Observador mente sobre adolescentes com bonés com slogan de Trump

Que o Observador pertence à união de legacy media que ataca tudo o que seja relacionado, mesmo que da forma mais ténue, com Trump, já eu sabia. Só não sabia que ia ao ponto de mentir descaradamente para o fazer. Mas este caso prova-o.

Escreve o Observador:

Jovens com bonés com o slogan de Trump — Make America Great Again — cercaram e gozaram com ancião da tribo Omaha, que fazia uma marcha em Washington.

Mais abaixo acrescenta:

Vários adolescentes com bonés com a inscrição Make America Great Again — o “grito de guerra” de Donald Trump — cercaram e gozaram com um ancião nativo-americano, da tribo Omaha, que estava a executar um cântico e a tocar um tambor indígena, à margem da Marcha dos Povos Indígenas, perto do Lincoln Memorial, em Washington D.C, noticiou a CNN.

(…)

Phillips [um ancião da tribo Omaha] foi até à multidão de adolescentes e as coisa até se acalmaram, contou Taitano. Pelo menos até Phillips chegar perto do rapaz que aparece a sorrir no vídeo. “Aquele miúdo recusou-se, simplesmente, a sair e pôs-se mesmo cara a cara com o Nathan”, disse a estudante.

Da leitura parece que aconteceram 2 coisas:
1. Os miúdos, sobretudo o focado na reportagem, moveram-se
2.  Os miúdos gozaram com o ancião índio

Na verdade, como se pode ver nos vídeos abaixo, não só foi o índio que foi ter com os miúdos – que na maioria se foram mexendo até que aquele decidiu ficar a olhar para o espectáculo  – como a maioria ficou calada, sobretudo o tal rapaz que mais não fez do que sorrir e achar piada ao que o índio estava a fazer. O miúdo não se mexeu, o miúdo não gozou, o miúdo nem sequer moveu um músculo que não fosse para sorrir. Aparentemente, isso hoje é motivo para ser pedida a sua expulsão da escola, para ser pedido o despedimento do seu pai, e para fazerem bullying internacional ao miúdo. Vergonhoso.

De seguida ficam os vídeos onde esta informação pode ser confirmada, informação que quer o Observador podia facilmente pesquisar e incluir na sua reportagem. Mas dava muito trabalho e estragava a narrativa. Enfim. Espero agora a retração do Observador e, já agora, o pedido de desculpas ao miúdo e respectiva família por terem participado na sua humilhação indevida. Era o mínimo, se forem sérios.

PS: o índio não só mentiu como deixou o seu amigo gritar “White people, go back to Europe, where you came from” sem reagir. E a CNN decide fazer aquela reportagem? E o Observador decide propagar a mentira sem um mínimo de verificação? 2020 vai ser épico.

PS2: vejam só os comentários no vídeo no canal de YouTube da CNN. Esclarecedores.

 

 

 

Anúncios

8 pensamentos sobre “Observador mente sobre adolescentes com bonés com slogan de Trump

  1. Ricardo

    Apenas típico. Só que desta vez há imagens que comprovam como os media mentem descaradamente. Quando não as há, prevalece a mentira, porque “se deu nas notícias, é verdade”, não é?

  2. Em 2013, os nossos jornais e televisões titularam que um manifestante tinha sido “detido depois de pedir a demissão de Assunção Cristas”. E depois o vídeo mostrava que o tal manifestante (militante activo do PCP) não fora detido por se manifestar ou pedir a demissão de alguém – fora-o por ter agredido a soco um dos elementos da comitiva ministerial. Mas os nossos jornais e televisões, apesar desta evidência, continuaram a bater na mesma tecla: “manifestante detido (etc)”.

  3. mg42

    Você querem ficar de fora da politica identitária, pensando que podem ficar fora dela. Enquanto todos os outros organizam-se em tornos das suas indentidades e votam de acordo, você continuam a falar em principios individuais. Existe uma guerra cultural e etnico-racial que está a ser deliberada e massiçamente avançada contra as civilizações étnicas ocidentais. E os seus promotores e financiadores não são da “esquerda”. Vocês podem negar o quanto quiserem, não é por isso que vão ser deixar de ser catalogados e difamados pelo conglomerado corporativismo da media seja ela de esquerda ou liberal ou “conservadora”. Querer hoje ter fronteiras e imigração controlada, e não querer o vosso país ser invadido pelo terceiro mundo e por culturas históricamente inimigas, dá-vos o título de supremacistas brancos da extrema direita, por muito que vocês batam no peito e que berrem que abominam a suposta extrema direita. Aliás, muitos libertários, já começaram a se aperceber disso e estão a deixar o libertarianismo de lado. Porque não responde aos grandes problemas que têm pela frente. Quando hoje em dia temos as mega corporações, investidas directamente na promoção de politica ideológica, migração em massa, na subversão cultural, na censura massiça, e na perseguição politica. Que já chega às corporações financeiras e mesmo a vossas queridas “Ubers” . Em que uma familia pode ver a sua sobrevivência ameaçada sem terem quem a empregue por ter posições politicas consideradas “incorrectas”, e até mesmo por serem brancos, pela politica ideológica corporativa .
    Não é própriamente só do abuso de poder do Estado, que os indivíduos precisam de proteção.

