Mais Alguns Arguidos e Talvez o PS Conseguisse a Maioria Absoluta

Retirado do programa de ontem Sexta às 9:

Com mais alguns arguidos; com mais familiares no governo; com uma carga fiscal ainda maior; com uma degradação ainda maior dos serviços públicos; com um crescimento económico menor; com cativações orçamentais maiores; com um investimento público ainda menor; e se António Costa lá conseguisse agredir o idoso que o confrontou; talvez o PS conseguisse a maioria absoluta. Fica aqui a dica.

20 pensamentos sobre “Mais Alguns Arguidos e Talvez o PS Conseguisse a Maioria Absoluta

  1. JP-A

    A suspensão deste programa televisivo é porventura ela própria um caso de polícia ainda mais grave, ainda por cima com o relacionamento familiar que é público. A confiança dos portugueses na justiça que tinha dado uma volta não tarda e desaparece completamente.

  2. Em Fevereiro de 2011, Henrique Neto foi o convidado do programa da Sic-Notícias “Plano Inclinado” e falou da influência da maçonaria nos partidos políticos em geral e no PS em particular. Na semana seguinte já não houve “Plano Inclinado”: António José Teixeira, o director do canal, decidira suspendê-lo para “repensar o formato”. Até hoje.

    Sabe-se, por factos, que a directora de informação da RTP (e prima de António Costa) decidiu adiar o regresso deste Sexta Às 9 para depois das eleições. Suspeita-se, por rumores que vão circulando, da fricção crescente entre Sandra Felgueiras e a directora de informação da RTP (e prima de António Costa, nunca é demais recordá-lo) por esta decidir uma forte redução dos recursos ao dispor da jornalista.

    Que isto só pareça incomodar meia-dúzia de pessoas que comentam em alguns blogues, da mesma forma que o “eterno repensar” do Plano Inclinado passou quase despercebido, é um atestado à domesticação a que este país foi submetido.

    Mas para pagar o salário milionário da insuportável Catarina Furtado, ai para isso arranja-se sempre dinheiro…

  3. Filipe Bastos

    Não faltam exemplos como o do “Plano Inclinado” ou a suspensão cirúrgica do “Sexta às 9”. O jornalismo e os media têm hoje uma reputação, totalmente merecida, de subserviência ao poder. Não só ao poder político; mais ainda ao económico.

    Os governos vêm e vão, hoje PS, amanhã PSD, mas as grandes empresas que mandam nos governos, que anunciam nos media, que até compram jornais e televisões, permanecem. As máfias de batina e de avental também.

    A maior parte dos jornalistas são suaves para este governo sucateiro, e para mamões como a Banca, a EDP, a PT, a Mota-Engil, a Golpe, os Amorins e Mellos da vida. Suaves na melhor das hipóteses; na pior são umas putas. E os bons jornalistas, que os há, tendem a desaparecer. Não são mortos como noutros regimes, mas são afastados, suspensos ou ‘repensados’.

    Por outro lado, assim sabemos o que pensar dos outros: os dos grandes cargos e dos salários chorudos. São os jornalistas, directores como a prima do Costa, ou ‘entertainers’ como a Furtado, que não fazem ondas. São suaves. E pior.

  4. Rão Arques

    Dou uma resposta aos jornalistas que questionam o que justifica a diferente solução governativa que agora se perfila se comparada com 2015.
    Se não sabiam ficam a saber que ao contrário de antes em que perdeu ganhou agora as eleições.
    Na circunstância anterior para não sair de rastos da vida política inventou a geringonça em puro beneficio pessoal escolhendo muletas inimigas da véspera e de sempre que lhe fizeram o inqualificável frete.
    A inchar de folego, porque entende que já não precisa deles para lhe arrastarem o cadáver politico na tona da chafurdice teve a distinta lata de os mandar dar banho ao cão.
    Sair mordido é o que ele merece.

