Miguel Morgado sobre o PSD e a crise da direita portuguesa

Uma entrevista que vale a pena ler: “A direita vive uma das suas piores crises desde 1978”

Miguel Morgado, deputado e ex-assessor político de Passos Coelho, discorda “radicalmente” da tentação de tornar o PSD “um partido satélite do PS”. Permitir que o PS “negoceie com a extrema-esquerda e o centro-direita” é um risco para o “esvaziamento do PSD e da democracia”, sustenta.

Anúncios

18 thoughts on “Miguel Morgado sobre o PSD e a crise da direita portuguesa

  1. E quando os partidos de esquerda estão no poder, diz-nos a história mundial que sobre o consumo de carne de unicórnio.

    Quem não aprende com os erros dos outros… vê-se grego. Ou venezuelano.

  2. Caro Colaço.

    Depende da esquerda.

    Por exemplo, nos países onde vigora a verdadeira esquerda social-democrata, os nórdicos, consta que se come muito bem.

  3. Caro Colaço.

    Por falar nisso, quando a crise da Grécia rebentou, o partido que tinha estado no poder não era de esquerda, mas os equivalentes a estes aldrabões do nosso PSD.

    Ah. Tinha-me esquecido que para si tudo é marxista…

    Sendo assim este Morgado também é um perigoso marxista.

    Um autêntico Che Guevara.

  4. Gaius Octavius

    “Sob certos aspectos, a direita portuguesa, vou chamar-lhe assim para a distinguir da esquerda,”

    Exacto, o PSD só pode ser chamado de “direita” para distingui-lo dos partidos que estão mais à sua esquerda. Porque nunca um partido que aprova uma constituição escrita (também) por comunistas, como o PPD aprovou em 1976, pode ser considerado de direita.

  5. O PASOK é o equivalente do PSD?

    Podia com menos palavras ter-me feito continuar na dúvida acerca da sua capacidade.

    Quanto à tal verdadeira esquerda nórdica, lembra-se das palavras do ex-primeiro-ministro da Dinamarca? Reclame com ele. Não comigo.

  6. A malta ainda não percebeu que a direita portuguesa não tem qualquer viabilidade. Ela tende a defender os portugueses que ainda têm interesses económicos em Portugal. Esses já são muito poucos…

    Esses andaram no passado a alavancar as suas empresas, com alavancas de esferovite, e acabaram por ser arrestados pelos bancos portugueses.

    Quando os bancos portugueses (autores das alavancas de esferovite) foram arrestados pelos grandes bancos europeus, americanos, chineses, etc., os empresários portugueses de referência (os antigos donos das empresas que constituíam o PSI20 há 30 anos) ficaram órfãos. Orfãos e ricos, mas sem poder.

    Não adianta tentarem fazer partidos que lhes defendam os interesses. Quem hoje manda maioritariamente em Portugal são as grandes empresas estrangeiras que nomearam para seus capatazes simpáticos e diligentes socialistas e comunistas, porque os de direita não conseguem ser capatazes… nem para capatazes já servem!

  7. Ork ragnarok

    Caro Colaço.

    Mas qual PASOK.

    A crise rebentou estava o PASOK a tomar posse ainda não tinha governado nada.

    Você está farto de saber que vinha do governo anterior do partido equivalente ao nosso PSD.

  8. Ork ragnarok

    Caro Colaço.

    Sendo o PM dinamarquês o equivalente ao nosso Passos, é natural que queira destruir a social-democracia no seu país.

    Infelizmente para vocês, isto não é só querer e ainda não conseguiram destruir o regime nórdico, que é essencialmente o mesmo desde que foi construído pelos social-democratas há setenta anos.

    Gosto é da sua “honestidade” de chamar esquerdista a toda a gente, menos á social-democracia nórdica.

    Isso é que é pontaria…

  9. Ork ragnarok

    Caro Octavius.