    Portanto concluindo, continuem a manterem-se fiéis aos princípios dos “individualismo” em que unica coisa que vos importa é a liberdade económica, enquanto todos os outros reforçam politicamente o seu poder colectivo. No final quando tiverem todos subjugados de cú pro ar, sempre podem dizer que pelos menos não violaram os vossos princípios “ideológicos pluralistas democráticos”…

  4. MG, uma crítica possível e justa.
    Por mim, não sei se o fascismo será melhor que o comunismo e se o identitarismo melhor que o marxismo.
    Se os defensores da cultura europeia fossem por um estado controlado, aí a escolha seria óbvia.
    Mas como vos vejo sempre a pedir um estado grande e poderoso, tenho dificuldade em me juntar ao vosso grupo.
    Respeito as vossas preocupações (islamização, inverno demográfico e consequente “Great Replacement”, destruição da cultura,…), mas enquanto não vir identitários a pedir estado mais pequeno que o actual, não estou a ver como pode um liberal clássico se aproximar do vosso movimento.

  5. mg42

    A razão pela qual o RCM não vê os identitários a pedir um Estado mais pequeno que o actual, é porque ou provavelmente não os ouve, ou deliberadamente quer falsamente passar a ideia de que são “fasssistas” . Muitos deles vêm da franja libertária, são libertários .
    Vocês andam na lua a discutir nas vossas eternas tertulias pseudo-intelectuais, que cor pintar as paredes da casa, quando ela está a arder, colocam aqueles que querem apagar o fogo no mesmo nivel que aqueles que lhes estão a atear. Aqueles que se querem defender com aqueles que estão a atacar, aqueles que estão proteger com aqueles que querem destruir. Confundindo os identitários com os justiceiros sociais. E colocando-os no mesmo saco.

    Isto, ao mesmo tempo que vocês prosilitam a favor da diminuição do centralismo Estatal, dão voz a um suposto partido que se se diz liberal o iniciativa, presidido agora pelo vosso camarada Carlos Guimarães Pinto . Associado ao ALDE cujo lider é um belga lunático que pretende fazer fazer da EU uma nova UESS. E que já vão na implementação de um exercito vermelho europeu. Tenham ao menos um pouco coerência RCM.

    Agora uma coisa que se nota, é que os liberais ideológicamente têm muita comixão com a dimensão do Estado, mas não têm problema nenhum com a dimensão do corporativismo económico fincanceiroa. E se podemos definir a dimensão do Estado como a concentração de poder nas suas mãos. Não menos podemos nos preocupar com a concentração do poder financeiro nas mão das corporações. E esse é o vosso ângulo morto ideológico. O que vocês chamam the “legacy media”, é na verdade apenas um eufemismo para maquilhar aquilo que é o corporativismo económico financeiro. Vá dar lá uma vistazinha na ficha editorial do observador por exemplo. é só “não sei quê” SGPS SA, e “não sei que mais ” Holdings.
    E é de tal forma um ângulo morto, que por mais que vos digam que por exemplo a vossa querida mega corporação centralizadora de informação Uber, já anda metida em esquemas de censura politica, vocês fecham os olhos assobiam para o lado, continuam a proselitar a sua vinda e a falar em “Liberdade”.

  6. Ricardo,
    eu também gostava de ter um estado mais pequeno, mas o tempo começa a esgotar-se para termos uma sociedade sequer. a subversão vem de todos os lados, incluindo dos grandes aglomerados empresariais, que sabem que a extinção do europeu nativo, a extinção da masculinidade, a promoção dos “estilos de vida alternativos”, etc são melhores para o negócio. há que estabelecer prioridades. não se constrói um estado liberal com um povo socialista, hedonista e desmoralizado. primeiro temos de tratar do que está realmente mal, e restabelecer uma identidade, uma cultura e uma ordem social tradicional.
    Ilo

  7. Renato Ulisses de Sopuza

    Um ponto importantíssimo de ligação entre esquerdistas e globalistas financeiros é a defesa renhida do keynesianismo, que toma enorme quantidade de dinheiro do restante da sociedade, e o entrega ao ramo financeiro. Ao mesmo tempo, coloca mais gente abaixo da linha da pobreza, do que haveria de outra foram. Então, ambos os sócios ganham.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.