PAN – Partido Animais e Natureza, Mas Não Pessoas

O PAN é um partido inimigo da liberdade, extremamento ditatorial e autoritário, em que no seu programa eleitoral abundam as palavras: “proibir”, “obrigar”, “restringir”, “impedir” e “limitar”. O partido cavalga uma onda de popularidade ambiental defendendo um regresso ao modo de vida ao tempo das cavernas – não só para os militantes e simpatizantes do partido, mas para todos os seres humanos do planeta.

Num pequeno interlúdio lúdico, não posso deixar de registar a proposta número 710 do seu programa eleitoral em que o PAN defende a “abolição da utilização de animais em espectáculos tauromáquicos” – imagino que que PAN idealize um espectáculo tauromáquico que em vez de touros tenha pessoas com cornos a perseguir pessoas às cavalitas a fingir que são cavalos.

Adiante, por duas vezes o PAN propôs a redução do IVA da alimentação para animais de companhia (fonte).  Depois da Iniciativa Liberal propor a reduçaõ do IVA para alimentação para bébés, a medida foi chumbada com os votos contra do PS e a abstenção do BE, PCP, PSD e PAN, sabendo o PAN que que essa abstenção levaria a que o IVA sobre a alimentação para bébés se mantivesse na taxa máxima de 23%  (fonte).

Para o PAN, os animais estão acima das pessoas.

2 pensamentos sobre “PAN – Partido Animais e Natureza, Mas Não Pessoas

  1. Concordando com este post, não posso deixar de notar que discordo tanto da proposta do PAN como da proposta da IL de reduzir o IVA sobre a alimentação de animais e bebés, respetivamente.
    Primeiro, porque considero que o IVA deve ser tendencialmente plano, isto é, ter a mesma taxa sobre todos os produtos e serviços.
    Segundo, porque as alimentações de animais e bebés são um luxo de sociedade prafrentex, e os luxos devem pagar IVA máximo. Eu quando tinha um gato alimentava-o com os restos das refeições, e os meus filhos nunca comeram qualquer alimentação para bebés – comiam as papas que eu lhes fazia.

  2. Concordando com este post, também concordo com o que diz o Luis Lavoura no comentário acima.
    Dito isto, imagino que o Luis Lavoura já discordará se eu acrescentar que a diminuição de impostos, sem excluir o IVA, deveria ser um objectivo geral e que, para tal, o Estado deveria reduzir os seus gastos e ter uma politica “de oferta” (e não “de procura”) que favorecesse um maior crescimento económico.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.