Claro!

António Costa sobre José Sócrates: “Tenho a certeza de que no PS as pessoas não conheciam os factos que têm vindo a público.”

 

Anúncios

31 pensamentos sobre “Claro!

  1. JP-A

    Não reparou na investigação do Serious Fraud Office. Não reparou nas mentiras descabeladas umas atrás das outras em que foi apanhado. Nem nos blackouts do gabinete do PM quando chegado a becos! Não reparou nas declarações do tio que lhe mandou os homens e reuniões que publicamente declarou desconhecer até não poder mais. Não reparou na transmissão da TVI em que Charles Smith o descreveu como “ele é corrupto”, em prime time. Não reparou no código postal no certificado de habilitações da Independente, que nem existia à data de emissão.

    É um pobre lobotomizado da república portuguesa a quem a operação calhou de poupar apenas as parte do cérebro às quais cabem a exploração da boca e das cordas vocais, da habilidade, da manhosice e do raciocínio espertalhaço-descarado de quem julga estar a reinar um canil.

    Não espanta que haja quem queira controlar comentários na internet. Isto atingiu ponto em que nos salta a tampa!

    Vão gozar o raio que os parta.

  2. alex.soares

    Claro …. se o socrátes não fez nada ….
    Uma coisa no entanto é certa, se ele nem eles, incluindo o tosta.dinho, não fizeram nada e aconteceu o que aconteceu (o malvado do passos chamar a troika) mais valia nós aguentar o socrátes sozinho, que é melhor que eles todos juntos, e sempre ficava mais em conta. Na óptica de pagador não utilizador.

  3. teste

    também ninguém sabia do passos e da tecnoforma, do cavaco e do financiamento ilegal do bes e do portas e dos submarinos.
    rasguem as vestes à vontade, ninguém acredita na vossa pureza

  4. Eduardo Menezes

    Claro
    Limpinho
    Como é que o número 2 que nunca percebeu o que se passava e passa em casa quer governar um país?
    A única atenuante que pode apresentar é que não ganhou eleições e só chegou ao poleiro mancomunado com outros 2 derrotados.

  5. ATAV

    Ricardo Miguel Sebastião

    Não encontro a referência da redução horária com a produtividade. Pode-me indicar onde é que isso se pode encontrar?

    Seja como for e caso isso seja verdade, não me surpreende essa intervenção da Catarina Martins. É bastante comum os extremistas virem com lérias ideológicas que não são compatíveis com a realidade.

    No extremo oposto do espectro político, uma parte da direita diz que baixar as taxas de IRC resulta no aumento da receita fiscal por via do aumento da actividade económica. Treta pura!

    Quem quiser baixar o IRC ou implementar as 35 horas para todos terá que arranjar argumentos melhores que aqueles que estão a ser esgrimidos até agora.

  6. Ó ATAV, você – como qualquer socialista – sonha com o “aumento da receita fiscal” (como sendo o objectivo último da política económica)!!!

    A vantagem principal de baixar impostos não é o aumento da receita fiscal. Olhe que há quem ache que a diminuição da receita fiscal é uma coisa boa…

  7. ATAV

    Rogério Alves

    “A vantagem principal de baixar impostos não é o aumento da receita fiscal. Olhe que há quem ache que a diminuição da receita fiscal é uma coisa boa…”

    Tendo em conta o efeito redistributivo do Estado Social e a progressividade da carga fiscal, uma redução desta resulta num aumento da desigualdade e condena uma maioria significativa da população à pobreza. E também aumenta o risco da formação de uma oligarquia o que põe em causa a nossa democracia.

    Eu já me tinha apercebido que o pessoal que por aqui anda acha que uma desigualdade muito grande é boa e desejável mas nunca pensei que alguém o admitisse abertamente.

    O desprezo pela nossa democracia e pelos pobres de pessoas como o Rogério também é bastante notório para quem esteja a prestar o mínimo de atenção.

    “Ó ATAV, você – como qualquer socialista – sonha com o “aumento da receita fiscal” (como sendo o objectivo último da política económica)!!!”

    Relativamente aos socialistas não posso falar, mas eu não me importo de ter uma carga fiscal elevada para financiar um estado social grande e generoso. A receita fiscal serve para financiar esse tipo de programas sem degradar as contas públicas, não para deixar num cofre qualquer.

  8. Errata:

    Então o Estado fica com 100% das receitas de todos e redistribui a quem acham os sapientes iluminados xupialistas por bem.

    Faltava o complemento indirecto, o tal que é directamente afectuoso das nossas carteiras.

  9. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    Vacinar crianças e pagar pensões aos idosos é um esquema de enriquecimento de uma oligarquia. Realmente você sai-se com cada uma…

  10. Mister lógico

    ATAV.
    Eu acho que o efeito multiplicador da redistribuição das receitas do estado é inferior a 1 e como tal aumenta o número de pobres.