  5. Eduardo Menezes

    Tudo isso é preocupante.
    … e que dizer dos resultados eleitorais nas terras dos incêndios?
    Figueiró dos Vinhos os xuxas ganharam
    Castanheira de Pêra e Pedrogão Grande perderam mas tiveram mais votos que em 2015.
    Será difícil concluir que por ali há tantos oportunistas do lado dos eleitos como jumentos do lado dos eleitores xuxas?

  6. Ricardo Abreu

    A boa votação nos concelhos de Pedrogão e arredores terá sido resultado do recente aumento de população (primeiras residências).

    Ainda hoje aguardo o regresso da Manuela Moura Guedes à segundas na SIC. O Ricardo Costa até foi lá assegurar o seu regresso…

  7. André Miguel

    Num país normal se um programa destes fosse emitido logo após as eleições o governo nem tomaria posse.
    Mas como somos um país de amebas, não se passa nada…

  8. André Silva

    O tuga gosta é disso. E por isso este país não passa da cêpa torta.
    Só temos o que pedimos, o que queremos, o que merecemos.

  9. André Silva,

    «Só temos o que pedimos, o que queremos, o que merecemos.»

    Temos o que merecemos, mas não porque o pedimos ou queremos. Temos o que merecemos porque o permitimos ou toleramos.

    O que é bem pior.

  10. André Miguel

    Francisco, tens a certeza disso?! O tuga ainda elogia isto! A frase mais comum nas tabernas e que suicida este país é: esperto é ele, se fosse eu faria o mesmo!
    Ainda não temos o que merecemos, devíamos estar bem pior…

  11. André Miguel,

    Não tenho ouvido concordância com a corrupção e o nepotismo. Tenho ouvido todos fazem o mesmo e não voto por isso mesmo.

    Isso é desistência, não concordância. Faz parte do carácter nacional não fazer ondas e aceitar a autoridade, mesmo quando nos parece aberrante.

    Talvez por não frequentar tabernas e não andar frequentemente de táxi eu não tenha ouvido os comentários de mesa de café ou de taxistas. 😉

  12. Filipe Bastos

    Francisco Colaço, eu sempre ouvi ambas:
    1) todos fazem o mesmo e não voto por isso mesmo.
    2) esperto é ele, se fosse eu faria o mesmo!

    É este o país esquizofrénico que temos; ou talvez o mundo que temos. Metade anda a enganar a outra metade, como se costuma dizer, ou gostaria de fazê-lo.

    Eu pertenço ao grupo 1, aos que votam nulo por asco e porque querem uma mudança real, não apenas uma dança de cadeiras. Mas que hipóteses temos com metade do povo, ou mais, no grupo 2?

    O asco a este regime e à canalha que nos chula, rouba e goza há 40 anos, dos Chulares aos Varas, dos Pintos de Sousa aos Relvas, dos Loureiros aos Almeidas e Costas e Ferros e Farfalhas, é ainda assim inferior ao asco que sinto pelo cidadão que está no café, olha para a TV, entre vinte programas da bola e trezentos comentários ao Benfica, vê uma notícia qualquer sobre um pulhítico qualquer, e pensa alto, para ele e para os demais: “olha-me este… esperto é ele, se fosse eu faria o mesmo!”

    E acredite, Francisco, nesse momento – não sei se por um segundo, se por toda a vida – olho à volta e pressinto que a maioria dos demais concorda com ele. E que temos mesmo o que merecemos.

  13. André Miguel

    Francisco, não perdes nada, mas é aí que conhecemos o país real, aquele que o tuga constrói no seu dia a dia… a culpa não é só das “elites”.

  14. Eduardo Menezes

    Uma dúzia de governantes actualmente arguidos ´2 dúzias de arguidos do anterior governo do 44 + umas boas centenas de autarcas e mais uns milhares de sócios nem seria muito preocupante…
    … preocupante é o milhão de eleitores que fingem depositar confiança nesta trupe.
    Aldrabões, corruptos, mentirosos… espalham-se e sempre se espalharam por todos os quadrantes…
    …. mas nunca se tinha visto uma concentração tão grande como a de agora

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.