O anti-semitismo de Corbyn (3)

Jeremy Corbyn refuses to apologise amid row over Palestinian terrorists wreath

Anúncios

17 thoughts on “O anti-semitismo de Corbyn (3)

  1. A. R

    Para ler com atenção: “On July 22, 1946, the calls were made. Adina Hai-Nisan said she called the hotel switchboard 30 minutes before the explosion. That call was apparently received and ignored. Begin quotes one British official who supposedly refused to evacuate the building, saying: “We don’t take orders from the Jews.”1 The Irgun also detonated a bomb nearby, which broke windows, but did not cause any injuries, and may have been intended to cause panic and encourage evacuation of the building. As a result, when the bombs exploded, the casualty toll was high: a total of 91 killed and 45 injured. Among the casualties were 15 Jews. Few people in the hotel proper were injured by the blast.2”

  2. A. R.,

    É verdade o que disse e é conhecido.

    MG,

    Não tenho visto muitos judeus ortodoxos quimicamente instáveis. Isso parece ser prerrogativa de maometanos.

    Talvez seja de alguma coisa que eles ingiram e que reaja quimicamente nas entranhas e que crie muitos radicais livres.

  3. mg

    Gostava de perguntar à\ao A.R, se quando quer saber sobre o que foram os gulags da União Soviética e os movimentos revolucionários vai procurar ao Fernando Rosas e so arquivos revisionistas históricos do PCP ?

    “Não tenho visto muitos judeus ortodoxos quimicamente instáveis.”
    Pra quê sujar as próprias mãos, quando pode pôr outras mãos a sujar as suas por si.

  4. mg

    Nós avisamos logo não temos a culpa nem responsabilidade do que aconteceu de seguida.
    A nossa bombinha era só mas só para assustar e causar pânico às autoridades inglesas para que eles evacuassem o edificio.
    E afinal até morreram judeus e tudo , logo não foi terrorismo… Case closed.


  5. A. R

    Caro MG

    Sabemos que o Guardian anda de braço dado com criminosos regimes como o chavista (mais de 300 000 mortos -fome, doença, fuzilamentos sumários), o castrista (mais de 100 000 mortos) e outros. Como fonte de informação vale o mesmo, ou talvez menos, que o conhecido Pravda.

  6. A. R

    … mas nem só o Guardian de onde vem grande parte da informação de base! A grande maioria -mesmo a BBC-são fontes deploráveis de “informação”.

  7. Os judeus não são católicos. Têm muitas opiniões, desde os seculares socialistas até aos pró-ocidentais. Os católicos têm uma voz que aparentemente diz falar por todos. Veja o que ele diz em relação aos rifugiati e aos immigranti.

    Se 1000 rabinos assinaram essa petição, outros milhares descartá-la-iam. Mas isso não é coisa que a imprensa cartilhada pusesse ao prelo. Bem disso sabemos.

    Tenho excelentes amigos judeus. Nenhum deles, ao que me parece e ao que dizem, gosta do que está a acontecer à Europa. Nem eu julgo todos os meus amigos católicos pela opinião do tal Francisco, o qual parecem todos tratar por papá.

    Não julgue toda a Israel pelo que se lê no Haaretz, o Guardian lá do sítio. É como julgar Portugal pelo que se escreve no Público, o tal que, por vontade e quando lhe for permitido, dirá que o BE vai ganhar com maioria absoluta, e que os portugueses, incluindo o MG, são todos rabetas ou rabetofílicos.

  8. «… mas nem só o Guardian de onde vem grande parte da informação de base! A grande maioria -mesmo a BBC-são fontes deploráveis de “informação”.»

    Deploráveis? Pensei que a palavra se tinha transformado num elogio nestes últimos tempos. 😉

  9. mg

    A bbc e o guardian lol? VOcê sabe quem é que manda naquilo ?
    Cuidado com a vossa ginástica, o contorcionismo é tanto que ainda partem a espinha dorsal(se é que ainda a têm). Olhem que vocês não são uma rapariga nova e flexivel como a mortágua, e que mesmo assim o quanto a rapariga suou e gemeu a contorcer-se, pra tentar justificar o seu amigo anti-especulador especulador imobiliário…

    MAs, mas eu até tenho amigos…
    Oh Francisco, mas explique-me lá aquela coisa dos “globalistas” que lá pra baixo noutro artigo escreveu cujas agendas politicas é impor ao ocidente imigrações em massa para promover o caos…

    https://www.supportrefugees.org.uk
    Support Refugees was set up and is managed by The Jewish Council for Racial Equality (JCORE) and West London Synagogue of British Jews.

    Special thanks to JLGB, who helped get the website off the ground and to the Jewish Social Action Forum, where the idea for such a website first arose.

    The website is produced under the auspices of Jewish Communal Taskforce for Refugees, the members of which are:

    Board of Deputies
    Jewish Council for Racial Equality (JCORE)
    Jewish Leadership Council
    Liberal Jewish Synagogue Drop-In
    Mitzvah Day
    Rene Cassin
    West London Synagogue
    Union of Jewish Students
    World Jewish Relief

    It is supported across the community, including the following organisations:

    Board of Deputies
    Liberal Judaism
    Masorti Judaism
    Movement for Reform Judaism
    Office of the Chief Rabbi
    United Synagogue

  10. Nem todos os globalistas são judeus. Nem todos os judeus são globalistas.

    Nem todos os imbecis são portugueses. Nem todos os portugueses são imbecis.

    Nem todas as gajas são desejáveis. E aqui acaba o paralelismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.