    Isso é o mesmo que dizer que se alguém entrega a carteira a um ladrão que lhe aponta uma arma a entregou porque quis, porque se não quisesse não tinha entregue…

    O PSD assinou a constituição porque foi obrigado e desde aí tudo tem feito para a destruir.

  10. A Crise grega rebentou com o PASOK e o PASOK foi rebentado pela crise. A Nova Democracia apanhou os cacos e aguentou o pior embate.

    De qualquer forma, veja as sondagens desde há um ano na Grécia. Que existe uma razão pelo qual o Tsipras anda a usar gravata, existe.

  11. «Ela tende a defender os portugueses que ainda têm interesses económicos em Portugal.»

    O PS salva bancos: BPN, BPP, BES, CGD. O PSD de Passos Coelho manda o Salgado Passear.

    O PS manda 600 milhões de euros à Mota-Engil para iniciar os estudos para o TGV. O PS manda vir seis submarinos — que passaram a quatro e a três — à Alemanha. Faz contratos pelo Almeida Santos para os Pandur. O PS mete a JP Sá Couto a vender Migalhães para a Venezuela e mandata-os para o ensino primário — um erro que levará uma geração a corrigir. O PS manda fazer dez estádios para nunca mais serem usados depois de um Europeu.

    O PS dizima os serviços públicos, mesmo aumentando a despesa pública. O PS (e é o PS) faz contratos com o Grupo GPS, suspeito de irregularidades, só pelo facto de os chefes do GPS serem do deputedo socialista. O PS quer expropriar terrenos agrícolas e florestas para entregar, via banco de terras, aos amigos. O PS faz habitação a preços controlados em Lisboa, e quem beneficia são estranhamente os militantes socialistas. Entretanto, o PS aumenta o número de Bois e Vacas que não contactam com o público nas sacanatarias todas, enquanto os hospitais e as escolas se queixam de falta de pessoal. O meu problema não é que tenham falta de pessoal. O meu problema é que os pagamos em transferências recorde.

    Venha a direita! Mesmo a direita escarralhada que temos, com muitos defeitos, é melhor do que a esquerda no tocante a tratar os cidadãos por igual.

  12. Caro Colaço.

    Sem dúvida que o PASOK foi rebentado pela crise.

    Mas foi porque apenas porque teve de aplicar as impopulares medidas de austeridade da crise que vinha do governo anterior.

    Acho que até você tem discernimento para compreender que, se a crise rebentou na tomada de posse do PASOK, obviamente que não se devia a políticas do PASOK porque esse partido ainda não tinha tido tempo de fazer absolutamente nada.

    Quanto á ND, bem, a vossa especialidade é passar entre pingos da chuva e deitar sempre a culpa das vossas políticas para cima dos outros.

  13. Caro Colaço.

    O seu muito acertado discurso contra o PS apenas prova que esse partido é de direita e no essencial segue a mesma linha do PSD.

    Apoiar todas as negociatas escuras dos empresários privados e da finança internacional é próprio da direita e não da esquerda.

    A esquerda é mais nacionalizações protecionismo. Lembra-se ?

    E o Passos não mandou o Salgado passear.

    Ele e o Cavaco e o governador do banco de Portugal andaram a fazer propaganda gratuita ao Salgado, assegurando até ao fim aos pequenos investidores, como representantes do estado, que o banco era sólido. Quando toda a gente minimamente informada sabia que aquilo estava na falência.

    Depois, quando aquilo rebentou, em tempo de troika o governo simplesmente não tinha autonomia financeira para empenhar imediatamente dezenas de milhares de milhões para salvar o banco quando o dinheiro era controlado ao tostão pelos ocupantes troikistas.

    Daí ter encontrado uma solução intermédia em que salvaram a longo prazo os grandes investidores de outra maneira – à nossa custa e à custa dos pequenos investidores.

    E não se preocupe com o Salgado que o sistema neoliberal assegura-lhe que possa esconder milhares de milhões roubados em offshores e uma pena mínima.

    Se você for apanhados a roubar leite em pó no supermercado, se calhar tem de arcar com consequências mais pesadas do que ele.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.