A Número 1 do PSD por Lisboa às Legislativas quer Estado a construir casas

Recebi o print abaixo no Whatsapp de manhã. Achei que só podia ser mentira, mas depois fui ver e era mesmo verdade. A pessoa que vai substituir Passos Coelho como número 1 em Lisboa pelo PSD quer mais socialismo na habitação. É este o estado do PS(D), cada vez mais um PS.B.

Rui Rio desde que entrou virou o partido mais para o socialismo, disse abertamente para os liberais saírem, quis aliar-se ao PS, colocou de parte quem apoiava Passos Coelho, etc.. A número um de Lisboa dizer isto é só mais um sinal do estado em que o PSD está.

Nota: não esquecer que há 15 dias Teresa Morais afastou-se (pelo menos da linha da frente) do PSD e acusou Rui Rio de rejeitar “o contributo dos ditos ‘passistas’, como rejeitou desde sempre o legado de Pedro Passos Coelho”, acrescentando que não se consegue rever no “partido mediano e ideologicamente puro, onde só cabem amigos e acólitos subservientes”.

Anúncios

7 pensamentos sobre “A Número 1 do PSD por Lisboa às Legislativas quer Estado a construir casas

  1. (1) Mas o Estado sempre construiu casas! Qual a novidade? Então os bairros sociais, por quem foram construídos? Não foi pelo Estado?

    (2) Os vistos gold deveriam efetivamente acabar ou, pelo menos, ser fortemente limitados. Não há razão nenhuma para que uma pessoa que compra uma casa cara em Portugal receba automaticamente um visto. No passado houve tal razão, hoje em dia não há. O mercado da habitação já passa muito bem sem os vistos gold.

  2. Os vistos gold estão a ter o efeito indesejável de puxar para cima os preços das casas. Casas que a portugueses poderiam ser vendidas por 400 mil são vendidas a chineses ou brasileiros por 500 mil, o que arrasta, direta ou indiretamente, todos os preços para cima. As casas deixam de ser coisas para se habitar e passam a ser coisas para se investir ou, no caso dos vistos gold, para se adquirir o direito de se fugir para a Europa quando fôr preciso.
    E quem se lixa são os portugueses. Por isso, os vistos gold deveriam ser restringidos a casos de efetivo investimento.

  3. Anonimus

    Desconhecia que comprar um imóvel era investir no país.
    Eu há uns anos investi 150k, e o Estado não me deu nada em troca do investimento, bem pelo contrário.
    IMI, imposto de selo, não sei quantas taxas e impostos na escritura…

  4. Luís Lavoura,

    Os vistos gold estão a ter o efeito indesejável de puxar para cima os preços das casas.

    Indesejável para quem? Para quem vende? Para o seu sacrossanto Estado, que arrecada mais de impostos (esses impostores!)?

    Pedem o que podem, compra quem quer. Assim funciona a geração de riqueza. No socialismo isso não funciona assim. Logo, pobreza.

  5. Luís Lavoura,

    Por isso, os vistos gold deveriam ser restringidos a casos de efetivo investimento.

    Dito o que disse, nisto concordo consigo. O Visto Gold deve tentar atrair talento para o país. Só assim a diferença no tipo de visto se justifica. Trazer um qualquer pródigo fugido da justiça de um outro país trará problemas no futuro, pois atrás dele vêm as mafias.

    Acho que qualquer mestrado ou doutorado em ciências técnicas ou empresariais deveria outrossim beneficiar de um visto prioritário, desde que viesse trabalhar ou criar uma empresa na sua área, e pudesse provar não ter a justiça de um qualquer outro país à procura dele.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.