor é meterem a viola no saco de saírem do palco e darem lugar a outros.
    Quando ao capitalismo ele existe, foi testado e com bons resultados, os países que o praticam estão nos primeiros lugares de todos os rankings que realmente medem a riqueza dos povos. Bem todos não, falta o índice de felicidade cósmica do BE…

  14. Carlos Guerreiro

    Luís Lavoura, ATAV e Filipe Bastos se querem trocar ideias uns com os outros, porque não aproveitam o intervalo para o café e vão os 3 juntos. É um bocado estranho quando se está a uma secretária de distância andar a conversar na caixa de comentários de um blog. Parece a agenda digital do Costa, mas um pouco contra o combate às alterações climáticas do mesmo Costa.

  15. Filipe Bastos

    “Com o tempo que passa online nas caixas de comentários, diria que deveria receber “grotescamente” menos do que elas, caso contrário será mais um capitalista (detentor do capilar) explorando os trabalhadores.”

    Já detive mais capilar, Carlos. É a idade. E estando quase todo o dia online, não é difícil dedicar uns minutos a este bonito fórum. Obrigado pela preocupação.

    Vejo que continua confuso sobre o socialismo. Este consiste na redistribuição da riqueza e na gestão colectiva dos meios de produção e da sociedade. Digo que talvez não seja testável porque estamos tão perto desse “novo homem” como de outra galáxia: demasiado egoísmo, demasiada ganância e demasiado carneirismo. Daí o êxito do capitalismo.

    O capitalismo sim, foi testado. E continua a evoluir. Só há-de parar quando formos todos escravos de uma dúzia de mamões, ou quando o planeta estourar. Alguns deles já investem em viagens espaciais, a pensar na 2ª hipótese.

  16. ATAV

    JAN

    “Vcs adoram cascar no capitalismo mas é esse capitalismo que faz países ricos e classe média forte”

    Cuidado com afirmações desse género. Colocar palavras na boca dos outros para os atacar com base nisso chama-se “straw man fallacy” ou a falácia de homem de palha.

    Não me lembro de andar a “cascar no capitalismo”. Eu defendo o modelo da social-democracia, que é basicamente uma sociedade capitalista onde o estado é interventivo e há uma rede de segurança social abrangente.

    Eu mando vir sim com o liberalismo que se vende nesta casa que é apenas autoritarismo e darwinismo social mal disfarçados.

    “Esta transição será sempre difícil uma vez que a nossa economia gira toda em torno do parlamento, tem de ser feito aos poucos…”

    Ou seja, transformar Portugal aos poucos numa ditadura?

  17. Ora aqui está mais uma prova que o Tribunal Constitucional serve para dizer que partes da Constituição podem ser violadas e por quem:

    Artigo 13
    1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.

    2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

  18. Jan

    Atav pah na mesma caixa de texto dizer que eu coloco palavras nas bocas dos outros e depois numa cambalhota quântica eu dizer que a economia está toda encostada ao parlamento = criar uma ditadura.
    Quem põe palavras na boca de quem afinal?
    Podem argumentar e dar as cambalhotas que quiserem escrever comments com meias verdades ou citações ou números cherry picking, que irão sempre esbarrar na realidade que países pobres são de esquerda paises ricos sao mais liberais.
    Mas continuem aqui gosto de ler os vossos comentários.

  19. Carlos Guerreiro

    Filipe
    “Quantos deles são mamões, chulões, trafulhas? Quantos não o são, mas herdaram tudo ou quase tudo dos papás que o eram?
    E conhecendo os offshores, advogados e ‘engenharias financeiras’ de boa parte deles, para não dizer de todos, quanto mais deviam pagar?”
    Detecta-se aqui um certo desespero, uma ponta de depressão, uma insatisfação com a vida. Cuidado, com a eutanásia a começar a funcionar e comissão a necessitar de apresentar números, todos os casos serão um caso, e ainda se arrisca a ir experimentar a máquina (dizem que quem experimenta já não quer outra coisa).

  20. ATAV

    JAN

    “Atav pah na mesma caixa de texto dizer que eu coloco palavras nas bocas dos outros e depois numa cambalhota quântica eu dizer que a economia está toda encostada ao parlamento = criar uma ditadura.
    Quem põe palavras na boca de quem afinal?”

    Daí eu ter perguntado, não afirmado. Sempre que seja possível prefiro confirmar. Mas posso dizer-lhe o que me fez pensar que você é um apologista de ditaduras.

    1º Rotulou outros que não defendem os ideais iguais aos seus de “grandoleiros”. Acha que não se percebe que isto é um ataque ao 25 de Abril, que deu origem ao nosso regime (democracia representativa)?

    2º Mencionou o parlamento especificamente, que é o principal representante da nossa democracia representativa, quando não é só o parlamento que influencia a economia. O parlamento aprova alguma legislação económica como por exemplo o Código do Trabalho ou a Lei da segurança no trabalho. Mas o governo de Portugal também produz legislação económica através de decretos-lei como o Código dos Contratos Públicos ou as portarias do ministério da economia, ambiente, trabalho, etc… Há ainda as Regiões Autónomas e os municípios que também produzem legislação com impacto na economia. E também não nos podemos esquecer da legislação elaborada pelas várias instituições europeias como os vários regulamentos ou esta última directiva europeia de combate ao branqueamento de capitais que Portugal não transpôs para lei nacional.

