Brexit: time to turn to the open seas?

Daniel Hannan: If the EU turn hostile on Brexit and see us leaving as an act of aggression — it’s time to turn to trade deals and the open seas

Anúncios

8 thoughts on “Brexit: time to turn to the open seas?

  1. Estes querem sair de um clube mas manter todas regalias – “apenas” deixar de pagar a mensalidade…

    A europa andou sempre com eles ao colo, quem sabe conseguem alguma coisa.

    Mas desta é possível que Bruxelas não lhes faça todas as vontades e levem o muito merecido chuto nos fundilhos para ganharem balanço para os “open seas”.

    O que provavelmente vão descobrir é que já não são os mesmos tempos de quando Britannia rule the seas…

  2. mg

    Eu ia pra comentar mas reparei na discussão entre o cowboy “integralista” anti-esquerda, pro Britania, mas que se associa aos marxistas pela desintegração de Espanha, e o anti-neoliberal democrata, mas pro tecnocracia neoliberal de Bruxelas do porquito, e deixei-me ficar quieto a apreciar a comédia…

  3. Ork ragnarok

    Caro mg 42.

    Eu sou pro- neoliberalismo europeu ?

    Já aqui disse que precisamente pelo neoliberalismo que só serve os bancos a UE por mim acabava já hoje.

    Simplesmente não sou como vocês, os dos clubes politico-futebolisticos e lá por ser contra a UE não vou contrariar todas as posições da mesma só porque sim, como vocês dos clubes fazem.

    Neste caso resulta óbvio que a posição do RU é ridícula. Eles querem tudo.

    Quanto ao neoliberalismo, o RU é o introdutor do mesmo na Europa e grande responsável por todos os males de que acusa a UE.

    Ou pensa que todos os problemas do mundo vão desaparecer extinguindo a UE continuando as políticas da UE os estados que se livrarem da dita ?

  4. Ork ragnarok

    Caro luky.

    Neste post até estou a defender a posição da UE.

    Se você não fosse incrivelmente burro saberia que a major parte da esquerda é contra a UE.

  5. Luís Lavoura

    Hannan é parvo. Todos os países fazem comércio prioritariamente com os seus vizinhos imediatos. Essa possibilidade de o RU comerciar em grande parte com países distantes é uma impossibilidade prática. É um castelo no ar.

  6. 1. “If the EU turn hostile on Brexit and see us leaving as an act of aggression ” — bem, quem sabe criar “ambientes hostis” é o governo do partido do Daniel: será que a UE andou a deportar os próprios cidadãos, ou andou a enviar cartas de aviso de deportações iminentes para cidadãos do R.U., ou abandona cidadãos da R.U. em centros de detenção, ou foi pela UE que andaram a vandalizar lojas de emigrante do UK, etc. etc.??? Não caro Daniel, isso tudo e mais acontece no teu país. pelas mãos do teu governo!

    2. “There are, for example, British soldiers patrolling the borders of Poland and Estonia.

    The RAF is, to all intents and purposes, acting as Romania’s air force, responding to incursions into that country’s airspace. And so on.” — Caro Daniel, tens que perceber a diferença entre a NATO e a UE, todos sabemos a posição cãonservadores em relação a um exército europeu!

    3. “In intelligence and security, rather as with the Common Fisheries Policy, Britain puts a lot more than its share into the common pot.” — Mas quando é que voçês quiseram saber alguma coisa de pescas???

    4. “In almost every European speech since the referendum, Theresa May has said that she wants Britain to be the EU’s closest friend and strongest ally.

    But when have you ever heard those good wishes returned?” — Limpa as orelhas!

    5. “Eurocrats are not offering Britain the kind of deal that they have with neighbours such as Norway and Switzerland.” — A Noruega e a Suiça aderem à livre circulação de PESSOAS!!! Todas as restantes especificidades no comércio entre as entidades estão e sempre estiveram ao alcance dos estados membros, eg. Dinamarca, ou o famoso “rebate” negociado pela “santa” Tatcher.

    6. “If we want to remain in the single market, says chief EU negotiator Michel Barnier, then, unlike those countries, we’d have to give Brussels 100 per cent control of our trade policy — an impossible condition.

    But neither are they offering the kind of simple free trade deal that they have with, say, Canada and Japan.” — Daniel, o Canadá e Japão não fazem parte do mercado único, para quem é alumni da U. Oxford, pareces ser um pouco lento ou desonesto, hipócrita, mentiroso, enfim…

    7. “If we want a straightforward trade deal, Barnier says, we’d have to leave Northern Ireland under EU rules — an equally impossible condition.” — bem, foram voçês que assinaram o acordo de Belfast, podemos sempre voltar aos boms velhos tempos!

    8. “It is not for a lack of willingness on our side. In February, Theresa May told a Munich audience: “Europe’s security is our security. And that is why I say that the United Kingdom is unconditionally committed to maintaining it.”

    The EU’s response? To exclude us from the Galileo satellite programme on grounds that we could no longer be trusted.

    Well, fine. I never saw much point in the Galileo system, which was pushed by French leader Jacques Chirac to challenge the “technological imperialism” of America’s GPS system.” — parece que o Jacques adivinhou a eleição do trump!!!

    9.”While we talk of trade and co-operation, EU negotiators talk of border queues and grounded flights.” — Daniel, quando vieres cá a casa eu vou-te servir água engarrafada em Angola que eu trouxe na mala!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.