  11. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    Por quem sois! O parenteses são meus e servem para contextualizar.

    “Então o Estado fica com 100% das receitas de todos e redistribui a quem acham por bem.” (O Estado social que inclui vacinas e pensões e que é a ferramenta redistributiva por excelência tem um peso de cerca de 70% na despesa total do estado)

    “Enriqueceram alguns. Os que os que mandam acham os certos.” (É uma excelente maneira de dizer oligarquia! Hei-de roubá-la!)

  12. ATAV

    Francisco Miguel Colaço

    “Tente de novo. Essa não foi lá.”

    Lamento mas uma citação directa não tenho memória. Nem é expectável que exista. Mas é inegável que você acabou de se atirar contra o estado social alegando que enriquece uns quantos poderosos.

    E há casos pontuais onde tem razão, como no caso dos colégios GPS. Também poderíamos dizer isso sobre as PPP da Saúde, mas não tenho a certeza que tenha havido violação do interesse público nestes casos. Mas na grande maioria das situações não há gente a enriquecer com o estado social.

    “Roube quanto quiser das minhas expressões, e permita-me o direito de roubar as suas quando aplicável. ”

    Combinado!

  13. ATAV

    O local correcto para essas histórias é numa carta para o Ministério Público ou para a IGMTSSS – Inspeção-Geral do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

    Existirem histórias não significa que sejam verdade. E mesmo que sejam, mantenho o que disse. A esmagadora maioria das pensões e subsídios pagos são de baixo valor. Dão para sobreviver, não para enriquecer.

  14. ATAV

    Mister Logico

    Lamento responder tão tarde, mas só agora vi a sua mensagem.

    Não creio que os efeitos multiplicadores funcionem assim. Não conta só o efeito da circulação do dinheiro entre os agentes. Há também as externalidades positivas a ter em conta. A educação e a saúde contam como externalidades e são das grandes!

    ex: mais saúde e educação significa menos morbilidade/mortalidade e uma força de trabalho muito mais produtiva.

    Sem contar que a progressividade dos impostos implica que os mais abastados têm que viver com menos, mas não ficam pobres. Os mais pobres por outro lado têm as suas condições melhoradas de forma significativa. O objectivo do estado social é esse mesmo!

    Também significa maior coesão social e não conheço maior contribuinte para uma boa economia que uma sociedade estável. As guerras civis ou uma sociedade onde a desconfiança reina são más para os negócios!

    Nota: É por causa disto que cada vez que o Ricardo Arroja diz muito cinicamente que o estado não cria riqueza eu fico a espumar! Há limites para a indecência!

  15. «A esmagadora maioria das pensões e subsídios pagos são de baixo valor. Dão para sobreviver, não para enriquecer.»

    Não é exactamente de pensões, pensos ou pensinhas de que falo. É mais con contratinhos, contratos e contratões.

    Veja, por primeira história, a qualidade dos mármores de Carrara made in Alentejo, comprados acima de preço de mercado num autêntico pay-off.

  16. alexandretavarescn@hotmail.com

    Francisco Miguel Colaço

    Se são trafulhices com ajustes directos e tretas associadas, então o seu problema não é com o estado social. É com a corrupção e a ganância. E essas estão onde estiver o dinheiro e o poder!

    Deixe lá os velhotes e os doentes em paz e vá atrás dos trafulhas. É com eles que tem contas a ajustar!

  17. Eduardo Menezes

    Limpinho !
    Se o múmero 2 nada sabia… quem haveria de saber se os outros ainda mais asnos que o 2

  18. Eduardo Menezes

    Se o número 2 nada sabia sobre o número 1 (vulgo 44) quem é que houvera de saber?
    Pergunte-se aos emplastros do Largo do Rato, talvez TALVEZ eles soubessem alguma coisa e por isso iam ali registar-se nas listas do queijo ralado

  19. Caros Insurgentes

    Pergunto-me se foram todos em simultãneo de férias para o Burkina Fasso, se apenas mudaram de “adresse”, ou , mais grave, desistiram de o ser.
    Espero ( de esperança) um regresso breve: é que me fazem falta

    Boas férias

    Vasco Silveira

  20. Expatriado,
    não é assim tão estranho. Este blogue já há muito que estava num estado comatoso. Os seus dias de glória foram há meia dúzia de anos. Depois os seus escribas foram arranjando bons empregos e, com isso, perdendo a liberdade ou vontade de exprimirem teorias ousadas. (Um exemplo é o do fundador André Azevedo Alves que, desde que se tornou um sério professor universitário, passou a somente utilizar o blogue para publicidade institucional.)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.