    Resumindo: em vez de dizer “economia encostada ao estado”, que engloba tudo o que descrevi atrás e é um cliché tão antigo que já tem barbas, escolheu mencionar apenas o símbolo da nossa democracia.

    “Podem argumentar e dar as cambalhotas que quiserem escrever comments com meias verdades ou citações ou números cherry picking, que irão sempre esbarrar na realidade que países pobres são de esquerda paises ricos sao mais liberais.”

    *Sigh*… Outra vez esta treta de argumento. Já estou a começar farto de o desmontar.

    Bom, mais uma vez para a fila de trás… Como o pessoal daqui sabe que os países Nórdicos são eficientes e que a população tem uma excelente qualidade de vida, promoveram-nos a “liberais honorários” para efeitos de propaganda. E fizeram isso apesar de esses países terem pouca desigualdade, impostos altos, imensos funcionários públicos, taxas de sindicalização altas, um estado muito interventivo na economia e um estado social muito abrangente… Enfim, o exacto oposto do que se defende aqui.

    Então quais são os países que melhor representam o que se defende nesta casa? Países que não tenham um estado social abrangente (nada de saúde, educação ou segurança social), não há estatismos opressivos como lei laboral, lei ambiental ou protecção do consumidor que massacrem os empresários e onde os impostos são baixos? Em suma, que sejam paraísos liberais? Bem, à primeira vista só me consigo lembrar de estados falhados e como o Sudão ou a Somália. Batem certo em todos estes pontos…

  21. Jan

    Atav, quando olhar para baixo e vir dois pares nao se julgue o maior é outro gajo que o está a …
    Pesquise o resto.
    A bazofia “alunos lá de trás”e “farto de o desmontar” depois confunde os temas e saca duas ditaduras falhadas.
    Nos paises norte da europa é governo liberal estado social forte. O estado nao interfere na economia. O estado não anda a brincar aos bancos. Não têm salário mínimo. Voucher cheque estudo. Se bem me recordo até no despedimento são liberais.
    O tema economia encostada ao parlamento é relacionado com a dependencia de imensas empresas importantes na nossa economia que a unica coisa que sabem fazer é mamar do orçamento de estado.
    A riqueza não vem por decreto lei. Nem directamente do parlamento.
    Agora pegue na sua arrogancia e petulância e vá pavonear se no esquerda net sff.

  22. ATAV

    JAN

    “Atav, quando olhar para baixo e vir dois pares nao se julgue o maior é outro gajo que o está a …”

    Então não era um prazer ler as respostas dos outros?

    “A bazofia “alunos lá de trás”e “farto de o desmontar” depois confunde os temas e saca duas ditaduras falhadas.”

    Não sabia que ausência de estado dá em estados falhados? Lamento mas não sou responsável por isso.

    “Nos paises norte da europa é governo liberal estado social forte.”

    Sim, é liberal nos costumes, não na economia. Na economia é interventivo.

    “O estado nao interfere na economia.”

    Não? Com aqueles funcionários públicos todos, reguladores e imensas empresas públicas? Quem diria…

    “O estado não anda a brincar aos bancos.”

    Como por exemplo o Landsbankinn e o Íslandsbanki da Islândia e DnB NOR da Noruega?

    “Não têm salário mínimo.”

    Têm sim. Salários mínimos sectoriais negociados com sindicatos.

    “Voucher cheque estudo”

    A maioria das escolas são públicas, as escolas privadas não podem cobrar propinas aos alunos e não podem discriminar. Mesmo assim este sistema tende a acentuar as desigualdades sociais. Mas é esse o propósito dos liberais quando propõem o cheque-ensino. Ricos para um lado, pobres para o outro.

    “Se bem me recordo até no despedimento são liberais.”

    Sim, mas há politicas activas de emprego a sério. O estado paga uma requalificação decente do trabalhador e o subsidio é generoso para evitar quebras de rendimento acentuadas. É bem melhor do que as propostas liberais que consistem em cortar o subsidio de desemprego, culpar a pessoa por ter perdido o emprego e chamá-la de preguiçosa. E pô-la a apresentar-se no centro de emprego de 15 em 15 dias como se fosse uma criminosa.

    “O tema economia encostada ao parlamento é relacionado com a dependencia de imensas empresas importantes na nossa economia que a unica coisa que sabem fazer é mamar do orçamento de estado.”

    Então aprenda a diferença entre estado e parlamento.

    “A riqueza não vem por decreto lei. Nem directamente do parlamento.”

    Claro que vem… Se assim não fosse os liberais não estavam constantemente a fazer lobby para obter isenções fiscais e cortes nos rendimentos dos trabalhadores.

    “Agora pegue na sua arrogancia e petulância e vá pavonear se no esquerda net sff.”

    Apenas na condição de você ir viver uma temporada para a Somália para que perceba o que é viver um paraíso liberal.

    Aceita?

  23. Pingback: Um Grande Estado Mamão – O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.