A Europa e a Liberdade

Sou europeísta. A Iniciativa Liberal, partido do qual faço parte também o é. E, por fim, a grande maioria dos portugueses também o é. A União Europeia, tendo os seus defeitos, é o que permite que Portugal não seja ainda mais pobre e é a garantia que Portugal não é a Venezuela da Europa com políticos estatistas de esquerda e direita a andar a brincar às inflações.

Mas, mais do que algum pouco liberalismo económico e disciplina orçamental a que a UE felizmente nos obriga, como diz o Ricardo Arroja a UE também “é uma influência positiva em domínios nos quais o nosso país tem ainda muito por onde evoluir. É o caso da transparência, da justiça, da exigência cívica, da concorrência, e da cultura do mérito”. Na IL, queremos que Portugal comece por seguir os exemplos de reformas feitas em países como a Irlanda, a Estónia e a Holanda (países no top15 dos países com maior liberdade económica do mundo). E queremos uma Europa que não vê ameaças em tudo o que mexe, em tudo o que é diferente e em tudo o que o Estado não controla.

No entanto, a Iniciativa Liberal não é cega. A UE não é perfeita, obviamente. Somos contra a burocracia da União Europeia nalgumas áreas da economia, contra a protecção de grupos de interesses (sendo a PAC o melhor exemplo), somos contra a harmonização fiscal e económica, contra as “brincadeiras” do BCE e contra o politicamente correcto do policiamento da linguagem (por uma internet livre!) e sobretudo contra a crescente centralização que tem levado ao afastamento de uma parte das elites de Bruxelas em relação ao cidadão comum.

Nota: Marta Rivera substitui Luis Garicano, em representação do Ciudadanos.

É muito disto que falei que iremos debater às 15h30, dia 9/03, Sábado, na Casa do Vinho Verde no Porto. Marta Rivera (Ciudadanos) e Miguel Morgado (PSD) serão oradores, para além obviamente do Ricardo Arroja, cabeça de lista às eleições europeias pela Iniciativa Liberal.

Nota: O Ricardo Arroja, candidato da IL, escreve nO Insurgente e o Carlos Guimarães Pinto, Presidente da IL, também já escreveu nO Insurgente. Vejo isso como um óptimo sinal. E também como mais um indicador chave da importância deste blog na história do Liberalismo em Portugal. Agora, há que continuar a espalhar as ideias liberais é certo, mas também me parece bem apoiar quem as quer colocar em prática.

Anúncios

5 pensamentos sobre “A Europa e a Liberdade

  1. Essa de querer comparar o nosso país à Venezuela, nem sei como classificar a analogia.
    Mas, seria muito bom que Portugal fosse equiparável a metade ou um terço da Venezuela, apesar de isso ter o inconveniente de ser alvo do terrorismo e da ganância dos fascistas.

  2. mg42

    Uns anti-estatistas, anti-fiscalismo, pro europeismo, aka( supra-estatistas).

    Eu só queria saber se vocês se forem eleitos vão abdicar do chorudo ordenado que irão receber pago à conta dos impostos dos milhões que trabalham pelo ordenado minimo. Tudo o resto em vocês é balelas, marketing. Basta dizer que estão coligados com o ALDE. Metaforicamente, vocês são os Verdes querendo se passar como não comunistas.

  3. Somos contra as “brincadeiras” do BCE e contra o politicamente correcto do policiamento da linguagem (por uma internet livre!)

    1) A que “bincadeiras” do BCE se refere?

    2) O BCE é umas instituição independente (tal como todos os Bancos Centrais, na UE), que não pode receber “ordens” da UE. Portanto, não vale a pena criticá-lo.

    3) Todos somos por uma internet livre, mas julgo que isso não queira dizer uma internet na qual as normais leis que protegem os direitos de autor não se aplicam.

  4. Para Portugal , a europa , é um mal menor . Concordo absolutamente com a afirmação ” Sem a europa , Portugal seria uma venezuela “. Com governos proto-comunistas que temos tido e temos actualmente , as medidas a tomar , sem o travão europeu, seriam exactamente iguais aquelas tomadas por CHAVES e MADURO , com exactamente as mesmas consequencias ou ainda piores.
    Portanto , Portugal está encurralado , ou sai da europa e temos um desastre comunista , ou continuamos numa europa que nos mantem um açaime de controle de modo a mantermos um “statoquo” de mediocridade com os burocratas europeus tambem “controleiros” a deterem cada vez mais poder e consequente tirania.
    O BCE está ao serviço de quem ?
    Onde foram e continuam a ir parar os quadrilioes de euros fabricados ?
    Quem benificiou e continua a beneficiar dessa fabrica de dinheiro ?
    Essa coligação de interesses beneficia quem ?
    Esses mesmos que benificiam sao os mesmos que se queixam da crescente desigualdade ?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.